Home Marinha do Brasil Submarino nuclear deve ficar para 2025

Submarino nuclear deve ficar para 2025

2227
114

Submarino com propulsão nuclear Álvaro Alberto

Matéria publicada hoje na Folha de São Paulo pelo jornalista Ricardo Bonalume Neto informa que o programa nuclear da Marinha está sofrendo uma desaceleração por causa de restrições orçamentárias.

Segundo o Comandante da Marinha, almirante-de-esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, a construção de um submarino com propulsão nuclear vai ter que esperar até 2025.

Não é a primeira vez que o projeto é colocado em marcha lenta desde sua criação, em 1979. Mas é um dos principais projetos da Marinha, além de ter sido uma espécie de “menina dos olhos” da administração do ex-presidente Lula na área militar.

almirante-de-esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira
O almirante-de-esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira em audiência no Senado em agosto de 2015

O desenvolvimento do submarino nuclear foi incluído no mais amplo Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub) durante o governo do petista.

O acordo com a França prevê a construção de quatro submarinos de propulsão convencional da classe “Scorpene”  modificada (SBR) e a ajuda francesa no projeto do submarino nuclear (SN-BR).

O Prosub inclui também a construção de um complexo em Itaguaí (RJ) que inclui base naval e estaleiros. Segundo o almirante Leal Ferreira, as obras estão em dia.

O contingenciamento de verbas afetou também outros projetos estratégicos, como a construção de uma robusta força de navios-patrulha para policiar o mar territorial e a zona econômica exclusiva do país no Atlântico Sul.

Outro projeto afetado foi a produção de novos navios escoltas de superfície, o Programa Prosuper. O navio mais novo da esquadra é a corveta Barroso, com sete anos, mas que levou 14 anos para ficar pronta.

NOTA DO PODER NAVAL: nosso site foi criado em 1997 e de lá pra cá a situação da Marinha do Brasil só piora, com a desativação de navios e o envelhecimento em bloco da Esquadra. É difícil acreditar em promessas, quando a liderança do país mente sobre a real situação econômica e demonstra não ter nenhum compromisso sério com a Defesa Nacional. A Marinha agoniza enquanto persegue um sonho que não é valorizado nem pelos políticos nem por grande parte da Sociedade.

Subscribe
Notify of
guest
114 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Edson Freitas
Edson Freitas
4 anos atrás

Que novidade? novidade seria se tudo estivesse dando bem com esse governo o que vc esperava demorou demais até.

Alfa BR
Alfa BR
4 anos atrás

Ao meu ver a MB precisa sim de um Sub nuclear mas no atual contexto político e econômico não a espaço para tal empreitada.

O ideal seria adquirirmos vários subs convencionais (com AIP preferencialmente) bem armados para cuidar das águas territoriais.

JT8D
JT8D
4 anos atrás

Apesar de muitos considerarem esse projeto um “elefante brando” eu acredito que ele é a última chance que o Brasil tem de tornar um pais militarmente relevante. Foi através desse projeto que dominamos o ciclo do combustível nuclear. Já se investiu muito esforço e a única alternativa é ir até o fim

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Interessante.
Até 2006, o governo tentava convencer o mundo de que o Brasil poderia ser o produtor mundial de etanol…
Veio a descoberta do pré-sal, esqueceram o etanol, criou-se a ideia de que o país é uma superpotência.
Teria que defender o território etc.
Mas na prática o petróleo em vez de ajudar o país a crescer, está servindo para atrapalhar.
Aliás, não está servindo para o país crescer.
Criaram projetos grandiosos mas nem o feijão com arroz se faz.
Além do risco do bolivarianismo.

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Quanto aos gastos envolvidos, alguém poderia explicar a necessidade de construção de estaleiros etc? Não poderiam ter sido utilizados estaleiros ja existentes?
Boa parte do dinheiro acaba sendo gasto com obras em vez de na construção dos subs propriamente ditos…

guilherme
guilherme
4 anos atrás

Desde 1997…..eu tenho 40 anos de idade e guardo recortes do Estado de SP, de quando era criança, sobre os planos do sub Nuclear…..a Marinha não pode querer ser respeitada dessa forma.

