Ocorreu um novo incêndio hoje na fragata Rademaker (F49) da Marinha do Brasil. Segundo uma fonte, foram três horas de combate ao fogo pelas equipes de CAV (Controle de Avarias), incluindo contenção pelo costado.

A Marinha já havia feito um grande investimento comprando cabos elétricos novos para o navio, que já tinha sofrido um incêndio a bordo em 17 de outubro de 2023, no compartimento do Quadro Elétrico Secundário a Ré e da Central de Distribuição Elétrica (CDE) M2. Na ocasião, a fragata realizava a Comissão de Programa de Adestramento no Mar, Fase I, e navegava próximo a Ilha Grande, em Angra dos Reis (RJ).

Rademaker era originalmente conhecida como HMS Battleaxe (F89) quando estava a serviço da Royal Navy do Reino Unido. Ela é uma fragata do Tipo 22 (Type 22) ou Classe “Broadsword”.

A HMS Battleaxe foi lançada em 1977 e prestou serviço à Royal Navy até ser descomissionada em 1996. Posteriormente, foi adquirida pela Marinha do Brasil junto com outras três fragatas do mesmo tipo e incorporada em 1997.

FOTOS: Alexandre Galante / Poder Naval

Subscribe
Notify of
guest

116 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
India-Mike

Faz a mostra de desarmamento logo por favor

Charle

Sim. Um medo que não passa. Imagina um acidente com o tal sub. nuclear? Não temos nem condições de manter adequadamente navios ultrapassados. Operar-se-á adequadamente sub. nuclear?
E toda a frota de superfície da MB está naufragando em um porto…

Jadson S. Cabral

O que tem a ver um submarino novo com uma fragata velha de mais de 40 anos? Porque o problemas se devem justamente aos problemas de manutenção de algo que já deveria ter sido descomissionado há décadas.

Eduardo

Hoje ela é ótima para testes do MANSUP

Ricardo Taer

É o melhor a ser feito, mostra de desarmamento, India-Mike, pq está ficando feio.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Uma fragata a menos…

Allan Lemos

Já já o número fica negativo.

Moriah

O número já está negativo, infelizmente

Paulo Cardoso

Os meios de superfície da marinha estão cada vez mais fragilizados, logo vai sobrar para as 4 Tamandarés “cuidar” de toda nossa costa.

Allan Lemos

Isso sendo otimista, com a cruise econômica que se avizinha e o déficit que o programs já tem, é bem provável que cancelem o programs ou estendam o prazo lá para os anos 30.

Esteves

Qual é essa crise que se avizinha?

Akhinos

Crise do universo paralelo dele. Sou economista, trabalho no mercado financeiro, e ng, repito absolutamente ng precifica uma crise econômica nos próximos anos no Brasil. A perspectiva de todos é de crescimento sustentável.

Delírios de zazap de tiozão isso ai. A incompetência da Marinha tem a ver apenas com as escolhas dela.

Antônio Peter Osório

_____

COMENTÁRIO APAGADO. NÃO ATAQUE OUTROS COMENTARISTAS. LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Salomon

“Crescimento sustentável”? Olha o deficit só do 1o. ano.

Allan Lemos

Déficit fiscal gigantesco, desaceleraçāo econômica no último trimestre do ano passado, várias empresas no vermelho.

Estamos indo rumo a uma situaçāo pré-2015.

Camargoer.

E lá vamos nós…. as maiores economias do mundo estão apresentando déficit há anos, alguma há décadas. Na verdade, em algumas economias, o déficit publico é o que tem evitado entrar em recessão. Antes da recessão de 2014, o país estava com crescimento de mais de 5% ao mês, pleno emprego e o setor industrial estava praticamente sem capacidade ociosa. Eu realmente gostaria que o país estivesse em uma situação parecida ao ao que era em 2012~2013. Contudo, ainda que o desemprego tenha caído, ainda está longe de ser pleno emprego. O setor industrial ainda tem uma grande capacidade ociosa,… Read more »

Allan Lemos

Caro, você está comparando países desenvolvidos, que como mencionei em outro comentário, atraem naturalmente a confiança de investidores, com um emergente como o Brasil.

