segunda-feira, junho 21, 2021

Saab Naval

Como os EUA perderão a guerra naval de 2015

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

GW

vinheta-destaqueUm artigo perturbador intitulado “How the United States Lost the Naval War of 2015” descreve a destruição e afundamento do navio-aeródromo USS George Washington, no Mar da China, em 2015.

A história fictícia foi publicada na revista Orbis, do Foreign Policy Research Institute na Filadélfia e está repercutindo nos fóruns da internet.

O autor James Kraska, ex-consultor de política e estratégia do US Joint Chiefs of Staff, defende em seu trabalho que o Poder Naval americano está em declínio, enquanto o da China está em franca ascensão.

Kraska descreve o ataque ao USS George Washington, que opera desdobrado no Japão, feito por um míssil balístico antinavio (ASBM), que está operacional nas forças armadas da China. O míssil é uma variante do DF-21 (CSS5) com sensores terminais que permitem realizar um ataque de decapitação num CSG (Carrier Strike Group) americano.

O gráfico abaixo, publicado no “China Military Power Report 2009″, feito pelo Departamento de Defesa dos EUA para o Congresso Americano, mostra como o novo míssil funciona.

China anti carrier balistic missile

Além da ameaça do novo míssil, Kraska cita também a vulnerabilidade da Marinha dos EUA aos modernos submarinos da China. Em outubro de 2006, um submarino convencional chinês da classe “Song” sombreou e emergiu no meio de uma força-tarefa americana capitaneada pelo USS Kitty Hawk. Se fosse numa situação real, a US Navy poderia ter perdido um navio-aeródromo.

James Kraska critica o amolecimento da política internacional dos EUA e o enfraquecimento da US Navy, que tem despendido muito do seu tempo e treinamento nas operações de paz e de segurança marítima, em detrimento da preparação para a guerra no mar. (E realmente, podemos constatar pelos diversos incidentes ocorridos nos últimos anos que o nível de treinamento na US Navy está em declínio).

Enquanto isso, a China tem investido e treinado para vencer uma guerra no mar. Não foi à toa que o Comandante da Marinha da China (PLA Navy), almirante Liu Huaqing, afirmou que “o século XXI será o século do mar”.

China Balistic Missiles Range

FOTO: Poder Naval

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

37 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
37 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bosco

Esse míssil tem 2000 km de alcance e uma ogiva em torno de 600 kg. Sem dúvida a arma anti-porta aviões perfeita. Para a defesa, a USN conta com os mísseis SM-2 Block IVA (defesa terminal dentro da atmosfera) e os SM-3 (defesa além da atmosfera). Mas a maior defesa sem dúvida é o poder dissuasório dos EUA. Jamais um ataque com míssil balístico, mesmo convencional, contra um NAe americano ficaria impune, e as consequências seriam devastadoras. Na verdade, o simples lançamento desse míssil já provocaria uma reação imprevista por parte dos americanos, já que poderia ser interpretado como um… Read more »

Sérgio Ricardo

Bom dia. O senhor poderia enviar o artigo completo de Mr Kraska. Não estou conseguindo encontrar.
Obrigado.

Bosco

Sabemos que os americanos são maus perdedores e têm nos seus porta-aviões um apreço especial. Se forem atacados de forma a que não seja dado chance de defesa eles não reagiriam de forma equivalente à agressão. A resposta seria desproporcional, mesmo porque, estaria pautada na desculpa que “poderia ser um ataque nuclear”. Pode ser que a China venha no futuro a ter um potencial militar maior que os EUA, mas hoje e dentro de pelo menos mais 30 anos, os americanos é que dão as cartas. Como resposta a USN pode voltar a incluir mísseis Tomahawk armados com ogivas nucleares… Read more »

Bosco

Valeu Galante. Vou ler.

Clésio Luiz

A China é uma potência nuclear também. Se os EUA lançarem mísseis nucleares contra a China, ela irá responder.

Marine

Bosco, Concordo com voce. Esses relatorios “doom & gloom” aparecem toda hora desde o comeco da Guerra Fria alias aqui mesmo na minha biblioteca tenho um livro da decada de 70 que diz como tomariamos uma surra da Uniao sovietica e bla, bla, bla… Apesar de claro sempre haver ressalvas e pontos em qualquer forca armada que podem ser melhoradas, hoje ninguem possui forca mais adestrada e com mais veteranos do que os yankees e como voce mesmo citou um ataque a um NAe americano trara consequencias inimaginaveis ao agressor, a propria opiniao publica americana exigiria isso como uma clara… Read more »

