ATENAS, 19 de junho (Reuters) – O navio Tutor, de propriedade grega, atacado por militantes houthis do Iêmen no Mar Vermelho na semana passada, afundou, confirmaram os resgatadores nesta quarta-feira. O Tutor foi atingido por mísseis e um barco controlado remotamente carregado com explosivos em 12 de junho, e estava com entrada de água nos compartimentos internos, segundo fontes de segurança marítima e Operações de Comércio Marítimo do Reino Unido (UKMTO).

A UKMTO informou na terça-feira que o navio provavelmente se tornou o segundo a ser afundado pelos houthis na região desde novembro. Os houthis afirmam que seus ataques a navios internacionais que acessam o Canal de Suez pelo Mar Vermelho são em solidariedade aos palestinos em Gaza.

Dois navios de resgate estavam a caminho para recuperar o Tutor quando foram informados que o navio havia afundado, disse Andreas Tsavliris, um dos proprietários da Tsavliris’ Salvage, à Reuters. As forças navais informaram na terça-feira à tarde que o Tutor, com bandeira da Libéria, havia afundado e que havia destroços e indícios de óleo no local.

VÍDEO: Ataque dos Houthis ao navio mercante Tutor

“Portanto, abandonamos a missão”, disse Tsavliris. A empresa gestora do navio, Evalend Shipping, com sede em Atenas, não respondeu aos pedidos de comentário da Reuters. O navio transportava 22 tripulantes das Filipinas, que foram evacuados em 14 de junho por autoridades militares e repatriados. Um tripulante, que estava na sala de máquinas do Tutor no momento dos ataques, continua desaparecido, informou o Departamento de Trabalhadores Migrantes das Filipinas.

O Rubymar, de propriedade britânica, foi o primeiro navio afundado pelos houthis, em 2 de março, cerca de duas semanas após ser atingido por mísseis. Na semana passada, os houthis também danificaram seriamente o Verbena, com bandeira de Palau, carregado com materiais de construção. Marinheiros do Verbena abandonaram o navio quando não conseguiram conter um incêndio causado pelos ataques, e agora ele está à deriva no Golfo de Áden, vulnerável a afundar ou a novos ataques.

Os ataques de drones e mísseis dos houthis forçaram as empresas de navegação a desviar os navios do Mar Vermelho e do Canal de Suez para a rota mais longa ao redor do sul da África, atrasando entregas e aumentando os custos de frete.

Subscribe
Notify of
guest

103 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Welington S.

Os houthis afirmam que seus ataques a navios internacionais que acessam o Canal de Suez pelo Mar Vermelho são em solidariedade aos palestinos em Gaza.”

São bem solidário mesmo.

~clowns

Orivaldo

Terroristas agora são chamados de Militantes

Maurício.

Tem uns que são chamados de militares…

Romão

Cara, tem regime genocida que é chamado de “Estado”.

Orivaldo

Federação Russa ?

Heli

Sim, e Israel também. E não vamos esquecer dos EUA, UK e França

Tallguiese

Cara não foram os israelense que começaram essa patifaria. Porque o mesmo não se aplica ao Hamas? O Hamas atacou primeiro sem dó de ninguém. Ou e só deixar Israel quieto que eles também não mexem com ninguém.

wilhelm

“não foram os israelense que começaram essa patifaria”

Sim, a guerra entre os palestinos e israelenses realmente começou em outubro do ano passado.

Antonio Palhares

Tem uns que são chamados de oposição moderada.

Iran

Houthis 2 x 0 EUA

Impressionante como ter uma força missilística capaz é uma das maiores formas de dissuasão, o Brasil deveria aprender com isso, porque além de eficaz é barato.

No One

Sua extraordinária insensatez merece um prêmio. Atacar um navio mercante é puramente um ato de covardia e criminoso. O navio pode navegar sob bandeira de um país e ser operado por uma empresa totalmente diferente, enfim os tripulantes que frequentemente são de inúmeras nacionalidades, sem mencionar a mercadoria trasnportada. Golpear um navio mercante, indefeso, hoje em dia significa prejudicar inúmeras nações em um único e covarde ataque. Desde que começaram com essas ações terroristas, os sujeitos já golpearam diretamente ou indiretamente mais 65 nações. Isso sem avaliar o prejuízo econômico. As marinhas militares ocidentais continuam navegando ilesas por àquelas águas… Read more »

Last edited 25 dias atrás by No One
Iran

Insensatez pelo o que? Por dizer que os Houthis estão atingindo seus objetivos estratégicos por afundar navios mercantes sem que os EUA e demais nações consigam evitar? Isso é um vitória, não importa se é covarde, se é feio ou qualquer coisa do tipo, a questão é que eles estão fazendo isso, e já prejudicaram muito a economia de Israel e de países mediterrâneos desta forma, não adianta tentar moralizar uma análise estratégica. E não só o Brasil mas todos os países devem aprender com isso, o próprio EUA revelou recentemente como mostrou uma matéria da Trilogia que numa pretensa… Read more »

Orivaldo

Dos milhares de Navios mercantes que passam pela região, afundou esse. Você claramente está torcendo para que continue. Isso é o que os Alemães faziam com muita frequência na Primeira e Segunda Guerra. Outra coisa, quais as fontes disso que você escreveu: ” e já prejudicaram muito a economia de Israel e de países mediterrâneos desta forma” o que seria prejudicar muito ?

