Home Noticiário Internacional Início da construção da primeira fragata classe F125

Início da construção da primeira fragata classe F125

889
15

Com a presença de inúmeros convidados e representantes da Política, Marinha e Indústria, bem como da força de trabalho da Blohm + Voss, ocorreu a cerimônia de batimento de quilha da primeira fragata classe 125, no edifício doca 12 no estaleiro de Hamburgo.

A cerimônia foi organizada pelo Grupo de Trabalho F125 (ARGE F125), que consiste da ThyssenKrupp Marine Systems AG – que contratou a Blohm + Voss GmbH Naval para completar a encomenda – e Friedrich Lürssen Werft GmbH & Co.

Depois do projeto e fase de gestão de três anos, e seis meses após o início da produção da primeira seção, a celebração da primeira seção do casco marca a continuação da construção da fragata de 125, de acordo com o cronograma.

Na execução do programa da fragata F125, a indústria naval alemã vai mais uma vez demonstrar a sua capacidade de inovar e sua força inata. Concebidas e equipadas para emprego como parte de missões de defesa aliadas e prevenção de crises, bem como para apoiar missões de resgate humanitário, guerra contra o terrorismo e a guerra assimétrica, a classe 125 é uma das fragatas mais avançadas do mundo.

A versatilidade de missão da fragata classe 125 é alcançada graças a um modelo de tripulação inovador e uma implementação sistemática e técnica do princípio da utilização intensiva de capacidades: apesar do número de tripulantes consideravelmente reduzido, esta abordagem significa que a duração da missão pode ser estendida de forma significativa além do limite típico para fragatas.

O contrato de construção assinado em junho de 2007 estipula a produção de um total de quatro fragatas da classe 125, que devem ser entregues pelo consórcio entre a primavera de 2016 e 2018. O programa da Marinha Alemã de fragatas tem um papel fundamental a desempenhar, não só para garantir a retenção do conhecimento e inovação da construção naval alemã e dos fornecedores deste setor, mas também na manutenção da segurança no emprego, pois é uma das principais indústrias da Alemanha.

FONTE: ThyssenKrupp

15
Deixe um comentário

avatar
14 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
8 Comment authors
marciomacedoMauricio R.MiltonGUPPYdaltonl Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
José da Silva
Membro

É Alexandre, lembra quando ouvimos falar pela primeira vez das MEKO por aqui, em 1983/84? Todos os ficamos empolgados e tinhamos certeza que ela iria vingar como realmente aconteceu e ainda se saiu melhor gerando projetos cada vez mais interessantes.

Zé “NGB” da Silva

Luiz Padilha
Visitante
Member
Luiz Padilha

Enquanto isso, num certo país chamado Brasil……………………, nada acontece.
Apenas muito blá blá bla´

Definição que é bom, cadê?

daltonl
Membro
Active Member
daltonl

Não sei se vcs lembram, mas a edição nr 1 da revista Segurança & Defesa de 1984 que tinha como principal reportagem e capa as Meko-360 argentinas, esgotou-se rapidamente das bancas…foi frustrante pois nunca consegui um exemplar, mesmo pedindo nas bancas e procurando em “sebos” mais tarde…a nr 2 tenho até hoje.

GUPPY
Membro
GUPPY

E há algum impedimento para estas Fragatas alemās serem pretendidas pela MB? Ou já fecharam com as FREMM, italianas ou francesas?

Abs

Milton
Visitante
Milton

A pouco tempo atrás tive a oportunidade de visitar a classe Sachsen e a achei fantástica. Agora vem esta nova classe ……..Que inveja!!!!!!!!!

Milton
Visitante
Milton

Na verdade foi a própria F- 219 Sachsen!!!!!

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Pronto mais um mastodonte europeu, super automatizado, p/ nos distrair o olhar!!!
Assim nem Juju, nem Ariane, nem Nicole e nem Babí; não há Panicat que dê jeito!!!
Estamos olhando p/ o lado errado, deveríamos estar olhando que tecnologias essa “coisa” carrega e avaliarmos a possibilidade de agrega-las a um design tupiniquim; minimamente viável.

daltonl
Membro
Active Member
daltonl

Não serve para nós…pois não tem um VLS como as FREMM, mas,
servirá bem a marinha alemã em águas distantes onde a idéia é
empregar estes navios por até 2 anos antes de retornarem a base,
obviamente com duas tripulações que serão trocadas a cada 4 meses
quando em visita a algum porto.

marciomacedo
Visitante
marciomacedo

É isso mesmo, Maurício. Não sei de onde vem esta certeza da MB de que nossas próximas fragatas serão de seis mil toneladas. Mira-se o que não se pode ter para não ter o que é mais provável.

José da Silva
Membro

Ora bolas! 🙂 O que determina esse tamanho na faixa de 5000/6000 tem um culpado: se chama aviãozinhu. A maioria das aeronaves embarcadas toma um espaço bem grande no navio, fazendo com que a instalacao de uma suite de armas e sistemas adequados a um escolta perca espaço, portanto, o projeto em sua fase de concepcao acaba levando a isso. Solução: Usar a F 400 Niterói até o ano 3073 équipada com AH-11 X+1000 Ethernum LYNX e o UH-12000/13000 HOLLY ESQUILO. Eu não quero uma marinha megalomaniaca (como somos nós brasileiros) mas também não quero uma GUARDA COSTEIRA que por… Read more »

marciomacedo
Visitante
marciomacedo

Acredito que ninguém, no blog, queira uma MB guarda-costeira. O que se questiona é se o desejo da arma (melhor dizendo, o planejamento) é condizente com a nossa realidade.

José da Silva
Membro

Não Marcio, na minha opinião não é, e nunca foi, pois nós brasileiros vivemos (todos em todas as classes, regiões, religiões etc) sempre fora da realidade apartados do resto do mundo e quando essa “lampada” da realidade é ligada esta sempre atrasada no tempo. São 511 anos de planos, atrasos, mentiras, descompasso com a realidade do mundo e com as necessidades de segurança desse “Grandão Bobão” que vem contando com a sorte até hoje. A pergunta é: até quando nós poderemos contar com a sorte e até quando nós brasileiros vamos ver os amigos (algums interesses em comum) como inimigos… Read more »

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Do caderno de usados…

“But its eight F122 frigates will be retired and the number of MKS 180 multi-role warships will be reduced from eight to six.”

(http://www.aviationweek.com/aw/blogs/defense/index.jsp?plckController=Blog&plckBlogPage=BlogViewPost&newspaperUserId=27ec4a53-dcc8-42d0-bd3a-01329aef79a7&plckPostId=Blog%3a27ec4a53-dcc8-42d0-bd3a-01329aef79a7Post%3a55ecb6fc-ccef-4fc5-a098-26d0d8b0c4c5&plckScript=blogScript&plckElementId=blogDest)

Atenção MB, novas oportunidades, a vista no horizonte!!!

marciomacedo
Visitante
marciomacedo

T-122! Que perigo!