Bosco

Clésio, sem dúvida. Por isso mesmo que eu acho que tal ataque não irá acontecer e essa arma é taticamente ineficaz. Ela só seria útil contra um NAe americano. Os americanos são uma potência nuclear, do mesmo modo que a China, e não seria conveniente puxar o rabo do leão. A menos é claro que já houvesse um estado de guerra generalizado entre as duas nações, aí provavelmente os chineses fariam uso de armas nucleares, já que apesar de ser possível uma guerra convencional entre duas potências nucleares acho pouco provável que no caso de uma ele usassem um míssil… Read more »

Bosco

Mísseis balísticos têm uma forte conotação “nuclear”. A própria USN cancelou um programa que visava dotar um SLBM Trident com uma ogiva convencional de precisão (veículo de reentrada manobrável) por achar que o uso da mesma, mesmo contra países do terceiro mundo, poderia ser interpretado pelas potências nucleares como um ataque nuclear.

Valeu Marine.
Um forte abraço meu caro. E feliz Natal.

Marine

Bosco,

Vale lembrar tambem que apesar de varias nacoes possuirem artefatos nucleares, mesmo a China nao possui mais do que cerca de 50 ICBMs enquanto os EUA possuem centenas de Minutemen, Tridents e Peacekeepers. Enfim uma capacidade de retaliacao macica contra qualquer nacao ou ate mesmo continente.

Vale lembrar ao pessoal que so porque um pais possui tais artefatos nao quer dizer que todos os coadjuvantes internacionais possuem numeros iguais de ogivas e sistemas de lancamento.

Estou lendo o relatorio aqui tambem e depois comento sobre ele.

Sds!

Bosco

Marine,
os Peacekeepers foram retirados em 2005 ou 2006 devido ao acordo START.
Os Minutemans tiveram suas ogivas múltiplas (3 x 335 Kt) substituídas por apenas 1. Hoje existem 450 Minuteman e seriam usados no “primeiro” ataque ou em ataque punitivo.
A maior capacidade dissuasória nuclear americana são os Tridents dos 14 SSBN classe Ohio.
Mas não fique triste não.rsrs….Existem mais de 4000 armas nucleares a serviço dos EUA contando com as bombas e os ALCMs.
Um abraço.

Marine

Pois e Bosco, obrigado mas o ponto continua que a diferenca e exorbitante. Ja nessa obra de opiniao que nao vou chamar de relatorio o autor ignora ou assume varios pontos para encaixar melhor sua hipotese. Alias sao tantos que ate estou sem tempo de escrever todos aqui nessa manha de natal mas so para citar alguns, ele assume que a resposta americana tem que ser naval e apesar de citar a opiniao publica internacional como um grande fator estrategico ele ignora aquela que mais influencia a resposta americana – a sua propria opiniao publica “clamoring” por uma resposta a… Read more »

alfredo.araujo

Marine em 25 dez, 2009 às 12:37

Se a coisa fosse feita na maldade, teria o minimo de planejamento, por parte da PLAN, para colocar a grande maioria de seus meios no mar…
A situação é complexa…

Marine

Alfredo, claro mas uma mobilizacao dessas nao acontece as cegas de servicos de inteligencia. Esse tal “relatorio” le-se mais como obra de Tom Clancy do qye cenario real…

Bosco

Só de curiosidade, a China pode “depositar” em território americano entre 30 e 40 ogivas nucleares em um ataque premeditado. Algumas poderiam ser interceptadas pelo sistema de defesa americano (mísseis antibalísticos GBI baseados no Alaska e na Califórnia) que foi concebido entre outras coisas para conter um ataque ICBM chinês a território americano. Por outro lado os EUA podem colocar entre 1500 a 1800 ogivas nucleares em território chinês partindo de seus ICBM e de seus SLBMs em prontidão de um total de 2500 ogivas em um ataque pré-planejado. Claro que isso não seria exequível pois deixaria os EUA vulnerável… Read more »

casag

O Sr. James Kraska deve por certo estar a serviço do lobby que quer criar medo na opinião pública para poder justificar algum aumento no orçamento militar. Mais ainda.

É isto que vai derrotar esta nação – o desperdício, o rolar de uma dívida sempre absurdamente maior para a frente, como se o precipício não estivesse alí na frente.

Sds a todos.