Entenda que uma dívida nāo é igual a outra. O Brasil tem IDH baixo, capacidade industrial baixa, score baixo, falta de estrutura em diversos setores, você nāo pode olhar para os EUA e para o Japāo e falar “ah, se eles podem ficar devendo a gente também pode”. Sāo contextos completamente distintos, sugiro que você procure saber a natureza dos nossos gastos e dos deles.

Akhinos

Logo se vê que o senhor não tem formação alguma na área. Garanto que é _________ _________ O Brasil não está na situação pré 2015, pq não temos petróleo a 30 dólares, não temos a maior baixa da história da soja, milho e outras commodities alimentares, e pq finalmente o minério de ferro não está em sua baixa histórica. Ou seja, não estamos em um momento de crise das commodities. O seu papo furado sobre defícit fiscal “gigantesco” é pura pirotecnia de quem não entende do assunto. O “superávit” do governo anterior só foi possível mediante contabilidade criativa e o… Read more »

André

Desista. É impossível ensinar teoria econômica para _______

EDITADO. MANTENHA O RESPEITO.
LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Rinaldo Nery

Você poderia nos explicar algo sobre os resultados desse déficit gigantesco? Tbm não sou economista. Devemos nos preocupar?

Fernando Vidal

Está amplamente noticiado que o primeiro trimestre de 2024 foi de crescimento econômico acima das previsões mais otimistas com crescimento na geração de empregos. E nível de desemprego em baixa e salários em alta para as classes médias… Ou seja mais crescimento à vista… O resto é torcida negativa em relação ao país. Que feio isso!

Salim

O que verifico pratica:1/4 população recebendo bolsa… sem previsão de melhora e nada sendo feito, comércio em queda, indústria desaparecendo, aumento impostos desacerbado, comodites em baixa e sem previsão melhora. Desde 2012, quando começou a ser cobrado a farra orçamentária ocorrida a partir 2007, so piorou, so estabilizou governo Temer (tenho até vergonha de dizer isto). Nosso PiB despencou do sentimo para vigésimo. O mundo cresceu e nos regredimos (com panda e tudo mais para todos). IDH e só ver o que estes 25 anos de maus governos causaram.

pedro

rombo..deficit gigantesco…estamos indo bem sim…

Camargoer.

Ola Allan. O capitalismo tem ciclos de expansão e recessão, contudo nenhum economista jamais relacionou deficit público como gatilho para ciclos de recessão ou como variável para medir atividade econômica.

As variáveis mais comuns são taxa de desemprego, atividade industrial, volume de crédito concedido pelos bancos, atividade de varejo… mas nunca li nada sobre déficit público como indicador de ciclo macroeconômico.

Rodrigo

Só falácia! A crise é que o governo não tem interesse em investir nas FFAA

Camargoer.

O problema orçamentário das forças armadas é o mesmo agora que era há 5 anos, 10 anos, 20 anos…. mais de 85% dos recursos são para a folha de pagamento, sendo que os gastos com pessoal inativo é maior que os gastos com pessoal ativo..

O resto é purpurina

Carlos J. P. Silva

Bem, se você não tiver outro instrumento de financiar o déficit, que não seja aumento de carga tributária vai cair em tudo aquilo que você coloca como as variáveis mais comuns.

Camargoer.

Olá Carlos. O crescimento do PIB resulta em aumento da arrecadação sem aumentas a carga tributária. Se a economia está em um ciclo de expansão, isso acontece até por meio da redução da taxa de juros básica.

Se a economia está em um ciclo de recessão, é preciso aumentar os gastos públicos para que ocorra uma retomadas das economia.

Um economista coerente jamais proporia reduzir o déficit público em período de recessão. Seria exatamente o contrário… a menos que o objetivo seja transferir ou sustentar a transferência de recursos do orçamento público para o setor financeiro.

