sábado, outubro 16, 2021

Saab Naval

Chile comprará as duas últimas fragatas classe M; Brasil despreza a classe Bremen

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Fragata chilena Almirante Blanco Encalada (FF-15)
Fragata chilena Almirante Blanco Encalada (FF-15)

Por Roberto Lopes
Especial para o Poder Naval

O portal americano de notícias navais Naval Today revelou, nesta quarta-feira (13.02), que a Armada Chilena deve adquirir as duas fragatas holandesas da classe Karel Doorman (também conhecidas como Classe M) que restam à Marinha Real Holandesa.

Os navios, de 122,3 m de comprimento e 3.320 toneladas de deslocamento, são equipadas com uma peça de artilharia de 76 mm na proa e canhões de tiro rápido, um CIWS Goalkeeper para defesa antiaérea de ponto, e dois sistemas de mísseis (contra ameaças aéreas e alvos de superfície).

Os chilenos já assinaram uma carta de intenção (Letter of Intent, ou, simplesmente, LoI) nesse sentido, e podem estar se antecipando a uma informação que circula nos meios navais europeus, relativa à incerteza sobre a disposição da Marinha Real de se desfazer das suas fragatas Tipo 23 – que interessam tanto aos chefes navais chilenos quanto aos seus colegas brasileiros.

A LoI foi firmada durante a recente visita ao Chile do diretor da organização de encomendas de Defesa do Ministério da Defesa da Holanda, almirante Arie Van de Waard.

De acordo com Van de Waard, o Comandante da Marinha Holandesa, vice-almirante Rob Kramer, autorizou que as duas Classe M – HNLMS Van Amstel e HNLMS Van Speijk – sigam para o Chile nos anos de 2024 e 2027, respectivamente. Depois que, em meados de 2020, sua Esquadra tiver recebido modernas fragatas concebidas para a guerra antissubmarino (que também serão entregues à Armada da Bélgica).

A Força Naval chilena já opera duas Karel Doorman – a Almirante Riveros (FF-18), ex-Tjer Kiddes, e a Blanco Encalada (FF-15), ex-Abraham van der Hulst –, obtidas há cerca de 15 anos.

Fragata Lübeck F214, classe Bremen, em Salvador-BA, em 2010 – Fotos: Alexandre Galante

RAM sobre o hangar
Lançadores de Sea RAM sobre o hangar da F214

Classe Bremen – Não obstante essa movimentação da Armada Chilena, o Poder Naval apurou que a Marinha do Brasil (MB) reage com aparente indiferença às informações que circulam no âmbito da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), sobre o início do descomissionamento, no fim deste ano, das duas fragatas alemãs classe Bremen (Tipo F122).

De acordo com uma fonte do setor de Material da MB ouvida pelo PN, o sistema de mísseis antiaéreos SEA RAM (que funciona como um CIWS), de origem americana, instalado na popa dos navios Classe Bremen representaria, efetivamente, um ganho para a MB. Mas os navios em si, de 3.680 toneladas – porte de uma fragata Classe Niterói –, estariam demasiadamente desgastados para serem considerados como uma boa “compra de oportunidade”.

A MB nunca os vistoriou.

Não se sabe se a falta de atitude da Marinha do Brasil, ano passado, em relação ao descomissionamento das embarcações Classe M decorreu de um desconhecimento sobre a aposentadoria desses navios, ou de uma diretriz da Alta Administração Naval Brasileira.

O novo Comandante da Marinha, almirante de esquadra Ilques Barbosa Júnior, já declarou que sua Força usará as fragatas de que dispõe atualmente – 6 FCN e duas FCG – pelo maior tempo possível.

Uma outra informação que corre na MB: a classe Bremen chama a atenção da Armada da República Oriental do Uruguai (interesse que tem, pelo menos, uns cinco anos, desde que os alemães divulgaram, pela primeira vez, sua disposição de retirar os navios da ativa).

Ano passado, Berlim concordou em transferir à fraca Força Naval Uruguaia duas lanchas de salvamento marítimo não militares.

Augsburg (F213)
Augsburg (F213)

IFF – A fragata Augsburg (F213), chega amanhã à sua base de Wilhelmshaven, às margens do Mar do Norte, encerrando sua última missão a serviço da Agência de Defesa da União Europeia.

Em junho próximo ela suspenderá de novo, mas para realizar somente uma rápida comissão de treinamento de pessoal; depois disso será preparada para a desmobilização, que está marcada para acontecer ainda antes do fim de 2019.

A outra F122, Lübeck, regressou de uma jornada organizada pela Otan em dezembro passado. Sua baixa é aguardada para o ano de 2021.

Também as Marinhas de Portugal e da Bélgica operam fragatas classe M. A partir de 2020 esses barcos navegarão com um novo sistema de identification Friend or Foe – identificação amigo ou inimigo (IFF) –, fornecido pela empresa francesa Thales; e a expectativa é de que esse equipamento também seja instalado nos navios holandeses agora reservados para o Chile.

Popa da fragata Augsburg com dois helicópteros Lynx no convoo

- Advertisement -

200 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
200 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Claudio Moreno

Boa tarde Senhores!

As janelas de oportunidade estão se fechando…

O argumento de que as Bremen não foram vistoriadas é inconcebível! Poxa vai lá, vistoria, veja valores, descubra se os dois RAM’s serão transferidos em eventual compra por parte da MB. Aproveite que os alemães querem dar uma resposta a oferta americana dos M1A1 e tente arrancar as fragatas por um preço que valha a pena.

Ver a banda passar, cantando coisas de amor….não dá!

CM

Willber Rodrigues

Pergunta de leigo aos entendidos do assunto:
Foi uma boa decisão do almirantado da MB?

Maus

O foco dele é nas tamandaré e em navios de patrulha oceânica.

Jorge Knoll

mas as tamandarés só chegarão 2030, quando nossas fragatas estiverem vovós(52/53 anos de serviço.)

Maus

Todas as tamandarés serão entregues até 2027.

