quinta-feira, maio 13, 2021

Saab Naval

Marinha de Taiwan testa dois mísseis antinavio Sub Harpoon lançados de submarino

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

DN-SC-83-07009

A Marinha de Taiwan testou com sucesso dois mísseis anti-navio Sub Harpoon lançados de um submarino, no primeiro desses exercícios, depois que as armas foram adquiridas dos Estados Unidos, informou a imprensa local em 19 de outubro.

Os mísseis Sub Harpoon foram lançados a partir do submarino Hai Hu (Sea Tiger), um submarino convencional de construção holandesa, durante um exercício, informaram o Liberty Times e do United Daily News, citando fontes navais não identificadas. A Marinha de Taiwan começou a receber os mísseis no ano passado para armar dois submarinos.

Os mísseis, que têm um alcance de 150 milhas náuticas (278 quilômetros), vão aumentar as capacidades de ataque dos dois submarinos anteriormente armados apenas com torpedos com alcance limitado, comentaram as fontes navais. O Ministério da Defesa se ​​recusou a comentar a notícia.

Taiwan, que já tem mísseis Harpoon instalados em fragatas e aviões de combate F-16, encomendou os mísseis lançados por submarinos em 2008, como parte de uma compra de US$ 6,5 bilhões em armas, o que provocou fortes protestos de Pequim. O acordo também incluiu mísseis interceptores avançados Patriot e helicópteros de ataque Apache.

Os laços entre Taipei e Pequim têm melhorado significativamente desde Ma Ying-jeou do partido Kuomintang, amigo da China, chegou ao poder em 2008, prometendo impulsionar as relações comerciais e permitir que mais turistas chineses visitem a ilha. Ma foi reeleito em 2012.
Mas Pequim ainda vê a ilha como parte do seu território aguardando a reunificação, pela força se necessário, mesmo que Taiwan tenha governo próprio desde 1949, no final de uma guerra civil.

A China tem repetidamente ameaçado invadir Taiwan caso a ilha declare independência formal, levando Taipei a buscar armas mais avançadas, em grande parte dos Estados Unidos.

FONTE: Business Standard

- Advertisement -

13 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Soares

Parabéns Taiwan.

Invadir Taiwan ?

Japão e USA irão assistir e bater palmas né !

Luiz Monteiro

A Marinha do Brasil adiquiriu diversos sistemas de armas perante a MBDA France. Dentre estes sistemas, estão os mísseis AM-39 e SM-39 Exocet.

Segue abaixo:

DIRETORIA DE SISTEMAS DE ARMAS

EXTRATO DE INEXIGIBILIDADE

DE LICITAÇÃO N 9/2014

Processo n 63435.003694/2014-51. Objeto: Aquisição de Sistema de Armas. Contratada: MBDA France. Fundamento Legal: Inciso I do art. 25 da Lei 8.666/1993. Valor: 131.739. 000,00 EUR. Ratificação em 27/10/2014 pelo VA ALIPIO JORGE RODRIGUES DA SILVA (Diretor).

Augusto

Isso sim é míssil no estado da arte: 278 km!!! Não é Exocet com 70 km de alcance…

joseboscojr

As diversas fontes complicam quando o assunto é o desempenho das diversas versões do Harpoon. Pra piorar ainda mais, misturam a versão SLAM, guiada por imagem IR, específica contra alvos em terra, com a versão guiada por radar ativo, específica para atacar navios. E ainda misturam na sopa de letrinhas as diversas versões de treinamento, cativas, de solo, etc. Pra melhor entendimento sobre a versão “Harpoon”, essencialmente antinavio há de se deixar de fora qualquer referência ao SLAM e qualquer referência às versões não táticas, usadas para treinamento, etc. Vale salientar que todas as versões antinavio têm em comum a… Read more »

joseboscojr

Foi proposta uma sétima versão, que seria a Block 3, que teria data-link de duas vias, capacidade de ser lançada verticalmente pelos lançadores Mk-41, e deveria ter uma cabeça de busca dupla, combinando o radar ativo com um seeker de imagem térmica.
Também teria sua discrição incrementada, incorporando alguma característica stealth (como o SLAM-ER ???), o que dentre outras coisa, faria o alcance aumentar.
Foi cancelada!

