Foram divulgadas as primeiras imagens da fragata Type 054B da Marinha Chinesa (PLA Navy), após o lançamento no Hudong – Zhonghua Shipbuilding, uma subsidiária da China State Shipbuilding Corporation (CSSC).

A nova classe tem maior comprimento e boca (147 x 18 m) que a Type 054A (134 x 16 m), alcançando um deslocamento de cerca de 6 mil toneladas, 2 mil a mais que a anterior.

A Type 054B apresenta linhas de casco mais furtivas, uma superestrutura mais volumosa e um passadiço mais alto. O navio conta com um sistema de lançamento vertical (VLS) para mísseis, novo canhão principal, CIWS, mísseis antinavio a meia nau e um lançador de mísseis sobre o hangar. O convoo foi ampliado para operar com o novo helicóptero naval Z-20.

O mastro principal abriga um novo radar 3D AESA de varredura eletrônica ativa de dupla face.

Comparação entre a Type 054B e a Type 054A

Renderizações 3D atualizadas da Type 054B e Type 054A – Autor @大包CG no Weibo

Subscribe
Notify of
guest

42 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
naval762

Pois é, eles vão precisar, e muito, de cada uma delas. Abraços pros wumao tupiniquins.

Alex Barreto Cypriano

Bonitona essa Type 054B. Provocando eyegasm.

Machado

Navio perfeito para a MB

Underground

O navio perfeito da MB seria um projetado e construído por aqui, em quantidade significativa, que permitisse que cada unidade fabricada pudesse agregar evolução, como sistemas desenvolvidos por aqui.
O dinheiro que foi gastado nos submarinos poderia ter sido gasto no desenvolvimento de uma Corveta de 2500 ton, que permitisse exatamente o que escrevi.

Camargoer.

Caro Under. O dinheiro gasto nos submarinos visa desenvolver um submarino nuclear. O desenvolvimento das FCT é outro programa.

Esteves

50 bilhões de reais…provável que tenham gastado mais…da pra contar com uma boa Marinha de Guerra.

Mas o ego não permitiu.

Camargoer.

Olá Esteves. Há algum tempo eu fiz um levantamento dos gastos com o programa nuclear da MB, desde a década de 70. Deu muito trabalho. Mostrei o que foi gasto com o projeto da ultracentrífugas, com o Labgen, com o estaleiro, UFEM e com os Scorpenes. Teria que resgatar os valores, mas tenho certeza o gasto com o SBN não chegou a R$ 50 bilhões.

Esteves

Olá Mestre Professor,

Recentemente disseram ter gasto em torno de 30. Pediram mais 20. Números arredondados. Esse tira e põe vêm da federalização do IPEN nos anos 1970 e de convênio em 1980.

Pessoalmente…acho que não prestou pra nada. O IPEN tornou-se mais desconhecido, perdemos mentes, a pequena capacidade de produzir radiofármacos diminuiu frente à demanda.

Penso que não existe essa conta, confiavelmente. Esse reator e esse submarino são um conjunto de fracassos…não há resultados.

Oppenheimer quando declarou em 1961 que seríamos top’s…Estava bem transtornado.

Camargoer.

Olá Esteves. Uma coisa são os gastos passados. Outra coisa é o que será feito daqui para frente. Uma coisa foi gasto no projeto do ciclo do combustível que resultou na fábrica de Resende. Outra coisa é o SBN em si. Tem que ter um pouco de atenção para evitar confusão. Senão, daqui a pouco vão incluir o valor do Angra 3 no custo do SBN.

Esteves

Daqui pra frente, tudo vai ser diferente…

Ciclope

Cara, precisamos de meios de negação de área marítima, e a melhor arma para isso e o submarino!

No one

Eu tenho curiosidade de entender como alguém conseguiria impor a negação do uso do mar ( pior ainda, em um espaço tão vasto como o Atlântico Sul ) com um nível de consciência situacional precário e inferior ao seu adversário, sem unidades de superfícies que garantam uma mínima defesa aérea e interdição contra as incursões aéreas do oponente. Quando as componentes de superfícies e aéreas do adversário são livres de caçar o seu submarino, o que você faz ? Tenta atacar alguma unidade de superfície( considerando o alcance relativamente limitado das armas submarinas contra as unidades de superfície) revelando a… Read more »

bjj

Mas o modo de atuação dos submarinos é justamente esse. Teoricamente um submarino possui os meios necessários para garantir a própria consciência situacional e a comunicação externa é extremamente reduzida justamente por aumentar a exposição aos sistemas de detecção de sinais de rádio e aos radares, já que precisaria estar ao menos em cota periscópica para conseguir se comunicar. A guerra das Malvinas talvez seja o melhor exemplo moderno do uso e da eficiência dos submarinos em um conflito real. O HMS Conqueror, submarino nuclear britânico, atuando bem embaixo do “nariz” dos argentinos transformou o General Belgrano em casa de… Read more »

