Home Noticiário Internacional Navios que darão baixa da US Navy em 2011

Navios que darão baixa da US Navy em 2011

329
29

Frigates

  • Hawes: Dec. 10, 2010 — “Will be utilized as a logistic support asset primarily for remaining ships in the FFG 7 class.”
  • Jarrett: May 27, 2011 — Set aside for foreign military sale.
  • Doyle: July 29, 2011 — Set aside for foreign military sale.

Amphibious transport docks

  • Dubuqe: April 29, 2011 — Will be kept in a reserve status.
  • Cleveland: Sept. 30, 2011 — Will be kept in a reserve status.

Amphibious assault ships

  • Nassau: March 31, 2011 — Commanders are evaluating a life-extension program, and if it’s decommissioned, the ship will be kept in a reserve status.

Fast attack submarines

  • Memphis: March 14, 2011 — Will be dismantled.

Transport tankers

  • Samuel L. Cobb: Oct. 30, 2010 — Will be transferred to the U.S. Maritime Administration.
  • Richard G. Matthiesen: March 31, 2011 — Will be transferred to MARAD.

Ammunition ships

  • Kiska: Jan. 14, 2011 — Will be dismantled.
  • Shasta: Sept. 30, 2011 — Will be dismantled.

29
Deixe um comentário

avatar
29 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
23 Comment authors
Wagnerjoão(marujo)eraldoGHzGutex Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
R_Cordeiro
Visitante
R_Cordeiro

Compra de oportunidade!

sem anti-americanismo xiita e ego de super potência mundial.

temos que ter pés no chão e olhar nosso rabo, afinal somos ainda uma “promessa” de potencia…. entre a promessa e a efetivação, muita agua deve correr em baixo desta ponte.

abraços.

valdo
Visitante
valdo

Mais do que compra de oportunidade… compra os SH de forma tampão, com fragata e navio anfibio no pacote como “agrado”, e entra de cabeça no desenvolvimento nacional de um caça de 5ª geração….

Marcelo
Visitante
Marcelo

esse Nassau dá água na boca…pena que só operaria com F-35…Será que com uma rampa não daria para operar o Tejas Naval ou Gripen? O problema é que não deck em ângulo também…Para comprar 24 F-35B, acho que é mais barato fabricar um italiano modificado como estão fazendo os indianos…

Paulo
Visitante
Paulo

O Nassau e Cleveland, se bem chorado, podem sair quase de graça.

adeildo
Visitante
adeildo

O USS Nassau seria um bom porta-helicopteros para a MB.

Esdras
Visitante

Este porta aviões é do tipo que caberia no bolso da MB….

adeildo
Visitante
adeildo

Qual o tipo de aeronave embarcada o Nassau opera?

Thiago
Visitante
Thiago

Os navios de Logística seriam boas aquisições para a MB.

Dalton
Visitante
Dalton

O Nassau na verdade é maior que o nosso NAe São Paulo, portanto não temos condições de manter e tripular 2 navios assim tão grandes além do mais o Nassau está no fim da linha. Ao contrário dos porta-avioes americanos que passam por um processo de extensão de vida que permite a eles operarem eficientemente até 50 anos ou mais, o mesmo não acontece com estes grandes navios anfibios. Ou o Nassau passa por uma manutenção maior até que ele está acostumado, normalmente ele passou por processos de 9 a 12 meses, para continuar em serviço por mais alguns anos,… Read more »

Carlito
Visitante
Carlito

Não costumo ver com bons olhos a compra de equipamento usado, mas sejamos francos, muitos destes navios seriam ótimas aquisições de ocasião sim!

marujo
Visitante
marujo

O Cleveland e o Dubuque devem estar mais usados e em pior estado que os nossos Ceará e Rio de Janeiro na época de sua incorporação à
MB. A Índia comprou uma unidade para criar doutrina de emprego e aprender a projetar e constuir um navio deste tipo.

Dalton
Visitante
Dalton

É verdade marujo…10 anos a mais de uso pela US Navy do que o Ceará ou Rio de janeiro, mas seriam mais adequados a nossa realidade que o enorme Nassau, esta foi minha comparação.

abs

Marcelo Brandão
Visitante
Marcelo Brandão

Os navios tanque e os anfíbios seriam uma boa… conseguiriamos substituir os NDD e resolver de maneira tampão a falta de um navio tanque de capacidade maior, até a Engeprom poder projetar e construir novos navios desse porte aqui… como fazem os Indianos.
Sonhar não custa nada!!!!
Pessoal do Blog… qual a idade desses navios e suas caracteristicas?

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

O Cleveland e o Dubuque vão p/ a reserva naval, os irmãos de nossos “Ceará” e “RJ”, foram p/ o Sinkex da ultima RIMPAC.

Dalton
Visitante
Dalton

Marcelo…

não são navios tanque, no sentido de poderem reabastecer navios em alto mar…apenas transportam combustivel.

abs

Lusitanium
Visitante
Lusitanium

Só vendem mesmo a sucata das OHP..
Ainda ofereceram fragatas deste tipo a Portugal. Felizmente não aceitámos e fomos buscar as Classe-M.

matheus
Visitante
matheus

O USS Nassau seria uma boa compra.

