segunda-feira, dezembro 6, 2021

Saab Naval

Marinha de Guerra do Peru confirma compra do navio de apoio logístico HNLMS ‘Amsterdam’

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

HNLMS_Amsterdam_(A836)

A Marinha do Peru, confirmou a aquisição do navio de apoio logístico HNLMS Amsterdam (A386). O contrato, de valor não revelado, prevê que HNLMS Amsterdam deverá ser entregue à Marinha em dezembro deste ano. Esta aquisição, como parte do programa de modernização das Forças Armadas, vai aumentar substancialmente a capacidade das unidades da frota nas áreas de operações.

Além disso, esta unidade vai ser muito útil em caso de desastres naturais, devido à sua capacidade de combustível, diesel e da aviação, água, alimentos secos e refrigerados, e sua capacidade de enfermagem e evacuações aeromédicas. O HNLMS Amsterdam, construído no estaleiro Hardinxveld and Royal Schelde (Holanda), entre 1992 e 1995, foi encomendada na Marinha Real Holandesa em 2 de setembro de 1995. Tem um comprimento de 166m, uma largura de 22m e um calado de 8m, deslocamento estimado em carga de 17.000 toneladas.

A propulsão é composta por dois motores diesel Burmeister & Wain-Bazan de 24.000 HP que lhe confere uma velocidade de 22 nós. O alcance a 20 nós é 13.440 milhas náuticas. A tripulação é de 160 homens. Ele pode transportar 6.815 tonelada de diesel e 1.660 toneladas de combustível de aviação, assim como 290 toneladas de carga. Está equipado, entre outros, com radar de vigilância de área, sistemas ESM Ferranti AWARE-4 e despistadores SRBOC MK-36.

O armamento consiste em duas metralhadoras Browning M-2HB 12,7mm, e CIWS SGE-30 Goalkeeper de 30 mm. Este sistema antimíssil – com base no GAU-8 Avenger – pesa 6.800 kg, gira 360 graus e funciona no modo totalmente automático. A taxa de tiro é de 4.200 tiros por minuto (1.190 munições prontas para disparar) e uma gama de letalidade, que abrange de 200m a 3km, com um poder de fogo de cerca de 75 tiros por segundo.

O HNLMS Amsterdam tem um grande convoo e um hangar capaz de acomodar três helicópteros SH-3D Sea King ou similares. (Alejo Marchessini, correspondente no Peru)

HNLMS_Amsterdam_A_836

Marina de Guerra del Peru

FONTE: Defensa.com

- Advertisement -

26 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Iväny Junior

Seminovo.

Oganza

Maravilhosa aquisição, parabéns a Armada de Peru.

Lá na Holanda está ficando pronto o substituto:

JLSS Karel Doorman

Soldat

Realmente ótima aquisição.

Vassili

Sempre fui fã do CIWS Goalkeeper. Ele tem um poder de fogo simplesmente fantástico.

No mais, concordo que é uma excelente aquisição para a Armada do Perú. Com expectativa de + – 25 anos de uso restante, podemos afirmar que no quesito navio logístico de grande porte, eles estão bem na fita……….. para o padrão sul, é claro…………..

POrem, tb imagino que esteja necessitando de um retrofit de meia vida, pois ja se vão 19 anos desde que teve a construção terminada la pelos idos de 1995.

juarezmartinez

Pois é, e o Marajo é de 1968 né….enquanto isto no hall of justice da Guanabara Bay:

Admiral Moon, Admiral Monn, eles compraram um tanqueiro Holandês, fique calmo Capitão Marolo, nosso Peamb neste momento está cruzando a órbita de alfa Centauro e o prossuper passou pela segunda lua da Júpiter, e teremos 5 tanqueiros novos, tenham fé…..

Grande abraço

Oganza

Juarez…

muito bom…. kkkkkk

daltonl

Bão…uma resumida análise: aquele cruzador fará 61 anos em novembro próximo e o quadro que contém informações de fins de 2011 já sofreu algumas alterações. Uma das 8 fragatas do quadro foi “depenada” e transferida para a Guarda Costeira, verdade que o Perú está em negociações com a França para adquirir duas FREMMs, pois algumas das outras fragatas já passaram dos 35 anos. As seis pequenas corvetas equipadas com “exocets” já estão aproximando-se dos 35 anos. Dois dos LSTs já foram para o ferro-velho/afundado e os dois remanescentes já passaram dos 60 anos e serão substituidos por 2 LPDs da… Read more »

Mauricio R.

Lá como cá, obsolecência em bloco, sendo tratada a conta gotas.
Em “gotas” um tanto maiores que as nossas.
Bem, mas pelo menos está sendo tratada.
Fragatas e principalmente submarinos, são meios um tanto mais complicados de substituir, são caros e dependendo da situação político/economica atraem certa publicidade indesejada.
Por outro lado o Perú não tem um extenso acordo de construção naval, c/ os sulcoreanos???
1/2 dúzia de corvetas iguais aquela que o maluco da Coréia do Norte afundou e seria um item a menos na lista.
E essas FAC-M classe PR-72 poderiam terminar seus dias na Guarda Costeira.

daltonl

“1/2 dúzia de corvetas iguais aquela que o maluco da Coréia do Norte afundou e seria um item a menos na lista.” As “Pohangs” deixaram de ser construidas mais de 20 anos atrás e os sul coreanos já começaram a substitui-las pela classe” Incheon”, e até 24 poderão ser construidas substituindo na base de uma para uma as 24 “Pohangs” das quais 21 estão ainda em serviço. Ainda sou da opinião que a MB fez bem em encomendar os 4 submarinos convencionais além do estaleiro e da base própria em Sepetiba ainda mais se a intenção é aumentar o número… Read more »

marciomacedo

Para uma marinha em fase de obsolescência total como a MB, teria sido uma grande aquisição uma nave tipo o Amsterdam. Economizaria recursos para o que de conta de verdade, os novos escoltas. Mas a Marinha Peruana também terá suas Pohangs: duas doadas pela Coréia do Sul, conforme já noticiado se não me engado pelo próprio PN. A Colômbia terá também a sua Pohang.

marciomacedo

Uma pergunta que não quer calar: o Rotterdam também está a venda, já que tem substituto navegando?

daltonl

A Colombia receberá na verdade uma unidade da classe
Donghae que lembra muito uma Pohang ou uma Pohang flight 1como é conhecida também.