Wolfpack

Muita gente faz contagem de ogivas nucleares como se conta livros em uma biblioteca. Quem faz este inventário? A AIEA não consegue lidar com o Irã imagine com a China. Quem garante que o status atual Chinês? A verdade nua e crua os Americanos criaram um Monstro e terão que lidar com ele no futuro. Neste final de semana a Ford vendeu a Volvo car para uma empresa Chinesa. Seria preferível destruir do que vender, e depois não sabem como suas marcas mais antigas não existem mais. Uma vergonha para o povo Suéco e para a empresa Americana. Moral da… Read more »

Bosco

Sem entrar no mérito de qual as causas da possível futura derrocada americana ou qual as da possível formação de uma super hiper mega potência chinesa, mas falando unicamente do aspecto militar e de números disponíveis na internet e aceitos como razoáveis e próximos dos quantidades reais, fato é que independente dos americano comerem criancinhas no jantar e de chineses serem o melhor povo que já existiu sobre a face da Terra, verdade é que no caso de um desses super eficientes mísseis balísticos antinavios atingirem um porta-aviões americano a resposta dos comedores de hamburgeres seria devastadora hoje, como nos… Read more »

Bosco

E como vale viajar na maionese, não existe nenhuma certeza que não dê uma doida em um presidente americano e ele resolva fazer um ataque nuclear preventivo contra uns 4 ou 5 países tão logo perceba que os EUA estão deixando a peteca cair como a única superpotência do globo, equilibrando novamente as coisa já que alguns concorrentes estarão de volta à Idade Média.
Se os chineses podem atacar um porta-aviões americanos quem me garante que qualquer outra hipótese também não é possível, afinal as armas para isso, a exemplo do ASBM, já existem.

Bosco

É claro que a China pode ter ao invés de 300 ou 400 armas nucleares, 1000, 2000 ou mesmo 5000 armas nucleares. Como também os EUA podem ter ao invés das alegadas 4500 armas, 10000, 20000 ou 50000. Quem sabe? Fato é que bastam provavelmente umas 150 a 200 ogivas (se tanto) para fazer um país como a China voltar pelo menos uns 50 anos no tempo. E os EUA tem como lançar pelo menos 800 a 1000 delas em menos de 30 minutos depois da ordem presidencial. Já a China não tem como colocar os EUA de joelho através… Read more »

casag

Ô Bosco,

É Natal e você falando de ataque nuclear preventivo?
Tá certo que meu velho, querido e falecido pai ficava deprimido e intratável nesta época mas, você tá demais.

Relaxa que o carnaval vem aí… O quê? não suporta também?

Hornet

Em plena ressaca do Natal, lá vamos nós especular sobre o “fim do mundo”…hehe Uma coisa me parece certa e clara: numa guerra direta e total entre os EUA e a China, os dois perdem. Os EUA perderiam a liderança mundial em pouco tempo (as guerras totais entre potências, historicamente, mostram que elas se enfraquecem rapidamente e dão lugar a outras – foi assim na IIWW, quando Inglaterra e Alemanha deram lugar aos EUA e a URSS, por exemplo) e dependendo da situação (duração, grau de destruição etc.) desta suposta guerra, poderiam até mesmo perder o status de potência. E… Read more »

Bosco

Tá certo Casag. Vou relaxar.
Mas que Papai Noel não existe não existe.
E que eu faço parte da comunidade do Orkut “Eu quero guerra nuclear no Natal” também é verdade.rsrsrs…
Um abraço.

MO

Bosco

ouve ae “Merry Christimas I do not want to fight tonight” RAMONES

hhehehehehe

Abs
MO

Wolfpack

Lembre de nunca menosprezar o inimigo… Qualquer Guerra Convencional com a China será longa e desgastante, o que a cultura Americana não suporta a tempos e um conflito nuclear está fora de cogitação, pois seria extermínio múltiplo. Os Chineses querem os Gringos longe de sua área de influência, e a cada dia eles investem mais e mais nos recursos da África e América Latina, enquanto os Gringos desprezaram tais regiões por anos. Já postei isso antes neste forum, os Americanos não sabem lidar com a atual conjuntura política mundial. Estão perdidos, criaram um Monstro chamado China e também não sabem… Read more »

Hornet

MO,

Ramones são muito certinhos e arrumadinhos.

Gosto mais deste aqui (hehe):

http://www.youtube.com/watch?v=UqTT_O1PIvM

abração

Wolfpack

Mais do mesmo… Agora a China nos ajudará com o Opalão e SNB… http://defesabr.com Mídia : Foreign Policy Data : 23/12/2009 O Eixo Naval Pequim-Brasil Por Joshua E. Keating – Dezembro 2009 Desde que a China não tão secretamente comprou vários antigos navios-aeródromos soviéticos durante os anos 90, seus ambiciosos planos navais têm sido objeto de uma especulação febril por parte de analistas militares. Em março, o ministro da Defesa chinês, Liang Guanglie, confirmou que o país planeja embarcar em um grande programa de construção de navios-aeródromos, por ter dito ao seu homólogo japonês “Precisamos desenvolver um navio-aeródromo”. O Pentágono… Read more »