Alex Nogueira

Assim espero, mas se tratando de construir aqui no Brasil, sou muito cético quanto a datas de entrega.

Jadson Cabral

O primeiro Scorpene também era pra ter sido entregue em 2015

Juarez

Virão junto, o Papai Noel, o Coelhinho, Gnomos e Duendes. Tchê, se nem definida ainda a concorrência e sabe-se lá com vai caminhar, como e que tu afirma uma coisa destas.

Jorge Knoll

Não acredito,no Brasil até hoje não cumpriu contratos. E como está previsto que parte seja implementado no Arsenal da Marinha, que o bicho pega.
Não esqueçam que as belonaves em que passarem por teste em alto mar, e ainda serem comissionadas.

jose luiz esposito

Tamandarés para um país com as dimensões brasileiras , coitado do Brasil ! O preço das quatro coisinhas destas , compramos duas FREMs italianas para entrega imediata , mentalidade sempre tacanha brasileira ; patrulhas oceânicos e costeiros , não entendo porque a não previsão de Dirigíveis e Vants para fazer grande parte deste patrulhamento e até Satélites , todos muito mais baratos , usando embarcações prontas para alcançarem áreas com atividades , ilícitas e ou perigosas .

jodreski

Se sobrarem Fragatas navegando! Não vamos esquecer que já há algumas fragatas que não tem mais condições de navegar, para isso precisariam passar por reparos caros dos quais que dificilmente serão feitos. Listar as Fragatas no inventário é fácil! Manter elas com condições de navegabilidade de com os sistemas funcionando é outros 500!

Paulo Costa

Willber

Eu também vejo com preocupação isso de desprezar compras de oportunidades mas a Marinha que focar em terminar o Processo de fabricação das Corvetas Tamandaré e depois ainda esse ano começar a escolhas dos estaleiros para o Pronapa.

Willber Rodrigues

Mas novamente eu faço uma pergunta de leigo:
Se fôssemos comprá-la, ou comprar as OHP, ou qualquer outro navio usado, essa grana iria prejudicar as Tamandarés ou outro programa de reaparelhamento em andamento, ou essa grana viria “a parte”, de outra fonte?

Paulo Costa

Willber o Dinheiro das Tamandares ta carimbado e vem da Emgepron e os dinheiro para o Pronapa possivelmente vira do FMM no fim do ano

E para qualquer compra de oportunidade pode sair direto orçamento da Marinha ou através de recursos extra orçamento se conseguir implorar e comover as autoridades financeiras kkk

Daniel Ricardo Alves

Com certeza! Chega de velharias que só dão despesas e de custo/benefício duvidoso. Vamos começar a construir aqui.

Paulo Costa

As compras de oportunidades sao bem vindas mas fragatas velhas ja temos as nossas, e se é para gastar com coisa velha melhor usar esse recurso e modernizar um pouco 03 ou 04 das nossas menos.

Artur Castro

Os dois vasos da Classe M, novinha em folha, seria uma ótima compra de oportunidade. Quanto à classe Bremen, sem comentários. É comprar um navio pra operar mais uns 5 anos antes de ter que descomissionar.

Entendo que a MB talvez não tenha agido diretamente na compra destes por priorizar outros investimentos. Prosub, Wave saindo jajá (ao que tudo indica) os caça minas suecos, Tamandaré… o que não falta é meios a se investir na esquadra. Acho que vão deixar as escoltas de alta tonelagem pra uma licitação própria (e demorada) no futuro. Uma novela Tamandaré 2.0 – o retorno

Celso

Artur, respeito sua opiniao, mas responda, enbasada no que essa sua conta de 5 anos ? Como voce pode auferir tais prazos ? Outra coisa, o grau e nivel de utilizacao desas belonaves aqui no Brasil, nao chegariam nem perto do que fazem as mesmas hoje na marinha alema. Portanto, se vierem equipadas na forma como se encontram hoje e levando em consideracao seus motores etc…, acredito que as mesmas ficariam a servico da MB pelo menos uns 10 anos. E pouco ou suficiente para voce :??? leve em consideracao a situacao atual dos meios equivalentes da MB e analise… Read more »

Jonas123

As M também não são novas, têm cerca de 20anos. Foram modernizadas recentemente.

William Munny

E o Brazil ficando para trás mais uma vez…

William Munny

Rir da Argentina é mole, quero ver rir do Chile…

William Munny

Daqui a 10 anos as Tamandaré chegam… Quem discordar é cego!

Carlos Gallani

Todas as unidades?
Duvido!!! Hahahahahaha

Adriano Madureira

10 anos😂⁉️
Se for a Damen-Saab a levar a construção, duvido que seja isso tudo, basta ver o tempo para a construção da classe Pola mexicana…

Almeida

Problema não é a Damen nem a Saab, são os recursos serem liberados conforme o contrato pelo nosso Governo…

O PROSUB está atrasado não por incompetência do estaleiro, mas por contingenciamento de verbas.

Carlos Campos

Acredito que devíamos ir ver esses navios, pelo visto a Rainha vai segurar suas TYPE23 até que os novos subs tenham seus custos de desenvolvimento amortizados, vimos recentemente que até as TYPE26 estavam em risco por causa dos novos subs da rainha.

Leandro Costa

Aparentemente o risco sobre as Type 26 evaporou. O Canadá divulgou recentemente que a ganhadora do próximo navio de combate Canadense será justamente a Type 26.

Almeida

Acho que ele estava se referindo ao risco de a RN diminuir ou postergar a encomenda das Type 26. O projeto em si agora tem 3 clientes e dezenas de unidades encomendadas, está seguro.

Burgos

To achando que o Brasil vai pegar as OHP como “tampão” mesmo !!!🤷‍♂️

Caio

Vai ser a unica opção do mercado.

Carlos Gallani

Eu acho que nem isso!

