Home Clipping Rússia realiza voos ‘agressivos’ perto de destróier americano

Rússia realiza voos ‘agressivos’ perto de destróier americano

7354
63

alx_ap_167846400122_original

Aviões militares russos realizaram uma série de “voos agressivos” sobre um destróier dos Estados Unidos em águas internacionais no Mar Báltico nos últimos dias. Rússia afirma que voos não desobederam normas internacionais de segurança.

As manobras começaram na segunda-feira, quando o destróier se encontrava a 70 milhas náuticas de Kaliningrado, em águas internacionais. Dois caças russos Su-24 desarmados voaram pelo menos vinte vezes perto do “USS Donald Cook”, incluindo um voo a menos de dez metros do navio americano. Na terça, um helicóptero antissubmarino russo Ka-27 Helix voou sete vezes ao redor do destróier, tirando fotos à medida que passava.

“Este incidente está em contradição com as normas profissionais que se aplicam a militares que operam perto de outros em águas internacionais e no espaço aéreo internacional”, reagiu o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, lamentando “os reiterados incidentes” registrados no ano passado.

Nesta quinta-feira, o porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov, afirmou que “após detectar o navio, os pilotos russos viraram para a direção oposta, em plena conformidade com as medidas de segurança”. “Todos os voos dos aviões militares russos seguem as normas internacionais de utilização do espaço aéreo sobre águas neutras”.

FONTE: Veja

63
Deixe um comentário

avatar
62 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
29 Comment authors
Mateus S. De SouzaIvanSoldatFabricio JulianoCaio Romão Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Bosco
Visitante

Dessa vez os russos só assustaram e não utilizaram o raio provocador de “paura e la corre”, capaz de desligar o navio. Na hipótese desse “raio” for novamente utilizado e desabilitar todos os sistemas de radar a bordo resta à USN utilizar o canal eletroóptico do Phalanx e os poucos Stinger de lançamento manual que restam a bordo. Eu sugeriria que pelo menos 4 Stingers fossem acomodados solidariamente ao Phalanx de modo a prover uma defesa mais ampla e independente de radares. Também me parece que a vigilância de um DDG-51 está sendo ampliada com a introdução de um IRST,… Read more »

Ricardo
Visitante
Ricardo

A Rùssia parece estar querendo se desfazer de seus Fencers

MO
Membro

Em tempo

ia fazer um post no naval, , mas a preguiça falou mais alto, então, um pouco mais de história dos nosso navios:

Construção Naval no Brasil – Classe ‘Liner’, Parte 2

Navios Construídos no estaleiro Ishibrás – Ishikawajima do Brasil S/A, Rio de Janeiro/RJ

48 photos

http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2016/04/construcao-naval-no-brasil-classe-liner_14.html

EDurval
Visitante
EDurval

Bosco 14 de abril de 2016 at 14:46

Mestre Bosco, se o destróier se encontrava a 70 milhas náuticas de Kaliningrado, o sobrevoo feito pelos SU-24 e pelo Ka-27 não seriam uma forma de observar o intruso e de mandar uma mensagem do tipo sabemos que vocês estão ai?

Qual a lei nesse caso? e se em vez de ser russos, fôssemos nos brasileiros dando um rasante sobre um destróier americano que estivesse a 70 milhas náuticas das nossas costas, o mestre saberia informar se os americanos poderiam nos “processar” baseado em alguma lei internacional?

Bueno
Visitante
Bueno

kkk Grande mestre Bosco. Veja a cara de espanto e preocupação do marinheiro americano no final do vídeo

Bueno
Visitante
Bueno

os russos são abusados kk Se não dentro da legalidade são malucos mesmo
Neste vídeo da pra vê a passagem o SU-24bem próxima do “USS Donald Cook”,

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Se os russos ficassem a 70 milhas náuticas de Miami,os EUA iria fazer a mesma coisa.

