Home Sistemas de Armas Voa nos EUA o primeiro Sikorsky S-70B Seahawk (MH-16) da Marinha do...

Voa nos EUA o primeiro Sikorsky S-70B Seahawk (MH-16) da Marinha do Brasil

357
37

Em 7 de setembro de 2011 foi realizado o primeiro voo do GUERREIRO 3032 – MH-16 SeaHawk – no pátio da Empresa Sikorsky em Stratford-CT, EUA.

Esse voo representa o nascimento de uma nova família de Aeronaves Navais para a Marinha do Brasil. Dotada de um sistema de missão completamente integrado, trará uma nova dimensão operacional à Marinha do Brasil, com participação de destaque nas operações Anti-Submarino e de Superfície.

O projeto prevê a aquisição de 6 aeronaves, com a seguinte previsão de recebimento por parte da MB:

  • FEV/2012 – 02 unidades;
  • MAI/2012 – 02 unidades; e
  • 1ºSEM2014 – 02 unidades.

BATE-PAPO ONLINE: Converse com outros leitores sobre esta notícia no ‘Xat’ do Poder Naval, clicando aqui.

37
Deixe um comentário

avatar
36 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
22 Comment authors
VadershipbuildingbrBroncoantonio_nunesnetoFCGV Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Vassili
Visitante
Member
Vassili

E serão muito bem vindos por estas bandas. Aposto que nossos pilotos navais de asa fixa estão doidos para terem o modelo em mãos.

Abraços.

jacubao
Membro
jacubao

Asa fixa ou rotativa Vassili? 😀

andersonrodrigues1979
Visitante
Member
andersonrodrigues1979

Desculpa minha ignorância mais seria possível os EC725 serem configurados para fazer essas função ?

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

4 de setembro de 2011 às 14:16

Desculpa minha ignorância mais seria possível os EC725 serem configurados para fazer essas função ?

Não Anderson, ASW é para helicóptero de MACHO, essa b…..a que tu citou não aguenta o pairado por períodos logos, imprescindivel nesta missão, os motores e a transmissão derretem, coisa de moçinha.
Observem que ele voou antes de receber o primer final e a pintura nas cores da MB já praticamente configurado de missão, aqui aquelas imundicias voaram e continuam “top peladex”….agora a MB tem um heli de verdade.

Grande abraço

eraldocalheiros
Visitante
eraldocalheiros

Senhores apenas uma pergunta: Essas belezuras teráo como bases fragatas,o opalão ou ficarão em terra ( São Pedro da Aldeia). Alguem tem essa resposta, diante ja fico agradecido.

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Já deu para ver que a aeronave vem bem completa.

Darkman
Visitante
Member
Darkman

Demorou pacas mas finalmente vai chegar os novos helis da MB.

Aleluia !!!!!!!!!!!!!

Abs.

eraldocalheiros
Visitante
eraldocalheiros

Saindo um pouco do tópico alguem saberia informar sobre a quele interesse pelas tipe 23, 45 e sobre o Nae Queen Elizabeth que está sendo construido para a Real Navi e que parece tb foi oferecido a MB.

daltonl
Membro
Active Member
daltonl

Grandes para pousar em fragatas, porém, podem ser reabastecidos
pelas mesmas, enquanto pairando sob o convoo, o que aumenta a
permanencia no local, dispensando um retorno prematuro ao NAe.

Luiz Padilha
Visitante
Member
Luiz Padilha

Bravo Zulu MB.

daltonl
Membro
Active Member
daltonl

Galante, A Marinha compreensivelmente deseja fragatas maiores , na faixa de 5500 + toneladas (full), sendo assim não haverá problema em operar e hangarar até 2 SeaHawks, desde que, mais venham a ser adquiridos para uso simultaneo no NAeSP , futuras fragatas além de alguns para treinamento e/ou reposição. Mas já é um bom começo…por enquanto, poderão ser reabastecidos pelas atuais fragatas na forma como mencionei, pairando sob o convoo, o que acredito, será parte do treinamento. Eraldo… quanto a sua pergunta, honestamente não sei, mas, dá para deduzir alguma coisa: Os 6 T-45s são navios caros e especializados demais,… Read more »

Joker
Membro
Member

BZ MB!

Como o já foi dito, o SeaHawk é completamente equipado e possui características que cumprem com louvor os requisitos a árdua missão de caça aos caçadores supremos dos mares.