No one

E sobre o que precisamos. Bem, eu diria muitas coisas, mas antes de tudo as bases: garantir a presença, o monitoramento, a segurança nas nossas águas, enfim a aplicação da lei.

Isso é o essencial para o dia a dia .

Não que uma coisa exclua a outra, mas se deveria ter pelo menos o básico .

Luiz Henrique Santana

Concordo, e os EUA estão aumentando a frota deles enormemente. Por razão dos submarinos, a Marinha de Hitler, deu enorme prejuízo as marinhas mercantes e militares dos aliados.

Gustavo

Assimo em baixo.

Machado

Enquanto isso não acontecer, é melhor comprar um equipamento desse top de linha e acessível do que as suca.tas usadas inglesas, norte americanas, francesas, italianas

Guizmo

Concordo. Muito bem armadas, seriam excelentes CT´s para compor com as Tamandarés. 04 unidades, da Type 54B

Fernando "Nunão" De Martini

Acho que seria mais interessante, após todo o trabalho de se construir a classe Tamandaré (e aproveitando o conhecimento adquirido, a mão de obra treinada e os fornecedores nacionais etc) fazer como os chineses fizeram: uma versão alongada. Basicamente, a Type 054B é um desenvolvimento com deslocamento maior (e espaço pra mais armamento e novos sensores etc) das fragatas Type 054 e 054A, que nas características gerais são muito parecidas com a Tamandaré (cerca de 500t a mais que a Tamandaré, de resto muito parecidas). Uma Tamandaré “B” poderia simplesmente partir do projeto da Tamandaré original e incorporar uma seção… Read more »

Guizmo

Nunão,
Eu concordaria 100% contigo, se não fosse minha desmotivação com os investimentos nacionais no AMRJ. Até isso ser realidade, nossos netos estariam discutindo o tema. Quero ver 1o as 4 Tamadares ficarem operativas

Guizmo

Ou em outro estaleiro, como os do Sul que constuirao as FFG

Fernando "Nunão" De Martini

Mas quem falou em AMRJ?
É só continuar construindo em Itajaí.

Esteves

O que fazemos aqui? Contratamos a construção de um projeto dos anos 1980. Serão 4 navios combatentes com tecnologia de construção modular do século passado entregues na década de 2030 para missionarem até a década de 2070. Em 2050 estaremos atracando navios dos anos prometidos. E dos anos constitucionais. Sem nenhuma evolução e sem aprender a fazer. Na Ásia constroem evolução. Cada versão das Type é um passo além do que foi aprendido com a classe anterior. Como os carros que os chineses estão trazendo para matar de inveja quem consome modelos europeus e nortistas. Alguma coisa deve estar errada… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

“Contratamos a construção de um projeto dos anos 1980. Serão 4 navios combatentes com tecnologia de construção modular do século passado entregues na década de 2030 para missionarem até a década de 2070.” Como você está claramente se referindo à classe Tamandaré, acho que exagerou nos artifícios de retórica. MEKO A100 não é um projeto dos anos 1980. Construção modular e em blocos / megablocos é o padrão atual, evolução de métodos de décadas atrás, e praticada também nos estaleiros chineses relacionados a esta matéria. E não sei de onde você tirou “entregas na década de 2030”. Se o programa… Read more »

Esteves

“Os navios MEKO incluem famílias de fragatas, corvetas e barcos de patrulha oceânica. A construção de navios MEKO começou no final da década de 1970 com o projeto e posterior construção do MEKO 360 H1 da Nigéria. Embarcações de classes semelhantes usam diferentes sistemas de armas…” Sim. A retórica está exagerada. Apesar da família Meko pertencer (o conceito também) aos anos passados a Meko100 desenvolveram à partir da K130 e da Meko200 no início dos anos 2000 para atender Marinhas como da Malásia. Nunão, Serão 4 navios. Eu me referi a incorporação dos 4. O primeiro para 2025 e os… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Contratamos navios do passado para o futuro. Porque decidimos por uma licitação, um BAFO, um contrato, uma celebração. Navio que Estava no papel em 2018…somente Estará no mar na década de 2030. Navio de 2000 na década de 2030 operando até 2070. Serão navios de 50 anos…70 anos até.”