Bosco
Visitante

EDurval,
Eu não sou entendido de leis internacionais e não faço juízo de valor. Acho até que os russos têm seu motivos de “flexionar seus músculos” desde que tomem cuidado para não aumentar as tensões de modo impensado ou acidental. No caso do Brasil, nosso mar territorial vai até 12 milhas.

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

70 milhas é muito,mais também não.O “USS Donald Cook” é uma senhora arma,não é nenhuma lanchinha não.Mas os EUA, tão no seu direito,inadequado mais estão.

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Alguns dizem quê o Vulcan,estavam mais de 100 milhas da costa brasileira.E foi aquele auê todo da interceptação.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Muito provavelmente o capitão do navio mandou desligar todos os sistemas para evitar que captassem os sinais e lá ficaram os pilotos russos como idiotas bancando os machões (provavelmente deviam ter uma foto do Putin sem camisa pregada no painel).

Espetáculo não lamentável mas sim patético, especialmente quando a gente sabe que na via real esse Su-24 tinha tomado um SM-2 na cara muito antes de sequer chegar perto do USS Donald Cook

Bosco
Visitante

Renato,
O problema do Vulcan, salvo engano, é que ele informou que havia um míssil Shrike energizado e que estava “preso”. Isso causou certo pânico já que na chegada ao Rio poderia ser acidentalmente lançado e se dirigir a alguma fonte de radiofrequência. Daí o auê!!!

Maurício
Visitante
Maurício

Comentários de torcedor cansam e são tão inúteis…

EDurval
Visitante
EDurval

Bosco 14 de abril de 2016 at 15:45

Mestre Bosco, então vamos ter que esperar se alguém do Naval, Dalton, LM ou outro que tenha algum conhecimento sobre lei internacional possa nos explicar se seria cabível algum tipo de punição pelo sobrevoo.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

A grande questão senhores é que um tratado firmado em 1972 e ratificado pela URSS, de quem a Rússia herdou as obrigações, proíbe esse tipo de sobrevôo.

Rustam Bogaudinov
Visitante

Bosco

Do not use the beam? ))) You still believe in the April jokes 2014? ))))
Oh how wrong doing flying over Russian destroyers, the US Air Force as well can be anyone in the world do not allow themselves such as why the Russian fly? it is necessary to do something with it
wondering when the US and NATO aircraft are constantly flying over our fleet, the Russian command not satisfied with the worldwide hysteria and crying all over the world saying how bad the US and NATO__

Alfredo Araujo
Visitante
Alfredo Araujo

“Maurício 14 de abril de 2016 at 16:36
Comentários de torcedor cansam e são tão inúteis…”
.
Pooutz… falou tudo !!!
Tirando esse aqui que vou abrir uma exceção a minha regra, são tantos comentários que eu escrevo e apago (não fazendo o post) simplesmente devido a uma alto reflexão que resulta no seguinte pensamento: Isso não vai adicionar nada a vida das pessoas e não interessa a ninguém…
.
Se as pessoas tivessem alguma auto-crítica, nos poupariam de ignorar dezenas de comentários inúteis…. feito esse aqui que reflete apenas a minha opnião… rsrs

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Sim Bosco teve isso aí sim.

Alfredo Araujo
Visitante
Alfredo Araujo

“HMS TIRELESS 14 de abril de 2016 at 16:55
A grande questão senhores é que um tratado firmado em 1972 e ratificado pela URSS, de quem a Rússia herdou as obrigações, proíbe esse tipo de sobrevôo.”
.
.
Interessante essa informação HMS…
Mas eu sempre penso no que a falta de profissionalismo em algumas FAA pode provocar…
Por exemplo esse caso… não poderia esse tipo de atitude ter vido da cabeça dos pilotos ? Ou vcs acham que tem um comandante ordenando isso ?