Iran

Eu não torço, mencionar que o afundamento de um navio pelo Houthis é uma vitória para eles não é torcida, é uma constatação. Prejudicar muito é tipo o porto de Eliat que é um dos principais de Israel e que perdeu mais de 60% do trânsito por conta do bloqueio Houthi.

Jagder

Isso. Se bamdidos entrarem.na sua casa e assassinarem sua família “Isso é um vitória, não importa se é covarde, se é feio ou qualquer coisa do tipo”.

Gustavo

Você chama polícia, não tem nada ver uma coisa com outra.

Iran

A comparação de uma situação doméstica e de uma geopolítica é completamente diferente.

No One

Antes de tudo saiba diferenciar entre tática e estratégia. O terrorismo é uma tática, não uma estratégia. Muitos utilizam os dois vocábulos como intercambiáveis, mas não são. A estratégia é a sua meta final, o seu grande objetivo, algo primordial e imprescindível. A tática são ações que você planeja e atua para alcançar a sua estratégia. “Estratégia: um plano para atingir uma meta é uma estratégia. Tática: as atitudes tomadas para atingir esse objetivo” A estratégia é difícil ou praticamente impossível de mudar, pois daquele objetivo depende seu sucesso ou fracasso. Já a tática é possível ajustar e mudar dependendo… Read more »

Iran

Eu sei a diferença, a tática é o emprego de mísseis e drones para afundar os navios, a estratégia é bloquear comercialmente Israel, ao meu ver ficou claro no meu comentário.

No One

“próprio EUA revelou recentemente como mostrou uma matéria da Trilogia que numa pretensa luta contra a China usariam uma estratégia semelhante usando milhares de drones, ”

Tática ! E mais, em nenhum momento foi declarada a intenção de golpear alvos civis e sim contra uma eventual invasão militar chinesa.

Eles, os Houthis, demonstram
a total incapacidade de enfrentar os ativos militares dessas potências que eles hostilizam e atacam apenas civis.

Orivaldo

Na verdade está 20×0. Você não viu na mídia Houthi que eles afundaram um PA Nuclear ?

Felipe

Afundar, não afundaram, mas fizeram ele se retirar (ou avançar pra tras). Quem tem, tem medo…

Joao

O Ike saiu por estar previsto sair. Ficou 2 meses a mais em comissão….

Fernando Vieira

Se for fazer placar, só o USS Carney está dando uma goleada neles. O destroyer deve estar navegando até mais leve depois de usar tantos mísseis para abater drones terroristas.

Franz A. Neeracher

Só como complemento.

O USS Carney DDG 64 voltou dia 19/05 a sua base de Mayport, EUA.

Fernando Vieira

Bom saber. A tripulação deve estar aproveitando um merecido descanso.

Franz A. Neeracher

Com certeza 👍

Fernando

Exato!! E com isso, os USA ficaram alguns milhões de dólares mais pobres. Tática para cumprir uma estratégia?

Fernando Vieira

Se esses drones não tivessem sido abatidos pelo Destroyer, sabe-se Deus o que eles poderiam fazer. Poderiam ter afundado outro navio mercante como o dessa matéria. Isso poderia ter custado vidas de marinheiros inocentes. Poderia o próprio destroyer ser o alvo, nesse caso o prejuízo seria maior.

No fim a função de um navio de escolta é justamente essa: Proteger a si mesmo e a outros navios. E ele a cumpriu bem.

Com relação aos custos, certamente um míssil daqueles é mais caro que o drone em si. Mas qual a outra alternativa? Torcer pro drone errar?

No One

A insensatez é obvia quando você sugere que o Brasil e suas forças armadas deveriam aprender algo com grupos criminosos que utilizam praticas terroristas , algo que não gerou nenhum benefício para o Iêmen e a sua população. Pelo contrário, duvido alguém ter simpatia pela causa deles agora . Dissuasao ? Mais uma vez entenda os vocábulos que você utiliza. Que dissuasao isso oferece ? Sequer conseguem golpear e danificar uma unidade militar, as mesmas podem revidar tranquilamente. Dissuadir significa fazer alguém desistir de algo. Alguém, entre os supostos adversários, se intimidou ? Mudou de idéia? Há uma situação de… Read more »

Last edited 24 dias atrás by No One
Gustavo

Moralismo não ajudou quando Estados Unidos uso gás laranja no Vietnã, aquilo e guerra , hutis fez bloqueio no mar vermelho sem ter navio , isso é um feito , e um aprendizado para Brasil se quer manter seus portos livres, drones e mísseis tem que ser produzido e uma tecnologia que tem quer dominada.

