Home Noticiário Internacional EUA ‘inquietos’ com venda de navios de guerra à Rússia pela França

EUA ‘inquietos’ com venda de navios de guerra à Rússia pela França

244
34

Os Estados Unidos informaram em fevereiro a França das suas “inquietações” quanto ao projeto de vender navios de guerra Mistral à Rússia por representar uma “mensagem errada” enviada a Moscovo, segundo documentos divulgados no domingo pelo WikiLeaks.

Este telegrama diplomático, um dos 250 mil divulgados pelo site WikiLeaks, é o relato de uma conversa entre o ministro da Defesa francês, Hervé Morin, e seu homólogo norte-americano, Robert Gates, durante uma visita deste Paris, a 08 de fevereiro.

O ministro francês terá dito que essa venda “enviaria uma mensagem errada à Rússia e aos nossos aliados na Europa Central e de Leste”, escreveu o autor do relatório.

FONTE: visao.pt

Subscribe
Notify of
guest
34 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
defourt
defourt
9 anos atrás

Alguma relação entre este assunto e a saída do Sr. Hervé Morin da pasta da defesa francesa?

Se o Brasil tivesse uma WikiLeaks…
🙂

Abraços a todos!

Paulo
Paulo
9 anos atrás

Os franceses vão obedecer à ordem de não vender o navio?

Yasser
Yasser
9 anos atrás

O Sange ainda vai provocar a 3° guerra mundial! kkkkkkkkkk

@wagner
@wagner
9 anos atrás

Isso tudo é politicagem, manobra do Sarkozy que deve ter enfiado milhoes no bolso do Vytosky para vender a Russia essas coisas. A Russia não precisa delas, e deve dar prioridade a fragatas e corvetas, e além disso, com certeza a Russia tem capacidade para projetar e construir seus proprios navios de desembarque, isso tudo é POLITICA. Aproveito para deixar aqui minha indignação com o NAVAL pelo fato de ter minhas mensagems sobre o cerimonial da marinha simplesmente cortadas. Não esperem que eu fale só o que vcs querem… Prezado @wagner, Seus comentários anteriores foram editados, devido ao conteúdo ser… Read more »

Antonio M
Antonio M
9 anos atrás

Mensagem errada se vendessem o Rafale para a Rússia ! srrssrsrsr!!!

caetano da silva
9 anos atrás

A russia precisa de ferro velho frances? a russia um país que destroe a terra em minutos se quiser, tem uma das maiores maquinas de guerra do mundo.
Isso me parece armação a moda russa, querer mostrar ao mundo que está falida militarmente quando na verdade está se fortalecendo.

Fábio Mayer
Fábio Mayer
9 anos atrás

Os russos simplesmente não querem gastar para projetar um navio como o Mistral. Vão lá, compram a licença do projeto, constroem em seus proprios estaleiros, adaptam às suas necessidades e equipamentos e “voilà”, alcançam o estado da arte.

Nem tenho idéia de porque isso incomoda os americanos. Incomodaria mais os franceses deixarem de adquirir os componentes americanos do Rafale e usassem componentes russos, isso sim seria preju pros EUA.

Fábio Mayer
Fábio Mayer
9 anos atrás

E me perdoe Caetano, mas Rafale, Mistral, Fremm, Charles De Gaulle, etc… não podem ser considerados ferro-velho.

Ferro velho é F-5…

Pedro
Pedro
9 anos atrás

Nos tempos da URSS, a construção desse tipo de navio, anfibio era repassado a Polonia, onde muitos navios da classe Aligator, Don e etc, foram lá construidos e vendidos a URSS. O unico que foi projetado e feito na URSS foram os Ivan Rogov, mas esses estão bem velhinhos e defasados, por mais espetaculares que fossem nos anos 70. Então, como a atual Russia necessita de um navio que ela possa fazer projeção mas não tem tradição e conhecimento disponivel para tal, ela compra de alguem que queira vender. Outros países não aceitaram, mas a França é Pu….a velha e… Read more »

Marine
9 anos atrás

Concordo tambem que na ha razao para essa implicancia americana para com a possivel venda de navios da classe Mistral.

Nao serao esses navios que farao ou deixarao de fazer a Russia uma potencia militar, ou seja isso em nada mudara a balance de poder na regiao. A unica resposta que posso dar e que o autor do relatorio apenas emitiu sua opiniao pessoal e nao a posicao oficial do governo.

A Franca tem direito de vender navios anfibios a quem quiser, nao sao segredos ou artefatos nucleares que possam afetar a balanca militar na area.

Sds!

Athos
Athos
9 anos atrás

auhauhauha, só pode ser piada. Sempre sabotaram as vendas francesas e agora estão inquietos.

