IMAGENS: Porta-aviões ‘Fujian’ (CV-18) da China quase pronto para o início das provas de mar

24

Foram divulgadas recentemente novas imagens do novo porta-aviões Fujian (CV-18) da China, com o convoo pintado e com modelos em tamanho real das aeronaves que vão operar nele.

O Fujian está em seus preparativos finais para o primeiro teste de mar que deverá ser iniciado em breve. Lançado oficialmente pela Marinha do Exército de Libertação Popular (PLA Navy) em 17 de junho de 2022, o Fujian é o terceiro porta-aviões da frota chinesa.

Fujian (Type 003) é maior que os porta-aviões anteriores da China, Liaoning (Type 001) e o Shandong (Type 002), com capacidade para transportar um número maior de aeronaves, incluindo caças, aviões de alerta antecipado e helicópteros.

O grupo aéreo do Fujian deverá contar inicialmente com caças Shenyang J-15B e J-15D, caças furtivos Shenyang J-35, aviões de alerta aéreo antecipado Xian KJ-600 e helicópteros Harbin Z-20 antissubmarino e de emprego geral.

O novo porta-aviões tem um um deslocamento estimado de 80.000 a 85.000 toneladas.

INFOGRÁFICO: O porta-aviões Fujian e seu grupo aéreo embarcado

Clique no infográfico para ampliar

LEIA TAMBÉM:

Por que agora é a vez da China

Subscribe
Notify of
guest

24 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
ChinEs

IMPONENTE e IMPRESSIONANTE, essas são as palavras para descrever o Fujian CV18, é o inicio de uma nova era para a PLA NAVY, uma era de ouro nunca antes vista nos 5000 anos de história da China.

Recruta

Existem rumores de que a China já está construindo, ao mesmo tempo, seus quarto e quinto porta-aviões, com aproximadamente 110.000 toneladas de deslocamento, quatro catapultas eletromagnéticas, quatro elevadores e movidos a energia nuclear: reatores de sal fundido, que utilizam tório como combustível. Estarão operacionais por volta de 2030. Quem viver verá.

Carlos Campos

essa parte de sal fundido aí tá muito estranha, não conheço nenhum projeto pronto que seja capaz de gerar energia para um PA, os EUA empregam 2 reatores nos PA cada gerando quase 700Mw

ChinEs

Muito provavelmente não será atingida essa Potência de 700 MW, deve ser menor do que isso, mas o suficiente para dar propulsão a um gigante de 112 mil Toneladas , além de energia para o EMALS, o mais importante ao se lidar um reactor nuclear é a segurança e esses reatores de sal fundido têm muita segurança.

Dalton

Rumores existem, mas, o mais lógico será a China experimentar primeiro o “Fujian”
seu primeiro NAe com catapultas e construir um segundo do mesmo tipo ou com algumas melhorias podendo até ser nuclear para então construir 2 simultaneamente em 2 estaleiros diferentes como os EUA já fizeram até o início da década de 1960.
.
Seria impossível a China esconder a construção simultânea de 2 grandes NAes hoje
para ambos estarem prontos por volta de 2030, meros 6/8 anos de agora, mas, sim, quem viver verá !

ChinEs

Faz todo o sentido , experimentar tudo no Fujian, e ao mesmo tempo testar o reator de sal fundido MSR num navio civil, quando se partir para a construção do CVN Type 004, já se vai com toda uma escola e com todas as lições aprendidas… Nesse aspecto não dá para os chineses seguirem o passo dos Americanos, os Americanos têm muito mais experiência e tiveram muito mais tempo para desenvolver as suas tecnologias, tempo esse que os chineses não têm, talvez usando espionagem industrial poderão diminuir o gap, mas sabendo que a classe Nimitz foi desenvolvida no final dos… Read more »

Dalton

A classe Nimitz foi desenvolvida ainda na década de 1960 o USS Nimitz sendo “encomendado” em 1967, mas, fora, a diferença dos reatores o restante como catapultas, maquinário de retenção de aviões, disposição dos elevadores para aeronaves, sensores, etc, era similar aos do “Enterprise” e os “Nimitz” foram e tem sido constantemente atualizados. . O “Gerald Ford” e os que o seguirão são de fato de uma nova geração, mas, os chineses também terão suas “gerações” a primeira com o “Liaoning” e o “Shandong” , a segunda com o “Fujian” e quem sabe outro semelhante mesmo que com reatores nucleares… Read more »

Nelson Junior

Os EUA já tem 10 Nimitz e um Ford operacionais, com mais 3 Fords já em construção, que ficarão prontos quase junto com esse Chines… E quando alguns Nimitz forem descomissionados, ficarão mantidos na reserva de “pronto emprego”, que podem retornar a ser utilizado em caso de guerra… Outra questão que os EUA estão anos luz na frente da China é na questão de experiencia e manutenção desses ativos, pois já operam porta aviões a quase 100 anos, inclusive durante uma guerra de verdade… E mesmo com toda experiencia, manter esses “monstros” operacionais não é tarefa fácil, sendo que cerca… Read more »

Dalton

Nelson da mesma forma que o “Enterprise” foi retirado de serviço em 2012 a fim de passar por um longo e lento processo de inativação o mesmo ocorrerá com os “Nimitz” que estarão com seus reatores depletados não valendo a pena um novo “reabastecimento” ou seja não poderão navegar de qualquer forma. . Em teoria o “Kitty Hawk” – que não era nuclear – foi o último NAe a ser mantido por alguns anos mais após sua retirada de serviço em 2009, para eventualmente ser trazido de volta ao serviço se bem que já em 2012 não estar sendo tão… Read more »

