quarta-feira, dezembro 1, 2021

Saab Naval

Se um LCS é bom, dois então…

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A US Navy anunciou a assinatura de contrato com a Lockheed Martin Corp. e a Austal USA, para a construção de 20 LCS (Littoral Combat Ship), sendo 10 navios de cada tipo.

O custo médio de ambas as variantes, incluindo os equipamentos fornecidos pelo governo e da margem para o crescimento dos custos potenciais, em todo o período de cinco anos, é de US$ 440 milhões por navio.

Segundo ainda a US Navy, ambas as formas de casco vão atender as suas necessidades operacionais em combate.

FOTO: US Navy

- Advertisement -

7 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mauricio R.

O rolo será a escolha do sistema de combate.

joseboscojr

Acho uma decisão equivocada.

Joker

O que uma economia doente não faz pra manter postos de emprego…

daltonl

Caro Joker… com economia doente ou não, há uma premente necessidade de substituir, principalmente, as fragatas da classe Perry, duas das quais foram descomissionadas ano passado, uma vendida ao Paquistão e outra retirada para servir de fonte de peças para as que continuam em serviço e as 28 restantes terão em breve, fim semelhante. Estas fragatas de 4000 toneladas e 200 tripulantes que já tiveram seus misseis SM-1 e harpoon retirados, tem sido utilizadas principalmente na segurança maritima, combatendo principalmente o trafico de drogas e outras atividades ilicitas e os 2 LCSs em serviço já mostraram que podem fazer a… Read more »

Mauricio R.

Encomendar ambos os designs foi a idéia encontrada p/ evitar que este programa já bastante enrolado, ficasse ainda pior tipo semelhante aquele KC-X que foi cancelado ou ao C-SARX. Tb é uma maneira de diminuir a velocidade c/ que esse programa tem se inflacionado, aliás algo comum hoje na construção naval americana. Não vejo o LCS como um substituto direto das fragatas “Perry”, a idéia por trás é bem mais ampla do que somente cumprir missões que em outras marinhas seriam atribuídas a essa classe da navios. Assim de imediato, estes navios seriam os substitutos dos navio-patrulha da classe “Cyclone”,… Read more »

daltonl

Caro Mauricio…

vc está correto quanto aos “Avenger” e “Cyclones”, e mesmo quanto aos “Ospreys” que já se foram, todos muito limitados, seja por serem muito lentos, pouco alcance, falta de helicopteros, mas forçosamente, os LCSs também irão substituir as “Perrys” até por conta do grande numero delas, 28, que serão descomissionadas ao longo da década.

Farão o que as “Perrys” com capacidade para 2 helicopteros fazem hoje
e muito mais, seja no oceano ou em litorais , caso este conceito de modulos de sistemas funcione a contento.

abs

daltonl

Caro Mauricio…

vc está correto quanto aos “Avenger” e “Cyclones”, e mesmo quanto aos “Ospreys” que já se foram, todos muito limitados, seja por serem muito lentos, pouco alcance, falta de helicopteros, mas forçosamente, os LCSs também irão substituir as “Perrys” até por conta do grande numero delas, 28, que serão descomissionadas ao longo da década.

Farão o que as “Perrys” com capacidade para 2 helicopteros fazem hoje
e muito mais, seja no oceano ou em litorais , caso este conceito de modulos de sistemas funcione a contento.

abs

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Reator nuclear pode tornar Brasil autossuficiente em radiofármacos

Empreendimento reduzirá riscos de desabastecimento e custos dos medicamentos, além de ampliar o acesso dos brasileiros à medicina nuclear São...
- Advertisement -