Home Política Marajó na briga para ser sede de base da Marinha

Marajó na briga para ser sede de base da Marinha

417
46

vinheta-clipping-navalPrefeitos, vereadores e lideranças políticas do arquipélago marajoara decidiram iniciar uma intensa mobilização para fazer da Ilha do Marajó a sede da 2ª Esquadra Naval da Marinha do Brasil, a ser implantada pelo Ministério da Defesa num prazo estimado de trinta anos. Desse movimento, que já provocou a realização de pelo menos dois encontros. No último, ocorrido terça-feira, na sede da representação do município de Chaves, em Belém, foi constituído um grupo de trabalho que ficará encarregado de fazer contatos e realizar as primeiras ações de natureza prática.

Da reunião participaram, entre outras lideranças, os prefeitos de Chaves, Benjamim Ribeiro de Almeida Neto, e de São Sebastião da Boa Vista, Laércio Pereira, ambos do PT, além do deputado Miriquinho Batista, do mesmo partido. De acordo com Benjamim Ribeiro, o movimento foi deflagrado a partir da publicação de matéria pelo DIÁRIO onde constava a informação de que o município de Chaves, no norte do Marajó, era uma das áreas estudadas pelo Comando da Marinha como possível sede da base naval.

O prefeito ressaltou que o movimento não é uma bandeira exclusiva do município de Chaves ou de lideranças do PT. A ideia, segundo ele, é que a Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó (Amam) assuma a vanguarda da mobilização, arregimentando em torno de um objetivo único os 16 municípios que integram o arquipélago marajoara, numa articulação ampla e de caráter suprapartidário.

O primeiro passo, conforme frisou, será acionar o deputado federal Paulo Rocha para que ele, na condição de coordenador da bancada federal paraense, possa dar início a gestões políticas, com os demais deputados e senadores do Pará, junto ao Ministério da Defesa e ao Comando da Marinha. Ao mesmo tempo, o deputado Miriquinho Batista iniciará um trabalho semelhante na Assembleia Legislativa objetivando sensibilizar a sociedade paraense para se unir em defesa do Marajó como futura sede da 2ª Esquadra Naval.

Ele assinalou que o governo federal tem, com esse empreendimento, uma chance de resgatar a dívida histórica que o Brasil acumula em relação ao arquipélago marajoara, até hoje condenado ao atraso e ao subdesenvolvimento. Como o Marajó dispõe de localização e condições naturais que fazem da ilha um sítio estratégico para a defesa da Amazônia e do Atlântico Norte, entende o prefeito de Chaves que o governo brasileiro deve optar pelo arquipélago para sediar a 2ª Frota.

FONTE: Diário do Pará

46
Deixe um comentário

avatar
46 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
31 Comment authors
LUIS HENRIQUEcristiano pamphylioVanilsonGiordani RSwilliam Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Diego
Visitante
Diego

Essa pergunta vai para os mais assiduos no assunto, se isso for realmente acontecer, surgirar uma segunda frota para nossa marinha, que acarretará em mais návios de escolta, submarinos e aumento do efetivo da marinha? ou só irá ter efeito logistico mesmo e nada vai mudar?

Paulo
Visitante
Paulo

Só para efeito prático, FROTA é um termo usado em outros países. Aqui no Brasil a MB utiliza o termo Esquadra. Claro que a Segunda Esquadra demandará mais meios e tropas. Além do que outras sub-bases terão de ser construídas em outros estados.
Isto se concretizando, a Ilha de Marajó poderá experimentar um desenvolvimento muito maior do que teve até hoje. Mas como o local é muito isolado, creio que vai haver uma chiadeira generalizada.

Leopoldo Duarte
Visitante

Concordo com o Diego, a questão é se a nova base da marinha vai entrar em prática com base nas declarações do ministro Nelson Jobim, ou vai ser mera base para efeitos logísticos, aliais uma no base no nordeste não evoluiria muito, más sim uma base na região sul do país e outra na região do Estado do Para, com navios de patrulhamento e submarinos.

eduardo
Visitante
eduardo

Talvez algum lugar mais perto do RN e do ponto mais oriental do país seja melhor. Marajó fica bem longe da passagem Brasil-áfrica.