Allan Lemos

Não há como aumentar gastos públicos para retomar a economia, essa ideia, literalmente, jamais deu certo em lugar nenhum e foi justamente uma das políticas que causaram a crise recente. Por quê? Por não ser algo sustentável no médio e longo prazo, ainda que o Estado tivesse dinheiro para gastar, o que não é o nosso caso. O Estado nunca deverá ser colocado como motor da economia pois naturalmente, não é capaz de gerar riquezas. É insustentável porque inibe os fatores que realmente causam o crescimento da economia, como a concorrência e a livre iniciativa ao torná-la dependente de subsídios… Read more »

Santamariense

“ Um economista coerente jamais proporia reduzir o déficit público em período de recessão. Seria exatamente o contrário… ”

Então, “há algo errado que não está certo”, pois se a economia está crescendo, por que o país está com um déficit gigantesco e que continua crescendo??

Nilo

Nada de errado, o que vc chama de déficit gigante não surgiu agora, Sem o socorro financeiro de cerca de R$ 20 bilhões para estados e municípios, o déficit teria caído para R$ 117,2 bilhões, 1,1% do PIB.
Pagamento de precatórios caloteados pelo governo anterior foi principal razão para o déficit em 2023, encerrando o ano de 2023 com o segundo maior déficit primário desde o início da série histórica, sm isso, o número ficaria próximo da promessa de déficit em torno de R$ 100 bilhões.
Decisão correta que elimina pressão futura sobre as contas do governo.

Santamariense

Se tu acredita que todo o problema do déficit se originou no governo anterior, não tem como tentar discutir…

pedro

aumentar os gastos públicos??? crescimento da economia se da com incentivos públicos, diminuição da tributação e não interferência do Estado (que a Petrobras e a Vale o digam), não aumento de gastos.

Camargoer.

Pedro… meu caro Pedro… Existem vários tipo de corte de impostos. Quando há redução no imposto de renda (tem vários modos de fazer isso) da classe assalariada ou da classe média, isso reflete no aumento do consumo. Quando há redução de imposto da classe rica, o impacto é praticamente nulo, porque é um grupo que já tem uma renda acima da capacidade de consumo. Quando há redução de imposto de empresas sem contrapartidas claras, este benefício é incorporado na margem de lucro. Pouco gente se lembra do fim da CPMF cujo impacto nos preços de varejo foi nulo. O principal… Read more »

Allan Lemos

Déficit público é um fator que indica descontrole fiscal, o que leva à perda da confiança e consequentemente a queda nos investimentos(já está havendo fuga de capitais).

Ao contrário de países ricos, que têm score alto e naturalmente a confiança do mercado, nações como o Brasil precisam manter as contas no azul.

Camargoer.

O deficit público pode significar qualquer coisa. Pode, por exemplo, significar que a economia está passando por uma recessão e o governo está implementando políticas anticíclicas para reduzir o impacto da recessão e aquecer a economia para iniciar um ciclo de expansão. Pode significar um período de imensa crise, como uma pandemia, uma guerra ou uma crise financeira global, como aconteceu em 2008. Existem dois tipos de investidores. Tem os especuladores que procuram apenas taxas de juros de curto prazo e diferenciais de câmbio. Estes tipo de especulador não se importa com deficit público porque os prazos de aplicação e… Read more »

Aéreo

A questão da relação divida PIB do Japão e EUA é a que taxa de juros a divida é administrada. São taxas baixíssimas (fruto da confiança que se tem nestas economias), o que é muito diferente de economias emergentes. É preciso considerar a confiança e as taxas de juros reais (que no Brasil são elevadas) para fazer este tipo de comparação.

Camargoer.

Então… o problema não é o tamanho da dívida absoluta nem a razão dívida/PIB, mas as taxas de juros.

Faz tempo que eu tento explicar isso.

J.Neto

Encosta logo, essa ai não quer mais navegar ,tá cansada.

Satyricon

Errar é humano.
Insistir no erro é ser MB.

Ou vão esperar morte de algum tripulante, assim como no A-12, pra tomar uma atitude?

Amorim

Errar é humano, mas se for em relação a defesa marítima, no brasil e continuar errando vc pode ser indicado a Almirante

Aerokicker

Ao que parece, pois precisam confirmar ainda, não vão precisar esperar pois teriam morrido 3 e ferido outros 10 nesse acidente encomendado pela inépcia da MB.