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Aqui o tratado Alfredo:

http://www.state.gov/t/isn/4791.htm

Deve ter sido firmado na esteira de um acidente em 1968, quando um Tu-16 que estava sobrevoando o USS Essex caiu no mar

ronilson
Visitante
ronilson

quem além da russia teria peito para fazer isso com a maior potencia militar e economica do mundo kkk

Trollbuster
Visitante
Trollbuster

A rede Trollbuster de inteligência rastreou esta mensagem enviada pelo navio americano aos Fencer e rapidamente as passagens acabaram:

“Русский самолет русский самолет ..

Здесь военный корабль 75

Немедленно прекратиться билеты или вызовите F-16 в Турции”

ScudB
Visitante
ScudB

Um outro detalhe me chamou a atenção..
Quando falaram “SU-24 voou perto de Donald Cook” fiz a pergunta : de novo? Os mesmos caras com os mesmos SU-24 ? Sera que não sabemos “algo” ou “Donald Cook” foi escolhido para ser irritado com certo proposito em 2014 e hoje? Os russos estão caçando informações e capacidades da Aegis? Sei la..
Voaram baixo, perigosamente baixo e poderiam causar um grave acidente por exemplo como em 1968 com Tu-16:
https://www.youtube.com/watch?v=l3bijF2–os
Um abraço!

André Bueno
Visitante

ronilson 14 de abril de 2016 at 17:54

E desde quando é preciso “peito” para dizer alô? Foi isso o que ocorreu. Como dito acima, na vida real tudo seria muito diferente.

Bosco
Visitante

Rustan,
Eu não acredito. Só fiz uma brincadeira! rsrssss
Saudações!

André Bueno
Visitante

Renato de Mello Machado 14 de abril de 2016 at 16:12

Não sei as distâncias mas a história do Vulcan no Rio começou com um REVO mal sucedido, momento em que o probe do bomdardeiro quebrou e o combustível transferido não era suficiente para a próxima etapa de REVO ou chegar até Ascensão, sua base. De imediato, Neil McDougal, seu comandante, estabeleceu o Rio como alternativa e rumou para ele. Há a questão mencionada do Shrike e a interceptação dos F-5 de Santa Cruz. Mas tudo estava “sob controle”.

Dalton
Visitante

Caro EDurval… já que você pediu a minha opinião é o seguinte: o USS Donald Cook deixou sua base na Espanha um mês atrás para uma missão de patrulha que entre outras coisas previa visitas a portos no Báltico, por exemplo Polônia e segundo as notícias havia até um helicóptero polonês sendo reabastecido no convés de voo participando de exercícios. . O procedimento correto estabelecido nos anos 70 conforme o HMS Tireless apontou acima o Tratado, seria das aeronaves russas manterem uma certa distância, ou seja, o “recado” seria dado da mesma forma, porém, a aproximação excessiva não apenas foi… Read more »

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Sim, André Bueno boa noite. Eu só fiz uma analogia do fato,com distâncias.Pois ninguém gosta,de algo ameaçador por perto.Embora sejam casos diferentes,todos correm para defender seu país.

W.K.
Visitante
W.K.

Eles só não podem chegar perto do espaço aéreo da Turquia…

Juarez
Visitante
Juarez

Uma hora destas, alguém na Pentágono vai perder a paciência com estas bagaceiradas russas, e o piloto vai ouvir o seu RWR assim:
blem, blem, blem, blem, e aí quando o ruído ficar bleeeeeeeee contínuo, e o fedor de cocô na cabine se impregnar, aí é “tchau querido

G abraço

Trollbuster
Visitante
Trollbuster

Se aquelas velharias tiverem RWS

lynx
Visitante
lynx

Não há nada na Convensão das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (CNUDM) que proiba o navio americano de estar onde estava, fazendo o que estava fazendo. Os direitos territorias dos Estados marítimos só são válidos dentro do Mar Territorial. No caso do Brasil, são 12 milhas. No Báltico, um mar confinado, é menor do que isso. Não sei precisar. A 70 milhas, estaria no máximo na ZEE. E nessa zona só existe restrições quanto a exploração de recursos naturais. No Brasil existe a proibição de condução de operações militares sem autorização do Estado brasileiro. Mas isso é uma… Read more »