Mas como o Dep. Paulo Rocha, do PT, é um dos que foi pego recebendo dinheiro do mensalão, é bem provável que ele tenha bom trânsito no governo e tenha alguma capacidade de pressão para levar a segunda esquadra para Marajó.

José de Almeida
Visitante
José de Almeida

Como o objetivo da 2ª Esquadra da Marinha é proteger a Amazônia, e o Marajó encontra-se estrategicamente localizado, devemos levar em conta que um projeto dessa magnitude não pode ser pensado só na implantação, precisamos considerar a manutenção. Logo o Marajó por estar em localização previlegiada deve receber sim o projeto. Pois, a instalação do mesmo no Nordeste com objetivo de proteger a Amazônia teria um custo de manutenção muito elevado. Não seria mais economico fazer um investimento maior para sua origem e ter um custo menor na manutenção.

luciano
Visitante
luciano

Vamo ter verba pra fazer e manter?

Robson Br
Visitante
Robson Br

O importante é que os fatos estão acontecendo.
E …..temos assuntos para comentar rsrsrs
Como era ruim a alguns anos atras, quendo não tinhamos esperança e nada de importante para comentar.

۞ ۩ _FLY_ ۩ ۞
Visitante
۞ ۩ _FLY_ ۩ ۞

Discordo, hoje tudo está super concentrado. Deveriam desprezar essa de uma localidade próxima a grandes centros e irem para o norte, lá não tem nada. Isso é um absurdo, bem na cabeça (norte) do Brasil não tem defesa.

Coral Sea
Visitante
Coral Sea

Uma base naval não pode ser construída em qualquer lugar….é necessário ter uma infra estrutura em volta como escolas, hospitais, moradia, aeroporto e etc… Além disso existe o problema da profundidade do local, ventos, correntes marinhas…..eu acho Marajó totalmente inadequado e por que? Além dos fatos escritos acima; a MB já possue uma base na região. A base naval de Val-de-Cães possue um píer, dique-seco e caso a MB resolva basear alguns navios por lá, a maior parte do trabalho já está feito. No Atlântico a MB já possue a base de Aratú, um excelente lugar…perto do aeroporto, existem ferrovias… Read more »

Antonio M
Visitante
Antonio M

E por quê um prazo de trinta anos? Concordo que não há pressa pois não há um estado de beligerância mas, não é muito tempo? Como prazo total não faz sentido pois entendo que uma vez montada a estrutura/sistema sua operação é por tempo indefinido. Como disse o sr Coral Sea, muito melhor aproveitar e redimensionar/modernizar as infraestruturas que já exitem e priorizar a compra/construção de meios navais. Mas se o nobre deputado, que está envolvido com o mensalão, e os prefeitos daquela região estão afoitos com a possibilidade de novas instalações, infelizmente fico a pensar se por trás dessa… Read more »

Ronaldo Pimenta
Visitante
Ronaldo Pimenta

Acho perfeita a atitude dos cidadãos marajoaras, mobilizando-se para que a Base Naval seja construída lá, na entrada, na porta de entrada da Amazônia. Podem contar que terão o apoio da sociedade civil nessa empreitada. Além de ser um lugar estratégico, a população irá se beneficiar dos investimentos que serão necessários na construção e manutenção da nova Base Naval.
Boa sorte e sucesso!!!

Genilson Mendes
Visitante
Genilson Mendes

Achou louvavel esta atitude da população local, porem creio que entre os estados do Maranhão e Rio Grande do Norte seria a melhor opção estratégica.
abraços.

Dunga
Visitante
Dunga

Nao sera viavel uma base na ilha de marajo, em principio por que o local ja apresenta uma excessiva carga de sedimento do rio Amazonas, a dificuldade de acessos rodoviarios, que devem encarecer muito o projeto. Se for pensado todo o custo “real” do projeto o local certo é no Maranhão mesmo. Se for para o governo federal decidir “politicamente” com a Odebrecht aonde vai ser (vamos ter aí mais um “Rafale naval”). Tudo que é mais caro para construir, para operar deverá ser construido. As forças armadas nao optam, nao decidem, não reclamam… Parece que o governo (todos sabem… Read more »

Dunga
Visitante
Dunga

Segunda Frota?

