Home Noticiário Internacional Quem tem um, não tem nenhum

Quem tem um, não tem nenhum

1435
12

Porta-aviões russo ‘Kuznetsov’ é docado por razões desconhecidas e tempo indeterminado

Russian_aircraft_carrier_Admiral_Kuznetsov_dry_dock

O único porta-aviões da Rússia, Admiral Kuznetsov, entrou na doca de um estaleiro no Norte de Rússia para reparos, informou a assessoria de imprensa da Frota do Norte na quinta-feira, sem dar prazo para os reparos. “Os trabalhadores de reparação vão primeiro fazer a inspeção do navio na doca, e depois uma decisão será tomada no âmbito dos reparos”, disse o escritório de imprensa da frota, acrescentando que os reparos seriam realizados por especialistas do estaleiro 82 em Roslyakovo, na região de Murmansk.

O porta-aviões realizou sua última comissão de longa distância em maio 2014, na maior parte navegando no mar Mediterrâneo.

12
Deixe um comentário

avatar
12 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
8 Comment authors
Lywdaltonl_RJ_MarcosLuiz Monteiro Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Iväny Junior
Visitante
Member

Interessante a imagem e menos dentes para a Rússia.

daltonl
Membro
Member
daltonl

Em 2010 os russos anunciaram que a partir de 2012 o Kuznetsov iniciaria um período de modernização não inferior a 5 anos !

Desde então os russos estão empurrando uma muito necessária modernização com a barriga, mas, mais cedo ou mais tarde terão que se decidir ou o Kuznetsov terá que ser retirado de serviço muito antes do que o planejado.

Wagner
Visitante
Member
Wagner

E qual é o problema ??? Todo navio tem que ser reparado periodicamente.

Se vao fazer a mega reforma agora, ou se é só rotina, tem que ver.

Seria interessante uma boa modernização.

Marcelo
Visitante
Marcelo

Por coincidência (ou não? 🙂 ) saiu essa notícia ontem na Jane´s:

http://www.janes.com/article/51452/russia-developing-shtorm-supercarrier

abraços

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Prezado Marcelo,

O interessante neste projeto russo de navio-aerodromo é que ele possui dois ski jump. Um de maior ângulo na proa e um de menor ângulo na convoo oblíquo.

Abraços

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Fica a pergunta:

E nós, o que vamos fazer com, primeiro, somente uma sucata que não consegue navegar e, segundo, com um só elefante nuclear, que por hora, é só projeto, mas consome recursos que não temos.

_RJ_
Visitante
_RJ_

Marcos, já que você tocou no assunto…

Para mim não faz sentido pensar num submarino nuclear (quando os AIP são quase tão efetivos, por um custo menor) e se pensar ao mesmo tempo em um NAe CATOBAR de propulsão convencional.

Na minha cabeça de leigo, o reator nuclear é uma mão na roda para geração de vapor, e a propulsão convencional seria adequada/suficiente para um navio STOBAR ou STOVL, custando menos.
Mas aí vejo NAe STOBAR com caldeiras a vapor (Russia) e NAe CATOBAR com propulsão Diesel (Inglaterra). Eu fico confuso.

daltonl
Membro
Member
daltonl

RJ…

os futuros HMSs Queen Elizabeth e Prince of Wales não
serão “CATOBAR” ou seja, não terão catapultas e sim
a “rampa” como no NAe russo e ao contrário deste não
terão os chamados cabos de parada..

Ao contrário do NAe russo que conta com cabos de parada para seus MIG-29s por exemplo, os F-35Bs que irão operar nos NAes da Royal Navy pousarão verticalmente em áreas previamente demarcadas no convoo.

Quanto ao AIP veja que a Índia está investindo em submarinos nucleares e os tradicionais países que já possuem submarinos nucleares estão aperfeiçoando os
mesmos.

_RJ_
Visitante
_RJ_

Obrigado, Daltonl. Realmente, teve uma discussão se a Inglaterra iria fazer do Price of Wales om CATOBAR, mas viram que ficaria muito caro. E quanto ao Kuznetsov, acho que é o peso da idade. De qualquer forma, acho curioso que a megalomania de se querer um SubNuc (sem ser de ataque) não progrediu para idéia de um NAe Nuclear (já que o reator está sendo desenvolvido aqui). Deveríamos nos perguntar então se os modelos de operação STOBAR ou STOVL não seriam mais adequados à marinha do Brasil. (e aí continuar pensando em um NAe de propulsão convencional). Mas isso tudo… Read more »

Lyw
Visitante
Lyw

Off topic

Apresentado modelo de possível futuro “destroier” (crusador?) russo:

http://www.janes.com/article/51453/russian-destroyer-design-revealed

daltonl
Membro
Member
daltonl

RJ… quanto a consideração de se usar catapultas nos NAes que os britânicos estão construindo a ideia seria utilizar um par de “eletromagnéticas” que estão sendo testadas no futuro USS Gerald Ford, então não haveria toda a dependência de vapor para elas, mas, igualmente seria caro demais e os britânicos simplesmente caíram na real que não podem se dar a esse luxo. Quanto ao SUBNUC ele será de ataque, acho que você pensou em submarino equipado com misseis balísticos com ogivas atômicas como o único tipo que valeria a pena. Pessoalmente acho que é válido uma marinha ter apenas o… Read more »

Lyw
Visitante
Lyw

Interessante surgirem, praticamente na mesma semana, dois conceitos de navios cujos projetos estão se iniciando neste momento, um porta aviões e um destroier (crusador?).