‘Santisima Trinidad’ adernou enquanto estava atracado

    535
    23

    Armada Argentina, el triste final del Santisima Trinidad 1

    O ex-contratorpedeiro da Marinha da Argentina Santisima Trinidad adernou ontem enquanto estava atracado junto ao cais da base naval de Puerto Belgrano, ao Sul da província de Buenos Aires. O navio apresentava uma avaria no casco e, segundo o site Taringa, os técnicos estavam aguardando queo navio tocasse no fundo com a maré baixa para iniciar os trabalhos de reparação, segundo fontes da ‘Armanda’.

    Fontes da Marinha informaram também que desde o ano de 2004, por uma resolução do Comandante da Armada, o navio foi para a reserva, o que significa que não é mais uma unidade operacional desde aquela época. O contratorpedeiro, construído no Reino Unido juntamente com o seu irmão Hércules, participou da guerra das Malvinas.

    O navio apresentou um rompimento no casco que ocasionou a entrada de água do mar em grande quantidade, superando a capacidade das bombas. Foi necessário o abandono do navio pela tripulação que ali trabalhava e nos navios próximos. Com o navio no fundo seria possível trabalhar com maior segurança.

    A Marinha informou que a situação encontra-se controlada e que levará a cabo as tarefas de reflutuação do navio.

    O Santísima Trinidad é uma unidade originalmente construída como um contratorpedeiro da classe Tipo 42, com 125,6 metros de comprimento, 14,3 metros de boca e 5,8 metros de calado. Deslocava (máximo) 4100 toneladas e sua propulsão era do tipo CODOG (Combinado diesel ou turbina a gas). Originalmente chegava a fazer 30 nós e tinha uma autonomia de 4 mil milhas náuticas a 18 nós.

     

    Armada Argentina, el triste final del Santisima Trinidad

    ARA Santisima Trinidad adernado no porto

    O ex-contratorpedeiro da Marinha da Argentina Santisima Trinidad adernou no domingo (20 de janeiro) enquanto estava atracado junto ao cais da base naval de Puerto Belgrano, ao Sul da província de Buenos Aires. O navio apresentava uma avaria no casco e, segundo o site Taringa, os técnicos estavam aguardando queo navio tocasse no fundo com a maré baixa para iniciar os trabalhos de reparação, segundo fontes da ‘Armanda’.

    Fontes da Marinha informaram também que desde o ano de 2004, por uma resolução do Comandante da Armada, o navio foi para a reserva, o que significa que não é mais uma unidade operacional desde aquela época. O contratorpedeiro, construído no Reino Unido juntamente com o seu irmão Hércules, participou da guerra das Malvinas.

    O navio apresentou um rompimento de uma válvula de 6″ que ocasionou a entrada de água do mar em grande quantidade, superando a capacidade das bombas. Foi necessário o abandono do navio pela tripulação que ali trabalhava e nos navios próximos. Com o navio no fundo seria possível trabalhar com maior segurança.

    A Marinha informou que a situação encontra-se controlada e que levará a cabo as tarefas de reflutuação do navio.

    O Santísima Trinidad é uma unidade originalmente construída como um contratorpedeiro da classe Tipo 42, com 125,6 metros de comprimento, 14,3 metros de boca e 5,8 metros de calado. Deslocava (máximo) 4100 toneladas e sua propulsão era do tipo CODOG (Combinado diesel ou turbina a gas). Originalmente chegava a fazer 30 nós e tinha uma autonomia de 4 mil milhas náuticas a 18 nós.

    ARA-Santisima-Trinidad-Puerto-Belgrano_CLAIMA20130121_0167_14

    buque-santisima-trinidad

     

    FONTE/FOTOS: Taringa

    23
    Deixe um comentário

    avatar
    19 Comment threads
    4 Thread replies
    0 Followers
     
    Most reacted comment
    Hottest comment thread
    13 Comment authors
    Tom_brzrommelqedaltonlandersonrodrigues1979Observador Recent comment authors
      Subscribe  
    newest oldest most voted
    Notify of
    Tom_brz
    Visitante

    RT @podernaval: “Santisima Trinidad” adernou enquanto estava atracada: Aguardem mais detalhes http://t.co/WJCFV5dA

    trackback

    […] Veja mais infomrações no site do Poder Naval […]

    Marcos
    Visitante
    Member
    Marcos

    Eu diria que quem adernou foi a Marinha argentina.
    Legitimo retrato, não só da Marinha, como de todo uma nação.
    Infelizmente, ao que parece, o populismo tupiniquim tende a levar
    nosso país para o mesmo buraco que os argentinos estão.