Alguem viu a primeira por ai???

Braziliano
Visitante
Braziliano

Alguém da MB já pediu autorização para:

quilombolas, ibama, funai, ONU, OEA, OAB, Minc, PV, Marina Silva, Chavez, Fidel, MST, Green Peace, Projeto Tamar, Viva Rio, etc.

Sabem como é o Lula. Não vi, não sabia, não leu.

Se a moda pega!

emerson
Visitante
emerson

Olá a todos, A despeito das críticas e do teor sempre partidarizado de muitos comentários (que felizmente vêm diminuindo, levando o blog de volta à sua excelencia), existe a necessidade de dividir a esquadra em duas frotas (que tal essa nomenclatura?). A esquadra sempre esteve centrada no RJ por causa da Capital ser lá em um período em que os meios navais eram a principal força militar. MAs os tempos mudaram e hoje não faz sentido em manter a esquadra toda no Rio, até porque a Capital não é mais lá. Em função dos interesses estratégicos no sudeste, como os… Read more »

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

E tdo mundo quer uma sinecura do governo federal, mas por favor apresentem ao menos adequação ao empreendimento pretendido.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“MAs os tempos mudaram e hoje não faz sentido em manter a esquadra toda no Rio, até porque a Capital não é mais lá.”

Se a capital federal não é mais no Rio, o principal polo de nossa indústria naval é exatamente lá.
Então antes de se pensar em tirar a esquadra do Rio e manda-la p/ digamos Aratú, se faz necessário desenvolver o local de forma a manter adequadamente a operacionalidade da esquadra.
Tirar por tirar, pq fica no “sudeste maravilha”, não é a solução tem que haver infra-estrutura de apoio no local.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“Logo o Marajó por estar em localização previlegiada deve receber sim o projeto. Pois, a instalação do mesmo no Nordeste com objetivo de proteger a Amazônia teria um custo de manutenção muito elevado.” E por um acaso há alguma instalação similar ao estaleiro Atlântico Sul situado no infame porto de Suape, em Ipojuca, PE??? PS: O “infame” se deve ao fato de que o porto foi erguido em um mangue, área usada por diversas espécies de peixes fluviais e oceânicos p/ desova. O que entre outros problemas ecológicos causou a migração de algumas espécies de tubarão p/ a Praia de… Read more »

emerson
Visitante
emerson

Caro Mauricio, Disse que não faz sentido em manter toda a esquadra proxima ao Rio de Janeiro, e sim 2/3 dela. O Atlantico Sul é ainda a principal região para a MB. Tanto é assim que a base aeronaval é no RJ e a nova base de submarinos ficará também nesse estado. Ninguém aqui nem em Brasilia fala em deslocar a esquadra para o NE/N, mas sim manter permanentemente parte dela lá. O acidente do Airfrance mostrou a importancia de manter ativos meios navais oceânicos na região norte, até porque o Atlantico Equatorial esta ganhando grande importancia estrategia para nosso… Read more »

Gilberto Rezende
Visitante
Gilberto Rezende

O local da Segunda Frota já foi definido pela MB, a Bahia de São Marcos no Maranhão, que além de ser um local protegido, com uma das mais altas variãções de maré no Brasil (que facilita a manutenção de calado) e tem condições meteorológicas melhores na maior parte do ano. Marajó (e minha antiga preferida a maior ilha particular do Brasil a Ilha Mexiana mais ao Sul) tem três problemas sérios que impedem que a base da segunda frota ali se localize: 1) baixo calado e assoreamento contínou dos fundeadouros pela alta proporção de sedimentos nas águas do Rio Amazonas… Read more »

Ramir
Visitante
Ramir

Sera mt importante sse base pro Brasil.