Foragido da KGB

Vai pegar é nada. Vão meter toneladas de rejunte nas Niterói e Type22 e usar até se desintegrar…vai vendo…

Daniel Ricardo Alves

Vai nada! Esses navios só servem de alvo.

Paulo Costa

Acho que nao vai comprar nada nao…

Acho que os planos da Marinha para a força são os seguintes:

Vitaminar 03 fragatas Niterói para usar mais uns 10 anos
Terminar o SBR Humaita
Construir a 1ª corveta tamandaré
Construir 02 novas NPO
Terminar o SBR tonelero
Construir a 2ª corveta tamandaré
Construir as novas NPa500
Terminar o SBR Angostura
Construir a 3ª corveta tamandaré
Modernizar o submarino Tikuna
Construir a 4ª corveta tamandaré
Começar a construir o submarino nuclear SNBR
Modernizar a Corveta Barroso (no padrão da tamandaré)
E Futuramente construir fragatas encorpando e esticando a Tamandaré.

Daniel Ricardo Alves

É isso aí! Acredito que a MB vai escolher como modelo de Tamandaré um navio que possa ser “esticado” e virar uma fragata.

Foragido da KGB

Exatamente , será a Sigma ou Meko . Espero .

Dario Renato

Concordo em parte.
Acredito que haverá licitação para as fragatas, além disso é previsível atraso em alguns destes programas assim as fragatas podem ter licitação iniciada antes de completado este ciclo.

Almeida

Estava concordando com você até a parte do SNBR… esse não sai nunca.

Edson Wagner Campos dos Santos

m se tratando de Brasil, creio que tudo isso ocorra num período de 150 anos!!

Eduardo

Acho que a única compra de oportunidade do Brasil será a Wave mesmo.

De resto aguardemos as 4 Tamandarés e os 4 subs convencionais.

Glasquis 7

E assim, de grão em grão, com os pés no chão e sem estardalhaço, a ARCh vai mantendo as suas capacidades sem devaneios e a um custo razoável para a região.
Não é mera coincidência. Compram hoje pra receber daqui a quatro anos. Isso permite manter um bom tempo para planejamento estratégico e escolha das modernizações que precisarão estes navios.
Em fim, chilenos fazendo chilenicies… Das boas.

Vovozao

14/02/19 – quinta-feira, btarde, novamente volto a falar, só irão sobrar as OHP, todas as oportunidades as escoltas não servem, fora do padrão de até 25 anos, enquanto isso continuamos com as nossas velhinhas com mais de 40 anos todas atracadas, já que somente 2/3 ainda estão operacionais, as restantes somente no inventário, quando fazem lista anual constam, só constam.

Junior

Pede as duas modernizadas como offset caso a meko 100 seja a escolhida como vencedora na concorrência das Tamandaré

Sincero

O Brasil quer corvetas novas, quer cheirinho se tinta fresca, só que aí tem que ter bala na agulha. E isso o Brasil tá difícil.

Caio

27 bilhões de dólares de orçamento e sem fragatas para guardar seu litoral???.como se consegue isso?.

Firefox

Boa pergunta Caio!! a resposta é menos preocupação em colocar a armada em seu lugar de direito e mais em direitos para filhas, netas e afins…

TeoB

E a maior marinha de terra do mundo…

Celso

o mesmo dizem sobre a FAB….a maior forca aerea civil do mundo rrsrsrsrsrsr

MARCELO BERZLAPIN

quem sabe, não fala, quem nada sabe, vive falando.Não falo, mas , acho que até fim deste ano, teremos uma grata surpresa.

5vsa

Supresa italiana!

Willber Rodrigues

Queira Deus…

Roberto luiz

Marinha do Brasil de brinquedo

Brasileiro nato

R.I.P – Marinha do Brasil

Bardini

As Fragatas Holandesas até eram navios interessantes, pois estavam atualizadas… . As Bremen, que passem bem, bem, bem longe da MB e boa sorte pra quem comprar e que façam bom uso. Mas como nem as duas primeiras descomissionadas encontraram compradores, duvido muito que essas três últimas encontrem. . Qualquer compra de oportunidade por parte da MB, seja Bremen, Type-23, OHP, La Fayette, significa desperdiçar um grande (grande mesmo) montante de dinheiro, que poderia ter bancado a construção de Navios Patrulha, NOVOS, que durariam por baixo 30 anos em operação, sendo EXTREMAMENTE úteis dentro do contexto do nosso TO. .… Read more »

Doug385

Concordo. Qualquer atualização de um navio como esses em fim de vida consome cerca de 100, 200 milhões de dólares. Um valor caro demais para algo que vai durar cerca de 10 ou 15 anos. Melhor guardar e investir em navio novo.

Gustavo

“Qualquer compra de oportunidade por parte da MB, seja Bremen, Type-23, OHP, La Fayette, significa desperdiçar um grande (grande mesmo) montante de dinheiro”
Tb acho.
Incrementar o pedido inicial das tamandarés é mais útil que compras de oportunidade agora, comprar mais alguns navios da classe Amazonas tb. Já que escolhemos este caminho, que façamos da maneira correta.
Depois corremos atrás do prejuízo e, se possível, construirmos fragatas tendo como ponto de partida o projeto das tamandarés.

Gonçalo Jr.

Concordo contigo. E digo mais. As pessoas estão vendo apenas números de navios e não se o dinheiro a ser investido vale o tempo em que eles ficarão ativos na esquadra e com sistemas e munições válidos. Opino que o AE Ilques deverá forçar a vida útil dos navios que estão perto de dar baixa para fazer ver ao governo federal que a MB precisa que o programa das 4 CCT ande dentro do prazo, que consigamos adquirir por compra de oportunidade (muito importante e urgente), para a Força de Minagem e Varredura (ForMinVar) os navios da classe Koster. Quanto… Read more »

Mauro

Não vale a pena. Navio com mais de 30 anos de lançamento, ainda para receber em 2024 e 2027. Já está no osso, e vai chegar mais no osso ainda.
Coisa de 15 anos, com duas revitalizações ao longo da vida útil, sendo uma delas para colocar o que de mais moderno exista como no caso do HMS Ocean tudo bem, mas neste caso dessa compra do Chile é ilusão, é só para fazer número.
Melhor fazer como Brasil, buscando navio novo ou pelo menos, não tão jurássico.