Vassili
Visitante
Member
Vassili

Jacuba,

quando vi o erro que tinha cometido, já era tarde……….. já tinha apertado o “enter”, rsrsrssrsrss……….

E eu aqui torcendo para que ninguem visse esse pequeno “detalhe”.

abraços.

GUPPY
Membro
Member
GUPPY

Estes sim. Espero que novas encomendas aconteçam o mais breve possível.
Bravo Zulu.

GUPPY
Membro
Member
GUPPY

Dalton disse,

“Com odescomissionamento prematuro das T-22s, é provavel que todas as 13 T-23s serão mantidas.”

Caro Dalton, tem alguma novidade sobre a probabilidade das T22 B3 serem negociadas para a MB?

Abraços

Gueorgui Jukov
Visitante
Gueorgui Jukov

Uma bela e boa muito boa aquisição para nossa marinha, espero mesmo que venham mais unidades, deveriam ser no minimo 20.

daltonl
Membro
Active Member
daltonl

Guppy…

quanto ás T-22s B3 pessoalmente não me agrada à aquisição de navios com mais de 20 anos, inclusive uma delas, HMS Campbeltown que apresenta um nitido reforço estrural que pode ser necessário às demais
também.

Todo santo dia entro aqui na esperança de que o Galante e cia ltda, informem que finalmente iremos adquirir navios novos e na faixa de
6000 toneladas, como as FREMM, que pelo menos já estão entrando em serviço na França e Itália.

Um dia meu sonho há de virar realidade!

grande abraço!

eraldocalheiros
Visitante
eraldocalheiros

Senhores, recentemente estiveram uma cambada na Itália, se não me engana o proprio Vice da chefe maior, pois os mesmos estavam vendo a fabricação das FREMM Italianas; Alguem se habilita falar algo?.

Corsario137
Visitante
Member
Corsario137

É o que eu sempre digo: se é pra voar, serve de Robinson a Super Puma. Agora se você quer a missão cumprida, com apoio logístico exemplar, confiabilidade nos sistemas e alta performance, chame a Sikorsky!

Não, infelizmente não recebo dinheiro deles. Mas quem opera sabe!

Parabéns a MB. Uma aquisição que a levará a um novo patamar operacional.

Rodrigo Dias
Visitante
Rodrigo Dias

Esses helicópteros entregues para o HU-1?
Pelo que entendi até agora eles são multifunção (ataque e resgate), correto?

Nautilus
Visitante
Nautilus

A notícia é também importante para calar os que diziam que as aeronaves seriam de segunda mão.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Mesmo que fossem de 2ª mão, ainda assim seriam helicópteros de “macho” e não as “mocinhas francesas”, fingidas e cheias de lero-lero.
Agora falando sério, qnto mede realmente, o convoo daquelas “Niterói” que eram ASW???
Será que o comprimento total e o diametro do rotor principal girando do Seahawk, não cabem, não???
Claro que o peso é maior, mas não deve ser nada que não possa ser equacionado, de acordo c/ a boa engenharia naval.
Aí sim poderíamos ter os Sea Lynx, fazendo aqueles serviços, que os Esquilos não tem condições.
No mais, esqueçam esse non-sense de FREEM!!! Não rola.

daltonl
Membro
Active Member
daltonl

Mauricio…

teoricamente deve ser possivel modificar uma Niteroi para operar com um SeaHawk, mas valeria a pena, sabendo que elas estão no fim de suas vidas úteis?

Por que o “modfrag” não vislumbrou a operação com helicopteros maiores e mais pesados?

abs

FCGV
Visitante
Member
FCGV

As FREMM sao uma opçao para um país que nao pode investir muito em defesa. Quem pode investir, nao compra. Faz! Como plataforma multi-função, como anunciado, são um pouco fracas no que condiz a defesa anti-aerea de area, ou seja, são navios fracos pra defender um porta avioes, embora tenham uma razoavel capacidade de auto-defesa. Ao mesmo tempo, ja sao bem melhores que as arapucas das Type-42, de hull usado, e bem usado por sinal. As FREMM, como navios ASW sao magnificas. Possuem um sistema de propulsão hibrido muito silencioso, o que significa muito menos interferencia (ruido interno) nos sistemas… Read more »