Saulo
Saulo
4 anos atrás

É aquilo que já fale, no dia que o Brasil entrar em guerra, não precisar ser contra uma superpotência ,e tomar uma sova,perdendo territórios sejam eles terrestres ou navais ,ai sim talvez tomem vergonha na cara e invistam o minimo necessário para ter forças armadas prontas para defender o país ,a males que vem pra bem.

Duanny D.
Duanny D.
4 anos atrás

Esse projeto e’ um devaneio louco de um bêbado.

marlon
marlon
4 anos atrás

e um progeto muito antigo e agora tem que sair senao sera uma vergonha para o BRASIL pais de bananas…..

jp
jp
4 anos atrás

Só falo uma coisa, o que tem de ALTE (mais de 5), CMG’s, etc nesse projeto e que não fazem nada, além de tomar café o dia todo e falar que querem isso/aquilo e não entendem lhufas de engenharia. Virou mais um cabide de emprego a Amazul, assim como Emgepron. Pior que eles voltam tudo como cargo comissionado, nada de TTC.

Mijolnir
Mijolnir
4 anos atrás

Nao vai sair em 2025. Talvez em 2075…
Entre hoje e 2025 vao existir muitos outros contingenciamentos…

CS
CS
4 anos atrás

E o Arsenal de Marinha está também aos poucos sucateado, com a mão de obra especializada se aposentando e não sendo reposta. E um parque industrial sendo desativado, carreiras cheias de entulhos… E a Sede da Emgepron impoluta!

FÁBIO NEITZKE
FÁBIO NEITZKE
4 anos atrás

Mas afinal, quando é que a situação da Marinha de Guerra do Brasil foi boa em termos de frota e equipamentos? Exceto quando recebemos 2 encouraçados em 1910/1920; sempre tivemos uma marinha de guerra limitada. Nem mesmo na época da ditadura militar as nossas forças armadas tiveram equipamentos de ponta em quantidade suficiente para podermos ser considerados uma potência militar. Somos um país ainda em desenvolvimento; sem nenhum inimigo externo que justifique maiores investimos em defesa. Vejam o caso da Índia e do Paquistão. Vivem em guerra, com forças armadas relativamente bem equipadas, mas com uma parcela enorme da população… Read more »

Ze Abelardo
Ze Abelardo
4 anos atrás

Mais que previsivel.

Em 2025 sera adiado para 2030. Cai no ostracismo e depois cancelado.

Bilhoes gastos, muito Whisky, muita medalha, tapinha no ombro e vamos todos pra reserva.

Vide o programa espacial.

joao.filho
joao.filho
4 anos atrás

Pobre do almirante. Só a cara de angustia e desmoralização dele diz tudo. Como disse antes, quando o Brasil realmente conseguir seu sub nuclear, la por 2075, como disse o amigo, essa tecnologia já vai ter ficado obsoleta faz tempo. Pobres militares brasileiros, estão jogados aos porcos mesmo.

Enrico
Enrico
4 anos atrás

Claro que fico triste de ver o projeto atrasar, mas vamos ter esperança, pois ele se insere num projeto maior que é de desenvolmos tecnologia própria. Não se esqueçam que a MB teve o mérito de levar sozinha o desenvolvimento de enriquecimento do urânio durante muitos anos. Não vai ser agora que vai desanimar. Penso que tem gente do Brasil e de outros países felizes com o atraso, mas estes são contra nossa independência.