Nelson Junior

Entendo… Mas os “Kitty Hawks” e “Enterprises” foram retirados em uma época em que os EUA não tinham um adversário a altura, portanto não havendo motivação para manter em reserva para retornar a operar… “Acho eu” que os Nimitz são diferente, porque agora a China está se tornando um oponente a altura, e talvez por esse motivo seja vantajoso manter alguns na reserva, mesmo que para trazer de volta seja proibitivamente caro… O mesmo dilema estão tendo com os Ticonderogas que o congresso quer manter alguns, com um certo nivel de prontidão mesmo depois de descomissionado… Mas repito, isso é… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Nelson Junior
Dalton

Não dá para manter na “reserva” um navio que não poderá navegar porque o “combustível nuclear” acabou, é o que acontecerá com os “Nimitz” cujo reabastecimento ocorre apenas uma vez na vida mais ou menos quando alcançam metade da vida útil estimada em 50 anos. . O que se sabe é que o USS Nimitz terá que ultrapassar um pouco esses 50 anos que se daria em maio do ano que vem para permitir um “desdobramento” a mais por conta do seu substituto o “John Kennedy” não estar ainda minimamente certificado no próximo ano e também por conta de atrasos… Read more »

Nelson Junior

Concordo com você e também acho que os Ticonderogas não voltarão a operar apesar de o Congresso querer…
Mas acho diferente no caso dos Naes…
A revisão e reabastecimento de meia vida do CVN 74 custou U$ 3 bi (aproximadamente), já construir um novo FORD custa U$ 12,8 bi…
então se houver “nesecidade” acho que voltariam sim…

Mas pelo visto os EUA já encontraram outra maneira de acelerar a construção dos FORDs e talvez reativar os Nimitz não faça mesmo sentido…

https://warriormaven.com/sea/congress-plans-to-fix-2-year-us-navy-carrier-delay-to-preserve-deterrence

Dalton

O que o Congresso gostaria é que os “Ticonderogas” “magicamente” permanecessem em serviço por mais alguns anos ainda e não que fossem preservados para futuro uso. . Estão sendo retirados de serviço ou enviados para a retaguarda até porque o sistema “Aegis” está defasado, como foi o caso recente do USS Shiloh substituído no Japão por um Arleigh Burke atualizado. . O “CVN 74” está sendo modernizado para que possa navegar até completar 50/52 anos ou seja até 2046 então pagar US$ 3 bi vale muito a pena, mas, só até essa data depois o NAe estará tão deteriorado que… Read more »

Franz A. Neeracher

Prezado Nelson Alguns detalhes: Só houve um Enterprise e não “Enterprises”. Se os EUA com 11 CVN numa guerra precisarem de PA`s desativados, muita coisa errada já aconteceu. Mesmo um CVN desativado requer por lei uma pequena tripulação a bordo….ou seja, altos custos. Mesmo que os EUA queiram reativar um CVN, levaria anos para ele ficar pronto para combate; até lá a guerra já acabou. Raros são os casos que navios da USN já desativados ou na reserva voltaram a força ativa. Todos os “Ticonderogas” retirados de serviço, nunca mais voltarão ao serviço ativo. Um navio parado em reserva tem… Read more »

Nelson Junior

Muita coisa já tinha “dado errado” na guerra da Coréia quando resolveram “reviver” os IOWAs…
É muito dificil, mas pode acontecer com os Nimitz também

Last edited 2 meses atrás by Nelson Junior
Dalton

Nelson, os “Iowas” eram “jovens” ainda em 1950, um deles o
“Missouri” ainda estava em serviço.
.
Nunca a US Navy sequer aventou a hipótese de manter NAes de
propulsão nuclear no que eles classificam como categoria “B” após retirados de serviço que foi o caso do “Kitty Hawk” simplesmente
porque não teria cabimento um novo reabastecimento dos reatores
e revitalização do casco e sistemas após 50/52 anos de uso.

Nelson Junior

“os “Iowas” eram “jovens” ainda em 1950, um deles o
“Missouri” ainda estava em serviço.”

Ronald Reagan reativou E MODERNIZOU o Iowa novamente em 82

Quando eles querem (necessitam) eles fazem

ln(0)

Dentro de meu pequeno conhecimento, reatores de tório são utilizados para a produção de U233, e este usado em reatores para produção de energia elétrica.

naval762

Será que vai ser igual aos carros elétricos da BYD?

Machado

Os carros elétricos da BYD são superiores aos da Tesla

Recruta

Um reator nuclear de sal fundido (MSR) é um reator de fissão nuclear de quarta geração que utiliza tório como combustível. O tório é transformado em urânio-233, que é então submetido a fissão nuclear para produzir calor. O calor roda uma turbina que produz energia elétrica. Os reatores de sal fundido operam a altas temperaturas e baixa pressão, têm um refrigerante primário que não muda de fase e são intrinsecamente seguros e de dimensões reduzidas. Em 2023, a China emitiu uma licença operacional para o seu primeiro reator de tório, um reator de sal fundido de tório movido a combustível… Read more »

adriano Madureira

Há alguma melhora significativa quanto ao desempenho da NAe? Digo, velocidade…

Nemo

Foi comentado que o Liaoning seria destacado apenas para treinamento das tripulações.

Dalton

O “Liaoning” recém passou por um período de manutenção de 6 meses apenas em dique
seco e mais meses depois para finalização e aparentemente algumas melhorias em sensores e armas foram acrescentados.
.
Houve um certo exagero quanto a se dizer que ele seria dedicado apenas para treinamento por conta de algumas missões que ele já empreendeu e normalmente assume o lugar do “Shandong” quando este retorna a base para manutenção de rotina e descanso da tripulação.
.
Na US Navy todo NAe funciona para treinamento também, mantendo a proficiência de veteranos e formando novos pilotos e aviadores.