Home Noticiário Internacional Crise no sudeste asiático: China não recorrerá ao uso da força

Crise no sudeste asiático: China não recorrerá ao uso da força

138
22

China informou nesta terça-feira que não irá recorrer ao uso da força no Mar da China Meridional, após seus vizinhos expressarem preocupação sobre a sua postura marítima mais assertiva.

“Nós não vamos recorrer ao uso da força ou a ameaça de força”, disse o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros Hong Lei a repórteres.

“Esperamos que outros países relevantes façam mais pela paz e pela estabilidade na região”, disse Hong.

O Vietnã na segunda-feira deu início a a exercícos com munição real após conforntações recentes no mar com a China, reacendendo uma antiga disputa sobre a soberania de dois arquipélagos potencialmente ricos em petróleo – o Paracels e Spratly.

Hong insistiu que a culpa pelo incidente coube ao Vietnã, por ter provocado um confronto entre navios de vigilância chineses e um navio de pesquisa vietnamita.

“Alguns países tomaram medidas unilaterais para prejudicar a soberania da China e os seus direitos e interesses marítimos, e lançaram observações infundadas e irresponsáveis ​​com a tentativa de expandir e complicar a questão dos Mar do Sul da China”, Hong disse, em uma referência velada a Hanói. “Este é o lugar onde está o problema.”

Ele disse que a China estava disposta a realizar negociações diretas com as outras nações envolvidas em disputas territoriais no Mar da China Meridional, no âmbito de um código de conduta acordado em 2002.

As tensões também aumentaram este ano entre a China e as Filipinas, outro pretendente ao arquipélago Spratly, que na segunda-feira disse que a partir de agora chamará o Mar da China Meridional de “West Philippine Sea”.

Taiwan no fim de semana reiterou a sua alegação sobre Spratly, e disse que barcos com mísseis e carros de combate poderiam ser enviados ao território disputado.

Brunei e Malásia também reivindicam na área.

FONTE/FOTO/IMAGEM: Rigzone/MSA-China/AFP

22
Deixe um comentário

avatar
22 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
9 Comment authors
JokerjuarezmartinezIvanControlLuppusFurius Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Vader
Membro
Member

Já pensou? Uma guerra entre Vietnã, Filipinas, Malásia, Brunei e China Nacional, possivelmente apoiados por Japão, CS e EUA, contra a PRC?

Iria dar treta…

Wagner
Visitante
Wagner

Noticia muito interessante O Vietnâ ja encomendou seis classe kilo da Russia a uns dias atras, isso vai dar uma boa grana !! E vai baratear os custos para a frota do mar negro adquiri mais alguns !! Blz !! A China vai querer mais navios e quem sabe encomende alguns em Severodvinsk ou Yantar, ou seja, mais grana !!! Não duvido que os EUA estejam ali instigando esses paises pequenos, pois tambem podem estar de olho em contratos armamentistas. Mas duvido que saia algo grave, a não ser que algum capitão ali queria por si so engrossar as coisas…… Read more »

Observador
Visitante
Member
Observador

Pois é.

E o Wagner em outro post comentou porque todo mundo se preocupa com a China e não dão bola para a Índia.

A resposta esta aí.

Todos (inclusive os EUA e a Índia) quando se armam, só pensam em uma coisa: CHINA.

Wagner
Visitante
Wagner

O que a reportagem está dizendo ??

CHINA NAO RECORRERÁ AO USO DA FORÇA

se ela fosse a ameaça que os propagandista pro-america ficam falando, ja teria disparado.

Alem disso, o que eu discordo é a ameaça global chinesa, e não seus conflitos fronteiriços.

Para variar nunca entendendo nada do que eu escrevo né ??

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“A China vai querer mais navios e quem sabe encomende alguns em Severodvinsk ou Yantar, ou seja, mais grana !!!”

Pode esperar deitado, pois sentado vai cansar, os chineses vão construir eles mesmos seus próprios navios.
O tempo de adquirir velharia da Rússia, já foi, já passou.

(http://china-defense.blogspot.com/2011/06/cdf-oped-rocn-and-south-china-sea.html)

Observador
Visitante
Member
Observador

Caro Wagner: Todo mundo entende sim o que você escreve. Mas ninguém concorda. A Índia não causa um décimo da preocupação que a China causa porque a Índia (ainda) não consegue desenvolver material militar de forma independente como a China já faz. Como bem frisou o Maurício R., o Variag foi a última grande aquisição da China. Os próximos meios navais, inclusive navios-aeródromos, serão fabricados na China. Além disto, a postura da China não contribui para a confiança. Pirataria de tecnologia, compra de terras aráveis em países estrangeiros, práticas de “dumping” descaradas, crescimento acelerado da economia que deve levar a… Read more »

Observador
Visitante
Member
Observador

À propósito:

Se o Shi Lang estivesse pronto e operando com uma tripulação já experiente, provavelmente a China diria coisa muito diferente sobre o uso da força.

LuppusFurius
Visitante
LuppusFurius

Observador
O Dragon Baby está indo bem….
.Primeiro engatinha….
Depois anda…
Daí estará pronto para voar…….
Pergunte para os tibetanos o que acontece depois…..??!?!?!?!!?
.

Control
Visitante
Member
Control

Senhores

A China tem demonstrado uma visão de longo prazo e um planejamento estratégico invejável.
Se não houver nenhuma ação do Vietnã ou de um outro país envolvido nesta disputa que coloque a China na condição de ter que agir para “manter a face”, ela evitará um conflito militar, poi não lhe é conveniente, neste momento. A longo prazo a história será outra, pois a China não abrirá mão de seus interesses.