No caso da Marinha Peruana receber Pohangs, estas serão usadas com 30 anos ou mais e não novas construções, portanto, nenhuma “cooperação de construção naval” nesse caso como o Mauricio afirmou acima.

Quanto ao Rotterdam não há um substituto para ele e sim que houve o acrescimo de um segundo navio da mesma classe e ambos estão ativos com a Marinha Holandesa.

Mauricio R.

daltonl,

Somente citei que o Perú tem um acordo de construção naval c/ os sulcoreanos.
Não estou ligando esse acordo, c/ alguma construção de corvetas classe “Pohang”.
Somente que mesmo sendo navios usados, estes serviriam como possíveis substitutos aos cascos PR-72P.

daltonl

Entendi Mauricio por isso mesmo escrevi “nenhuma cooperação nesse caso” mas poderá haver no futuro.

Acho dificil as Pohangs serem substitutas para as corvetas PR-72P…não estão exatamente na mesma liga
exigem mais que o dobro de tripulantes e as unidades que estão sendo substituidas agora são pouca coisa mais novas.

abs

juarezmartinez

Apesar deste navio ter quase 20 anos de uso, me parece a grssa vista em bom estado, e ainda, me parece que a MB talvez tenha perdido uma das últimas oportunidades para uma compra de oportunidade de um tanqueiro.
Agora, eu pergunto, alguem aqui em sã conciência , sabendo da situação eoconomica que vem por aí, acredita no Prosuper???

Grande abraço

PS Eu não acredito

daltonl

Juarez…

vi que voce mencionou o Marajó em um comentário seu lá em cima, mas não esqueçamos do Almirante Gastão Motta nem do Ceará que está retornando à ativa e também é usado para reabastecimento em alto mar.

A Marinha Peruana ficou alguns anos sem ter um navio especifico para reabastecimento e os anteriores eram
uma lástima, reabasteciam apenas pela popa, estavam em péssimo estado ao darem baixa, enfim a Marinha Peruana precisava de um navio assim muito mais do que nós e pegaram talvez o único disponível.

abraços

GUPPY

Eu sei que é um navio de apoio logístico mas, devido a boa capacidade de transportar combustíveis, não seria necessário ter casco duplo para evitar quaisquer restrições futuras? (a possibilidade de algum porto proibir o seu atracamento em função de alguma legislação exigindo um casco duplo para tanqueiros e/ou assemelhados).

juarezmartinez

E este aí n ão é casco duplo?

Grande abraço

daltonl

Tem casco duplo sim, uma exigencia a partir de 1990 e 3 dos 15 classe kayser da US Navy também possuem e já está em estudo a classe que irá substitui-los a partir de 2020 e todos terão casco duplo. Algumas concessões são feitas a navios mais antigos, que “visitam” portos estrangeiros o que não acontece frequentemente conosco, mas a medida que os de casco unico são retirados de serviço os substitutos terão que ter casco duplo assim como terão os nossos futuros navios “dedos cruzados aqui” 🙂 Enquanto isso, o Marajó passou recentemente por um PMG e o Ceará… Read more »

Carlos Alberto Soares

Notícias do maior navio de cabotagem e recordista de ancoragem do mundo ?

Cadê o opalão ?

juarezmartinez

Encontra-se no AMRJ deitado em berço explêndido e com as noticias econômicas de 2015 batendo na porta, perece que ele ficará por lá até aparecer alguém com coragem e patriotismo para dizer: Chega de viagens ao mundo “Hellmmanns”…..só vamos ter um PA no dia em que pudermos faze-lo flutuar, navegar, OPERAR E COMBATER, até lá sem devaneios….,

Grande abraço

GUPPY

Se é casco duplo, então ótima compra. Parabéns à Armada peruana. Obrigado, Juarez and Dalton.

Carlos Alberto Soares

Abraços estimado juarezmartinez .

Iväny Junior

Não tem jeito, papo vai e papo vem e o assunto é sempre nosso velho Foch. Eu acredito que ele ainda pode ser útil, tal como o Juarez escreveu, mas para isso, teria que sofrer uma avaliação criteriosa e manutenção ainda mais.

É bom lembrar que ele, quando comprado, veio navegando da frança e que, dentre os disponíveis para a compra, na época, era um dos em melhores estados. Não é um Queen Elizabeth, muito menos um CDG ou Enterprise, mas é nosso, tá pago e poderá servir tanto quanto um Forrestal.

daltonl

“…dentre os disponíveis para a compra, na época, era um dos em melhores estados.

Ivany…era de fato o único, talvez com a exceção do ex-USS Independence, classe Forrestal que havia sido descomissionado em 1998 e estava ainda em boas condições, mas nunca foi uma opção de fato para nós devido ao alto custo de manutenção.

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Construtor naval CSSC da China atinge a meta de entrega de 2021 e mantém a liderança mundial

A China State Shipbuilding Corporation (CSSC) informou que, com a entrega de dois novos navios em 1º de dezembro,...
- Advertisement -