Os maiores estaleiros que atendiam a união soviética ficavam, e ainda ficam, na Ucrânia.
A Rússia ganha 3 coisas com esta decisão:
1- Manda um SIFU pra Ucrânia e resolve seu problema de curto prazo;
2- Se aproxima da Europa;
3- Deixa os EUA de fora, assim, como se ele não fosse da Europa.

Marco Antonio Lins
9 anos atrás

USA se preocupa com tudo! E a Russia tambem não tem suas preocupações, principalmente com suas ilhas.

Fabricio Juliano
Fabricio Juliano
9 anos atrás

Concordo que seja mais politicagem do que outra coisa, o fato de gastar para desenvolver pode ser um bom argumento apesar do que mais me espanta é de como os russos com um orçamento que representa uma fração insignificante perto do orçamento americano, ainda conseguem realizar proezas que desafiam até os próprios americanos. Com certeza sua indústria bélica e seus cientistas são geniais. Me lembro de ler sobre um fato da corrida espacial na época da guerra fria, os americanos gastaram milhares de dólares projetando uma caneta que escreveria sem problemas em gravidade zero, os soviéticos levaram lápis kkkkkkkkkkkkkkk, isso… Read more »

rodrigo ds
rodrigo ds
9 anos atrás

EUA avaliam que submarino nuclear brasileiro é ‘elefante branco’

http://www1.folha.uol.com.br/poder/838827-eua-avaliam-que-submarino-nuclear-e-elefante-branco.shtml

@wagner
@wagner
9 anos atrás

É, os Ivan Rogov eram ótimos…
Eu li em algum lugar que JÁ EXISTE projeto de um navio sucessor, em algum estaleiro na Russia, mas por neuras políticas, não querem implementar. Eu creio que é a compensação devido a mediação Francesa no conflito com os terroristas genocidas georgianos. Logo, é uma politicagem do Sarkozy.

De fato o unico país a ser ameaçado por um Mistral é a Geórgia, pois a Russia não tem mais neuras tão graves com os demais países.

Edu Nicácio
9 anos atrás

PQP Tio Sam… Como 4 ou 6 Mistral “made in Russia” poderiam modificar a balança estratégica mundial?

Pelamordedeus… Vocês estão vendo terroristas e inimigos em todos os cantos…

Easy, man, easy…

Alexandre
Alexandre
9 anos atrás

Mais uma prova da decadência da Rússia. País de tanta tradição naval recorre agora a equipamentos estrangeiro. E ainda tem pessoas que defendem seu passado comunista. Piada.

Dener
Dener
9 anos atrás

A tradição naval é Ucraniana não russa, tanto é que os porta-aviões que estavam sendo construídos ficarem em poder da Ucrânia, no mais a maioria dos citados minimizaram os fatos.

Alexandre
Alexandre
9 anos atrás

Seja de quem for. Todos aqueles países vivem uma decadência que dá pena. Não é a toa que a corrupção lá é enorme. Mais um legado deixado pelos comunisatas. Sds.

Athos
Athos
9 anos atrás

Bom Alexandre, no momento apenas os Russos tem capacidade de colocar pessoas em órbita. Isso porque são decadentes.
Mas é lógico que como conhecedor da realidade de ‘todos aqueles países” vc já sabia disto.

Biel
Biel
9 anos atrás

Concordo com os russos .

Pra que reinventar a roda e investir milhões para desenvolver algo que já existe?
Se a classe Mistral atende aos requisitos operacionais da marinha russa,
não vejo razão para não adquirir.
Burrada vai ser ver a França perder um negocio de bilhões de dólares , deixar de gerar empregos e se recuperar depois da crise por causa dos
EUA.

Ricardo
Ricardo
9 anos atrás

Concordo com o Caetano

A Russia se mostra falida militarmente, más no fundo está se fortalecendo cada vez mais, ela não paga pau pra America ou seja se ela quiser ataca a Europa e America, ela vai e faz.

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

O ridículo espetáculo da reforma do ex-porta-aviões Gorshkov, sequer foi lembrado. É esse o nível real da atual construção naval russa, a pto de seu próprio governo ir atrás e bancar um projeto estrangeiro. O Mistral é um projeto consolidado, de algum sucesso, sem firúlas, 2 estão em serviço e o 3º está em construção. Não há riscos, pelo menos espera-se que não hajam, vai saber se nas mãos de algum estaleiro russo; se a coisa não desanda. “De fato o unico país a ser ameaçado por um Mistral é a Geórgia, pois…” Os estados bálticos, tb não gostaram nem… Read more »

jacubão (21 kg mais magro e papai de novo)
9 anos atrás

É incrível a capacidade dos americanos em se meter na vida dos outros.
Quem não deve não teme, mas como eles vivem devendo…
Cruz credo.

