quinta-feira, maio 26, 2022

Saab Naval

Eisa lança ao mar graneleiro ‘Log-In Tucunaré’

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Log-In-Tucunaré

vinheta-clipping-navalO Estaleiro Eisa lança ao mar nesta quinta-feira, 25 de abril, o graneleiro Log-In Tucunaré. Este é o quarto navio de uma encomenda de sete embarcações que a Log-In tem com o estaleiro. Segundo a companhia, a operação movimentará 150 milhões de toneladas de minério de bauxita a granel no período.

“Com o lançamento ao mar do Log-In Tucunaré superamos mais da metade de nosso projeto de construção. Em 2015, completaremos nossa construção com a entrega dos outros três porta-contêineres. Isso é motivo de muito orgulho para a empresa”, diz o presidente da Log-In, Vital Jorge Lopes. O investimento estimado no navio é de R$170 milhões.

O graneleiro foi construído para atender ao contrato de 25 anos com a Alunorte, realizando viagens consecutivas entre os portos de Trombetas e de Vila do Conde, ambos no estado do Pará. Em janeiro de 2010, a Log-In iniciou a operação para a empresa com navios afretados. Uma das embarcações foi substituída em fevereiro deste ano, quando entrou em operação o graneleiro Log-In Tambaqui. A outra substituição está prevista para o início de 2014, quando o Log-In Tucunaré começará a operar.

Para a construção da embarcação foram utilizadas cerca de 13 mil toneladas de chapas de aço. Com 245 metros de comprimento, 40 metros de largura e calado de 11,58 metros, o navio tem capacidade individual de 80.100 toneladas de porte bruto e transporta cerca de 75 mil toneladas de bauxita por viagem. De acordo com a Log-In, o projeto da embarcação levou em conta a natureza da carga a ser transportada e a região onde irá atuar. Sua hidrodinâmica foi projetada para que tenha uma melhor navegabilidade, deslocando baixo volume de água para não prejudicar a população ribeirinha, que sofre com a erosão das suas margens agravada pela navegação fluvial. Seu consumo de combustível e emissão de gases consideraram padrões superiores de eficiência.

O Log-In Tucunaré foi adaptado para funcionar como sala de aula. Segundo Lopes, o programa Navio Escola é uma iniciativa da Log-In para contribuir com a formação e capacitação da marinha mercante brasileira. “O Log-In Tucunaré, assim como o Log-In Tambaqui, terá camarotes extras com o objetivo de receber estudantes e auxiliar em sua formação como marítimo. Consideramos de fundamental importância para a profissionalização desses jovens a possibilidade de conhecer uma operação na prática”, afirma o presidente da empresa. A Log-In escolheu como madrinha da embarcação Fernanda Gonçalves de Carvalho, esposa do presidente do Fundo da Marinha Mercante (FMM), Gustavo Lobo.

Todas as embarcações encomendadas pela Log-In ao Eisa estão incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento, do governo federal. Até 2014, a Log-In ainda receberá três novos porta-contêineres.

FONTE: Portos e Navios

- Advertisement -

9 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ozawa

Boa notícia. Belo navio. Faz-me lembrar de um graneleiro em que meu pai trabalhou: o N/M Rio Jaguaribe II do LB.

MO

porra teo pai foi do Jaguaribe e vc so fala agora !!!! gostava muito deste navio !!!!!

MO

uia o bixu é um kamsarmax esquisitoide (por causa do 245 m loa x 40,00 m boca e calado de 11,58 m , um pouco diferente dos kamsarmax padrões (maior, mais bocudo, mas de menor calado, deve ser por causa da “rota do macaco molhado” que ele operará …) .. ta ficando desatualizado mesmo …

MO

alias salvo um tremendo engano a fot eh fake, é do log tambaqui com o nome photoshopado …

Ozawa

Pois é MO… Lá pelos anos 90… Nos estertores do glorioso LB… Saudades, muitas saudades…

A frota de graneleiros do LB que me lembro de memória: Apa, Açú, Trombetas, Rio Negro, Rio Branco e Jaguaribe II…

O único que vi de perto numa raríssima “visita” à baía de Guanabara – e passei ao lado dele quando a caminho do N/M Itapé – foi o Rio Negro…

MO

é dos graneleiros mesmo do LB so faltaram o Rio Verde e o Rio Grande da mesma classe do negro/branco e os dois box shapped Rio Acre (que nao existe … kkkk) e Rio Purus por classe todos os graneleiros puros do LB foram – Rio Negro, Verde, Branco Negro – Rio Assu e Apa (não açu) – Rio Jaguaribe II – Rio Trombetas – Rio Tefe e Coari dos LB estive a bordo do Rio Coari e do LLoyd Genova como Phaeton, LLoyd Tupiara como Anteos Lloyd Venezuela como Rose, LLoyd Houston como Aristoteles e do Rio Trombetas como… Read more »

Ozawa

Ahhh… O Rio Tefé também…

Ozawa

Se a memória não me falha a rota quase constante do Jaguaribe II naquela época: Santos/Rosário/Amsterdã/Santos…

MO

n’ao, era tramp, inconstante, fez muitas san lorenzo x ssz ou rosario x ssz com trigo, mass daqui pra fora muito pouco

- Publicidade -
Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Navios de guerra britânicos podem ser enviados para quebrar o bloqueio de Putin aos portos do Mar Negro

A Grã-Bretanha está coordenando com seus aliados um plano potencial para enviar navios de guerra ao porto de Odessa,...
- Advertisement -