Home Aviação Naval SEM para Aviação Naval Argentina?

SEM para Aviação Naval Argentina?

429
6

Super Etandard

Está em estudo pelo Ministério da Defesa francês, a eventual possibilidade de transferência de algumas células do Super Etendard Mornenisè (SEM) para a Armada Argentina (ARA), a partir de 2015, quando estes serão retirados do serviço ativo da Aeronavale e substituídos pelos Rafale.

Possivelmente estes SEM não serão vistos voando nas cores da ARA, pois se a venda das aeronaves ou de peças em estoque for confirmada, apenas servirão para garantir a manutenção dos atuais Super Etendard argentinos.

SEM REVO

FOTOS: Sergio Garcia Pedroche e FrenchNavyfree.

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Dalton
Dalton
10 anos atrás

E lá embaixoooooo, na primeira foto, um dos 4 “Almirante Brown”
de los hermanos…

Manoel
Manoel
10 anos atrás

li algum tempo que a venda dessas celulas incluiria assistencia para que os SE Argentinos fossem transformados na versão M aproveitando o equipamento existente nos M vendidos…aí seria algo mais que manter os atuais aviões voando.

vassili
vassili
10 anos atrás

Manoel,

Isso mesmo. Se essa venda for efetuada, os argentinos vão aproveitar principalmente a eletrônica dos SEM franceses. Isso pq as células argentinas tem poucas horas de voo usadas, enquanto os franceses ja estão muito gastos.

abraços.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
10 anos atrás

De qualquer forma, se realizada a atualização da aviônica para a do SEM, isso também ajuda a manter os aviões voando: trocam-se itens obsoletos e difíceis de achar no mercado (e que consequentemente afetam a disponibilidade) por outros mais novos e provavelmente com maior facilidade de reposição (além da provável maior confiabilidade).

Além do que outros armamentos poderiam ser utilizados, mas isso, comparado à capacidade atual da ARA em adquiri-los, já é uma outra história.

alexandrefontoura
alexandrefontoura
10 anos atrás

Manoel, a intenção da ARA em adquirir essas aeronaves SEM da Marine Nationale é apenas aproveitar os kits de modernização e incorporá-los a seus próprios Super Etendard, que estão muitíssimo menos voados do que os franceses e pouco operaram em NAe. Depois, as células adquiridas poderão servir de fontes para algumas peças de reposição.
Lembrando que a França ofereceu esses SEM à Marinha do Brasil, que os recusou. Realmente, para a MB, não valia a pena. Mas, no caso da Argentina, como operadora da aeronave, a situação é outra.

MO
MO
10 anos atrás

biotonico Fontoura e os cara, bom te ver cara !!!!

Abs
MO (ML)