Bosco

Off-Topic. Mudando de pato pra ganso, os EUA também dão claros sinais de que a fase da prioridade em guerra litorânea está prestes a terminar e o que se busca é um meio termo com uma ênfase renovada na guerra de alta intensidade em mar aberto, claro, sem deixar de lado a guerra assimétrica. Um programa interessante e que breve deverá ser melhor esclarecido é o que visa gerar um míssil antinavio de longo alcance (LRASM), que começará a ser testado em 2012 e estará operacional em 2015. Pelo que se sabe ele deverá ter um alcance maior que de… Read more »

MO

muito bom hornet, ja conhecia esta dos podres

‘velho batuta, presenteia os ricos, gospe nos pobres’

otimo !
abs
MO

Hornet

MO,

Pra vc ver como nem tudo é o que aparenta ser…

O pessoal aqui contando os mísseis de lado a lado (China X EUA), e a Casa Branca homenageando a China (por meio do rosto de Mao) na sua árvore de Natal. Chegou a ver?

http://www.foxnews.com/slideshow/politics/2009/12/23/white-house-christmas-tree-ornaments

Papai Noel, velho batuta….hehe

abração

Dalton

O Marine citou o Tom Clancy e logo me veio à cabeça um trabalho de ficção que ele escreveu no final dos anos 90, descrevendo um confronto entre EUA e India, coincidentemente em 2015/2016, mesmo periodo de tempo usado pelo autor James Kraska. Foi a pior coisa que li do Tom Clancy, mas ao menos, ele escreveu sobre um fato que se passaria quase 20 anos no futuro, enquanto kraska fez um trabalho de ficção onde o ano de 2015 parece próximo demais. 2015 é cedo demais para a China tentar qualquer coisa, mas para aqueles que torcem contra os… Read more »

Bosco

Esses alegados mísseis supersofisticados da Rússia e agora da China são cercados de mistério. Os ICBM russos são indefensáveis, mas a gente procura procura na internet e não acha uma fotinha da tal ogiva manobrável. Nem esboço feita por um leigo tem. Alguns vídeos borrados no Youtube mostram um lançador de um míssil,outro voando , outro sendo disparado. Fica parecendo filme B americano que mostra um F-5 desarmado e diz que é um Mig.rsrs Também os tais super mísseis que conseguem afundar uma frota americano em questão de segundos (como reza a lenda) a gente não consegue nenhum dado mais… Read more »

Bosco

Não estou com isso dizendo que eles não existem. Sei da capacidade da China que domina a tecnologia nuclear, a espacial, fabricação de caças, submarinos nucleares, mísseis, etc. Já tendo inclusive colocado homens no espaço.
Meu comentário não é no sentido de menosprezar os chineses e muito menos os russos. Sei do potencial deles. Só acho exagerada a postura não deles, mas nossa, em superestimar qualquer informação que venha daquelas paragens.

Azevedo

Considerando outros cenários mais hi-tech:
“Navy of 2030 could bring sci-fi to reality” em
http://www.navytimes.com/news/2010/01/navy_2030_010110w/

Wagner

Acho que é alarmismo demais, a China masl conseguiu lançar seu proprio porta aviões, ela é jovem demais ainda para desafiar o Tio Sam.
Mas no atual ritmo daqui a dez anos os EUA estarao em situação mais complicada…

Diego Tarses Cardoso

Eu acho q se a China usasse um missil desses contra um navio-aerodromo americano,o bicho ia pegar sim,mas nao acho q os americanos utilizariam armas nucleares nao,pq caso o usem,eles sabem q a China responderia a altura,e junto com ela iria a Russia e o resto do antigo pacto de Warsovia…

Antonio

Acredito que as armas nucleares existentes jamais serão usadas, pois todos já sabem dos efeitos devastadores e nenhum país quer sofrer estes efeitos no seu próprio território (mesmo q seja apenas uma explosão) apenas um ato terrorista q derrubaram as torres gêmeas, deixaram os EUA cambaleando estes últimos 9 anos, imagine uma explosão nuclear no centro de uma metropole americana, os EUA ao mesmo tempo q tem poder são fracos… estão no Iraque ha tempo e veja como está o país… atentado terroristas praticamente todos os dias, agora imagina a China com sua força de 200 milhoes de soldados, fazendo… Read more »

- Publicidade -

Reportagens especiais

Poder Naval Online visita a Forbin

O Poder Naval Online e a Alide estiveram no dia 29 de março de 2009 pela manhã, a bordo...
- Advertisement -