quarta-feira, dezembro 1, 2021

Saab Naval

Vídeo: HMS ‘Edimburgh’ em Londres para o Dia da Vitória

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Sob os olhares de centenas de espectadores em ambas as margens do rio Tâmisa, o HMS Edimburgh, último contratorpedeiro tipo 42 em atividade, passou sob a Tower Bridge e atracou ao lado do cruzador convertido em museu HMS Belfast, em serviço na mesma época do Edimburgh anterior, afundado no Ártico há 71 anos.

O porta-aviões leve classe Invincible, HMS Illustrious, e o caça minas classe Sundown, HMS Blyth, também permanecerão em Londres pelos próximos seis dias para as comemorações do fim da campanha mais longa da Segunda Guerra Mundial.

FONTE: Naval Open Source Intelligence (tradução e adaptação do Poder Naval a partir de original em inglês)

- Advertisement -

6 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DENYS

se não fosse mãe russa os nazi já tinha comido rainha

GUPPY

1 – O contato com a água doce não pode causar algum problema ao sonar (domo do casco, submerso) não?

2 – Quantos Kilômetros, aproximadamente, tem esse percurso do rio Tâmisa da foz até Londres?

3 – A resolução do vídeo não poderia ser melhor não? Pelo menos no meu PC está bastante embaçado, parecendo mais um filme muito antigo e de péssima qualidade.

Abs

daltonl

Não sei o que a “mãe russa” tem a ver com a Batalha do Atlantico que é o que se está comemorando já que maio de 1943 foi o “maio negro” para os submarinos nazistas que a partir daí perderam a iniciativa de vez, então, maio de 1943 – maio de 2013, 70 anos ! Também não entendi os nazi comerem a rainha…já que em fins de 1940 os nazistas adiaram indefinidamente a invasão da Inglaterra já que não possuiam superioridade aérea nem dispunham de meios anfibios suficientes para tal invasão. No mais, uma bela homenagem ao sacrificio de milhares… Read more »

GUPPY

Tks Dalton. É que quando eu estava na “briosa” ouvi falar que os CTs não visitavam Manaus porque o contato demorado com a água doce do rio Amazonas (e o Negro) prejudicaria os sonares dos navios. É que eles foram concebidos para estar em contato com água salgada. Porém eu não sei se isso tem fundamento. Pensando bem, também não lembro de algum submarino ter adentrado o grande rio.

Abraços

MO
GUPPY

Navios de respeito, MO. Dá até vontade de embarcar num desses e curtir a viagem. O meu irmão curte o conforto, viu?

Agora mudando de pato pra ganso, senti uma tristeza ao imaginar que um torpedo pode fazer um giant destes desaparecer no mar. Viu como guerra é detestável?

Bom, obrigado pelo presente e desculpe o desabafo.

Abraços

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Naval Group lança o ‘Duguay-Trouin’, segundo submarino nuclear de ataque tipo ‘Barracuda’

O Naval Group lançou o segundo submarino nuclear de ataque (SSN) do tipo Barracuda para a Marinha Francesa (Marine...
- Advertisement -