Marcelo-SP
Marcelo-SP
4 anos atrás

O atraso era poule de dez… E dou outra barbada: não vira em 2025 também! E no meu prognóstico, a geringonça nuclear encerra a carreira e vira linguiça antes de ficar pronta. Não temos tradição em levar pesquisas científicas a sério e o país não tem dinheiro para comprar conhecimento (só para as mamatas…). E o fato é que estamos quebrados pelos próximos 5 anos, pelo menos. No final, deu o que tinha que dar. O último dos objetivos deste projeto era construir alguns charutos subaquáticos. A prioridade número 1 sempre foi sangrar os cofres públicos. Depois marketing, diplomacia rastaquera,… Read more »

ZorannGCC
ZorannGCC
4 anos atrás

Lendo os comentários acima e a nota do editor, vale citar que o buraco é mais embaixo. Foram mais de 20 anos com orçamentos da Defesa superiores a US$ 30 bilhões anualmente (efetivamente pago, descontados os contingenciamentos). Podem confirmar pesquisando os orçamentos que são públicos. Se forem somar os valores exatos, isto dá perto de US$ 630 bilhões em 20 anos!! E vejam oque fizemos em 20 anos!! Como diz a nota do editor, desde 1997 (praticamente 20 anos) a MB teve sua frota diminuida e envelhecida. A questão é que o orçamento sempre foi mal gasto.É uma extrutura enorme… Read more »

guilherme
guilherme
4 anos atrás

Exatamente Zorann, é isso mesmo. Ficar tendo pena da MB é errado, a culpa é dela!! Apesar de cortes orçamentários, que diga-se de passagem, é absolutamente normal em qqr país, as outras Armas (EB e FAB) mantém nível de operacionalidade maior e com mais coerência no uso de recursos.

bento
bento
4 anos atrás

Senhores Bom dia, e obrigado pela oportunidade de participar dos comentários Como sou do tempo em que o Nautilus ainda navegava, e o Skipjack tinha acabado de ser lançado, me lembro bem de todos os percalços que a marinha norte-americana enfrentou no desenvolvimento de sua frota nuclear de submarinos. Então, fica o questionamento: Quando uma planta nuclear em terá vai ser levada á plena potência, ou, com base em nossa sapiência, a planta já vai ser instalada no casco, numa queima de etapas irresponsável? Como vai ser projetado o casco do sub nuclear, sem que se conheça a configuração da… Read more »

Marcelo-SP
Marcelo-SP
4 anos atrás

Zoaram, o Prosub e seus problemas estão muito longe de ser coisa gestada exclusivamente pela MB. Desde a escolha pelos franceses à indicação da óbvia empreiteira brasileira, passando pela liberação das verbas, tudo isso é coisa dos civis e, unicamente, deste governo que aí está. Quanto à lógica que rege os investimentos por décadas, você tem razão. Mas o fato é que esta lógica não é exclusiva da Defesa, mas também funciona assim na Educação, na Saúde, etc. A verdade é que corporativismos de todas as espécies vivem de abocanhar nacos do orçamento público. E o aluno aprender matemática, colocar… Read more »

ZorannGCC
ZorannGCC
4 anos atrás

Olá Guilherme! Se você comparar os valores de nosso orçamento com os demais países sulamericanos e com diversos países do mundo, fica claro que gastamos muito mal tanto na MB, EB e FAB. Nosso orçamento representa sozinho a soma de todos os demais orçamentos sulamericanos. Gastamos 5 vezes mais que o Chile, 4 Vezes mais que a Colômbia, 5 vezes mais que a Suécia. O Chile nos supera em qualidade dos equipamentos (muitas vezes também em quantidade) , tanto no ar, mar e na terra. Nosso orçamento é maior que o da Itália, Israel, Austrália. Nosso orçamentp é 33% maior… Read more »

ZorannGCC
ZorannGCC
4 anos atrás

Olá Marcelo-SP! Mas é exatamente aí que está a questão. A desculpa em tudo que é público é que sempre falta verba. Isto é uma grande mentira, não só nas FAs como na saúde, educação e por aí vai. E tem mais uma, boa parte das compras de equipamentos foram feitas com verbas extras, vindas do PAC ou de outras fontes. São verbas extras a este orçamento que já é enorme! Quando vemos oque as FAs operam,oque elas gastam e as verbas extras para estas compras de equipamentos, torna-se ainda mais visível como as verbas são mal gastas. E você… Read more »