AL
Visitante

Gente, de boa!!! Esses caras só podem ter visto Top Gun esses dias e aí lembraram da cena em que os Tomcats dão rasante ao lado da Ponte de Comando, e resolveram imitar!!! Daqui a pouco irá ter vídeo no youtube fazendo paródia disso, fica a ideia Rustam, pois o vídeo e as fotos já tem…

Bosco
Visitante

Apesar de não acreditar no tal Su-24 que desligou o Aegis, fato é que bem antes dessa história já se vislumbra a utilização de métodos de detecção, rastreamento, identificação, e aquisição de alvos que sejam independentes do radar. Já há vários modelos disponíveis de IRST naval, com cobertura de 360º, capazes de detectar e rastrear aeronaves e embarcações a grandes distâncias, claro, utilizando o método passivo de detecção de assinatura IR. Os sistema de identificação e aquisição de alvos via imagem IR ou TV, geralmente combinado com telemetria laser, já vem de longa data. Também já há grande variedade de… Read more »

EDurval
Visitante
EDurval

Dalton 14 de abril de 2016 at 20:30

Obrigado pelos esclarecimentos, mais na guerra da lagosta não foi exatamente isso que o Brasil vez?

Ficou sobrevoando os navios franceses para demonstrar a posição contraria a pesca da lagosta em aguas brasileiras, e em um cenário parecido com a guerra da lagosta que eu perguntei, se seriamos processados por alguma lei internacional ou se hoje não teríamos meios ou “culos” para fazer esse sobrevoo.

schwanka
Visitante

Vamos lembrar, que a Turquia derrubou, os russos gritaram, gritaram. Logo quem cutuca a onça com vara curta, sabe o perigo que corre. Fora isso é só para jogar para galera.

Fabiano
Visitante
Fabiano

SU 24 de novo ,olha sei não eim ,to começando a acreditar que os Russos estão desenvolvendo algo para dar pane nesses destroyers Americanos ?E outra se fosse para afundar o destroyer Americano seria usado o SU34 armado com misseis surpersonicos antinavio.

Fabiano
Visitante
Fabiano

Tem algo cheirando mal nessa historia de SU24 desligar Aegis,aonde a fogo a fumaça,e outra SU24 de novo ,sei não hein,sempre é bom desconfiar , apesar nada é´absoluto neste mundo,vamos esperar por mais informações.

Augusto
Visitante
Augusto

A mentalidade do Putin é de pura guerra fria, seu país fica cada vez mais isolado. Ainda esses dias a China anunciou que vai construir a rota da seda 2.0 as ex-republicas soviéticas do como kazaquistao vão cair no colo do xin jinpin quero o que o putin vai arrumar com a EU pressionando de um lado e a China de outro

Rustam Bogaudinov
Visitante

Augusto 15 de abril de 2016 at 7:07, in isolation? from whom? from the Brazilian meat probably))) truly Russia in isolation from him! interestingly and here China? At us already all country laughs at them as they are cried for the whole world that they were offended and complain to U.S. State Department __ em isolação? de quem? da carne brasileira provavelmente))) realmente a Rússia em isolação dele! de maneira interessante e aqui a China? Em nós já todo o país ri deles como se gritam para o mundo inteiro que se ofenderam e se queixam ao Departamento de Estado… Read more »

Juarez
Visitante
Juarez

Fabiano, como o Bosco na gastou o dedo explicando, está história de jamear o radar Aegis do AB e tão verídica quanto a nota de R$ 3,00, e eles só continuam com aqueles procedimentos peladeiros porque sabem que na Casa Branca hoje tem um orelhudo cag……..ao, do contrário, eles já teriam recebido um recado bem claro.