Burgos

De novo?!👀😔

Willber Rodrigues

Espero que a MB faça sua mostra de desarmamento e a aposente pra ontem, antes que alguem morra por causa disso, igual ao que aconteceu no A-12.

A MB tá brincando com a sorte com esse navio…

Velha guarda

Soube que houveram 3 mortes. Então o argumento “vão esperar que ocorram mortes?” já é fato consumado.

Daniel

Fake News. Reavalie suas fontes de informações.

Camargoer.

Três militares foram internados e estão em observação por inalação de fumaça

Arthur

“Houve”

Wagner Hundertmarch Scherer

Pobre Marinha. Navega rumo ao ostracismo.

Pablo

Marinha é apenas o nome.

Jadson S. Cabral

E depois do que disseram os ex-comandantes do EB e da FAB ontem sobre o ex-comandante da MB… ai percebemos a qualidade dos almirantes que temos e o porquê da MB ser o que é…

Ozawa

Acho essa Tipo 22 uma classe classuda. Linda! Como todas as escoltas inglesas.

Desejo sorte ao barco e um fim digno.

Marcos Rêgo

Perdemos a oportunidade de adquirir as Batch III quando deram baixa. Eram usuais para nossa realidade

Ozawa

Concordo, Marcos. Isso foi por volta de 2011 e saiu matéria aqui no PN. Mas havia o velho debate do comprometimento de recursos “com escoltas de oportunidade” x “com escoltas novas”. Eu acho esse um falso debate, além de um debate cínico, pois gastava-se àquela época (e ainda se gasta) com “navio aeródromo”, “navio multipropósito” (na verdade sem propósito), “Falcões” (na verdade andorinhas velhas) qdo se poderia usar esses recursos para combinar escoltas de oportunidade como as Batch III, sem prejuízo das Tamandarés de hoje (ou projetos mais robustos). Uma marinha que mal navega não pode querer voar. Enfim, hoje… Read more »

Nilson

Sim, já temos chovido bastante nesse molhado por aqui. A meu ver a MB não quis comprar as 3 T22 mais novas porque temia com tal compra inviabilizar o fantástico plano de aquisições de navios novos – o ProSuper. Resumo da ópera, nem uma nem outra situação aconteceu, e ficamos a (não) ver navios.

Afonso Bebiano

Que penúria. Operacionalidade zero.

737-800RJ

Um pedido adicional para 4 Tamandarés é urgente. Vão ter que arrumar dinheiro de qualquer jeito… O que ainda temos de esquadra vai deixar de existir em pouco tempo!

Augusto José de Souza

É uma boa leiloar ela junto com a sua irmã restante a F-46 e usar o dinheiro para comprar mais dessas fragatas Tamandaré.

Gilberto

Com o valor que levantar dessas sucatas não compra nem o casco de uma Tamandaré

Jadson S. Cabral

Leiloar para quem, amigão? Essa coisa só serve para desmanche.
No estado em
Que se encontram é ainda mais barato usar como alvo que vender como sucata

Leo Barreiro

Alguém me explica essa mania da marinha de comprar cabos e apetrechos para coisa velha? Ser aque ninguém faz conta antes se vale a pena ou não? Já fizeram isso com vários navios!! Só dinheiro jogado fora!! E ainda tinha gente que dizia que não tinha necessidade de compras de oportunidade!!

Joao

Com certeza…
A MB não avaliou a possibilidade de manutenção…

O carro tá bom, tem q trocar a correia dentada… deixa eu ver…. Vou trocar o carro…

Jadson S. Cabral

A questão é quando o carro não é bom e o problema não é só a correia dentada.

Imagina ter um carro de mais de 40 anos, cheio de problemas, que não te atende plenamente mais. Aí ao invés de vender e comprar outro, você resolve gastar uma fortuna pra trocar cabos elétricos, mas ele constitua sendo velho e com um monte de problemas. Será que vale a pena?