antonio_nunesneto
Visitante
antonio_nunesneto

Prezados, pelo que entendi dessa e de outras notícias dos S-70 da MB, foram duas compras distintas e em momentos diferentes: a primeira de 04 unidades e a segunda de mais 02 unidades. O total seria as 06 unidades desta matéria. O extrato de dispensa de licitação abaixo mostra que foram negociadas mais 06 unidades em 2011. Afinal, quantas unidades terá a marinha? DIRETORIA-GERAL DO MATERIAL DA MARINHA DIRETORIA DE AERONÁUTICA DA MARINHA EXTRATO DE TERMO ADITIVO DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº002/2011 (ADITIVO Nº2/2011 DA CARTA DE OFERTA E ACEITE BR-P-SDE Processo: NUP 63003.000001/2008-18, Objeto: Aquisição de 06 Helicópteros Multi-Empregos, sobressalentes,… Read more »

Bronco
Visitante
Bronco

Ser capaz de pousar no convôo de determinado navio não significa que este mesmo navio é capaz de operar o Seahawk como helicóptero orgânico. Para tanto, seria necessário que o Heli pudesse caber no hangar para ser reparado, reabastecido e remuniciado, ou que pudesse ser recolhido por longos períodos, especialmente aqueles com mar grosso. Em outras palavras, um Seahawk poderia pousar num convôo supostamente ampliado, mas, pelo seu tamanho, não poderia ser hangarado numa Niterói, por exemplo, o que impediria qualquer operação mais longa a bordo do navio. Na estrutura atual da MB, apenas os NDCC Garcia D’Ávila e Almirante… Read more »

José da Silva
Membro

Como não deu para comentar o post < Situação “quente” em Cabul > do Forte deixa aqui por enquanto. Depois dos barbinhas e americanos a maioria dos soldados que aprecem no video são da Moldavia. E no post de teste dos uniformes o unico estranho é o Alemão (os Tchecos tbm usam essa Cammo, mas tem outra). Os outros são todos americanos, inclusive o “chefe” Mattis. Seguindo o comentario do FCGV: Os Type 42 não merecem nem serem comentados no contexto desse post (Seahawks). O convôo dos Batch I e II eram mais ou menos do mesmo tamanho dos da… Read more »

GUPPY
Membro
Member
GUPPY

Ok, Dalton.

Então, que NÃO venham as Type 22 Batch 3.
Agora, quanto às FREMMs, qual as melhores para o Brasil, francesas ou italianas?

Grande Abraço.

José da Silva
Membro

Ou ainda fazer aquela troca nos motores e transformar o HS-1 em HSA-1 e o HA-1 em HSA-2 com uma composião mista até padronizar tudo com Seahawk. Antigamente era um absurdo misturar tipos em um esquadrão mas na situação atual dá para fazer. O fato de estar tudo centralizado em SPA ajuda numa solução transitoria desse tipo, pelo menos na parte onde deve “pegar” mais que é a logistica e manutenção. No final o Esquadrão é uma org administrativa porque a aeronave seja lá qual for estara sempre aos mandos do cliente: no caso navio ou força apoiada. Bjo no… Read more »

FCGV
Visitante
Member
FCGV

Na minha opinião de opinão, se vamos comprar 6 navios, deveriamos comprar 2 FREDA e o resto FREMM multi-função optimizado para ASW, ambos da França. Pq da França? Nao pela preferencia do país ou qualquer alinhamento, tenho dupla cidadania italiana e isso nao me faz gostar mais da italia, simplismente por padronização dos equipamentos chaves, como mísseis Exocet que ja operamos, ao inves do Otomat, e também pelo sistema de radar herakles frances, que, embora nao seja bom o suficiente para defender o sao paulo, é melhor que o EMPAR italiano. Na versão FREDA, vale lembrar que será utilizado uma… Read more »

Gueorgui Jukov
Visitante
Gueorgui Jukov

FCGV belos comentários os seus sem lenga lenga e sem comparações pobres, eu concordo com você os únicos meios de superfície que nós nosso pais poderia pensar em adquirir são as Fremm e as F-124, não adianta ninguém pensar que nosso país pode conseguir algo melhor só se produzir aqui.

Por opinião minha, as melhores sem duvida seriam as Fragatas Álvaro de Bazan, e suas congeneres depois viria as Fremm todas elas podem operar, o SH-70 com tranquilidade.

FCGV
Visitante
Member
FCGV

Eu concordo com vc, as Alvaro de Bazan e as Fridtjof Nansen são do que há de melhor em termos guerra anti-aerea num pacote fragata.

Vader
Membro
Member

Parabéns à MB. Uma ótima aquisição.