Dalton
Dalton
4 anos atrás

Zorann vc citou acima que a RN por exemplo tem um efetivo de menos da metade do que a marinha brasileira, mas, há razões para isso que podem explicar boa parte dessa “inconsistência” não necessariamente toda se é que de fato existe. – A RN não tem a mesma necessidade de manter uma grande força distrital operando em rios; – Navios de apoio, hidrográficos, rebocadores, etc, são tripulados por outras organizações. – O efetivo de fuzileiros navais brasileiros é o dobro do efetivo dos “Royal Marines” o que é uma coisa boa já que o exército brasileiro é uma força… Read more »

CVN76
4 anos atrás

Dalton

Você tem razão em algumas partes, porém concordo com o Zorann.

No Brasil, não gasta-se pouco, gasta-se mal.

Sempre foi assim, desde a época do Império com algumas excessões.

Os político e a Sociedade são sempre critizados (e com razão), mas os militares tem uma grande parcela de culpa.

Temos muitas OMs, imóveis, terrenos, intalações militares e oficiais em demasia.

O Exército é das 3 Forças a que mais tem os “pés no chão”…faz o básico sem grandes sonhos ao contrário da MB, que quer tudo e tém (no papel) e no fim, não tem nada….

Juarez
Juarez
4 anos atrás

Não adianta senhores, a MB e tocada na bese doxxxxx meu irrrrrrrmao, no wixxxxxxxxki xcotcthxxxx e foda se o Brasil, e nos os contribuintes que paguemos a conta dos 90 almirantes em cargos criados para gerar pixulecos. Eles leem o que nos escrevemos aqui e estão cagando desde que o soldo pingue na conta dia 30 de cada mes. E assim e vai continuar sendo, os caras bons estão cumprindo o seu tempo e pedindo o boné, o que está ficando ou e cordinha puxa saco ou incompetentes. A nos, trouxas, cabe pagar a conta e ficar assistindo os desfiles… Read more »

Diego
Diego
4 anos atrás

Gasta-se mal nas 3 forças porque? porque se gasta com pensões e aposentadorias!! Más porque não se transfere esses gastos para a PREVIDENCIA…
Más ai os comandantes acham que vão perder algo… se acham que vão perder é porque estão de fato tirando algo indevido do caixa… quem não deve não teme!

Quem me conseguir provar o contrario fique a vontade, um abraço!

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Nosso território é extenso, o que pode demandar mais instalações e pessoal. Mas tudo deveria ser dentro de certo limite. Deveriam se concentrar mais em equipamentos de qualidade e maior poder de fogo. Era realmente necessário construir um estaleiro etc? No caso do gripen parece que vão construir uma nova fábrica. Para quê? Já tem a Embraer etc. Só para construir uns poucos aviões… No fundo um avião é basicamente a fuselagem. As turbinas vêm de fora. Avionicos também. Quero dizer, não entendo a necessidade de se gastar combate fábricas. Monta-se na Embraer e pronto. Do jeito que colocaram vários… Read more »

Diego
Diego
4 anos atrás

Caro nonato,

A fabricação/montagem do Gripen é da Embraer, a Saab vai abrir uma fabrica de componentes como parte do Offset contratual, além disso visa a produzir partes do aviao em compositos, ou seja tecnologia que ainda não existe paralelo no brasil, caso existisse acredito que a Saab investiria em outra coisa!!!

Um abraço.