Cabral
Visitante
Cabral

Volta a defender que o melhor local para abrigar uma 2ª Esquadra e o litoral de do Estado de Pernambuco, que diga-se de passagem é uma localização estratégica já utilizada como principal base em dos conflitos 2 GM e Guerra da Lagosta, sem contrar que o Estado oferece toda a estrutura para abrir tanto a Base Naval, como a Base Aeronaval e a Divisão Anfíbia. A bem da verdade já existe um estrutura montada nas cidade Recife e Olinda para abrigar a 2ª esquadra, existe um local entre a cidade de Recife e Olinda, que pertence a MB e que… Read more »

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Emerson, O Rio pode ter deixado de ser a capital federal, mas do pto de vista da indústria naval, construção, reparo e off-shore aí compreendidos, tanto município como estado; ainda são a “capital” do setor. A exploração petrolífera da bacia de Campos e a eminência dos trabalhos na nova bacia de Santos, tb permitem pensar assim. Então vc citou o acidente da Air France, que obrigou o deslocamento de meios da MB p/ o N/NE de forma a cobrir a ocorrência, isto se deu de forma transitória e findo os trabalhos de busca e salvamento, os meios navais deslocados retornaram… Read more »

Danilo
Visitante
Danilo

Estrategicamente falando um bom lugar, só que ainda não sabemos se a marinha do Brasil em trinta anos tera condições de criar, comprar e manter a segunda esquadra totalmente operacional.

SDS,

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“O local da Segunda Frota já foi definido pela MB, a Bahia de São Marcos no Maranhão, que além de ser um local protegido,…”

Baia de São Marcos de acordo c/ a Wikipédia:

A baía é um estuário de aproximadamente 100 quilômetros de extensão. Ela recebe vários rios, incluindo o Grajaú, Mearim e Pindaré. O Mearim é conhecido por suas pororocas.

Cidades próximas:

Itaqui (26.9km)
Vila Maranhão (34.8km)
Alcântara (45.4km)
Tibiri (50km)

emerson
Visitante
emerson

Olá Mauricio. É sempre um prazer debater com você. De fato, hoje a MB tem um grande problema com o A12, tanto para a operação do navio quanto para manter a frota de A4 ativa. Acho que o maior problema do A12 é sua idade (o mesmo para os A4 da força aeronaval). E é exatamente pela necessiade de longos periodos de manutençao de nosso NAe que me parece necessário a existencia de dois NAes, para que ao menos um esteja em operação nos periodos de manutençao do segundo navio. A opção nuclear pode ser resultar do desenvolvimento do reator… Read more »

Diego
Visitante
Diego

Só para esquentar o tema, eu já soube de fontes do governo daqui de PE que as duas outras usinas nucleares que vão ser construidas vão ser aqui no NE, e provavelmente uma pelo menos vai ser aqui em PE… alem do mais reforço a comentário do nobre colega na qual fala de PE, estamos com a refinaria e provavelmente a ou as usinas nucleares, soube tambem que o aeroporto do recife “que tem duas pistas uma para a aeronautica e uma para os voos comerciais vai ser ampliado nos proximos anos” e irão construir outra pista só para a… Read more »

emerson
Visitante
emerson

Eu realmente não sei dizer se a base será em PE, ou no RN ou MA… mas acho que a nós pouco importa nesse instante esse nivel de detalhamento. Mas saber que a MB ira efetivamente descentralizar a esquadra, criando uma frota no sul e outra no norte, é uma discussão fantastica e, como já foi levantado, que bom que estamos discutindo sobre aspectos novos sobre nossa defesa e Forças armadas. POr outro lado, acho que não adianta ficar discutindo se os Scorpenese seriam a melhor opção ou não. Parece inreversível que a MB terá 04 scorpenes convencionais e que… Read more »

emerson
Visitante
emerson

Se é para polemizar, gostaria de levantar a ideia da MB de comprar os S2 tracker para a aviação embarcada à luz dos problemas da FAB com os P3. Alguém tem alguma informação nova sobre isso? E quais seriam as alternativas? sinceramente, não vejo nenhuma.

