Home História Parabéns e obrigado, ‘Parnaíba’!

Parabéns e obrigado, ‘Parnaíba’!

745
22

Neste mês de aniversário de 75 anos do monitor Parnaíba, completados em 6 de novembro, a equipe do site Poder Naval / revista Forças de Defesa visitou o navio e a Base Fluvial de Ladário (MS), no 6º Distrito Naval.

Após essa missão, podemos garantir:  a idade não parece pesar nem um pouco nesse navio sem igual, que traz em cada detalhe uma mistura de passado e de modernidade, mostrando-se operativo do primeiro ao último rebite e sem rivais no seu teatro de operações.

Suspendemos com o Parnaíba, comemoramos essa marca histórica junto aos seus dedicados tripulantes e conhecemos o “Jaú do Pantanal” de alto a baixo, de proa a popa. Um navio que começou a fazer história já em seu lançamento, sendo o “casco número 1” do AMRJ (Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, na Ilha das Cobras, à época denominado AMIC), marcando em 1937 o início bem-sucedido de um ciclo de construção naval militar às vésperas da Segunda Guerra Mundial, da qual participou.

O navio “Caverna Mestra da Armada” continua fazendo a diferença até hoje, mantendo-se modernizado e fundamental, acumulando décadas de operações, milhares de “dias de mar” e  centenas de milhares de milhas navegadas, numa história que você vai conhecer em breve. Aguarde!

Por hora, deixamos aqui algumas fotos e, principalmente, o nosso muito obrigado ao comandante, oficiais e tripulação do navio e a todos os militares da Flotilha do Mato Grosso e do 6º Distrito Naval da Marinha do Brasil. Parabéns, Parnaíba, e muitos anos de vida operativa!

Veja no vídeo abaixo o canhão de 76mm do Monitor Parnaíba (U17) em ação!

Subscribe
Notify of
guest
22 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
aldoghisolfi
aldoghisolfi
7 anos atrás

Realmente, parabéns!
O monitor é mais e melhor amado do que o NPaOc Amazonas (P 120)?

MO
MO
Reply to  aldoghisolfi
7 anos atrás

é

MO
MO
7 anos atrás

Quero ver o primeiro izperto a falar abobrinha aqui do Parnaiba

Valew Fernandinho e o Bozoh, pelo trabalho, poste and o … tchnmmmmmmmmmmmm…… que vira soon …..

MO
MO
7 anos atrás

por um acaso a dupla de dois pegou os Potengi ????? se nao pegou “Isso eh um Absurrrdooooooooooo”

By the way Fernandinho, vc and a Gis ja estão perdendo o The Seo Buneco Show” !!!!

fragatamendes
fragatamendes
7 anos atrás

Fala MARCELO, os “ABUTRES DE PLANTÃO” devem estar se roendo de raiva com os elogios feitos ao “JAÚ DO PANTANAL”.Abraços do MENDES.

Alexandre Galante
Admin
7 anos atrás

Sim, é bem mais armado que o NPaOc Amazonas…, embora a direção de tiro seja a Eyeball MK.1.
Mas são 6 canhões de 20mm, 2 canhões de 40mm e um canhão de 76mm! É uma fortaleza fluvial.

juarezmartinez
juarezmartinez
7 anos atrás

Perguntinha de leitor de “aviunzinho”: Aquele canhão de proa na reforma que foi submetido, não poderia ter sido substituído por algo mais, digamos contemporâneo.

Grande abraço

PS Mendes, por favor para torrar o saco da gente com esta ladainha de Abutres, que já encheu , o meu pelo menos.

MO
MO
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
7 anos atrás

eu sei eu sei .. isso eh coisa nossa …. rssssss os Potengi, os Parara de lah …

Daglian
Daglian
7 anos atrás

Sobre a classe, quantos da mesma foram construídos e continuam operacionais? Procurei no NGB mas não encontrei.

Muito obrigado,

Sds.

MO
MO
Reply to  Daglian
7 anos atrás

Yuri classe Paranaiba, so um, o poprio em pessoa …

daltonl
daltonl
7 anos atrás

E sendo apenas um…o torna mais interessante. Tomara no futuro seja aproveitado como museu.

MO
MO
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
7 anos atrás

soh o Magnifica, o Fantasia eh so no final do mês / inicio de dezembro … um troço assim, o Zé eh que sabe direitinho … kkkkk

Daglian
Daglian
7 anos atrás

Uma pena ser só um.

Agradeço pelas informações e pela matéria!

Sds

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
7 anos atrás

Interessante ver um navio desses operando com helicopteros, sendo q na época de sua concepção, eles nem mesmo existiam !!! rsrs

martins
martins
7 anos atrás

Qual a exata função do cara que dá um “tapinha” no cartucho ejetado?

MO
MO
7 anos atrás

Chefe da peça

Guilherme Poggio
Editor
7 anos atrás

Caro juarezmartinez

Acredito que a troca do canhão da proa por algo mais moderno não condiz com o ambiente de emprego. Ele já representa muita coisa para aquele TO.

Lembrando que “do lado de lá do rio” o maior calibre não chega a 20mm.

juarezmartinez
juarezmartinez
7 anos atrás

Caro Poggio! Eu não me referia ao calibre em si, e sim ao tipo de reparo que expõe toda a equipe de tiro e forma de carregamento, talvez algo mais moderno um pouco, com calibre menor e de municamento automático.

Grande abraço

Ivan
Ivan
7 anos atrás

“É uma fortaleza fluvial.”

Galante,

Sem desmerecer o Parnaíba que é muito útil e cumpre a missão, fortalezas fluviais são estes monitores russos e romentos:
http://sistemasdearmas.com.br/nav/flurusrom.html

Abç,
Ivan, o antigo.

Ivan
Ivan
7 anos atrás

Pggio e JuarezMartinez,

Uma alternativa interessante para o canhão de 3 (três) polegadas seria um morteiro de carregamento automático como o NEMO (o AMOS seria demais). Seria uma bateria de apoio de fogo flutuante poderosa para operações ribeirinhas.
http://www.forte.jor.br/2010/09/03/sistema-de-morteiros-nemo-da-patria-selecionado-para-os-veiculos-lav-ii/

Abç,
Ivan, talvez não tão antigo… rsrs.