Home Sistemas de Armas Conheça o Programa de Desenvolvimento de Submarinos da Marinha do Brasil

Conheça o Programa de Desenvolvimento de Submarinos da Marinha do Brasil

225
12

Clique na imagem acima para saber como anda o Prosub – Programa de Desenvolvimento de Submarinos da Marinha do Brasil

12
Deixe um comentário

avatar
12 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
daltonlMarcosCorsario137Mauricio R. Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Marcos
Visitante
Member
Marcos

No papel cabe tudo.

E ai no folheto eletrônico não mostraram aquela parte em que os franceses exigiram que o negócio feito em conjunto com uma mal afamada empreiteira.

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

Que pena, o controle de danos melhorou, não vazaram mais coisas exdruchulas como qndo a DCNS tentou licenciar a tecnologia das baterias, as quais não lhe pertenciam.

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Então é ai que será construído o famoso submarino nuclear brasileiro, cujo nome já dei e penso até em patentear, o grande elefante branco das profundezas abissais?

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Esqueci:

Moby Dick, o grande elefante branco das profundezas abissais.

Corsario137
Visitante
Member
Corsario137

Parabéns a MB.

Esse ProSub é o único programa real de desenvolvimento de capacidades estratégicas de/ e de Defesa do Brasil.

Sou muito a favor dele. Talvez se a FAB tivesse iniciado o deselvolvimento de um caça na décade de 90, TALVEZ hoje não estaríamos nesse estado de penúria e dependendo do FX2.

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Pergunta:

Esses quatro submarinos eletro-diesel que o Brasil está adquirindo já não estão obsoletos?

Justifico a pergunta porque outras opções, bem melhores, seriam o próprio submarino nuclear ou submarinos com propulsão por células de hidrogênio.

E por quê já não partimos para o desenvolvimento direto dos submarinos nucleares?

Não teria sido mais fácil termos iniciado o desenvolvimento do reator completo com a ajuda francesa e aquisição do caso do submarino nuclaer francês?

Ou os francses bonzinhos não toparam essa parte?

daltonl
Membro
Active Member
daltonl

Marcos… o Escorpene está entre o que há de melhor atualmente e a versão BR trará melhorias, algo semelhante ao que o Tikuna representou quando comparado com o Tupi. Possuir apenas submarinos nucleares não é uma opção, pois eles são muito mais caros, então a opção, já que o Brasil quer submarinos nucleares independente se é certo ou errado, é ter ambos os tipos para se ter um numero maior de plataformas. Franceses e britanicos abandonaram o submarino convencional, pois eles necessitam de dois tipos de nucleares: o de ataque e o muito maior e mais caro e que tornou-se… Read more »

Marcos
Visitante
Member
Marcos

daltonl

o que questiono são duas coisas:

1) O sistema de propulsão: que no nosso é convencional, enquanto há sistemas com células de hidrogênio. Enquanto o sistema convencional permitiria navegar por duas/três horas, o com CH permitiria navegar por 10/12 horas a plena potência ou ainda por três semanas com baixa velocidade.

2) O tipo de aço utilizado: no caso dos alemães, as ligas são sabidamente melhores.

3) O Scopene é um submarino convencional, portanto não dá, a partir dai, para fazer um submarino nuclear, nem em estrutura, nem com aliga de aço utilizada.

daltonl
Membro
Active Member
daltonl

Marcos… há uma diferença entre o U-214 ser superior ao escorpene e considerar o escorpene obsoleto como vc quastionou acima, pois certamente o escorpene não é obsoleto e pelo que entendo, foi a nossa marinha que não quis a opção AIP para os escorpenes BR, então não é uma falha do projeto. Seja lá qual foi o motivo real da preferencia pelos “barcos” franceses, sem AIP, como transferencia de tecnologia, menor custo para manter , reabastecimento complexo e caro no caso do AIP, a tal da “parceria estratégica” ou pelo fato de que a marinha não necessita que eles fiquem… Read more »

Marcos
Visitante
Member
Marcos

daltonl Não considero a eletrônica embarcada do Scorpene obsoleta, muito pelo contrário, até porque os U-212/214 utilizam parte da mesma eletrônica. Mas volto ao sistema de propulsão: o sistema AIP do Scorpene é completamente diferente dos U212/214. Os franceses inventaram um negócio que ninguém quer: um sistema a base álcool, esse foi o motivo de a MB não querer o AIP francês. E não sei se no final não sairia mais barato o alto custo das células de hidrogênio ao invés de “afundar” um monte de dinheiro em algo que não sabemos se um dia ficará pronto, pois tradicionalmente nossos… Read more »

daltonl
Membro
Active Member
daltonl

Marcos… infelizmente, seus temores tem toda a razão de ser, basta folharmos as revistas dos anos 80 e compararmos os planos de então para o inicio do século XXI…é patético ! Mas, como o que não tem remédio, remediado está, resta termos esperança de que alguém, lá em cima, saiba o que está fazendo e nós, meros mortais, desconheçamos todas as variaveis. Confesso que tentei ler a fundo o tal do “MESMA”, o AIP frances, mas não tive paciencia para ir muito longe, o que lembro é que há vantagens e provavelmente mais desvantagens, mas nada que torne o “214”… Read more »

Marcos
Visitante
Member
Marcos

daltonl

Achei aqui mesmo no Poder Naval “alguns” problemas que a Marinha do Chile vem enfrentando com os seus Scorpène, sob o título: “Problemas técnicos que a Marinha terá de enfrentar no Scorpène”.

By, by, Brasil!!!!