Dunga
Visitante
Dunga

O que nos torna pequenos é que sempre que tem uma liquidação de Casa Bahia, todos querem ir e comprar …rssss

A Marinha do Brasil deve ter uma frota de patrulhas oceânicos com ate 80 metros de comprimento, canhao de 76mm OtoMelara; uns 8 Exocet MM40, duas 20mm de cada lado e um hel pequeno para ligação.

A Marinha do brasil não precisa mais de sucatões estrangeiros.
Se sair mesmo aquele pacote italizano de navios …

(ja esta bom demais…)

Esdras
Visitante

O problema é que ate chegar os novos navios, vamos ficar somente com os navios meia boca que temos, então operar navios ex-usnavy por uns 6 a 10 anos poderia sim ser uma boa para mantermos uma razoável força noval, ja que a nossa está bem desfalcada.

airacobra
Visitante
airacobra

marujo, só relembrando, os LPDs da classe austin são mais recentes que os LSDs (NDDs) da MB qualquer navio indo para a reserva ou dando baixa na US navy está em melhores condições que nossos NDDs, não podemos esquecer que não tem como comparar o padrão da manutenção do AMRJ com o da US navy quando o NDD ceará foi incorporado na MB ele ja tinha mais de 30 anos de serviço na US navy e veio pra ca dando os mesmos 21 nós que dava quando foi incorporado na US navy em 56, e so um detalhe depois de… Read more »

Ivan
Visitante
Ivan

Amigos, O USS Cleveland e USS Dubuque são LPD – Landing Platform Dock , na nomeclatura americana, da classe Austin, lançados em 1966 e comissionados em 1967. São navios diferentes dos LSD – Landing Ship Dock, que o Brasil opera dois, o G-30 Ceará e o G-31 Rio de Janeiro, lançados em 1956, da antiga classe americana Thomaston. Certamente os LSD brasileiros, apesar de mais antigos, devem estar menos gastos do que os LPD americanos. Mas este não é o ponto, pois são navios diferentes, em que pese maquinário semelhante. Primeiro o LSD, que é um navio de desembarque e… Read more »

Ivan
Visitante
Ivan

Airacobra, Eu não sabia da deficiência de manutenção dos LSD brasileiros. Sei que caldeiras são sempre mais complicadas de manter que motores diesel, mas também reduzir para 2/3 da velocidade, é muito. Pelo que eu li, o maquinário dos Austin é o mesmo do Thomaston. Isto poderia facilitar a manutenção das crianças… Sei que vão falar que são barcos velhos, que nós não precisamos de “sucata” e coisas do gênero. Mas, o que temos que levar em consideração, é que são navios extremamente especializados, que incorporam anos de experiência de combate dos “experts” em operações anfíbias. Acho mais interessante pegar… Read more »

marujo
Visitante
marujo

Obrigado, Aircobra, pela correção. Sempre considerei o padrão de manutenção da MB alto, fiquei surpreso com sua informação sobre os nossos LSDs. Quanto aos Austins, sempre soube que não estavam bem, devido ao intenso uso pela USN.

Challenger
Visitante
Challenger

Esse Porta Harriers dá agua na boca mesmo, mas se fosse comprado pela MB levariam pelo menos uns 5 anos para prepara-lo talvez tempo suficiente para construir um da classe Mistral.

Lembrem que temos ou acho que temos um Porta Aviões que está a quase 5 anos em manutenção.

Gutex
Visitante
Gutex

Não há o que se falar em compras de oportunidade dos navios tanque e anfíbios…
Pelo que entendi da reportagem, apenas as fragats Jarrett e Doyle serão colocadas a venda, e creio que não acrescentariam muito a MB…

GHz
Visitante
GHz

Compras de oportunidade:
Soluções de curto prazo,
Problemas de curto, médio e longo prazo.

[[ ]]
GHz

eraldo
Visitante

oi tudo bem, eu queria saber de vocês , se tem curso na marinha aberto pra cozinheiro , agradeço a vcs.
serei muito grato se estiver resposa de vcs,

joão(marujo)
Visitante
joão(marujo)

por viver nesse meio e presenciar a evolução da nossa MB gostaria que levassem em consideração, o tempo de uso desses sucatões e o retrocesso que isso nos causaria.
o mais imoportante é a capaciação de nosso pessoal em operação de barcos com tecnologia de ponta, mesmo que soframos no início, temos pessoal e tecnologia pra isso,chegta de comprar sucata a preço de lançamento.
o valor de 5 ou 6 anos de manutenção pra olocar uma unidade dessa em operação efetiva é-nos mais onerosa que construir uma ou mais unidades com tecnologia nacional.

Wagner
Visitante
Wagner

as desativações deles cobrem quase nossa marinha toda !! ah ah ah !!