Mijolnir
Mijolnir
4 anos atrás

Bento.
Esta em construcao em um predio da marinha uma replica de toda a planta nuclear.
Apenaz apos essa ser posta em pleno funcionamento e provada, é que sera uma replica da mesma instalada no subnuc br.
O programa preve a transferencia de tecnologia para criacao do casco e outros. Nao sera uma copia dos sub franceses.
Copia sao os Scorpene. Com o conhecimento adquirido e contando com auxilio frances sera criado um casco nacional a partir do “zero”, acredito.
Att,

Dalton
Dalton
4 anos atrás

Franz … se pensarmos que lá na US Navy que é maior e mais capaz marinha do mundo gasta-se mal, Almirantes e políticos cometem erros e que ainda não se sabe de onde virá o dinheiro para bancar o programa de 30 anos de construção naval então não me espantaria muito com o que ocorre aqui e também em outras marinhas. Na minha opinião gastar mal é o menor dos problemas. O maior é a falta de verbas ainda mais quando se sabe que uma “modesta” fragata de cerca de 6000 toneladas custa perto de um bilhão de dólares se… Read more »

CVN76
4 anos atrás

Dalton, creio que existem vários problemas e causas….. Falta de verbas é um problema que qualquer militar em qualquer país do mundo tem…..todos os militares reclamam da famosa “falta de verbas”….e mesmo assim, muitos países conseguem fazer um aproveitamento melhor dos recursos disponíveis….. Como já venho falando a anos; está na hora dos militares reverem todo o conceito…..fazerem mudanças…..fazerem um BRAC como muitos países fizeram…. Eu acho os militares (com algumas excessões) no Brasil, muito sem coragem, sem visões…..parecem mais um sindicato, no qual cada um só pensa em sí e em sua aposentadoria….Sinto falta de um debate….até parece que… Read more »

David
David
4 anos atrás

Só para constar aqui nas discussões: Quando foi assinado o acordo com a França para transferência de tecnologia para projeto e construção do casco resistente do sub nuclear foi alardeado aos quatro ventos que o Brasil precisava queimar etapas de forma segura e que se opta-se por desenvolver a tecnologia do casco seriam 10 anos se não me falha a memória. Essa alegação foi feita em 2006 e novamente em 2008 na assinatura do acordo Brasil-França, inclusive mostrando um lindo esquema das etapas da pesquisa à construção do sub nuclear. Prezados, depois de tantos anos pergunto aos senhores: O compromisso… Read more »

David
David
4 anos atrás

Errata:
Onde se lê “O compromisso… ” leia-se “Deveria se ter o compromisso….”

Dalton
Dalton
4 anos atrás

Franz… sempre se pode encontrar o que cortar só não acredito que cortes serão os principais responsáveis para permitir a substituição de tantos navios “velhos” muito menos aumentar a presente força nem que seja só um pouquinho mais. Se a marinha brasileira não receber um considerável aumento de verbas os cortes que já estão ocorrendo se tornarão ainda maiores. Muitos países estão cortando na carne como o Reino Unido por exemplo e sofrendo um sensível decréscimo na capacidade e aqui nós temos visto uma mera corveta de 2000 toneladas levar 14 anos para ficar pronta um NDD que passou por… Read more »

Rommelqe
Rommelqe
4 anos atrás

Não ha a menor duvida de que a maioria dos recursos alocados em qualquer area pelos governos brasileiros são desviados, utilizados em futilidades, enfim, alimentam uma burocracia imbecil, festas nababescas, “aposentados” tomando “uisques” na beira da praia e demais baixarias. Quero, contudo, saldar um pequeno mas seletíssimo grupo que tem conseguido, apesar de tudo, realizar milagres. Poucos imaginam o que ja foi realizado nesta area, desde as ultra centrifugas até as instalações em Iperó que se encontram em plena atividade. É uma pena ver esse pessoal sendo jogado na lama pisada pelos poderosos e imperiais donos do poder. Vejam por… Read more »

Rommelqe
Rommelqe
4 anos atrás

É pertinente mais um ponto: as forças armadas brasileiras acabam sendo obrigadas a “produzir ” seus proprios meios, gastando fortunas em instalações e pessoal, ao meu ver de forma equivocada. Por exemplo o arsenal da marinha deveria apenas ser empregado em manutenções especificas; não estou colocando aqui a responsabilidade pela penuria de sempre nessas instalações, mas as FFAA deveriam primordialmente se concentrar em sua missão constitucional. Se no período em que a Ishibras e a Verolme, entre outras, que estavam no auge da industria naval, tivessem sido contratadas para fornecer meios sob projetos desenvolvidos pela propria marinha e/ou terceiros a… Read more »