Existe uma coisa chamada custo x benefício e nem vc e nem a MB parecem saber o que é.

Vovozao

15.03.24 – sexta-feira, btarde, infelizmente a MBpensa em ter um sub óperando com energia nuclear, um projeto ambicioso, e, tem que abrir mão dos outros projetos. Talvez como as coisas estáo seguindo num futuro, e, com todo o recurso sendo direcionado para o projeto do sub nuclear, não tenhamos mais nada em nivel operacional. O importante é saber dividir o pouco, coisa que nao acontece aqui.

Ralfo Penteado

Submarino nuclear desde 1985….ou antes ….

Camargoer.

Desde 2009.

Santamariense

Negativo. Tu sempre insiste em desinformar os outros comentaristas. O início do desenvolvimento nuclear na MB, com objetivo final de um submarino, falado desde o início como sendo para esse fim, ocorreu em 1979! 1979! 2009 é o Prosub, mas desde 1979 o país já havia gastado, e continua gastando, bilhões de dólares nessa ideia.

Akhinos

Aos camaradas uma pergunta. Que compras de oportunidade de escoltas de superfície vocês acham que seria mais provável para a MB nos próximos anos? Afinall de contas teremos muita sorte se vier mesmo as tais 4 tamandarés.

JS666

Nenhuma, só tem navio acabado sendo desativado. Vamos virar a década com 4 Tamandaré, a Barroso e talvez uma Inhaúma (apesar dos problemas). Foi uma escolha consciente da MB ficar sem frota de superfície, visto que nos últimos 25 anos incorporou somente uma escolta.

Camargoer.

4 FCT, Barroso, Bahia, Atlântico, 4 Scorpenes, Tikuna.

JS666

Estava me referindo às escoltas especificamente professor.

Augusto José de Souza

De compra de oportunidade seria uma boa as Anzac da Austrália e Nova Zelândia,as Fremm mais antigas da Itália e França e talvez as T-23 do Reino Unido,fora isso é investir em mais fragatas Tamandaré.

Camargoer.

Então…. as novas FCT começam a ser entregues no pŕoximo ano. Neste momento, faz mais sentido focar em FCT adicionais que compras de navios de segunda mão.

Camargoer.

Entendi. Neste contexto, você tem razão, mas vale destacar que 4 FCT valem mais que todas as atuais fragatas em operação juntas.

Augusto José de Souza

As Tamandaré devem ter o segundo lote e duas adicionais,agora os scorpenes também deveriam vir mais lotes,mas parece que depois dos últimos serem entregues vão focar totalmente no submarino nuclear.

Santamariense

“As Tamandaré devem ter o segundo lote e duas adicionais…”

Duas adicionais? De onde??

Carlos

Perua Kombi é menos inflamável

Alex Barreto Cypriano

Cabo ou fio? São diferentes: cabos são feixes de fios finos com boa flexibilidade. Já o fio é seção cheia e em grandes diâmetros difícil de trabalhar. Ambos, fios e cabos demandam conexões adequadas pra garantir a transferência plena da corrente. As vezes, quem queima é o contato nos quadros, não o fio ou cabo. Trocar cabo e fio quando o problema é no contato do quadro não adianta. Mas estou certo que os técnicos da MB sabem disso. Então não entendo o que deu errado. De novo…

Last edited 3 meses atrás by Alex Barreto Cypriano
EricWolff

O q deu errado não tem nada haver com cabos, eletricidade e equipamentos…
Estava ocorrendo um serviço de corte e solda a bordo

Alex Barreto Cypriano

Corte e solda? Essa é uma informação nova que mudaria todo o viés da matéria…

Vicente96

Serve só pra consumir recursos e colocar a vida dos Marinheiros em risco, passando da hora de fazer a mostra de desarmamento

Helano

joga isso fora ja deu….

Helano

01 submarino vale mais que três fragatas novas….

Rafael Oliveira

Testem logo o Mansup nela para que a fragata pare de sugar recursos públicos.