    Giordani RS
    Visitante
    Giordani RS

    Retrato do que políticos sem comprometimento com a nação, sem projeto de Estado nem governo transformaram a outrora rica Argentina…e o brazil segue a passos largos pelo mesmo caminho, mas é aquela coisa, o salário tanto lá como cá, está em dia…

    E a “presidenta” deles ainda tem a cara-de-pau de querer falar grosso com os Ingleses???

    Ozawa
    Visitante
    Member
    Ozawa

    A síntese da ARA…

    Não chores por mim Argentina, mas por toda sua Armada nas mãos de Cristina…

    Achava-o belíssimo, elegante, no seu auge no início dos anos 80…
    http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/cc/ARA_S-Trinidad.jpg

    MO
    Membro

    e .. visitamos ele em 1982, quando era zero bala …

    Vader
    Membro
    Member

    Há fatos que são o retrato de seu tempo. Esse é um.

    thomas_dw
    Visitante
    Member
    thomas_dw

    a Megalomania dos Militares Argentinos fez com que eles comprassem 2 Destroyers, 4 Fragatas, 6 Corvetas, 8 SSK, 16 Super Etendard em menos de uma decada – sem ver com que dinheiro iriam pagar e como iriam manter, deu nisto – uma Marinha sucateada.

    Bem Feito.

    AlexJ
    Visitante
    AlexJ

    thomas_dw disse: 22 de janeiro de 2013 às 18:15 Thomas, não foi de forma alguma megalomania. O grande problema argentino é a política deliberada de sucateamento das forças armadas levada a cabo por Kretina Kirchner. Só para se ter uma dimensão do estrago causado por essa botóxica, a FAA terá que reduzir em mais de 40% as já minguadas horas de vôo de seus pilotos. Cortes similares terão de ser feitos nas demais forças. Um dos truques adotados para desmontar as FFAA argentinas é o seguinte: A inflação oficial (totalmente manipulada e contestada até pelo FMI) foi, em 2012, foi… Read more »

    José da Silva
    Membro

    Em 83 MO.

    MO
    Membro

    eu sei eui “si ” alias era isso que quiz digitar, Fraterno 83, “lembro”, pensei rapido demais pra capacidade RAM do cerebro de deu esta caca de digierro foi na guerrico que ganhei meu sinto da ARA e o boneu dele tbm, a época P3

    Observador
    Visitante
    Member
    Observador

    É triste ver um navio terminar deste jeito. Ele é contemporâneo da nossa Niterói, que ainda servirá ao Brasil por uns bons anos, enquanto o que restar deste Type 42, (um sonho impossível para a nossa MB), deve mesmo ir parar na praia de Alang. Afundado não por inimigos externos, mas por traidores internos, e usando, ao invés de bombas e mísseis, descaso, incompetência, irresponsabilidade e soberba. Como outros disseram aqui, nosso país caminha com passos resolutos para o mesmo buraco dos argentinos, enquanto os petistas insistem em suas desastradas intervenções na economia eem deixar de cumprir o regime de… Read more »

    andersonrodrigues1979
    Visitante
    Member
    andersonrodrigues1979

    Muito triste essa situação para a marinha da Argentina, nos leitores do site sofremos quando vemos nossas forças armadas sendo sucateados, da mesma forma que nossos colegas argentinos devem estar.
    O Santisima Trinidad tem uma grande historia, gostaria de ver a Marinha Argentina como uma das mais poderosas do hemisferio sul.

    daltonl
    Membro
    Active Member
    daltonl

    Há ou havia antes do incidente a intenção de transforma-lo em um navio-museu e torço para que encontrem financiamento necessário, pois pelo visto ele não estava sendo bem cuidado provavelmente devido à falta de fundos e faltam lá navios museus do século XX. Quanto a “megalomania” que o Thomas citou, há de se lembrar que ainda estavam em serviço vários CTs da II Guerra que precisavam ser substituidos e na época, em que tantos navios foram comprados, meados dos anos 70 e a maioria só chegou depois da Guerra com os britanicos, os argentinos quase foram à guerra contra o… Read more »

    Marcos
    Visitante
    Member
    Marcos

    Governo argentino não descarta sabotagem no navio.