Bardini

Eu acredito que com coisa na faixa dos U$ 100 milhões, talvez um pouquinho mais, a MB consegue um bom Navio de Patrulha…
.
Coloca um radar Terma Scanter 4100 2D mesmo, um radar diretor de tiro para um canhão 76mm, um par de metralhadoras 20mm, talvez até um SIMBAD RC sobre o hangar. Tá excelente. Dá até pra ir um pouco além e colocar um par de MAN SUP no bicho. Já daria até pra chamar de Corveta…
.comment image?ssl=1

Alex Nogueira

Bardini, esse ai seria o bom, bonito e barato, uma dúzia desses, na configuração que você postou, dava um sopro de vida imenso na marinha de superfície da MB.

JonasN

Bardini, a algum tempo que falo algo parecido aqui nos comentários. Um NPaOc/corveta poderia ter tambem uma rampa na popa para lanchas e até sonar recobado o que não aumenta o preço do navio em si, ja que só é instalado de acordo com a missão. Acho que o radar poderia ser o gaivota. Assim teríamos uma corveta barata e com muitos sistemas nacionais para dar volume a esquadra.

Bardini

Ficaria muito melhor com uma baia multimissão e se o convoo puder receber um helicóptero de 10t…
.
Ex:
https://www.navyrecognition.com/images/stories/news/2015/april/Damen_2nd_generation_Offshore_Patrol_Vessel_OPV_7.jpg

Juarez

Tudo isto que tu colocou passa voando dos 100 milhões de dólares.

Bardini

É…
Tipo os OPV da Fassmer, que custaram na casa dos 80 milhões…

Juarez

E, exatamente o tempo verbal que tu usou:
“Custaram”, e ainda são menores, não tem hangar e não tem boa parte dos sistemas que tu listou.
Nardini, dois mais dois continua sendo igual a quatro.

Glasquis7

Só um esclarecimento, os OPV 80 tem hangar sim

Glasquis7

Custavam U$ 80 Mi, custavam, em 2014/15. Hoje uma OPV Faasmer 80 não ssai por menos de 120 U$ mi

João

existe a possibilidade de instalar o radar SABER M200 nesse tipo de navio?

Alfredo Araujo

O radar SABER M200, os lançadores de astros 2020 lançando misseis MAN-SUP e A-Darter… Tudo isso vai em uma fuselagem de um Embraer 190, especialmente projetado para patrulha maritma

Marujo

A Tamandaré e só um pouquinho além disso.Entao, esse patrulheiro e quase a mesma coisa.

Bardini

Só um pouquinho???
.
Cara…

marcelo kiyo

As fragatas holandesas são do mesmo padrão das fragatas Norueguesas Classe Fridtjof Nansen; bateu com um pouco mais de força no píer afunda.

Marujo

Bardini, dois problemas na sua análise: navios patrulha oceânicos não são unidades de esquadra, mas meios distritais, logo de policiamento oceânico; as La Fayette valem o investimento, pois são relativamente novos e com bom upgrade podem prestar bom serviços a MB. O resto, concordo com você, não vale a pena.

Bardini

Sim claro… NPaOc em distrito, isso no mundo ideal, como deveria ser.
.
Enquanto isso, o NPaOc Araguari está indo em direção a costa oeste africana, em uma comissão para treinar com outras Marinhas.

Wagner Figueiredo

Será que o Brasil e a Inglaterra já não fecharam um acordo por baixo dos panos das type 23?? E o Chile sendo avisado pela MB, foi nas holandesas????

Daniel Ricardo Alves

Espero que não. O melhor que a MB poderia fazer seria, deixar o Chile comprar as Type 23 também e parar de comprar navio velho.

Flávio Henrique

As Type F-122 tem entre 32 e 37 anos de uso…. Não sei o que é pior OHP ou F-122…. As Type 23 ainda tem a desculpa de uns terem +/- 20 anos de uso… Se for para comprar fragatas alemães usadas e melhor pegar as Type F-123/124 que são dos anos 1990/2000….

Ps.: As Tamandaré serão nossos combatentes EG uma classe complementar só se for dedicado a AAW…

5vsa

Vem Fremm!

Foragido da KGB

Mas não vem nem mesmo se os Parmera for campeão mundial !

Carlos Gallani

Eu concordo e olha que sou palmeirense, FREMM não vem nem se o Brasil ganhar não mega sena da virada! Hahahahahahaah

Foragido da KGB

Pra que Fragatas ? Se nossa Guarda Costeira terá só Deus sabe, quais, quantas e quando , Corvetinhas e Patrulhinhas dando rolê pelas praias de nosso Brazil varonil. Fragata é pra mauricinho prayboy ostentação que tirava onda de Kadett GSI conversível nos anos 90. Nós é pobre , mas é limpinho ! Isso foi o modo sarcasmo/hipócrita in full mega power!

Grozelha Vitaminada Milani

Pra fazer missão humanitária, moral e grana com a ONU …

kkkkk … é a pura realidade e não adianta pedir pra me calar e ou pensar.

Essa é a real Professores de Deus.

Se as Niterois High Landres são tão boas e nós temos os projetos, porque não produzir mais 6 meia dúzias atualizadas?

Claudio Luiz

A MB não adquiriu os projetos das Vospers MK10.

Carlos

O Almirante Ilques, disse que não haverá compras de oportunidades , um retrocesso que vai custar muito caro mas a frente , acho as ideias dele uma tremenda falta de Visão , no final de seu comando , verão como ficamos estagnados , “Saudades do Bacelar”

Foragido da KGB

Reze, ore,acenda uma vela, faça macumba. Talvez assim pelo menos pro Wave Ruler ele tire o escorpião do bolso…hahaha

Daniel Ricardo Alves

Não vai rolar. A MB não considera um navio tanque prioridade nesse momento.