Melky Cavalcante
Melky Cavalcante
4 anos atrás

Essa história de submarino nuclear é perda de tempo, como dizem aqui, ter um é ter nenhum, ainda mais para uma marinha de defesa, sem ambições internacionais.
Comparo esse sonho por um sub nuclear dos chefes da marinha a obsessão de Hitler por armas supremas, com valores elevados, sugando os recursos da Alemanha, enquanto fabricas Russas e Americanas vomitavam T-34 e M4 Sherman 24 horas por dia com o preço 4x menor.

bento
bento
4 anos atrás

MIjolnir Obrigado pela resposta. Só para me corrigir, o submarino que afundou por uma série de fatores, de projeto, construção à operação, incluindo falhas de tubulações e válvulas, foi o USS Thresher, e não o USS Scorpion. Desse, só se tem especulações. Agora, se formos considerar o desempenho que se pretende desse reator e de todas as instalações correlatas, não vejo em nosso histórico de produção de máquinas nada que se pareça com o que se pretende agora. Mesmo com o prazo dilatado, continuo preocupado com o binômio capacidade tecnológica X segurança Quanto à alocação de recursos, é sempre importante… Read more »

ZorannGCC
ZorannGCC
4 anos atrás

Diego Transferir os gastos dos reformados e reservistas para a previdencia?? Isto é só transferir o rombo de lugar. Isto é um déficit de 27 bilhões causado por apenas 400.000 militares. A previdência ‘civil’ tem um rombo de 50 bilhões, mas atende a 200 milhões de pessoas. Isto aí não resolve nada, a não ser dar mais verbas a quem é incompetente para gasta-las. Dalton A Marinha não tira leite de lugar nenhum, muito menos de pedra (sei que é sua opnião, mas discordo). Temos um orçamento em defesa que representa sozinho a soma de todos os orçamentos do continente.… Read more »

Dalton
Dalton
4 anos atrás

Zorann não concordo com a prática de comparar orçamentos entre países, cada um tem suas características e o que tenho lido é que ano após ano as forças armadas “pedem” tanto e recebem bem menos do que pediram e pelo visto isso irá continuar. Quanto ao equipamento que você citou sinceramente não me causa inveja sem mencionar que não há números impressionantes e a ser considerado tudo que encontra-se em manutenção desde blindados até mísseis o tempo todo os números diminuem ainda mais. No caso da marinha chilena são 8 combatentes principais de superfície ,melhores que os da marinha brasileira,… Read more »

Bardini
Bardini
4 anos atrás

Olha, Me metendo no assunto… Até da pra tentar justificar hipotéticos aumentos de verba para as forças armadas se ficar tudo como esta hoje, pois realmente não da pra fazer muita coisa com o que sobra pra investir… Mas ai você olha uma tabela qualquer, detalhando o recebimento de verba ao longo dos anos bem como sua aplicação e investimentos e percebe que realmente o problema esta nas forças, que gastam e gerencial mal seu dinheiro, se inchando cada vez mais, como qualquer outro órgão prestador de serviço público neste País. Quanto mais aumenta a quantidade de verba para a… Read more »

Airacobra
Airacobra
4 anos atrás

ZorannGCC e Diego Vejam ai a resposta a questão de vocês quanto questão da aposentadoria dos militares: ARTIGO DO NOVO MINISTRO DA DEFESA, Aldo Rebelo, publicado em O GLOBO e demonstra o ponto de vista do novo MIn. da Defesa em relação aos militares. Por:Aldo Rebelo “Na barulhenta campanha de difamação dos servidores públicos, os militares têm sido uma vítima freqüente e silenciosa. A última investida ataca a forma diferenciada como eles contribuem para a Previdência e são recompensados pela sociedade. Mais que um erro de julgamento, é uma ingratidão. A Previdência é apenas o instrumento final do reconhecimento público… Read more »