Parabellum

Voltamos a construir fragatas. Após um intervalo de 50 anos. No meio disso optamos por compras de “oportunidade” de meios de 20 anos de uso para rodar mais 30.
Sem querer apontar culpados, estamos no rumo certo agora. Que a boa prática nos conduza a dias melhores.
Só temos a agradecer à tripulação, que silente cumpre sua missão. Bravo Zulu para eles.

Sergio

Flor no pântano.

Grato por seu comentário.

Tem dia aqui na trilogia que é insuportável.

Jagder#44

Esse GWS-25 Seawolf ainda está operacional?

Alexandre Galante

Não, muita coisa no navio já não funciona.

Jadson S. Cabral

Nesse caso o navio tá mal empurrando água, né? Não sei como a MB não deu baixa ainda.
Enquanto ficarem empurrando água com essas coisas velhas os políticos vão achar que está bom demais. Melhor dar baixa em tudo logo e dizer que não temos MB para proteger a Amazônia azul e o escoamento do agro. No dia seguinte reativam o Prosuper

Fabio Araujo

Aposenta e vai atrás de alguma compra de oportunidade para complementar a já degradada força de escolta até chegarem as Tamandarés.

Ferreira Junior

Pergunto aos experts. Qual a situação do casco?

Augusto José de Souza

Ela também já tinha sofrido princípio de incêndio em 2019 quando atracou em Itajaí,está claro que ela tem algum problema em relação a fogo,ou investiga o que ela possui para depois tentar resolver ou da baixa de uma vez e leiloa junto a antiga F-46 e usa o dinheiro para mais fragatas Tamandaré.

Orivaldo

Deixa isso pra lá. Vamos falar de Porta aviões e Submarino Nuclear

Moriah

T22 é linda, mas já deu. Minha teoria sobre Cameron e AH140 made in UK não é de todo insensata. A MB está no alerta vermelho, não dá tempo para escolher estaleiro pra comprar ou terreno pra construir. £ 1 bi não dá pra isso e 4 navios. Ganha-se o offset em projeto, mas se obtém meios para ontem.

Underground

O problema não é a idade do navio. O problema é a qualidade dos materiais que se empregam. Licitação na base de menor preço não funciona, resulta nisso ai.

Jadson S. Cabral

Não é só isso. O principal problema é que quanto mais velho é o meio, mais equipamentos dando problemas você tem. Chega uma hora que é tanta coisa com mal funcionamento que você tem que escolher desativar umas coisas, adaptar outras… e é aí onde mora o perigo. Reformar tudo ficaria caro e não valeria pena dada a idade do navio e não têm dinheiro para comprar outro. Aí da nisso. Certamente metade dos sistemas desse navio não funcionam mais.

adriano Madureira

Eu acho que a mensagem passada já é clara,cristalina…

Está na hora do descomissionamento.

Anderson

Quando é que vão parar de comprar sucatas e começarem a fabricar seus próprios navios?

Camargoer.

Caro. Creio que o programa da FCT responde á sua demanda. Estão sendo construídos navios de combates novos em estaleiros nacionais.

José Leônidas Silva

O que mais decepciona é um País que tem N Estaleiros,Minério de Ferro à dar com o pau, Aço de qualidade e não tem capacidade pra construir seus próprios Navios e aparelhar a Marinha de Guerra.
Lastimável!!!

Fernando "Nunão" De Martini

José,
Atualmente há 3 navios (mais dois encomendados e com batimento de quilha programado) e 2 submarinos em construção para a Marinha em três estaleiros, em Itajaí (SC), Aracruz (ES) e Itaguaí (RJ).

adriano Madureira

Temos um estaleiro, o atlântico sul, onde poderia-se gerar empregos e que tem a capacidade até de fabricar um navio de apoio logístico, ou navio tanque como é conhecido.

Seria algo tão difícil de se construir, tendo as devidas especificações?!

comment image

Jadson S. Cabral

Fazer casco é fácil. É a parte mais barata. O problema é o recheio. É o que custa caro

Elcio

Brasil já vai a guerra, comprou porta aviões, um viva pra Inglaterra de 82milhoes. Por Juca Chaves

João

A MB nunca se preocupou com o seu material e nem pessoal ! Isso ja deveria ter dado baixa a uns 20 anos atrás.A MB acabou.