    Tá bom! Vai ver foram os britânicos que sabotaram o navio, temendo um ataque da poderosa frota argentina.

    Observador
    Visitante
    Member
    Observador

    Caro Dantonl: Podemos estar anos-luz a frente dos argentinos, mas o problema é que estamos andando de marcha-ré. Nosso governo só não faz as mesmas mancadas do governo argentino porque ainda não chegou no fundo do poço. Os incompetentes que nos governam já manipulam o superávit primário, só alcançado graças a malabarismos contabéis envolvendo ações da Petrobrás, BNDES, CEF, como se fossem dinheiro para o Tesouro Nacional. Também manipulam a inflação, ao segurar uma série de aumentos de preços controlados pelo governo e, como não podia deixar de ser, tentam intervir no câmbio, para impedir uma valorização excessiva do real.… Read more »

    daltonl
    Membro
    Active Member
    daltonl

    Observador… mesmo que estejamos “andando em marcha ré” ainda assim continuaremos anos luz a fente dos hermanos, basta ver a constituição atual da Armada Argentina e a idade média dos navios e submarinos. Como curiosidade o último navio construido por lá, uma corveta de projeto alemão foi lançada em 1984 e incorporado em 2005…superou até mesmo a Barroso ! Enquanto temos um moderno submarino em construção, além de uma nova base/estaleiro para submarinos e temos um projeto viavel de um submarino nuclear, os argentinos estão pensando na possibilidade de incorporar um reator nuclear em um submarino que teve sua construção… Read more »

    rommelqe
    Visitante
    rommelqe

    Em uma primeira fase do ” naufragio”, havia pelo menos dois rebocadores tentando auxiliar na estabilizaçao por estimbordo e sendo tracionados vários cabos lançados a partir do cais flutuante; após essa infrutifera e, pelo visto, frenética tentativa em vão, tentaram urtilizar um navio maior (não sei identificar, mas parece um navio de apoio/desembarque?)…Quando a ST foi a pique não só quase afundou esse navio de apoio como também levantou todo o cais (primeira foto) “puxando” os cabos. Não sei o que aconteceu com os rebocadores, mas o texto “Foi necessário o abandono do navio pela tripulação que ali trabalhava e… Read more »

    MO
    Membro

    er .. os Rb´s não era por BB naum ? e se era como levou a Traineira atracada a contrabordo junto …. ? por “estimbordo” seria mei deficil, creio pela imagem, sem espaço fisico, creio eu

    rommelqe
    Visitante
    rommelqe

    Caro MO,

    Voce tem TODA a razão; um amigo (que foi aluno do Amorelli) me confirmou que “estimbordo” é usado – como sinonimo do brazuca “bombordo” – apenas na terrinha…uh raius.

    Então o que vc acha: aquelas “naus” (caravelhas) que estavam a bombordo afundaram/foram danificadas ou não?
    Abs

    MO
    Membro

    em vedade era mais por vc ter trocado os bordos, ele adernou para BB ao inves do “estimbordo” .. era este detalhe, mas do mesmo jeito era o equivalente a BE. Mas isto vc ja verificou, so trocou as bolas :-).

    Pelas imagens uma das traineiras foi atingida, a segunda aparentemente não, mas o angulo é dificil para ter uma ideia, e como não há nenhuma citação do fato, ficadificil falar mais alguma coisa, tomara que não, muita desgraça junta … abs

    rommelqe
    Visitante
    rommelqe

    Caro MO,

    Obrigado, valeu a observaçao, claro!

    É não desejo nenhuma desgraça adicional a eles,,,não sei se a recíproca é verdadeira.

    Abs

    MO
    Membro

    em absoluto, nada contra, jamais comemoro / curto/ gosto a mah sorte de um navio …. ainda mais um que ja visitei, como o nosso ST, a não ser que seja um Porta Buneco .. o aviaozinhum dos mares … kkkkkk