GUPPY
Visitante
GUPPY

Talvez fosse interessante a MB aproveitar o local com maior infraestrutura e potencial de crescimento dessa mesma estrutura que é a região de Recife/Olinda e Suape para a sede dessa segunda esquadra e ao mesmo tempo investir em instalações militares navais em vários locais em direção ao Oiapoque como Natal, Fortaleza, Sao Luiz, Belém ou outros portos menos conhecidos. Com isso, ficaria mais econômico manter alguns navios de prontidão em um(ou alguns) destes portos(pequenas bases navais). É preciso manter uma esquadra desconcentrada pelas regiões Nordeste e Norte mas tendo uma Base principal não muito distante como o Rio de Janeiro.

emerson
Visitante
emerson

Olá Guppy, Talvez fosse mesmo interessante aproveitar Suape, ou se instalar em um lugar absolutamente novo para ampliar as possibilidades. De qualquer modo, a instalação de um nova base militar significa um tremendo impacto local, por isso defenderia a instalação em um local que já esteja degradado do que abrir um novo espaço. Não que eu seja um ecologista ecochato, mas tem coisas que a gente pode evitar. Evistem varios portos e cidades no N/Ne que já possuem alguma estrutura montada e que poderia ser recuperada para instalar a nova base naval sem a necessidade de abrir um espaço em… Read more »

maison
Visitante
maison

já está decidido que a 2º esquadra será construída na ponta da madeira em são luis, devido o fato de poder operar 24 horas, profundidade do canal de acesso entre outras vantagens.

antonio
Visitante
antonio

Guardem esse nome, Ilha do Medo, Maranhão. Falei!
ps acho q o estado de pernambuco seria o ideal, nao adianta tambem querer levar somente em conta questoes geograficas, quando o pobre estado do maranhao nao tem condiçoes de prover tudo q o uma base desse tamanho precisa.

Noel
Visitante
Noel

Assunto interessante, mas o que deve determinar o local são as condições técnicas(calado, marés, assoreamento, meteorologia na região, e outros), e em segundo plano, a MB levará em consideração, as condições oferecidas pela infraestrutura local, bem como o impacto ecológico(RIMA), como foi bem lembrado. Porém se for levada pelas demandas político/sociais, tá lascada…
Agora, já saiu algo na mídia(no momento não lembro onde li a respeito), que a MB, realmente, está mirando na Baia de S.Marcos.
Sds

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Emerson, Em relação aos CVN’s, é interessante considerar que a própria França está fugindo dessa situação, pois seu CVN tem desempenho problemático dado que a planta motriz do navio foi desenvolvida á partir da planta motriz de um SSBN, até vazamento de radiação já ocorreu. Por outro lado nenhum dos navios de projeção estratégica citados permitem a operação de aeronaves CTOL, daí a necessidade de guarnece-los c/ o F-35B. O que poderia levar a uma solução de consenso, na forma da classe britânica “Queen Elizabeth”, pois o mesmo está sendo proposto á RN com capacidade V/STOL e aos franceses c/… Read more »

Cabral
Visitante
Cabral

Alguns Dados Sobre o Porto de Suape em Pernambuco O Porto Externo é formado por um molhe de proteção em “L”, com 2.950 metros de extensão. A profundidade do canal de acesso atinge 16,5 m e a bacia de evolução tem 580 m de diâmetro e 15,5 m de profundidade. São três instalações de acostagem, totalizando 6 berços com quase 1,6 km de cais acostável e as seguintes característica: • Píer de Granéis Líquidos (PGL1): com 14 m de profundidade e 250 m de extensão, dispõe de dois berços de atracação para navios de até 45 mil tpb • Cais… Read more »

Cabral
Visitante
Cabral

Sem contar que o Litoral Sul de Pernambuco é muito bonito, boas praias, tem boas estradas o local não é muito populoso e fica há alguns minutos da carro da cidade de Recife, tem transportes, escolas, igrejas, muita gente bonita. os marinheiro vão adorar, rsrsrsrs.

Raimundo
Visitante
Raimundo

Bom, se for para se instalar uma base dessa magnitude, com investimentos altíssimos, para os padrões do Brasil, apenas pensando na infra-estrutura que o local onde vai ser instalada oferece, desconsiderando o objetivo da mesma (Defesa da Amazônia) é melhor que não a instale em lugar nenhum e invista esses recursos em: saúde, educação…

Villas Nobre.
Visitante
Villas Nobre.

