A OCCAR (Organisation Conjointe de Coopération en matière d’Armement, a organização internacional para cooperação armamentista conjunta) exerceu a construção do terceiro submarino de nova geração relacionado ao programa U212NFS (Near Future Submarine) para a Marinha Italiana atribuído à Fincantieri.

A embarcação tem um valor total superior a 500 milhões de euros, incluindo o serviço de apoio integrado, e será entregue em 2030.
O desenvolvimento futuro do programa também contempla um adicional de 160 milhões para futuras atividades adicionais ou fornecimento de capacidades adicionais específicas exigidas pela Marinha.

Os submarinos U212NFS serão altamente inovadores, com modificações significativas de design que serão desenvolvidas de forma independente pela Fincantieri, que detém o papel de Design Authority, de acordo com os requisitos da Marinha.

O programa responde à necessidade de assegurar uma adequada capacidade de vigilância e controlo espacial subaquático, tendo em conta os futuros cenários complexos de operações subaquáticas e que se aproxima o tempo de vida operacional dos 4 submarinos da classe “Sauro”, atualmente em serviço.

Também visa manter e desenvolver o know-how industrial estratégico e inovador adquirido pela Fincantieri, bem como consolidar a liderança tecnológica alcançada pela empresa e sua cadeia produtiva, grandes indústrias e pequenas e médias empresas do setor, potencializando a presença a bordo de componentes tecnologicamente avançados desenvolvidos por indústrias italianas.

As tarefas que os submarinos realizam em benefício da comunidade são múltiplas. Diariamente, os submarinos da Marinha Italiana estão envolvidos na vigilância das rotas de comunicação marítima e da dimensão subaquática, inclusive no âmbito das alianças da OTAN e da UE. É um papel que se torna cada vez mais importante à luz dos interesses do país que residem abaixo da superfície do mar, desde os recursos dos fundos marinhos até às infraestruturas subaquáticas de energia e comunicações.

Sobre o U212NFS

O projeto do U212 NFS para a Marinha Italiana tem o design é orientado pelos requisitos para melhorar a autonomia, flexibilidade operacional e capacidades. Graças ao novo sistema de combate, sensores e sistemas de armas planejados, ou seja, os mísseis de cruzeiro de ataque profundo de longo alcance, o U212NFS desempenhará um papel fundamental abaixo da superfície, nos cenários operacionais multidomínio e multinacional conjunta.

Baseado em um projeto U212A desenvolvido pela Fincantieri, o U212NFS é caracterizado por um casco de pressão de 1,2 metros mais longo e uma plataforma hidrodinamicamente aprimorada e ainda mais silenciosa, com um comprimento total de aproximadamente 59 metros e um deslocamento de superfície de aproximadamente 1.600 toneladas.

A nova plataforma apresenta um novo design de vela capaz de acomodar até sete mastros elétricos (com espaço para um mastro adicional opcional), permitindo o desenvolvimento futuro na direção de um submarino totalmente elétrico. Além disso, estudos de fatores humanos estão em andamento para fornecer acomodações mais confortáveis para tripulantes de nova geração.

O U212NFS também incluirá um sistema de combate de nova geração com um sistema de gerenciamento de comando e controle de armas desenvolvido pela Leonardo, ambos incluindo conteúdo industrial e tecnológico significativo fornecido pela indústria italiana, P&D e academia. A nova plataforma terá um casco de pressão estendido, CIC redesenhado para consoles adicionais, tropicalização (operabilidade em água do mar com temperaturas tropicais), mastros içados elétricos em vez de hidráulicos, novo sistema de monitoramento de controle de engenharia e baterias de íons de lítio para a propulsão sistema.

Além disso, o U212 NFS será equipado para o emprego de mísseis de cruzeiro de ataque profundo de longo alcance e torpedos pesados Black Shark Advanced da Leonardo. Esses sistemas inovadores também serão adaptados com vistas à adaptação de unidades anteriores.

Submarino italiano Salvatore Todaro (S-526) da classe U212A, dotado de propulsão AIP
Submarino italiano Salvatore Todaro (S-526) da classe U212A, dotado de propulsão AIP
Subscribe
Notify of
guest

18 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Aéreo

Dois comentários sobre a notícia.

A primeira é que a Itália renunciou a construção de submarinos já a algum tempo, pondo fim a uma secular tradição de projetos e construção de submarinos italianos. A Holanda é outra nação que há algum tempo também renunciou a esta capacidade.

