quinta-feira, maio 26, 2022

Saab Naval

Naval Strike Missiles para a Polônia

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Kongsberg Defence Systems assinou um contrato no valor de 660 milhões de coroas norueguesas com o Ministério da Defesa da Polônia, para a aquisição de mísseis NSM (Naval Strike Missiles) e logística.

O acordo é uma extensão do contrato divulgada ao Oslo Stock Exchange, em 30 de dezembro de 2008. O contrato ainda depende de aprovação do contrato de offset relacionado.

O Naval Strike Missile (NSM) é um míssil antinavio e de ataque terrestre desenvolvido pela Kongsberg Defence & Aerospace (KDA), cujo contrato inicial de produção foi assinado em junho de 2007.

O míssil foi selecionado para equipar as fragatas da classe “Fridtjof Nansen” e navios-patrulha da classe “Skjold”.

O NSM possui design no estado-da-arte, fabricado com materiais compostos, o que lhe dá características stealth. O míssil pesa cerca de 400kg e tem alcance de cerca de 100 milhas náuticas (185km).

O míssil foi projetado para engajamentos em cenários em águas marrons e águas azuis. Como o Penguin, seu antecessor, o NSM é capaz de voar rente sobre o mar e terra, ao redor de ilhas, e pode fazer manobras evasivas na fase terminal, para furar as defesas inimigas.

O NSM utilizar um buscador/imageador por infravermelho e um banco de dados. O míssil pode voar também por GPS, INS e sistemas de referência de terreno.
O míssil utiliza um booster no lançamento e depois segue em movimento por um turbojato. A cabeça de guerra é de 125kg.

De acordo com a Kongsberg, o NSM é o único míssil antinavio que cabe nas baias internas do F-35.

- Advertisement -

1 COMMENT

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Joker

ooooo inveja…

- Publicidade -
Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Navios de guerra britânicos podem ser enviados para quebrar o bloqueio de Putin aos portos do Mar Negro

A Grã-Bretanha está coordenando com seus aliados um plano potencial para enviar navios de guerra ao porto de Odessa,...
- Advertisement -