sexta-feira, julho 30, 2021

Saab Naval

Mar del Plata recebe navio oceanográfico alemão comprado pelo governo Kirchner

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

RV Sonne

Conforme o Poder Naval adiantou aos internautas no último dia 14 de janeiro, atracou anteontem, sábado (31.01), na base naval de Mar Del Plata, o navio oceanográfico alemão “RV Sonne”, comprado em dezembro passado pelo Conselho Nacional de Investigações Científicas e Técnicas (CONICET) do Ministério da Ciência e Tecnologia argentino, à empresa germânica RF Forchungsschiffahrt GmbH.

O governo Cristina Kirchner ainda não deixou claro se a embarcação, de quase 5.000 toneladas, será operada pela Marinha ou pela Prefeitura Naval Argentina (Guarda Costeira local). Em maio de 2014, quando se encontrava ancorado em Cape Town, na África do Sul, o navio foi vistoriado por oficiais da Prefeitura e por técnicos do CONICET, mas diante das atuais dificuldades financeiras do órgão científico, o mais provável é que ele receba uma tripulação da Armada Argentina.

É certo, contudo, que o “Sonne” – que em breve será rebatizado pelos argentinos – passará por uma revisão geral, antes de ser incumbido de alguma travessia.

O navio vai integrar a mobilização de meios decretada, ano passado, pela presidenta Cristina, com o objetivo de que a Argentina realize um amplo levantamento dos recursos geológicos e biológicos das áreas marítimas a oeste e a sudoeste do arquipélago das Malvinas – iniciativa vista com desconfiança pelo governo da Grã-Bretanha, que exerce o controle sobre as Malvinas, as Ilhas Georgias do Sul e Sandwich.

Desafogo – O “Sonne” ajudará a desafogar a carga de trabalho existente hoje no navio oceanográfico “Puerto Deseado”, unidade da Marinha que tem a metade do tamanho do navio alemão, e transporta apenas 20 cientistas em cada travessia. A embarcação recém-chegada a Mar del Plata pode embarcar o dobro de cientistas.

Segundo informações obtidas pelo Poder Naval, quando o “Puerto Deseado” parte em missão dedicada a levantamentos geológicos, as eventuais pesquisas de biologia marinha ficam prejudicadas, em função da falta de espaço nos laboratórios de bordo.

O governo argentino deseja obter dados confiáveis acerca da presença de jazidas minerais submarinas defronte ao litoral patagônico, como as de cobalto, manganês e outras.

O momento político-administrativo do CONICET, porém, não é bom. O Conselho está com os salários de seus especialistas atrasados, e tem enormes dificuldades para adquirir equipamentos modernos. Na semana que passou, um de seus técnicos deixou vazar pela internet que, recentemente, uma equipe do Conselho aventurou-se numa travessia marítima a bordo de uma antiga embarcação pesqueira construída em 1925… E transportando uma aparelhagem eletrônica de pesquisas avaliada em 300 mil dólares…

- Advertisement -

4 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Soldat

Ótima aquisição dos Hermanos visando pesquisas.

Mas infelizmente terão de comprar navios de combate chineses para protegerem seu navios de pesquisas e a rota para antártica hoje dominada pelos argh (apostatas)….Ingleses que domina as ilhas Malvinas, as Ilhas Georgias do Sul e Sandwich.

Quero ver o dia em que os Ingleses impedirem nossa passagem para antártica?; Na década de 40 os militares Brasileiros nacionalistas já temiam que no futuro isso pudesse acontecer mas isso é outra historia!!!

AlexJ

Soldat,

E pq raios eles nos impediriam?

Provavelmente nem os “argies” eles imperão, salvo se os “hermanos” adentrarem as ZEEs dos respectivos arquipélagos.

ab

PS. Anos 40 é uma coisa, 2015 é outra.

AlexJ

ops, foi mal.

imperão “leia-se” impedirão

Kojak

Modernizado em 1991, 24 anos ………….

Construído em 1969 …………

Por ser de origem Alemã e operados por eles, pelo preço, pode ter sido uma aquisição de oportunidade.

Veremos.

- Publicidade -

Últimas Notícias

Global Times: O Reino Unido não deve tentar o próprio destino no Mar da China Meridional

O grupo de ataque do porta-aviões HMS Queen Elizabeth do Reino Unido entrou no Mar da China Meridional no...
- Advertisement -