Last edited 3 meses atrás by João
Dalton

Há 20 anos atrás, a “Rademaker” ainda era relevante e havia planos de moderniza-la na sequência das fragatas classe Niterói o que acabou não sendo feito mesmo assim ela passou por uma revitalização na década passada eventualmente participando de vários exercícios, contribuindo com a Marinha mesmo estando tecnologicamente defasada até porque missões secundárias são importantes e garantem o treinamento de pessoal. . Especulava-se uns cinco anos atrás que daria baixa por volta de 2022, ganhou uma sobrevida, mas, é bem possível que não passe de 2024. . A “MB” só acabaria se novas unidades de superfície e submarinas não estivessem… Read more »

Patta

Rapaz, se eu não estou enganado já é o 3º incêndio! Será que é a falta de conservação? Ou é um problema crônico? Logo logo a Marinha da baixa nessa sucata que só dá despesa. Vejo imensa necessidade da marinha adquirir PELO MENOS 3 mekos A100 ou 2 A300 pra recompor a frota.

Last edited 3 meses atrás by Patta
Rogerio Loureiro Dhierio

Acho que isso deveria acontecer com mais frequência. Ocasionado pela própria MB, no intuito de fazer com que a pasta tenha recursos para novos, modernos aparatos e em quantitativo minimamente honroso. Tem de haver uma mudança radical, iam releitura drástica em nossas forças armadas. Essa embarcação deveria ter virado alvo, peça de museu, coral artificial ou algo parecido a muito tempo. Estão esperando o custo de vidas humanas para tirarem o escorpião do bolso? Quando veremos altos salários de aposentados e pensionistas serem literalmente revistos ao ponto de recursos serem destinados as FA’s de modo que velharias como estás deixem… Read more »

Christiano

Não adiante fugir da realidade. Acidentes acontecem nas melhores Marinhas de Guerra. E as batalhas nos Mares mudaram muito…Aconteceu um divisor na historia das batalhas navais de antes e depois dos confrontos atuais entre Ucrânia e Rússia. Vcs não acham estranho o Presidente Lula querer que a nossa Marinha volte a ter um “novo” Porta-Aviões, quando eles não são mais tão eficientes como antes?

f.alves

A MB, sempre foi isso usam os navios até o osso ,depois não tem verba para manter. A Barroso parou alguém saber alguma coisa sobre ela. As guarnições que tem que se virar para colocar esses navios na força pronta. Triste ver isso .

Fernando "Nunão" De Martini

A Barroso está em Período de Manutenção Geral, em andamento.

Marcos Mota

E ainda cogitam NAE? Não conseguem nem manter os meios atuais…
Chega ser vergonhoso!

Justiceiro Hroth-Beorht

A Marinha e suas SUCATAS! O meu Amado Brasil deve ter pago valor de uma Fragata nova.
Chega de comprar essas porcarias Inglesas, com mais de 50 anos de comissionadas.
Continuamos a ser enrolados e dominados pelo pais de sua Majestade.
Por outro lado (o nosso) se os nossos Almirantes não têm condições de avaliar as SUCATAS, que se contrate uma assessoria internacional!

Justiceiro, apenas algumas informações:

O navio foi comprado da Marinha Real em 1997 com apenas 17 anos de uso, não com 50, e não era nem de longe uma sucata. Foi avaliado, estava em boas condições e o preço foi muito menor que o de uma fragata nova (foram adquiridos 4 navios da mesma classe).

Está muito desgastado e obsoleto hoje, depois de mais de 25 anos de serviço na MB, sem modernizações e apenas atualizações pontuais e manutenção, desde 1997. Mas quando foi comprado estava bom e com armamentos ainda modernos.

RSmith

Virou sucata de vez… 🙁

Dick miranda

Penso que o ex presidente Getúlio Vargas entregou o Brasil mas mãos dos estados unidos e da Inglaterra…e até hoje eles vendem esses navios sucateados para a nossa marinha…esse Getúlio Vargas era um mau caráter realmente né ???