Home Marinha do Brasil ‘União’ atraca no Brasil depois de seis meses de comissão

‘União’ atraca no Brasil depois de seis meses de comissão

109
1

Chega nesta quinta feira (28), às 08h, a fragata União que participou da Missão de Paz das Organizações das Nações Unidas (ONU) no Líbano. A embarcação fará sua primeira parada em terras brasileiras no cais nº 08 do Porto do Recife e será recebida pela banda marcial do Exército Brasileiro e pela Marinha do Brasil.

A fragata passou seis meses na patrulha da costa libanesa e integrou a Força Tarefa-Marítima, da Força Interina das Nações Unidas no Líbano. Ela partiu do Porto de Beirute no dia 14 de maio. Nesta Missão de Paz, a Fragata União atuou de forma ostensiva para evitar a entrada de armamento ilegal no Líbano e ajudar na formação do pessoal da Marinha Libanesa, além de realizar atividades de controle do trânsito de embarcações e aeronaves na área de operações.

Representantes das três Organizações militares da Marinha do Brasil em Pernambuco, Capitania dos Portos de Pernambuco (CPPE), Hospital Naval de Recife (HNRe) e Escola de Aprendizes-Marinheiros de Pernambuco (EAMPE) participarão da cerimônia. A fragata ficará aberta à visitação pública nos dias 30 de junho e 01 de julho, das 14h às 17h. O acesso será pelo portão do Terminal de Passageiros do Porto do Recife, cais 08.

Fragata União

A embarcação foi incorporada à Marinha do Brasil em 12 de setembro de 1980, totalmente construída no Arsenal de Marinha no Rio de Janeiro, é empregada em missão de escolta na costa brasileira. Comandada atualmente pelo Capitão-de-Fragata Ricardo Fernandes Gomes, o navio tem como características 135 metros de comprimento, atingindo uma velocidade máxima de 30.5 nós e tem um raio de ação de 5.300 milhas náuticas. A sua tripulação é composta por quase 300 militares.

FONTE: Diário de Pernambuco

NOTA DO EDITOR: Missão cumprida! Bravo Zulu aos tripulantes da União.

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
MC
MC
7 anos atrás

Parabéns ao navio.

Acho oportuno notar como a MB só dispõe das seis Niterói (e, talvez, da Barroso, como alternativa…) para desempenhar essa missão com o nível de economicidade e confiabilidade necessários.

E esse tipo de missão é exatamente o que o governo do país vem alardeando à comunidade internacional que é capaz e deseja desempenhar.

Necessário dizer-lhes que elas não durarão tanto mais assim…