Sds

Control
Visitante
Member
Control

Senhores Complementando: Realmente, focalizando todas as atenções sobre a China, os estrategistas estão cometendo uma falha. A India é uma potência em ascensão e não pode ser ignorada. É certo que ela está atrás da China no que se refere a capacidade tecnológica militar, porém vem fazendo grandes esforços e está se preparando para o momento em que terá que atuar a nível mundial. Sempre é bom lembrar que a India e a China são gigantes do ponto de vista de disponibilidade de recursos humanos (mesmo considerando o grande volume de habitantes sem qualificação ou educação formal). Se acrescentarmos a… Read more »

Ivan
Membro
Member
Ivan

Um pequeno detalhe que deve ser levado em consideração.

A Índia é a mais populosa democracia do mundo.
Com enormes problemas sociais e estruturais, mas é uma democracia parlamentarista e como tal permite ao povo impor limites ao governo.

A China é a uma “ditadura do proletariado”, na verdade a mais populosa do mundo, onde o governo não conhece limites para agir e não respeita nenhuma regra escrita ou costumeira.

Sds,
Ivan.

Wagner
Visitante
Wagner

Vc viu a China anunciando que construirá uma frota de Nimitz para resolver o problema ?? Não. Ela anunciou que vai reforçar suas defesas de costa. Isso apenas prova aquilo que eu disse: Não há evidência de que a China se tornará a nova URSS. Isso tudo é preconceito politico pois eles se dizem comunistas e tem gente que precisa de um inimigo ” comunista” de bandeira vermelha para justificar seus senhores, os norte americanos. De comunismo, mesmo, na China, não tem nada mais. É apenas uma ditadura burocratica-estatal com elementos do setor privado. Vc não fala em nome de… Read more »

Observador
Visitante
Member
Observador

Caro Wagner: Embora você não tenha identificado a quem dirige os comentários, vou supor que seja eu, por falar que ninguém concorda com as suas opiniões. Respondendo se falo em nome dos demais leitores ou se fui eleito para tal função, eu não preciso de mandato nenhum para fazer isto. Basta ler este blog diariamente como faço para perceber que suas opiniões raramente encontram apoio entre outros foristas. Outra coisa: não confunda irritação com convicção. Ler e escrever aqui é para mim um prazer. No dia deixar de ser, cessará a minha participação neste blog. Se não respeitasse o debate… Read more »

Wagner
Visitante
Wagner

“””Basta ler este blog diariamente como faço para perceber que suas opiniões raramente encontram apoio entre outros foristas.””” Camarada, eu não estou aqui para buscar o apoio de ninguém e isso não faz a menor diferença para mim. Isso é um blog e não um palanque eleitoral. Quem concorda, otimo, quem nao concorda, discorde, ué. Da mesma formna, é recíproco: eu raramente concordo com as opiniões politicas direitistas que me aparecem por aqui, tais quais as suas. Minha conduta no blog é ilibada e eu registro minhas opiniões jaz faz muito tempo, defendendo minhas idéias, e tal atitude é perfeitamente… Read more »

Wagner
Visitante
Wagner

off topic( espero que pela ultima vez), mas nem tanto : para quem gosta dessas coisas sobre USA, tem um artigo muito bom de Luiz Carlos Bresser Pereira na Folha desse domingo ( 19), página A 24.

🙂

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

No dia em que o “Dragão onzinho” como o nosso colega acredita e apregoa colocar as garras de fora, vamos sentir suadades da “arrogância” do Tio Sam, e vamos acha-lo não aqule tio que nos passa o laço quando fazemos uma arte, mas comprado ao que chineses vão fazer, ele vai parecer um vovô muito tolerante….o tempo mostrará….

Grande abraço

Observador
Visitante
Member
Observador

“Fica na sua”?! Virou moderador do Blog agora Wagner? rsrsrs. Você acha que estou irritado? Eu não. Vou continuar escrevendo o que bem entender sobre o comentário de quem eu quiser. Por que você lê meus comentários se não gosta deles? Este é um espaço democrático. Escreva o que quiser, porque será o que eu vou fazer. … Voltando ao assunto. A China afirma que não recorrerá a violência, mas ninguém acredita nela. Isto porque em 1974 a China invadiu as ilhas, capturando uma guarnição vietinamita e provocando uma batalha naval com o Vietnã, onde morreram 53 vietinamitas e 18… Read more »

Joker
Membro
Member

Prezados Wagner e Observador, por favor atentem ao foco do post e da discussão acerca do post, as “gentilezas” pessoais deixem pra um outro lugar.

Observador
Visitante
Member
Observador

Caro Joker:

De minha parte, não há discussão alguma.

Conforme meu último comentário acima sobre as Ilhas Paracelso, minha posição é baseada em fatos, não em ideologia.

Sobre o assunto, a China só diz que não recorrerá ao uso da força porque JÁ O FEZ em 1974 e não há necessidade em fazê-lo agora, pois já ocupa militarmente as ilhas há décadas.

Daí é fácil bancar uma posição pacifista.

Vader
Membro
Member

Ivan disse:
17 de junho de 2011 às 23:37

Iria dizer exatamente isso meu caro amigo. Perfeito.

A diferença entre Índia e China é daquelas diferenças cruciais que distinguem lé de cré.

Abs.

Wagner
Visitante
Wagner

Eu jamais disse ” pacífica China” .

Não altere minhas palavras…

Observador
Visitante
Member
Observador

Senhores:

Recomendo a leitura do livro “China Uma Nova Historia”, dos renomados sinólogos John King Fairbank e Merle Goldman, livro este eleito pelo New York Times para a sua lista de “livros notáveis” de 2006.

Leitura essencial para quem quer entender a China. Ou para quem acha que entende.