ZorannGCC
ZorannGCC
4 anos atrás

Olá Airacobra! Isto aí me lembra uma charge que vi no jornal estes dias: Na primeira imagem: Uma pessoa pergunta a uma fileira de cachorros com ossos na boca: Quem quer um país melhor? E todos os cachorros levantam a pata, afirmando que querem. Na segunda imagem: A mesma pessoa pergunta: Quem quer largar o osso? E nenhum cachorro levanta a pata. Todos querem mudanças e que o país melhore, desde que não mexam nos benefícios dele. Isto aí é geral. Quanto à aposentadoria dos militares (reserva remunerada e reforma), nas principais forças armadas do mundo, os militares contribuem para… Read more »

ZorannGCC
ZorannGCC
4 anos atrás

Olá Dalton! Os orçamentos que citei, foram os de fato pagos, já descontados os contingenciamentos e oque os militares pediram e não receberam. Os valores que citei são reais e podem ser verificados nos orçamentos do Ministério da Defesa que são públicos. Obviamente que eu não estava considerando nossos vizinhos como ameaças, apenas fazendo uma comparação entre orçamentos e equipamentos. É lógico que estas forças que citei tem equipamentos em manutenção, como nós também temos. A frota de fragatas/corvetas destes países, em sua maioria, são contemporâneas de nossas Vosper, ou seja não tem nada de especial nelas. Nós temos 5… Read more »

Ze Abelardo
Ze Abelardo
4 anos atrás

Dalton, Mais dinheiro para que? Para comprar mais whisky e cerveja (400.000)? 18 numa lasanha que custa 9 ( paguei 6 ontem na promocao)? Quer que eu faca alista das mordomias? Dezenas de almirantes para uma duzia de navios? E dizer que as forcas distritais justificam o tamanho do efetivo chega a ser piada. Marinheiro chega a ficar 4 anos sem navegar. Segue: Base da Marinha prevê gasto de R$ 62 mi com comida Bebibas alcoólicas somam quase R$ 400 mil na conta: preço de muitos produtos é o dobro do normal Uma base da Marinha em Duque de Caxias… Read more »

Ze Abelardo
Ze Abelardo
4 anos atrás

Lugar de marinheiro e no mar.

A marinha esta cheia de navios de concreto.

80.000 de efetivo e um absurdo e um desrespeito com o contribuinte.

O orcamento atual da e sobra, se fosse gasto com a sobriedade que a profissao exige.

A ultima adm foi vergonhosa e calamitosa.

Esperamos que o atual cm tenha forca e coragem para vencer o corporativismo e salvar a marinha.

XO
XO
4 anos atrás

ZorannGCC, meu caro, sou Oficial Superior da ativa e confesso concordar com algumas de suas palavras (por favor, não pergunte quais…)… agora, permita-me argumentar o seguinte; – não é correto que gastamos como queremos, tudo, desde o municiamento até a aquisição de meios é passível de auditoria… existem os conselhos de gestão nas OM’s, nossas despesas constam no SIAFI etc… ou seja, além da fiscalização interna, os dados estão disponíveis para consulta e questionamentos… – as regras para reforma e reserva remunerada são claras sim, constam do Estatuto dos Militares (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6880.htm), não é feito ao bel-prazer do Comando… não podemos… Read more »

XO
XO
4 anos atrás

Zá Abelardo, preceba que o CM já deu baixa em Navios… acredito muito na gestao dele… vamos trabalhar e aguardar… abraço…
Gostei e concordo com a frase “Lugar de marinheiro é no mar”…

Airacobra
Airacobra
4 anos atrás

ZorannGCC só não entendo quando você diz que militares deveriam contribuir para a aposentadoria, como se já não o fizessem, meu bilhete de pagamento todo mês recebe uma facada de 369,80 a titulo de pensão militar, acima dos 10% que é exatamente 357,30, se isso não for contribuir para minha aposentadoria então não sei mais oque é.