Alexandre
Alexandre
9 anos atrás

Athos

Já estive na Rússia e principalmente na Alemanha Oriental na década de 80. Posso chamar de decadente com base no que presenciei. Vi o legado que deixaram,. Os americanos montaram a ISS praticamente toda em comparação com os russos. Se o programa espacial americano está passando por mudanças e o Space Shuttle está parando, é o preço da evolução. Os russos só estão voando pois mantem o mesmo projeto arcaico e comodista ha 40 anos. Ou vc vai dizer também que os russos foram a lua?

Fred
Fred
9 anos atrás

Falando em WikiLeaks, outra deles, que se relaciona também com a Rússia: “A preparação da invasão georgiana na Ossétia do Sul em agosto de 2008 não constituía segredo para Washington. É isso que vem dos informes que a embaixada americana na Geórgia tinha enviado na véspera da “guerra de cinco dias”. Estes documentos foram encontrados dentro de mais uma série de documentos, publicados pelo site “Wikileaks”. Dentro da correspondência diplomática havia informes do antigo embaixador dos EUA na Geórgia William Teft, dos quais vem que ainda a 7 de agosto de 2008 a embaixada tinha recebido informações de que Tbilici… Read more »

Leandro Mendes
Leandro Mendes
9 anos atrás

Um projeto desses não sai da noite para o dia, ninguém dúvida que os russos tem capacidade para desenvolver uma classe tão boa ou até melhor que a Mistral, porém com a estagnação na década de 90 eles perderam um tempo precioso e não podem esperar mais para substituir os meios atuais, o que eles podem fazer estão fazendo (Pak-Fa, Borei, Project 22350, Amur). Só que tem muito material para substituir em curto prazo, principalmente em se tratando de navios de superfície

Athos
Athos
9 anos atrás

Bom Alexander, a Lua eles não foram mas foram os primeiros da humanidade a colocar um satélite em órbita e também foram os primeiros a descobrir a cor do nosso planeta com Yuri Gagarim. A decadência é um conceito relativo. Quem sou eu para discutir. Mas permita-me lhe contar uma história. Na década de 60 surgiu o seguinte problema para a Nasa. As canetas não funcionavam no espaço devido, obviamente, a ausência de gravidade. Assim, foi desenvolvido um projeto ao custo de US$1mi(valores da época) que desenvolveu a caneta que funciona no espaço. Os russos usaram lápis. A caneta, sem… Read more »

@wagner
@wagner
9 anos atrás

ALEXANDRE Estar na Russia da década de 80 é diferente de estar na Russia de hoje. A decada de 80 foi de DECADENCIA, hoje, a Russia degurou a decadencia e está começando sua recuperação. O problema é que tem gente que tem mania de olhar a Russia como a URSS, o que ela não é mais. Todo mundo sabe que a URSS quebrou em tudo em 1990 e a propria Russia quase que de desintegrou, atingindo o ponto mais critico em 1998, o país estava desabando mesmo. Felizmente o KGB finalmente voltou ao poder e impediu que tudo desabasse de… Read more »

@wagner
@wagner
9 anos atrás

Lembrando que o seu heroico space shuttle é um projetio ALEMÃO, e não norte-americano, e hije quem vai de carona com a Russia é a Nasa !!

@wagner
@wagner
9 anos atrás

cade meu comentario maior ???

@wagner
@wagner
9 anos atrás

eu quero meu comentario grande , eu quero, eu quero, buááááááá !!!!!!
🙁 🙁 🙁

Dalton
Dalton
9 anos atrás

Athos…

Cosmonautas russos usaram lápis até 1969 quando também adotaram a caneta, portanto, não vejo nada de extraordinário!

abs

justin.case
justin.case
9 anos atrás

Amigos, http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,russia-compra-2-porta-helicopteros-militares-da-franca,657854,0.htm “Rússia compra 2 porta-helicópteros militares da França 24 de dezembro de 2010 | 14h 47 REUTERS A Rússia fechou acordo para comprar dois navios porta-helicópteros militares de um consórcio liderado por empresas francesas, afirmaram os governos russo e da França nesta sexta-feira. O negócio foi o primeiro grande acordo para venda de armas da França para a Rússia desde a queda da União Soviética. Após longa negociação, ficou decidido que os porta-helicópteros de assalto da classe Mistral serão construídos pelas companhias francesas DCNS e STX juntamente com estatal russa United Shipbuilding Corporation, conhecida como OSK. Alguns aliados franceses… Read more »