Home História Visitando um ‘Tango’

Visitando um ‘Tango’

301
18

Texto e fotos de Franz Neeracher

Aproveitando que estava em Hamburgo, decidi ir visitar o museu com um submarino russo da classe “Tango”. Para variar chovia sem parar e só em andar da estação de metrô mais próxima até o submarino foi suficiente para ficar completamente encharcado.

Pensei até em deixar prá lá; mas para não deixar um certo leitor do Blog triste, fui assim mesmo.

O museu fica a beira do rio Elbe onde saem os barcos que levam turistas para conhecer o gigantesco porto. A entrada custa 9 Euros, mas pagando 13 Euros vai junto um guia; resolví pagar os 13 Euros.
O guia era um russo veterano no serviço em submarinos; ele havia servido em submarinos da classe “Foxtrot”; valeu pagar pela entrada mais cara!

Só foram construídos aproximadamente uns 20 exemplares desta classe.
Interessante que pintaram “U-434” na vela; o porquê ninguém soube me responder, o indicativo dele na antiga URSS era B-515.
Este exemplar serviu de 1976 até 2002; ou seja não se pode dizer que era tão velho assim.

Já tive a oportunidade de visitar vários submarinos antes; desde americanos e alemães da II Guerra Mundial até um “Los Angeles”, passando por “Oberons” entre outros; mas juro que nunca ví um tão apertado apesar desse “Tango” ter 90 metros de comprimento.

Tenho 185cm de altura; e não achei um lugar sequer que eu pudesse ficar em pé sem bater a cabeça em algum lugar.

E certos detalhes totalmente sem lógica; por exemplo, a central de comando é separada da sala de comunicações por uma parede assim como a sala do sonar; a comunicação entre esses departamentos e a central era feita através de tubos metálicos instalados nas paredes; ou seja, quem tinha algo a dizer berrava dentro dos tubos e o sujeito do outro lado colava as orelhas nos tubos.

Claro que também havia o telefone interno; mas de acordo com o guia, ele não era lá muito confiável; além do barulho interno ser altíssimo.

A altura média dos tripulantes era de 172cm; também pudera, na sala de máquinas houve-se o tempo todo uma fita reproduzindo o barulho das máquinas. Um barulho infernal; e ainda tinha uns infelizes que dormiam alí mesmo, a temperatura atingia facilmente 40°c.

De acordo com o guia; o melhor para dormir e trabalhar era na proa; realmente existe um pouco mais de espaço, pouco barulho e menos quente.

Fica a dica para quem for a Hamburg; mais informações do museu:
http://www.u-434.de/

Subscribe
Notify of
guest
18 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alexandre Galante
Reply to  CVN76
9 anos atrás

Corrigido, Franz.

Nautilus
Nautilus
9 anos atrás

E ainda há quem defenda a compra de equipamento russo para as nossas FAs. Eles podem até ser rústicos e bem construídos (o que duvido), mas não seguem nenhum padrão lógico de construção. Por vezes o mesmo equipamento construído em fábricas diferentes usam gabaritos diferentes e o ferramental de uma fábrica não pode ser usado no equipamento feito em outra fábrica. Deus nos livre dessas tranqueiras!

daltonl
daltonl
9 anos atrás

Pena Franz que a estação de observação com aquelas janelas não seja
aberta a visitação publica, assim presumo, pois não sei de nenhum submarino onde se tenha acesso à “vela” e este local por algum motivo sempre me chamou a atenção !!!

abraços

Alexandre Galante
Admin
9 anos atrás

Coral Sea, ainda não tinha chegado a Tex nova. Vou ver amanhã de novo.

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

OFF TOPIC…

…falando de submarinos latino americanos:

(http://www.elsnorkel.com/)

MO
MO
Reply to  CVN76
9 anos atrás

Franz, toma um sonrizalsen ou um lactopurgestein

foi cmer kebaba deu nissom, ná proxima, vai de pao com mantegueissen que isso nein acontace

kkkkkk

Wagner
Wagner
9 anos atrás

Nautilus O equipamento russo tem qualidade comprovada, desde que se saiba usá-los. Esse navio funcionava ? Sim. Tá ótimo, para a mentalidade russa de epoca. O Tango, de qualquer forma é um navio antigo que reflete a evolução soviética na construção de navios. Não era um submarino perfeito, mas , operava e funcionava. O Objetivo não era construir uma maquina confortavel, mas sim uma maquina de guerra que fosse barata e viável para a guerra. Conseguiram. Toda a filosofia russa atendia a esse princípio, isso até 91. Atualmente, a idéia é equiparar em qualidade aos ocidentais, a prova disso são… Read more »

Joker
9 anos atrás

Coral Sea você se provou um Mergulhador de Combate, pq depois disso tudo ainda “enfrentar” a patroa, nem o Chuck Norris aguentaria!

Parabens pelos excelentes comentarios de sempre e pelas postagens!

Abrçs

Wagner
Wagner
9 anos atrás

kkkkkkkkkkkkkkk

Podem vir dez árabes, mas a patroa… ááiii aí sujou !! kkkkkkkkkk !!!!!!

daltonl
daltonl
9 anos atrás

Franz…

lamento muito pelo que passou, mas confesso que não pude deixar de rir
de certas coisas que escreveu…ao menos tudo acabou bem!

Quanto ao acesso a “vela”, que desconhecia o fato de ser aberto a visitação publica, não teria deixado escapar essa chance, deve ser
pela minha obsessão pelo “Seaview” e suas “janelas”,

Mas nunca esqueci quando li o livro “Kursk down”, a sensação boa que o comandante tinha quando encontrava-se só neste local abrigado do frio e dos ventos e olhando através das janelas…

abraços

Wagner
Wagner
9 anos atrás

Lembra nossos quarteis aqui, que dispensam a galera no fim da tarde pois nao tem dinheiro para o jantar !!

ugh!

🙂

GUPPY
GUPPY
9 anos atrás

Viu, Mar de Coral ?

Quem mandou querer homenagear o Wagner!

Da próxima vez, vá aos EUA e faça uma reportagem num submarino museu GUPPY que nada de mau vai lhe acontecer. E se você falar para a sua “Patroa” que o tal GUPPY é um “Gato Class”, ela vai adorar. Afinal, ela não gosta de gato ?

Abraços e parabéns pelo belo trabalho.

Dalton,

Na minha época de embarcado, a “vela” do S11 só era frequentada praticamente pelos jogadores de “aliado”.

Abraços

Wagner
Wagner
9 anos atrás

kkkkkkkkkkkkkk !! Boa, Guppy ! Esse Tango como museu, e exposto lá, na Alemanha, e sua reportagem aqui no blog, Coral, são tambem uma justa homenagem aos homens da marinha soviética que morreram em submarinos semelhantes, tudo pq o Partido insistia em lançar navios as pressas sem os devidos testes. Tambem é um monumento a paz entre germanicos e eslavos, que nunca deveriam ter brigado entre si. Agora aprenderam a lição, o Yuri Dolgoruki AINDA está em testes e hoje a Marinha russa só coloca o bicho em ação depois de muuuitos testes cuidadosos. “”В советские имена храбрых мужчин, которые… Read more »