sábado, maio 28, 2022

Saab Naval

Malvinas ou Falklands?

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Aula de geografia. A professora mostra o mapa da América do Sul para os alunos. Ao falar da Argentina, comenta que existe um arquipélago em disputa com o Reino Unido. Como deveríamos chamar: Malvinas ou Falkland? A resposta a essa questão indicará a preferência não apenas da professora, mas de todos que se manifestem sobre o tema.

Por Gilberto Rodrigues *

Em 2012, completam-se 30 anos da Guerra das Malvinas/Falkland. Uma guerra que a ditadura argentina perdeu para o governo conservador britânico de Margareth Tatcher, a Dama de Ferro. Para os argentinos, um capítulo triste e vergonhoso de sua história. Para os britânicos, ao som de “We are the champions” (Nós somos os vencedores), do Queen, um momento de afirmação de sua soberania sobre as ilhas e de seu poderio militar, em plena Guerra Fria.

Passadas três décadas, a Argentina segue reivindicando com barulho a soberania sobre as Ilhas Malvinas (“Las Malvinas son Argentinas”) e os britânicos continuam fleumáticos e impassíveis nas Ilhas Falkland. Porém, fatos novos entram em cena e estãoalterando o equilíbrio de forças políticas e diplomáticas nesse embate.

Os países da Unasul (União das Nações Sul-Americanas), sob a liderança do Brasil, não querem que nenhum país de fora da região faça exercícios militares no Atlântico Sul. O Reino Unido não apenas teima em manter suas naves bélicas como anunciou que irá explorar petróleo no território marítimo das ilhas. Em razão disso, a Unasul passou a declarar apoio à Argentina em seu pleito. Mais: Argentina e Uruguai proibiram qualquer empresa que explore petróleo nas Malvinas de utilizar os seus portos e de atuar no país.

Já os habitantes das ilhas preferem ficar com os britânicos e reagem indignados à política de Buenos Aires, mas a Casa Rosada afirma que todos nas Ilhas são manipulados pela Corte de St. James. Não há dúvida de que está em curso a maior estratégia de defesa coletiva contra a soberania britânica sobre as Malvinas/Falkland até hoje vista. Não à toa, o Chanceler William Hague veio ao Brasil em busca de apoio à posição britânica, preparando futura visita do Príncipe William. Por enquanto, Malvinas/Falkland permanece como a dupla expressão dos mapas isentos.

* Gilberto Rodrigues é professor do curso de Relações Internacionais da Faculdade Santa Marcelina, foi professor visitante da Universidade de Notre Dame (EUA), doutor em Relações Internacionais pela PUC-SP, mestre pela Universidad para La Paz (ONU/Costa Rica) e pós-graduado pela Universidade de Uppsala (Suécia).

FONTE: Portal Vermelho

- Advertisement -

10 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz

@Nelson Lima

Acho que é vergonhoso por saíram de lá por força de um pé na bunda recebido dos britânicos…

Mas aqui vai uma dica para os hermanos, para conseguirem retomar as Falklands 🙂 : imigração. Mandem tantos latinos quanto puderem para lá. Assim que o nome da maioria a população tiver origem latina, será fácil começar uma revolta popular e conseguir a soberania das ilhas, pois a ONU adora apoiar qualquer levante popular pedindo autonomia política.

aldoghisolfi

Não entendo como a Argentina pode querer a soberania num território que é inglês quase que desde sempre. O princípio da soberania e da auto-determinação dos povos diz que as ilhgas são inglesas. E
espero que o Celso e a Dilma não apoiem a Argentina indo, mais uma vez, contra a marcha normal da decisão que é exclusiva dos kelpers.

giordani1974

O governo argentino está se lixando para as ilhas. O governo argenta quer é fazer barulho numa rídicula tentativa de unir o povo contra o “invasor”…nada que a burra junta militar não fizera. Me admira o uruguai, que tomou porrada(verbal) da argentina por causa da fábrica de celulose, ficar aí, agarrado a política populista da “senhoura” kirchner…
Quanto ao itamaravilha, nada de novo, só a mesma bola fora de sempre…a dilma vai a cuba e condena os EUA por tortura em Guantánamo??????????? Hahahhhahhahahhhhha…

Malvinas = argentinas…
Falklands = Inglesas…

Marcelo

Ok. Só gostaria de lembrar que o governo dos EUA, também apoiaram recentemente uma resolução da OEA sobre o tema, o que deixou os ingleses, digamos assim…de cabelo em pé e com a pulga atrás da orelha ! :^)

luizblower

Eu chamo de Falklands… afinal, os ingleses ganharam a guerra… merecem.

luizblower

Agora o Clésio falou uma coisa muito interessante: é complicado querer posse de um território sem nenhum argentino por lá. Em vez de fazer beicinho, seria mais produtivo acabar com os embargos e começar a investir no local, com turismo, com negócios. Assim a Argentina prova para o povo de lá (incluindo um monte de imigrantes argentinos) que pode ser um governo mais interessante que os britânicos para a região.

Basta lembrar que no território do Acre não tinha um monte de Bolivianos, tinha um monte de Brasileiros.

MO

Acre nao existe .. kkkkkkkkkkkkkkk

Fabio ASC

Grande Clésio, baseado na sua idéia: A DISNEY É DO BRASIL!!!!!!!!!

Blind Man's Bluff

Malvinas Argentinas!!!!

Blind Man's Bluff

Fora piratas corsarios!! Hoje sao as Malvinas, amanha são as nossas riquezas!!!

- Publicidade -
Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

EUA pretendem restringir a China moldando seu entorno, diz Blinken

O secretário de Estado dos EUA deu um vislumbre da estratégia confidencial do presidente Biden sobre a China, na...
- Advertisement -