Home Reportagem Um dia a bordo do submarino ‘Tapajó’ – última parte

Um dia a bordo do submarino ‘Tapajó’ – última parte

1175
6

Submarino Tikuna na BACS

A atracação na Base Almirante Castro e Silva e a despedida

Centenário-da-Força-de-SubmarinosA manobra de atracação do submarino Tapajó na Base de Submarinos nos permitiu fotografar outros navios, como o submarino Tikuna (foto acima), o quarto construído no Brasil com tecnologia alemã.

O Tikuna (S34) é um submarino da classe “Tupi” melhorado segundo especificações da Marinha do Brasil, com maior comprimento e deslocamento, além de contar com sistemas mais modernos quando foi incorporado. Ele também já lançou o novo torpedo americano Mk.48, mas ainda não recebeu o sistema de combate da Lockheed Martin que foi instalado no Tapajó.

Navio de Salvamento Submarino Felinto Perry

Fotografamos também o Navio de Salvamento Submarino Felinto Perry (K11), que possui equipamentos e pessoal treinado para efetuar missões de salvamento submarino (SARSUB), em caso de submarino sinistrado.

Para salvar a tripulação de um submarino, o Felinto Perry efetua a localização do mesmo e faz a passagem de ar e material para prover suporte à vida dos tripulantes. Depois o navio faz o acoplamento do sino de resgate à escotilha de salvamento do submarino pousado no fundo do mar.

De volta à Base de Submarinos, fizemos a foto abaixo com a tripulação do submarino Tapajó.

Poder Naval formado com a tripulação do submarino Tapajó

Em seguida, fomos levados ao Comandante da Força de Submarinos, Almirante Marcos Sampaio Olsen, com o qual conversamos sobre a experiência da primeira imersão e sobre o presente e futuro da Força de Submarinos.

Na conversa com o Almirante Olsen, ele nos contou que durante a palestra que fez sobre o Centenário da Força de Submarinos no IGHMB (Instituto de Geografia e História Militar do Brasil) foi perguntado sobre a situação da Força de Submarinos do Brasil em comparação com as outras Marinhas da América do Sul. O Almirante respondeu que todas as Marinhas estão praticamente no mesmo patamar, já que nenhum dos países produz seus próprios torpedos e todos dependem de fornecimento externo.

Alexandre Galante, Almirante Olsen e Claudio Queiroz
Alexandre Galante, Almirante Olsen e Claudio Queiroz

Mas o Almirante lembrou que o Prosub (Programa de Submarinos) vem dar novo impulso à Força de Submarinos, com a incorporação dos novos S-BR construídos na País e, na próxima década, do primeiro submarino com propulsão nuclear. Espera-se que o Brasil possa também começar a produzir seus próprios torpedos.

Da esquerda para direita - Alexandre Galante, Claudio Queiroz e 1 Ten Fabio Barros, da ComSoc da ForSub
Da esquerda para direita – Alexandre Galante, Claudio Queiroz e 1 Ten Fabio Barros, da ComSoc da ForSub

AGRADECIMENTOS: à Marinha do Brasil, especialmente ao 1 Ten Fabio Barros da Comunicação Social da ForSub, ao Comandante do submarino Tapajó, CF Horácio Cartier, ao Imediato CC Marcio Oliveira e também à toda tripulação do submarino Tapajó.

6
Deixe um comentário

avatar
5 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
6 Comment authors
daltonlricardoMOfragatamendesLuiz Monteiro Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
José da Silva
Membro

Ficou show!

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Galante,

parabéns pela excelente reportagem.

fragatamendes
Visitante
Member
fragatamendes

Galante, só existe uma palavra para ser dita; ADOREI.

MO
Membro

Excelente Bozoh, parabéns

Em tempo, navios Históricos em Santos =

http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2011/05/st-universe-leader-e-universe-commander.html

ricardo
Visitante
ricardo

Parabéns Galante pela excelente sequencia de reportagens. Belo trabalho !!!!!!!!!!!

daltonl
Membro
Active Member
daltonl

As fotos ficaram excelentes também, particularmente
gosto do K 11 que sempre me traz a lembrança o Ryujo japones da II GM.

Há um modelo de um submarino classe Ohio sobre a mesa de centro na foto onde o Galante aparece com o
Almirante Olsen e o Queiroz.