Adriano Madureira

Não deixa de ser estupidez deixar um navio desses passar em branco…

O almirante negou a intenção de compras de oportunidades, mas pode até ser um blefe dele, afinal negaram o interesse no Sirocco e compraram, com o HMS Ocean foi a mesma coisa, acho que com o Wave Ruler não seria diferente.

Daniel Ricardo Alves

Tá. E porque o Brasil precisa desses navios? A nossa Constituição proíbe a intervenção em outros países e as missões de paz da marinha são feitas como parte de uma força tarefa. Me explica porque a MB precisa comprar esse navio? Só porque querem vender?

teropode

A única coisa que é prioridade para os oficiais da Marinha é a manutenção dos privilégios e das gordas pensões , proporcionalmente o Brasil possui mais oficiais do que a Marinha americana é nem me atrevo a comentar sobre o sistema de aposentadoria deles comparado a da Marinha brasileira , as FÃs do Brasil deveriam pedir auxílio administrativo aos Chilenos . Tem que mandar este lambari procurar um psicólogo e tratar até ele perder o complexo de Merlin .

teropode

TODAS estás indas e vindas refletem a falta de um amplo planejamento , se não fosse o lobby forte sobre o deus , não estaríamos neste momento com os Scorpenes isso é fato , não é normal levar 20 anos para adquirir 4 barquinhos .

Daniel Ricardo Alves

A marinha do Chile só usa navios velhos. Aos “trancos e barrancos” estamos bem melhores do que eles

Daniel Ricardo Alves

Eu acho que não. Não adianta ficar comprando navio velho e empurrar o problema para daqui a 5 ou 10 anos. Será muito melhor o Brasil guardar esse dinheiro e comprar os navios que precisa construídos aqui para durarem 30 ou 40 anos.

Carlos Gallani

A galera que sonhou com FREMM vai acabar ficando sem as OHP! Ao Brasil não interessa nada além da Tamandaré e do prosub, depois do Atlântico eu não espero nenhum outro milagre!

Marcos

“nada além da Tamandaré e do prosub”

Como se isso fosse pouco, aliás, o preço das Tamandarés compra essas sucatas todas que vão ser descomissionadas daqui 1 década. Então menos, muito menos meu querido.

Mauro

São navios usados para receber em 2027. É isso mesmo? negoção. Olha, e a gente insistindo em comprar 4 navios novinhos em folha.

Glasquis7

O Chile opera estes navios há anos. Na atualidade tem a mais equilibrada força tanto de superfície como silênciosa. Não acredito que os oficiais chilenos sejam tão bobos como para não prever o estado das fragatas negociadas.

Kemen

Estas fragatas Bremen tem armamento frágil para os dias atuais, canhão de apenas 76 mm, RIM-7, CIWS e eletrônicos superados, qual a vantagem sobre as Niteroi? Você aposenta fragatas superadas e compra fragatas superadas, não tem lógica, antes disso melhor seriam as Type 23 modernizadas. Navios de apoio, porta helicópteros, até OPV´s, não exigem grande armamento, mas em se tratando de corvetas, fragatas, cruzadores, estes são para escolta/combate e tem de ter bom armamento e sistemas eletrônicos atuais, seria melhor se a Marinha pensar em fragatas novas ou pelo menos, usadas mas modernizadas.

elton

a questao das niteroi e que elas chegaram no limite estrutural e nao nos sistemas e armas

Marcos

Bateu as contas, o Chile vai descomissionar 3 navios nesse período. Duas Classe L e 1 Type 22

Quem pode comprar novo compra, quem não pode espera sentado.

Não troco 4 Navios novos por 2 navios velhos, fim de papo. Em 2024 e 2027 vamos estar com 4 navios novos e operacionais. Além dos submarinos e quem sabe… quem sabe o PROSUPER seja desengavetado.

Mauro

Não tem comparação.
E esses navios não são usados, são navios velhos mesmo, já no fim da vida útil, ainda para receber daqui a 8 anos, um deles será recebido daqui a oito anos e tem gente comemorando… rapaz..
Melhor esperar pelas Tamandas, sem dúvida, e quem sabe, nesse meio tempo, pinta aquelas belezuras da Itália… ponho fé…

Glasquis7

As Tamandaré são corvetas. As Class são fragatas. Há uma boa diferença nisso

Marcos

Glasquis7 os Argentinos possuem “destroyers” armados com exocet mm38

Você pode chamar até de Cruzador Espacial, o que importa é o recheio.

A Tamandaré vai nascer com anos de superioridade tecnologia em relação a essas “fragatas” classe M

Glasquis7

Então, tá aí a sua chance. Faça o comparativo e me mostra.

Marcos

Ué, não se esquive de seus próprios argumentos. Foi você que disse que existe “uma boa diferença” entre fragata e corveta

Diga-me, qual a diferença?

Glasquis7

Marcos, uma corveta é bem menor em tamanho e capacidade de deslocamento por tanto seu rango de ação é mais limitado assim como a sua capacidade de carregar armas e sistemas. Normalmente, nos corredores da ARCh, se define a corveta como um navio defensivo com capacidades pontuais de combate ótimo para proteção de zonas costeiras com capacidades limitadas de escolta em mar aberto. Já as Fragatas são escoltas naturais devido ao seu poder de fogo e a sua capacidade de adentrar em mar por períodos mais longos e graças a seu tamanho podem permanecer períodos mais longos longe da costa.… Read more »

Glasquis7

Mauro, muitos dos meus comentários não aparecem. Deve ser algum problema com meu ordenador. Mas vamos lá A diferença entre uma Fragata e uma Corveta, embora não exista uma regra sobre o assunto, radica em que as funções de cada combatente são adequadas às suas capacidades e neste caso podemos ressaltar que as corvetas, por serem menores e de menor tonelagem, são vasos destinados principalmente a defesa costeira. Isto devido à sua limitada capacidade de se manter em mar aberto diante de uma fragata. Já as fragatas, pelo seu tamanho, encontram seu “habitat natural” cumprindo aa missões de escolta, já… Read more »

Glasquis7

“A Tamandaré vai nascer com anos de superioridade tecnologia em relação a essas “fragatas” classe M”

Ainda estou esperando o seu comparativo

BJ Ju

Que eu saiba elas estão atualizadas em termos de sensores e armas .

