Home Noticiário Internacional STX France entrega o BPC ‘Dixmude’ três meses antes do previsto

STX France entrega o BPC ‘Dixmude’ três meses antes do previsto

201
5

O terceiro navio de comando e projeção de força da Marinha Francesa BPC Dixmude, da classe “Mistral”, foi entregue à agência francesa de compras de defesa (DGA) três meses antes do cronograma inicial do contrato.

A DGA teve a entrega formal do navio em 3 de janeiro de 2012. Este sucesso é o resultado de extraordinária cooperação entre as indústrias parceiras DCNS e STX France. A concepção, construção e testes do navio foram realizados em estreita parceria com a DGA e equipes da Marinha Francesa.

Gérard Longuet, o ministro francês da Defesa e Assuntos dos Veteranos, elogiou esta conquista depois du uma vista ao BPC Dixmude em Toulon, no sábado, dia 14 de janeiro de 2012.

A DGA encomendou o BPC Dixmude em abril de 2009, no âmbito do pacote do governo francês de estímulo econômico. A entrega à DGA foi marcada para o final do primeiro trimestre de 2012 e a entrada em serviço ativo na Marinha francesa no final do ano. No entanto, a DGA foi capaz de aceitar a entrega formal do navio em 3 de janeiro de 2012, três meses antes do prazo do contrato.

O BPC Dixmude, terceiro navio de comando e projeção de força (BPC) da Marinha Francesa, se beneficiou das lições aprendidas durante a construção dos dois primeiros navios da classe “Mistral” e uma cooperação eficaz entre o construtor naval STX France e a DCNS, que tem a responsabilidade pelo sistema de combate e apoio logística.

A STX France coordenou as operações industriais e construiu o sistema de plataforma e de propulsão, bem como a instalação de equipamentos de bordo. Depois de testes no mar bem sucedidos, o BPC Dixmude voltou a Toulon em julho de 2011. A DCNS, em seguida, integrou e testou o sistema de combate, incluindo sistemas de comunicação, navegação e capacidades de gerenciamento de combate.

Entre abril de 2009, quando o primeiro aço foi cortado, e julho de 2011, quando a plataforma foi entregue, a STX France ultrapassou consistentemente o cronograma de produção. A DCNS também foi capaz de validar o sistema de combate com apenas três testes no mar, em vez dos seis programados no âmbito do contrato.

O compromisso e a disponibilidade dos participantes da DGA e equipes da Marinha e o pronto apoio naval e aéreo garantiu que os ensaios fossem bem sucedidos.

O fato da tripulação do BPC Dixmude da Marinha ter sido capaz de trabalhar a bordo e familiarizar-se com o novo navio a partir de de junho 2011 contribuiu ainda mais para o sucesso dos ensaios.

Em 2012, o BPC Dixmude será utilizado como navio de treinamento para a missão Jeanne d’Arc da Marinha Francesa . Nesta capacidade, ele vai hospedar um novo grupo de cadetes para a instrução e exercícios no mar, bem como um destacamento de pessoal do Exército Francês.

Os dois primeiros navios da classe “Mistral”, BPC Mistral e BPC Tonnerre, foram co-projetados pela DCNS e STX France e entregues à Marinha Francesa em 2006 e 2007, respectivamente.

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
marciomacedo
marciomacedo
8 anos atrás

Segundo o PEAMB, o Brasil tem interesse em quatro como este.

eraldocalheiros
eraldocalheiros
8 anos atrás

olho e imagino: Quando teriamos a possibilidade de termos pelo menos dois desse completo é claro com as cores e brasão da gloriosa.continuemos a sonhar e quem sabe um dia nos acordamos e veremos que a realidade é totalmente outra. Acorda Brasil, os dias estão chegando e nos pegarão de calças na mão e ai a vaca já foi pra caatinga terra seca onde cabra mesmo boa não da leite rssssssss.

Mauricio R.
Mauricio R.
8 anos atrás

Então revisa esse PEAMB, pq esses aí são bem capengas, há designs bem mais capazes no mercado, o Juan Carlos I é um deles.

Marcelo
Marcelo
8 anos atrás

mal posso esperar para ver o Russo !!! com os Ka-52 e Ka-29, além dos Hovercrafts, se cuida Georgia!

eraldocalheiros
eraldocalheiros
8 anos atrás

Meu caro Marcelo, de uma coisa tenhas certeza que a Georgia é o que menos preoculpa o urso polar pois o mesmo tem outras prioridades alem continente rsssss.