O segundo comentário é esta classe de submarinos talvez sejam os melhores do mundo no segmento de submarinos convencionais. Operados no Mediterrâneo, onde os tempos de trânsito até as áreas de patrulha são pequenas, constituem uma força submarina mortal para seus oponentes. 

Willber Rodrigues

Algum motivo pra Itália ter abandonado a construção de subs?
Uma pena, já que os primeiros subs da MB vieram da Itália…

Aéreo

Creio que por motivos econômicos. A ultima classe de submarinos projetadas na Itália foi a classe Sauro, isto no século passado ainda.

Esteves

Perderam a guerra. As últimas classes foram do início dos anos 1940.

Quem perde uma guerra, perde muito.

Segatto

Foram não, retomaram em meados do século XX

mario

A Itália nunca desistiu da construção de submarinos e nunca vai desistir, além de fincantieri existem outras empresas históricas que constroem submarinos táticos menores que são vendidos para países amigos mas a notícia não é anunciada!

Bardini

A Itália em momento algum renunciou sua capacidade de projetar e construir submarinos. O que a Marina Militare fez, foi não reinventar a roda, ao pegar um projeto pra lá de excelênte (U212) e demandar sua customização.
.
A Fincantieri tem projeto próprio sendo apresentado ao mercado: https://www.defensenews.com/global/mideast-africa/2023/02/23/fincantieri-shrinks-its-s1000-submarine-for-covert-special-ops-mission/

Last edited 11 meses atrás by Bardini
frank

EDITADO:

Prezado “Frank”, “Barros” e demais nomes de usuário.

Decida-se por um nome de usuário; o novo software não é ainda perfeito, mas é muito bom.
Melhor que o anterior, assim usando diferentes nomes de usuário, seus comentários muito provavelmente serão bloqueados pelo sistema.

O aviso também vale para os demais comentaristas que gostam de fazer a mesma coisa, totalmente inútil e desnecessária.

Willber Rodrigues

A matéria não fala se esse sub terá AIP, mas como os “irmãos” dele os tem, imagino que não haja motivo pra que ele tambem não tenha.

No one

Os novos submarinos U-212 NFS da MMI terão uma nova geração de baterias de lítio-ferro-fosfato, integradas pela Fincantieri. Estas baterias fornecerão uma maior densidade energética e potência que se traduzirá em uma maior autonomia além de outras vantagens tácticas e operacionais, entre as quais a redução dos tempos de recarga. Em comparação com os 4 U-212A anteriores, o novo U-212 NFS incluirá muitas tecnologias e equipamentos desenvolvidos e fabricados em no país: •Como dito anteriormente, as novas baterias “Lithium-Polymer” já usadas com sucesso por Leonardo-Wass nos torpedos “Black Shark”, ou as baterias “Lithium-Iron-Phosphate”. •Um novo revestimento de fluoropolímero, Novo design… Read more »

GRAXAIN

Cada Scorpène foi adquirido por cerca de 350 milhões de euros, os italianos pagaram 500 pelos inovadores U212, a poderosa e onerosa MB consegue a proeza de gastar mais $7bi de Euros para operar 4 Scorpènes até o final da década, se não gouver contingências, e com muita sorte e reza braba um nuclear mequetrefe lá pra 2040. Êta ToT caro e ruim esse…

Carlos Campos

operar 4 scorpnes, construir a planta de construção deles, ToT e uma base naval.

Aéreo

Nosso ToT é sempre o mais caro do mundo.

GRAXAIN

Cada Scorpène CHILENO foi adquirido por cerca de 350 milhões de euros

L Grande

Os nossos submarinos classe Riachuelo são melhores. Mas os submarinos alemães 212 e 214 são muito bons . Em tempo parece que o ministério da defesa do Brasil anunciou que serão construídos mais 3 novos submarinos classe Riachuelo. Alguém tem mais informações?

jean

nao acredito que aclasse riachuelo/scorpene seja superior aos u212 u214 sao tido unanimamente como so melhorrs sub. convencionais do mundo , alteamente testados em varias marinhas projeto maduro, os riachuelo baseano no scorpene ainda tem so um em servico a poucos meses ,e preciso de tempo para ver se fui um acerto .

Esteves

Uma extensa lista de classes de submarinos.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_submarinos_da_It%C3%A1lia