Glasquis7

Então marcos, eu queria saber qual é a influência dessa “superioridade tecnológica” que você mencionou e da que até agora foge pela tangente.

Felipe Nogueira

Concordo que 4 navios novos são melhor que 2 velhos, porém em 2027 teremos muito mal 1 corveta Tamandaré em fase de comissionamento e 8 fragatas super velhas que nem ao menos saem do Porto. Você por um acaso sabe quantos anos a corveta Barroso demorou pra terminar a construção??? Somente 10 anos!!! Já vi esse filme meu caro e espero sinceramente que eu esteja errado.

Marcos

A Barroso é um navio totalmente diferente, contextos diferentes. São 4 estaleiros e 4 consórcios disputando a construção de 4 modelos de navios. Já chegou a hora de trocar o filme, digo, trocar a fita.

Glasquis7

è verdade mas se olhar com atenção, mas com muita atenção, o Brasil não tem nenhum dos dois. Nem os 4 novos nem os 2 velhos.

Glasquis7

Sem dúvida, 4 navios novos sempre serão melhor do que 2 velhos mas se prestar atenção, vai perceber que na atualidade o Brasil não tem nem um nem outro. Não tem vasos usados para comprar nem iniciada a construção das Tamandaré e isto pode se arrastar por anos, vide o caso do FX que iniciou em 90, depois virou FX II e hoje, 19 anos depois do início, ainda não tem nenhum caça do FX na FAB.

Daniel Ricardo Alves

Muito bom! A marinha faz bem em desprezar esses navios velhos e desgastados. Foco em um novo lote de Tamandaré e no PROSUB.

marcelo kiyo

Decisão acertada.Melhor focar nas Corvetas primeiro, depois estuda-se novas fragatas em torno de 3000 à 4000 toneladas (MEKO 200 ou mais novas) com obuses de 114 mm na proa e VLS mk-41. Focar em fragatas de 6000 toneladas é desperdício de dinheiro ; ficarão como as Niteróis, 40 anos de serviço e nenhuma ação de combate real.

Jorge Knoll

pelo jeito estamos a caminho de se tornar outra Argentina, ou fazendo força, O chile já está na nossa frente, ou não perde para nós, o Peru se modernizando. E nós estacionados. Muito bom.
Sabe o que me lembra o comportamento do Almirantado da MB, aquele cavalo que usa tapa olho para não olhar pros lado e se assustar no trânsito.
uma pena, perde o Brasil e perde todos nós

Marcos

Frente em que meu querido? Se for em comprar navios usados eles estão sim, bem na frente. Quem está construindo submarinos somos nós ou eles? Quem vai construir 4 navios militares novos somos nós ou eles?

Com o Preço que vamos pagar nas Tamandarés compramos todas as sucatas que vão dar baixa daqui 8 anos. Então menos, muito menos meu querido.

Glasquis7

Chamar uma Type 23 atualizada e modernizada de “sucata” mostra o quanto você é “expert” no assunto. Que está construindo Scorpene é o Brasil e já está atrasado em pelo menos 4 anos e até sair o primeiro passarão de 5 anos de atraso pra começar a operar em 2020 um Submarinho do qual o Chile opera desde 2006. A Armada não são apenas os Subs e as Fragatas. O tipo de armamento e o estoque deles também contam, assim como os sistemas aéreos preparados para ASW/ASUW em fim. Se começar pelos sensores que são usados nas Fragatas da ARCh… Read more »

Marcos

Com ou sem atrasos, construímos. Existe uma grande diferença entre construir e comprar pronto. “Aparentemente” somos sim o único povo competente da região, pois fomos nós, e não vocês, a construir o primeiro submarino, míssil naval, míssil de cruzeiro, avião de transporte tático, caças, helicópteros, ATGM, míssil antirradiação, corveta, sistema de saturação, etc, etc, etc.

E repito, com o montante que vamos pagar nas Tamandarés compramos todas essas sucatas que vão dar baixa na próxima década.

Glasquis7

Na verdade, o Brasil não tem capacidade de construir um submarino. Tal vez, algum dia teve a capacidade, tal vez mas hoje não tem. Se tive-se, Não precisaria da “ayuda” francesa. Sobre o tal MANSUP, ainda nem está operativo então, ainda não tem capacidade de construir um míssil naval. Sobre construir caças, o Chile e a Argentina também tem capacidade de construir caças, até já o fizeram, no caso da Argentina o Pampa e o Pucará e no caso do Chile o A 36. Misseis, o Chile também faz e entre eles faz um naval chamado de NUTRIA. Faz também… Read more »

Glasquis7

Quem constrói Subs no Brasil é a França, quem constrói caças no Brasil é a SAAB, quem constrói o Guaraani no Brasil é a IVECO, quem constrói misseis no Brasil é a AVIBRAS, em fim, se o Brasil construísse, não precisaria contratar estas empresas, na maioria delas, estrangeiras.

Na atualidade, o Chile, o Peru e a Colômbia conseguem construir navios que o Brasil não consegue.

Com o montante que o Brasil vai pagar pelas Tamandaré, o Chile colocava uma base militar na lua.

O Problema não é de dinheiro nem deccapacidades, é de gestão.