Continua no estica e puxa de datas para retórica. Já respondi sobre isso.

Salomon

Pessoalmente acho que o Esteves tem razão, e também acho que entendi o que ele quis dizer: há uma lassidão permanente, pouco ou nada evolui, tudo é dificultado pelo controle burocrático, que visa impedir corrupção mas na realidade só facilita. Os tecnoburocratas do Estado, a Universidade e a “inteligentsia”, mesmo passados tantos anos, tem um enorme ranço com militares, e os recentes acontecimentos em nada ajudaram. O resultado é essa apatia toda.

Esteves

Todos tem suas razões. Esteves tem as razões do Esteves.

Pedro

Você mais maluco que o padre do balão kkkkkkkkkkkkk, escrevendo na terceira pessoa sobre você mesmo.

Abração

Mars

‘radar 3D AESA de varredura eletrônica ativa de dupla face.’ Qual é a vantagem desse radar com dupla face? Eu não me recordo de ter visto navios no ocidente com radares assim.

Fernando "Nunão" De Martini

Tem o radar Sampsom dos destróieres britânicos Type 45.

Bosco

Reduz pela metade o tempo de atualização dos dados na tela, mas em compensação, o custo dobra.
No caso de ameaças distantes não faz tanta diferença mas no caso de ameaças próximas e rápidas , faz grande diferença.
Claro, melhor seria um sistema de faces fixas (3 ou 4), mas essa é uma boa solução de custo menor.
*Os americanos têm o AN/SPQ-9B de dupla face.

Bosco

Complementando, o AN/SPQ-9 de banda X é secundários em todos os navios da USN que o opera.
Sua função é prover alerta e solução de tiro contra ameaças de curto alcance , na superfície (inclusive periscópios) e no ar, complementando radares “principais” de busca de volume, geralmente de banda S ou L que são mais apropriados contra alvos aéreos a grandes distâncias.

Dragonov

É !
Só resta essa exclamação.
Nem vou mais falar do que poderíamos ou não ter feito.
Parabéns China !

Jefferson B

Meus comentários não são postados.

AVISO DOS EDITORES:
Talvez problemas com o anti-spam……você por acaso usa outros nomes na Trilogia?

Jefferson B

Eu comento, depois é publicado o comentário e depois é excluído.
Eu não entendi…não xinguei alguém.

AVISO DOS EDITORES: LEIA O AVISO ANTERIOR E RESPONDA A PERGUNTA.

Last edited 10 meses atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Emmanuel

O atual governo é mais alinhado ideologicamente com a China.
Talvez, bem talvez, o atual mandatário do nosso país pudesse ir até os chineses fazer um “FMS” de umas quatro dessas belezinhas aí.
Sem ToT ou coisas do tipo. Comprinha básica.
Acredito que eles não se negariam e ainda colocariam umas coisinhas por fora no pacote, só pra dar aquela caprichada.

Ainda ganharíamos um pastel de flango de cortesia.

ChinEs

O Brasil pode suprir as suas necessidades com esse navio

Ralfo Penteado

A mesa do povão está farta. Sobra canhão.

Luiz Henrique Santana

Os EUA necessitam, urgente, produzir e colocar mais submarinos antinavios nos oceanos, para deter o avanço da frota de guerra do dragão vermelho!

André Macedo

Nem que eles quisessem teriam mão de obra pra isso, a supremacia no Mar da China é dos chineses.

Bosco

Luiz, O foco em submarinos de ataque como base para a capacidade antinavio dos EUA mudou. A diversidade dos meios à disposição dos americanos equilibra muito essa suposta vantagem numérica chinesa. Antes a base eram os torpedos Mk-48 dos submarinos e os mísseis Harpoon de navios, subs e aviões. Hoje os navios contam com mísseis Tomahawks Block V e bombardeiros e aviões patrulha armados com LRASM, além de baterias costeiras com mísseis Tomahawk, SM-6 e NSM. E ainda tem a capacidade dos porta-aviões com caças dotados de mísseis LRASM. Com a introdução do B-21 eles terão um grande papel a… Read more »