Coral Sea em 07 fev, 2010 às 6:04 Concordo com você, Val-de-Cães é uma excelente opção pois: 1-) já existe uma boa infra-estrutura no local, requerendo talvez apenas algumas adaptações o que proporcionaria um custo menor do que implantar toda uma infra-estrutura nova em Marajó. 2-) a base é colada no Aeroporto, ou seja proporcionar uma facilidade logística adicional. 3-) esta geograficamente localizada na região Norte (Pará), que é o ponto que se pretende defender. É louvável a preocupação dos políticos de Marajó em buscarem alternativas de desenvolvimento do local, mas o objetivo principal de uma base naval não é… Read more »

william
Visitante

mais uma vez eu acabei de ler muitas besteiras, temos que para com esse pensamento de só proteger o nordeste ou o sul se a real ameaça esta consentrada aqui no extremo norte, que venha a base para o marajo e que venha uma base aerea para Belem, para os nosso futuros caças.

Giordani RS
Visitante
Giordani RS

Há muito tempo que a MB sabe que precisa sair do RJ, descentralizar a sua força(!). Tanto o Sul quanto o Norte do país estão desprotegidos pela força naval. Defendo que tanto a MB quanto a FAB devam possuir uma base aérea em alto mar, na ilha de Trindade. Se é dificil construir lá? Obviamente que sim, mas a pista construída na ilha da Madeira é a resposta e a solução para a projeçaõ de Poder sobre a Amazônia Azul…

José de Almeida
Visitante
José de Almeida

Só para apimentar a discussão Marajó Sítio para 2ª Esquadra da MB: Caros, todos nós já ouvimos a história de que um dia haverá guerra por causa de água doce. Pelo artigo abaixo parece que não estamos muito longe do que parece ser um absurdo a princípio. Ai entra em pauta a pergunta; Quanto custa á agua doce produzida na bacia amazônica? Quanto pagariam por ela? E a floresta responsável por essa produção limpa? Esse é o fins dos tempos ou o começo do tempo em que começaremos a valorizar nossas riquezas. Desmatamento zero é o verdadeiro PAC. Bom fim… Read more »

Vanilson
Visitante

A escolha do local que vai abrigar a segunda esquadra da MB,tem que ser a Região do Marajo por esta geograficamente bem localizado,e por o governo Brasileiro ter uma antiga divida com essa Região que sempre ficou esquecida por parte do poder publico do nosso País e esta na hora de fazerem alguma coisa boa por essa Região.
E essa esquadra sera de suma importancia para defesa de nosso potencial hidrico que vem sendo piratiado ha bastante tempo e o nosso governo finge que isso não esta acontecendo.

cristiano pamphylio
Visitante
cristiano pamphylio

SERA UM GRANDE REVOLUCIONISMO PARA O MARAJÓ E CERTAMENTE PARA TODO O ESTADO DO PARÁ, ACREDITO QUE TODO ESSE INVESTIMENTO QUE SERÁ APLICADO NO LOCAL ESCOLIDO TECNICAMENTE PELOS ESTUDOS REALIZADOS,IRÁ CONSTRUIR DENTRO DE UMA CIDADE UMA NOVA CIDADE DE RECONHECIMENTO INTERNACIONAL. E EU COMO MARAJOARA TENHO CERTEZA QUE OS ESTUDOS REALIZADOS NO MARAJÓ E DE FATO O MAIS ADEQUADO PARA A IMPLANTAÇÃO DA 2ª ESQUADRA DA MARINHA, ESTAMOS LOCALIZADOS NA COSTA NORTE DA ILHA, ENTRE OS LOCAIS A SEREM ESTUDADOS.ESTAMOS SITUADOS NA FOZ DO AMAZONAS E É UM LOCAL ESTRATÉGICO PARA A SOBERANIA DA AMAZÔNIA. SERA UM ABSURDO IMPLANTAR UMA… Read more »

LUIS HENRIQUE
Visitante
LUIS HENRIQUE

Companheiros: Vejo muitos comentários totalmente desprovidos de conhecimentos básicos sobre navegação. Um megaprojeto desse não tem como idéia central focar a instalação numa metrópole ou numa cidade bem conhecida. É levado em consideração sim a questão do calado do porto, a amplitude das marés, a profundidade da costa, e é claro, as questões de cunho estratégico. Nesse contexto o litoral maranhense seria o mais ideal para atender as características desse fabuloso empreendimento. Já é sabido por muitos que o porto do Itaqui no MA é o que apresenta as melhores condições naturais para receber os maiores navios do mundo. Os… Read more »