Home Sistemas de Armas Ex-‘Varyag’ deve entrar em serviço em 2012, na China

Ex-‘Varyag’ deve entrar em serviço em 2012, na China

182
10

A China deve colocar seu primeiro navio-aeródromo em operação em 2012. Segundo informações recentemente divulgadas, o “Relatório de Estratégia Naval da China de 2010” prevê a entrada do ex-Varyag em 2012 e o primeiro navio-aeródromo com propulsão nuclear em 2020. O primeiro navio-aeródromo de design chinês está programado para entrar em serviço em 2014.

Nas imagens, obtidas em sites chineses, o casco do ex-Varyag comprado da Rússia, aparece em estado adiantado de reconstrução.  O navio está recebendo diversos sensores, radares e antenas de comunicação por satélite na “ilha”, além o lançador de mísseis antiaéreos FL-3000N, semelhante ao RAM americano (ver foto logo abaixo).

O navio vai servir como plataforma de treinamento, utilizando jatos J-15, a cópia chinesa do Su-33.


Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
airacobra
airacobra
9 anos atrás

só para treinamento?

depois de aprendida e consolidada a doutrina, não será usado somente para treimamento, isso eu garanto…
vai mostrar muita bandeira e deixar neguinho na area de orelha em pé, mais do que ja estão…

Ozawa
Ozawa
9 anos atrás

Ai tudo bem. Navio-Aeródromo “recauchutado” para criação de doutrina, mas plenamente operacional num prazo razoável e com projeção de poder respeitável. E isso até a chegada de um Nae novo em folha e de concepção nativa em 2014 !!!! Eles podem fazer isso, têm recursos e política naval consistente, nós não, nem recursos, nem política naval (PAEMB é delírio tropical…), nem políticos, nem oficiais-generais, dos quais possamos ter um mínimo de credibilidade. E agradeçamos aos céus se conseguirmos 2 esquadrões de escolta minimamente críveis até os próximos 15 anos… Ora, perguntarão alguns, mas assim o Brasil não poderá dominar o… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

E segue a China PRC em seu trabalho de formiguinha, ocupar a posição da outrora poderosa URSS e se tornar a pedra no sapato americano, pelo menos no Pacífico. Aproveitaram a oportunidade e pq não o bom momento econômico, se valia a pena ou não, se era caro ou barato, simplesmente abraçaram a idéia de que as capacidades que este navio lhes trará são necessárias e valeria a pena tentar. O ex-Varyag não é exatamente um navio velho, mas ficou mto tempo largado, foi depredado e mesmo assim os chineses aos bocadinhos vão completando sua construção. Japão, Coréia do Sul,… Read more »

daltonl
daltonl
9 anos atrás

Mauricio…

acrescentaria à sua lista, o Vietnã, que tem sido pressionado pela China e que já esteve em guerra com a mesma, mais recentemente alguns anos após a vitória sobre o Vietnã do Sul.

Não é de se admirar que Vietnã e EUA tenham se reaproximado mais
nos últimos anos e a Russia tem no Vietnã um cliente comprador de
suas armas.

Também a Russia, que sempre viu a China com desconfiança e também já teve problemas de fronteira com a mesma, está atenta.

abs

Ivan
Ivan
9 anos atrás

Maurício, É o trabalho de um bilhão e meio de formiguinhas… Só para registro, a China (nenhuma das duas) não tem petróleo, não tem ferro e além de ter pouca terra agriculturável, seu pontencial de água potável é perigosamente baixo. Entretanto há poucas décadas atrás o seu PIB tinha um valor semelhante ao do Brasil. Hoje pretende rivalizar o norte americano. O Dragão acordou e está com fome. Em tempo; Só para dar outro exemplo, é bom olhar a Coreia do Sul… um país que é meia nação, dividida, em guerra com sua outra metade, sem minérios… mas hoje é… Read more »

claudio.osf
claudio.osf
9 anos atrás

Pois é. Enquanto um certo país compra um porta-aviões para reformá-lo a conta-gotas durante uma década (sendo que vai acabar levando mais dez anos para ter nove A-4 como “caças de defesa de frota”), a China faz isto aí. Quando estiver tudo pronto, teremos um navio-escola ou um navio-museu. Tem gente que acredita nesta balela de END e PAEMB, e sonha com duas frotas, dois NAes, seis SUB-NUCS, fragatas FREMMs, não sei quantos navios-patrulha… Eu não. Papel aceita tudo e estes planos foram feitos para deixar a turma sonhando. O único porta-aviões que o Brasil terá, por muuuito tempo, é… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

Fotos de um possível treinados naval chinês…

(http://www.informationdissemination.net/2011/01/photos-of-day-tailhook.html)

Me parece que eles não precisam de nós, p/ nada.

Wagner
Wagner
9 anos atrás

Mas tem cara que está crente que o São Paulo é a maior maravilha naval e que pode vencer um Nimitz…

Até mesmo o já aposentado Kiev seria mais eficiente…

Observador
Observador
9 anos atrás

Discordo de você. O São Paulo velho de guerra, com aviões velhos e comprados de segunda-mão, ainda teria mais capacidade militar do que a maioria dos países. No TO da América do Sul e dos países africanos banhado pelo Atlântico então, nem se fala. O Atlântico Sul é, segundo o GF, nossa área de influência não? A maior parte dos países do mundo não pode sequer sonhar em ter o que o Brasil tem hoje. Seria bom se pudéssemos projetar poder e isto só é possível se houver um porta-aviões para dar proteção à frota. A maioria dos nossos vizinhos… Read more »

Wagner
Wagner
9 anos atrás

O problema é fazer nossos ” Nelsons” e “Gorshkovs” aqui da MB a entender isso…