domingo, abril 11, 2021

Saab Naval

Porto de Santos autorizado a receber navios de 366 metros de comprimento

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Marinha do Brasil deu aprovação ao Porto de Santos para receber navios de 366 metros de comprimento, os maiores navios fazendo escala na Costa Leste da América do Sul.

Atualmente, o porto recebe navios de até 340 metros de comprimento, com capacidade para cerca de 9.000 TEU (contêiner padrão Twenty-foot Equivalent Unit ou Unidade Equivalente a 20 pés), enquanto o novo tamanho máximo de desembarque de navios permitirá ao maior porto do Brasil movimentar navios de 14.000 TEU.

A Autoridade Portuária de Santos (SPA) trabalhou com a Pilotagem de São Paulo e a Universidade de São Paulo (USP) para estudar os planos de manobrabilidade, interação hidrodinâmica e atracação, comprovando a viabilidade do tráfego dessas embarcações no canal de navegação.

Os pesquisadores utilizaram simulações matemáticas em que o cenário atual do canal, com profundidade de 15 metros, e um cenário futuro, com profundidade de 17 metros, eram viáveis ​​para navios de até 15.000 TEU.

O maior movimento de contêineres no complexo portuário santista está no horizonte com a previsão de ampliações dos terminais existentes e o planejamento da destinação de outras duas áreas, em Saboó, na margem direita, uma para o terminal portuário e outra para o back port.

A autoridade portuária espera ainda que a carga fique concentrada em Santos por conta do BR do Mar, projeto do Ministério da Infraestrutura para incentivar a cabotagem.

Excluindo o BR do Mar, o crescimento esperado é de 3,3% ao ano para carga conteinerizada, gerando um aumento de 4,4 milhões de TEU atualmente para 7,9 milhões de TEU em 2040, conforme projetado no plano de desenvolvimento e zoneamento do porto (PDZ).

Em janeiro, o porto movimentou 374,1 mil TEU, o que representa um aumento de 11% em relação ao mesmo mês do ano passado.

FONTE: Container Management

- Advertisement -

14 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Andre Borges

Que Maravilha! Seria muito bom se além do Saboo, melhorassem também a infra-estrutura no Estuário e Centro, aumentando receitas com mais navios e também com o turismo. Ótima notícia para Santos!

Carlito

Faz anos que este assunto é discutido. Da última vez ouvi comentários a este respeito, diziam que todo o Centro seria revitalizado e configurado para atrair empresas de tecnologia da Informação. Infelizmente, pouco foi feito até o momento. Seja lá como for, Santos é uma excelente cidade.

Moriah

Desse jeito, logo mais o Triple E… ruim é o calado limitado.

mk48

Segundo o texto, no futuro serão 17m no canal, o Triple E tem 16m carregado.

Da Escola

Queria compreender o motivo pelo qual não existe uma maior participação da MB nessa área de Santos, o maior porto da AL, largado as traças, apenas um navio patrulha, uma Capitania dos Portos minúscula pra cuidar de tudo isso, e todos sabemos que é uma maquiagem, pois ai deveria ter um destacamento do GruMec 24h de prontidão, e uma maior integração com os outros órgãos fiscalizadores, Receita Federal, PF, etc…

Pedro ESIE

Rio de Janeiro fica praticamente ao lado de Santos, pra que um destacamento do GruMec?

Da Escola

Realmente estamos muito a par do que seria uma “força de reação rápida”, prefere gastar com deslocamentos caros e cinematográficos do que ter um destacamento ali o dia todo, fazendo abordagens e ações agressivas, mas é isso, merecemos essa bagunça com o dinheiro público e a desorganização da nossa “defesa”, sem sei se chamo assim.

Antonio Palhares

Por muitas razões. O tamanho e capacidade do porto. O tamanho e capacidade econômica do Estado de São Paulo. A população.
Não apenas a Marinha, como as demais forças se acostumaram com o antigo status de capital federal do Rio de Janeiro. E não perceberam a decadência da cidade com a mudança da capital federal. As demandas mudaram.
Hoje, a outrora cidade maravilhosa, está entregue às milícias e trafico

Fabio Jeffer

Perfeita sua observação, praticamente tudo o que a Marinha possui está no Rio, quase tudo.

Allan Lemos

Também não é como se a MB tivesse muita coisa para começar rsrsrs.

mk48

Ha um contexto histórico que vc não levou em consideração, para a MB manter a maioria dos seus Ativos no RJ

EParro

mk48;
e qual seria esse contexto histórico?

Tulio

As forças armadas não devem viver de “contexto histórico”, deixe isso para livros de história ou museus, deve se atentar a realidade atual do país e do mundo e se adaptar e preparar sua doutrina e estrutura para os desafios e necessidades da atualidade. Mas óbvio que falar isso é chover no molhado.

EParro

Cadê o M.O. para comentar esse assunto?

- Publicidade -

Guerra Antissubmarino

O afundamento da fragata INS Khukri pelo submarino PNS Hangor na Guerra Indo-Paquistanesa de 1971

Conheça a história do primeiro afundamento de navio de guerra por um submarino após a Segunda Guerra Mundial A fragata...
- Publicidade -
- Advertisement -