Marcos

Glasquis, o Brasil construiu seus Type 209, construiu o scorpéne, construiu seu míssil naval já testado, o projeto guarani foi projetado pela Iveco e pelo Exército. Fala da Embraer e Avibras como se fossem empresas estrangeiras. “O Chile consegue construir fragatas e corvetas. O Brasil não.” Que fragatas ou corvetas o chile já construiu? O Brasil possui essa capacidade e muito mais, pois 4 estaleiros em 4 regiões diferentes do país estão concorrendo no projeto Tamandaré. “Sobre o tal MANSUP, ainda nem está operativo então, ainda não tem capacidade de construir um míssil naval. ” Aquele lançamento feito em dezembro… Read more »

Glasquis7

O Brasil construiu seus Type 209 sim mas essa capacidade foi diluída no tempo, tanto assim que precisou da DCNS para o PROSUB e não construiu nenhum scorpene. Tal vez, quando terminar o PROSUB consiga isso mas, na atualidade, se os franceses abandonarem o programa, o Brasil não conclui sozinho nenhum desses Submarinos. assim como nos Gripen também. Se o Guarani é feito pelo Brasil então por que está pagando a IVECO, uma Multinacional estrangeira? Missil ainda não está operativo e pertence a uma empresa do setor privado. O Mesmo caso da EMBRAER que agora está sendo absorvida pela BOEING.… Read more »

Glasquis7

Um detalhe marcos, esse comentário que você postou como sendo meu: “O Chile consegue construir Fragatas e Corvetas. O Brasil não” Não tenho ideia de onde vc tirou pois eu não postei isso não. Agora que o senhor queira por “palavras na minha boca” que não pronunciei, acho um pouco baixo.

Glasquis7

Não, não constroem, Contratam a SAAB, a AVIBRAS, A EMBRAER, A NAVANTIA, a IVECO, etc. Pra construir corvetas, submarinos, caças, blindados, etc, Lembrando que a maioria dessas empresas são estrangeiras ou estão migrando. O setor privado não é do país, é da iniciativa privada, na sua maioria de capital aberto com ações negociadas em bolsa. Ou seja, assim como a EMBRAER, podem ser compradas a qualquer momento e simplesmente vazarem. Sobre ser os únicos que constroem, não, as estatais SMAR e COTECMAR constroem hoje NaPOc. que o Brasil não consegue construir. aliás, o Brasil precisa de uma Short List e… Read more »

Daniel Ricardo Alves

Bobagem! Em breve, estaremos com navios e submarinos novos em folha. E o melhor: tudo feito aqui. Enquanto isso, a armada chilena vai ficar ostentando uma coleção de velharias, cada uma vinda de um lugar diferente e torrando todo o orçamento deles em manutenção.

Glasquis7

Curiosamente, essas “velharias” fazem da ARCh a mais moderna da região. Quanta coerência.

logan99

Para algo eles foram autorizados a dirigir o componente marítimo no RIMPAC

Daniel Ricardo Alves

É mesmo? E quem te falou isso? Já notou os navios que eles possuem? Os equipamentos que eles usam? Precisa rever os seus conceitos sobre “marinha mais moderna da região”, meu amigo.

Miguel Carvalho

Estas duas vêm com o radar de fase sea watcher 100? ou só trazem o thales smart s?

Alguém sabe dizer?

Foragido da KGB

Sei sim, elas não vêm . Vai fica lã onde estão !

Glasquis7

Como sabe disso?

Jadson Cabral

“O sistema de mísseis antiaéreos SEA RAM, de origem americana, instalado na popa dos navios Classe Bremen representaria, efetivamente, um ganho para a MB. Mas os navios em si, de 3.680 toneladas – porte de uma fragata Classe Niterói –, estariam demasiadamente desgastados para serem considerados como uma boa “compra de oportunidade”.
Melhor irmos nos acostumando a ficarmos sem marinha. Porque é isso que vai acontecer…

Alex Nogueira

A melhor compra de oportunidade que está se desenhando são as 2 FREMM Italianas, nessas podem investir de olhos fechados.

Mauro

Isso é sucata amigo, sem querer ofender. Nem de longe vale a pena.. estão no osso.
Sabe o que eu pensei?? que a gente pode trazer essas FREMM…. em troca de alguns KC-390 voando sobre os Apeninos… dá pra fazer esse bem bolado aí tranquilo…
Outra coisa, eles levando alguns KC-390, pode neutralizar alguma resistência interna sobre o preço e a oportunidade do gasto.

Cinturão de Orion

Em se falando de navios “0km”, concordo com o Alex. Só não entendi, Caro Mauro, como as FREMM italianas que ainda estão sendo construídas “… estão no osso.”

ALEX TIAGO

Orion. Esses navios São os que estão em construção ou dois que estão operacionais? Ou alguns que estão operacionais a anos acho que desde 2012???

Glasquis7

Simples caro Cinturão, Quem fala o que não sabe, aparece com essas perolas.

Mauro

Me refiro a essas duas fragatas Classe M. Estão no osso.
Navios com 30 anos de comissionamento, quando forem recebidos, se forem mesmo comprados, terão entre 35 e 40 anos de serviço.
Péssimo negócio. É o tipo de compra que não vale a pena, pela idade dos cascos, é só pra dizer que tem mesmo.

Daniel Ricardo Alves

Não vai rolar. Fragatas não são prioridade para a MB nesse momento.

Almeida

Fragatas podem não ser a prioridade do almirantado nesse momento, mas te garanto que são prioridade para a Marinha do Brasil sim. Em breve, muito breve, não teremos mais escoltas nem força de superfície. Se quiser continuar sendo marinha de guerra e não guarda costeira, é melhor correr atrás agora, temos que repor uma dúzia de escoltas até 2025.

Daniel Ricardo Alves

Cara, por que a MB precisa de escoltas, afinal de contas? Você já parou para pensar nisso?

Jagderband#44

Chama a atenção dois SeaRam em um navio do porte.

Mercenário

Acredito que seja o RAM Mk-144 e não o SeaRAM, já que o último tem sensores independentes, assim como o Phalanx.

gilson

certo mesmo seria o Brasil, começar construindo um projeto para o futuro próximo, com as fragatas type 26.