joseboscojr

Há um série de fontes contraditórias e não há interesse do fabricante em divulgar os dados reais.
Basicamente eu achei esse site (http://weaponsystems.net/weapon.php?weapon=HH10+-+Harpoon) a fonte mais coerente.
Pelo menos aqui fizeram o favor de deixar bem claro o que é Harpoon e o que é SLAM.

joseboscojr

Há fontes que citam o peso do booster como sendo de cerca de 120 kg.

joseboscojr

A maioria dos mísseis antinavios subsônicos de longo alcance não são dotados de data-link e ficam completamente por sua própria conta após o lançamento. Um míssil com 278 km de alcance na prática é usado contra alvos a no máximo uns 200 km de distância. Lançado a 200 km de distância de um navio a 28 nós, ele estará a uns 12 km do ponto em que estava no momento do lançamento do míssil. Um míssil sea-skimming a 5 metros da superfície do mar tem um horizonte radar de menos 8 km. Claro que os dados relativos à direção e… Read more »

joseboscojr

Na minha listinha do Harpoon faltou logo o que motivou a matéria, que é o UGM-84L que é a variante Block 2, lançado de submarino.

joseboscojr

Voltando ao assunto “Harpoon”, há uma série de inconsistências a respeito do seu desempenho. De forma misteriosa o fabricante não explicita o desempenho de suas várias versões, nem mesmo da versão hora em produção, a Block 2. Sobre o alcance, invariável e irritantemente é colocado a expressão “acima de 67 NM” (130 km), que todo mundo sabe ser o alcance da primeira versão lançada de superfície, a Block 1 (RGM-84A). É sabido também que a versão AGM-84A tem um alcance de 180 km. Ou seja, 50 km a mais que a versão lançada do ar. Esse incremento deve ser possível… Read more »

joseboscojr

Quem gosta do assunto “míssil” sofre. Os diversos sites têm a mania de repetirem a informação de uma fonte inicial e é difícil achar algo confiável. Se a fonte inicial tiver se equivocada, toda a informação fica comprometida. Há uma série de inconsistências em relação aos dados de diversos mísseis. Por exemplo, é divulgado que a ogiva do Javelin pesa 8 kg. Ora! O míssil todo pesa 12 kg e é pouco provável que 70% dele seja ogiva. Do CALCM AGM-86C é dito ter uma ogiva de 2000 e 3000 lb (depende da versão), o que é completamente inconsistente com… Read more »

Oganza

Magistral Bosco,

fui “obrigado” a salvar seus 2 comments, 🙂

“o que é ou uma idiotice pura e simples, ou uma falha gravíssima do departamento de marketing da Boeing.”

talvez possa ser alguma estratégia tb, com as capacidades reais ou mais aproximadas sendo “exclusivas” para os clientes e veto a sua divulgação deve constar inclusive em contrato, ou não.

Vlw Bosco… Grande Abraço.

joseboscojr

No segundo período do quarto parágrafo do meu comentário das 14:17 onde se lê: “… 50 km a mais que a versão lançada do AR.”, o certo é: “…50 km a mais que a versão lançado da SUPERFÍCIE”. Oganza, Pode ser, mas com certeza a concorrência e os prováveis inimigos têm a informação correta. Por isso que eu disse que ou uma idiotice completa ou só um deslize do departamento de marketing, que não atualiza os dados do seu produto. A concorrência direta tem os dados de seus produtos (RBS-15, Gabriel, Otomat, Exocet Block III, NSM, etc.) bem esclarecido e… Read more »

- Publicidade -

Reportagens especiais

‘Homens de ferro em navios de madeira’ – Parte 1

Alexandre Galante Entre os dias 10 e 12 de maio de 2010, o Poder Naval visitou a Força de Minagem...
- Advertisement -