G abraco

Augusto
Visitante
Augusto

Rustam isolados sim , só a Venezuela , cuba , síria , irá e republiquetas africanas dão bola pra vocês como superpotencia, o resto trata com desdém, vocês não tem nenhum software power só conseguem as coisas com poder militar,agora nem isso né porque a nato já sacou a hybrid warfare sua vão tomar no pau se fizerem de novo o que fizeram na Ucrânia a de-escalation 2000 também já foi neutralizada com escudo anti-misseis sem falar dos b-2 e os Ohio que são invisíveis pra vocês. Sua influência no indico e no pacífico já foi pro buraco e o… Read more »

Dalton
Visitante

EDurval…

sobrevoar é uma coisa, passar a 10 metros do navio quase rente à agua é outra , uma
provocação gratuita que não é considerada segura tanto que foram foram criadas normas para esse tipo de coisa e que foi desrespeitada.
.
Os russos tem que aceitar que a Polônia e muitas outras nações na região tem ligações com os EUA e o Mar Báltico não é propriedade deles.
.
E no caso da “guerra da lagosta” não aconteceram tais rasantes por parte de aeronaves da FAB
ou seja prevaleceu o profissionalismo.
.
abs

Rustam Bogaudinov
Visitante

Augusto ,You don’t discuss a subject, and you tell political nonsense We discuss a vzaimotnosheniye of the Navy of Russia and the Navy of the USA, but not your imaginations about isolation of Russia))) speak on a subject, though in policy you aren’t strong! The fact such we see a hysterics of Naval Forces of the USA upon usual flight of planes why the Navy of Russia never cries and doesn’t complain to the whole world of flights of planes of army of the USA and NATO over the ships? And here it is direct a hysterics of the baby,… Read more »

EDurval
Visitante
EDurval

Dalton 15 de abril de 2016 at 9:42

Meu caro, mais uma vez obrigado pela cortesia em responder as minhas duvidas.

Luis Carlos Strini
Visitante
Luis Carlos Strini

Tanta movimentação intelectual, com sérias divergências de posicionamento ideológico que arriscaria perguntar no que isso iria mudar o rumo dos acontecimentos. Que vença o mais bem preparado e que não venham aqui para o hemisfério sul, por que “aqui tem café no bule”.

Rustam Bogaudinov
Visitante

Opposition between two fleet goes 50 years, we fly about them they fly about us (here therefore we laugh behind a hysterics which goes to the USA)
some clever men tell about the contract of 1972 which has been signed formally, there were many situations but never she will reach open opposition__
A oposição entre duas frota vai 50 anos, voamos sobre eles voam sobre nós (aqui, por isso, rimos atrás de uma histeria que vai aos EUA)
alguns homens inteligentes contam sobre o contrato de 1972 que se assinou formalmente, houve muitas situações mas nunca conseguirá a oposição aberta
vídeo indicativo

Trollbuster
Visitante
Trollbuster

Augusto, este Rustam é um dos que nem merecem resposta..

Deixem ele no vácuo também que rapidinho sumirá..

É um gringo que adora criticar o Brasil, mas não sai de fórum brasileiro.

Deve ser vontade de sofrer.

Ricardo
Visitante
Ricardo

São uma noticia no jornal oficial do partido comunista chines, no qual eles descrevem o episódio como uma humilhação para os EUA. Parece que tem mais países irritados com a presença militar americana pelo mundo.

Dalton
Visitante

Pode ser que tenham mais “países irritados com a presença militar americana pelo mundo”,
mas, certamente não no Mar Báltico !
.
Alemanha , Dinamarca, Estônia, Letônia, Lituânia e Polônia são membros da OTAN e a Finlândia
quer os russos o mais distante possível e quanto a Suécia, tecnicamente é neutra, mas, com um
viés para a OTAN como demonstrado nos anos da guerra fria e depois.
.

Fabiano
Visitante
Fabiano

Juarez 15 de abril de 2016 at 8:15
Mesmo assim desconfio de algo,mas deixa para lá.
Sempre é bom ver os dois lados da historia,mas acreditar em qual?
Vou pesquisar mais.
Grande abraço.