_RR_

Prezados, Nessa altura do campeonato, uma compra de oportunidade se torna a única saída viável se a intenção for preservar um número mínimo de escoltas. E assim o é pelo simples fato de que não haverá dinheiro ou tempo hábil para vasos de maior tonelagem, assumindo que a ‘Tamandaré’ chegou a um estágio irreversível e não será possível construir novas escoltas até que estas estejam entregues. — No caso específico das Type 23, estamos falando de vasos que estão recebendo ( ou já receberam ) a extensão de vida útil de seus cascos pelo programa LIFEX. Em outras palavras, estamos… Read more »

Bardini

Pra quem quiser saber mais sobre NPa 500 BR, deixo essa apresentação:
https://docplayer.com.br/71631837-Construcao-de-navios-patrulha-para-a-marinha-do-brasil-possibilidades-perspectivas-e-limitacoes.html
.
É por isso que o programa das CCTs deveria conter a modernização do AMRJ.

Daniel Ricardo Alves

Excelente matéria, Bardini. Mas não encontrei a quantidade. Quantos desses navios patrulha a MB pretende comprar?

Nilson

O projeto prevê obter 40 milhões (agora não me lembro se de reais ou dólares) para poder construir o primeiro navio.

BrunoFN

Boa aquisição pra marinha chilena .. pra quem especulava navio novo por la , esta ai a resposta ….Chile segue a linha pragmática q da muito certo por la ..como planejado , a marinha chilena pretende dar baixa em 3 meios por la e ao mesmo tempo comprar 4 navios ”usados”’ …e ao q tudo indica serão essas 2 classe ”M” + 2 Type 23 , adquiridas provavelmente em meados de 2026/30…perfeito pra eles ,e bate com o orçamento disponível ..alem de mudar em nada a logística e manutenção desses meios , afinal …ambas as classes ( 23 e M)… Read more »

JonasN

Acho que não é interessante essas comprar de oportunidades para o Brasil. Muito melhor investir esse dinheiro em navios novos mesmo que simples, como o NaPaOc com quase 2000 ton mas com alto índice de nacionalização. Radar 2d nacional, mansup…

Dalton

Todos os 8 atuais principais combatentes da marinha chilena foram adquiridos com menos de 20 anos de uso, alguns com menos de 15 anos, mas, hoje a situação é diferente, no mercado de usados só navios com mais de 30 anos.

Paulotd

Se for pra comprar velharia melhor pegar meia duzia de OHP que podem vir de imediato e quase de graça, 3 pra navegar e o resto pra canibalizar. Navio velho a MB tem que avaliar bem, 2 fragatas velhas e sem uma terceira pra canibalizar? Furada, a eletrônica, turbina e motores nem devem ser mais fabricados., isso ai vai ficar ancorado em definitivo no AMRJ sem podermos fazer nada.. Em relação a Tamandaré a Damen/Saab é rápida.. Em 2 anos já estão entregando a primeira sigma 10514 pros Mexicanos. Se a MB fechar negócio esse ano, em 2022 a primeira… Read more »

Adriano Madureira

Acho impressionante Paulo, o ritmo de construção da classe Pola mexicana(Sigma 10514),os módulos foram construídos em agosto de 2017,e em setembro de 2018, o navio já estava com 78% do navio concluído,isso 15 meses após a assinatura do contrato.
Isso para uma marinha que necessita rapidamente de novos meios navais é o ideal.
É a diferença de tamanho entre o projeto mexicano e brasileiro não é tão grande assim, a Pola tem 107,14 m de comprimento e o projeto da MB tem 107,5 m de comprimento.

Amauri Soares

Sou mais a favor que aumente os investimentos militares , e que a marinha ao invés de construir 4 barcos construa pelo menos 8 ou mais de uma só vez , estaleiros nois temos pra isso!

Paulotd

Em relação as fragatas Chilenas, uma Sigma 10514 com RBS 15 MK 4, Radar Sea Giraffe 3D, Bofors 57mm na proa e 40mm na Popa, VLS com Sea Ceptors é mais capaz que qualquer coisa usada que eles tem por lá.

Glasquis7

Como assim? A qual Fragata Chilena vc se refere? As M class com Exocet BLK III de última geração ou às type 23 Com Sea Ceptor?

Marcos

O Chile não possui Exocet Block III, não existe em nenhum artigo na França ou em organizações internacionais que o Chile tenha comprado o Exocet Block III (SIPRI por exemplo).

Foi apenas um rumor criado pelo InfoDefensa que viu uma classe M com um lançador quadruplo vazio e dois lançadores Harpoon

Qual type 23 está com Sea Ceptor? Faz 2 anos que ela está parada em processo de modernização.

Marcos

Mesmo rumor se criou com os AAV-7 que o Chile tinha comprado e que estavam em processo de modernização nos Estados Unidos, com entrega prevista para 2014

https://www.infodefensa.com/latam/2013/05/10/noticia-chile-recibira-vehiculos-de-asalto-anfibio-aav7-en-2014.html

Quantos AAV-7 o Chile possui? Nenhum

Incrível que a notícia que o Chile comprou os exocet block iii surgiu alguns meses após o Peru desfilar com o Exocet Block III.

07/06/2016

https://www.infodefensa.com/latam/2016/06/07/noticia-marina-integra-misiles-exocet-block-fragatas.html

22/11/2016

https://www.infodefensa.com/latam/2016/11/22/noticia-chile-incorpora-nueva-version-misil-antibuque-exocet-block.html

Junior

Eu ia falar que a armada chilena tinha 12 AAV-7 , mas fui pesquisar no site da armada e redes sociais, como o instagram, e não tem nenhuma foto sequer desses veículos, o que achei foram fotos dos fuzileiros chilenos desembarcando na praia por meio de botes/lanchas rápidas provenientes do Sargento Aldea

Junior

O lógico seria desembarcar com os AAV-7

https://www.instagram.com/p/Bd1ACj4DQzF/

Marcos