Leandro Costa

Gustavo, Agente Laranja não é gás. É um produto químico usado como desfoliante. A idéia era ‘desmatar’ a vegetação para eliminar a cobertura dos Vietcongs/Norte-Vietnamitas. Foi após o conflito que se descobriu que o agente químico (em forma líquida) era nocivo à saúde humana. Muitos dos próprios soldados americanos foram expostos ao fazerem patrulhas pelas áreas atingidas.

Gustavo

Ninguém usa uma arma e não sabe de seus efeitos só não se importaram com as consequências, queriam destruir para desfolhar a vegetação da qual os vietnamitas se alimentavam e utilizavam de esconderijo. Mantar vilarejos de fome e seus decedentes até hoje sofre com seus efeitos.
Se fosse para matar alguns de seus soldados , era um meio justificado.

Leandro Costa

Não, Gustavo. Agente Laranja não era nem considerado arma. Daí seu uso. Foi usado inclusive nos EUA.

No One

Ok, se você considera que são situações e contextos similares, que podem ser replicadas no Atlântico Sul … Primeiramente sugiro observar melhor o mapa, quem sabe notará algumas pequenas diferenças geográficas. Depois de ter feito isso, avalie as consequências de ações tão imbecis como atacar indiscriminadamente alvos civis de nações que sequer participam dessas divergências. Enfim gostaria de entender o que é um bloqueio naval … Não faz duas semanas que o Cavour da MMI cruzou o Mar Vermelho , se a ameaça é tão letal, deveriam ter optado pelo cabo da Boa Esperança… ?resize=750%2C423&ssl=1 P.S. qualquer babaca pode realizar… Read more »

Last edited 24 dias atrás by No One
Gustavo

Estão desacreditando marinha americana,mesmo com tudo que eles tem de melhor , eles não co seguiram manter segurança marítima naquela região.
Entende isso.

Nei

Não existe nenhuma vitória no que eles fizeram até agora.

Um pequeno sucesso foi atingido, como nesse caso, pois não tem como ter um navio militar fazendo patrulha ou segurança 100% de navios mercantes civis e os Houthis tem essas armas antinavios e esses barco carregados de explosivos.

Assim como o Hamas, os Houthis não estão trazendo nenhum benefício ao seu povo, mas sim criando mais ódio em ambos os lados.

Fernando

Diga isso para os USA em Hiroshima e Nagasaki!!

Fernando Vieira

Uma coisa que o Brasil tem que aprender nesse caso é dispor de meios capazes de neutralizar essas ameaças. Esses drones e mísseis são efetivos contra navios mercantes porque eles não tem defesas. mas quando disparados contra navios militares eles são invariavelmente abatidos.

Nisso eu acho que as nossas novas Tamandarés nascem sem grandes capacidades nessa área. Ah tem mísseis anti-aéreos? Tem. Mas tem pouco. Veja quantas vezes apenas o USS Carney já foi acionado para abater esses drones. Uma FCT já teria que ter voltado ao porto para rearmar porque gastou todos os mísseis.

No One

Provavelmente alguns não irão concordar , mas considero as Tamandaré ótimas CORVETAS ( ou se preferem “FRAGATAS LEVES”) , uma classe ideal para fornecer massa a nossa depauperada frota. Feitas pequenas ressalvas ( por exemplos, os VLS tremendos que não fornecem nenhuma flexibilidade, não me agradam ). O fator limitante é o custo. Nações como RPC, Coreia, Japão ou Itália, possuem uma indústria naval que permite poupar recursos, o exato contrário da nossa realidade. Dependemos de projetos estrangeiros e não temos moeda forte e recursos para fazer grandes aquisições como no caso da Austrália. Obviamente a nossa marinha também necessita… Read more »

Rommelqe

Concordo contigo FERNANDO VIEIRA. Entendo que as FCT devem ser melhor armadas para enfrentar esses desafios relacionados a drones e equivalentes. Por exemplo, uma lancha remotamente pilotada com uma tonelada de explosivos tem que ser destruida com canhões de alta cadencia de tiro e com possibilidade de atingir alvos flutuantes a apenas uns 100~50 metros do seu casco. Os CIWIs também são aptos a atingir drones. Acho que as FCTs tem sim que melhorar suas defesas.principalmente em quantidade. Um enxame de drones e lanchas não tripuladas podem saturar as defesas atuais e afundar uma FCT com uma certa facilidade…esses meios… Read more »

Fernando

Seu comentario nao faz nenhum sentido. Pelo seu raciocinio, nao deveriam ser empregadas armas nucleares pois aniquilam a população civil. Algum pais atômico se abstem de armas nucleares?

Felipe

Pois é. Estão fazendo até o porta-avioes fugir…

Gustavo

Fez bloqueio no mar vermelho sem ter navio, isso mostra evolução das táticas militares, espero que nossos militares observa essas táticas.

Miguel Carvalho

Será que se esses defensores da paz, atacassem navios mercantes que fazem o comércio das matérias primas brasileiras para a China e dos bens manufaturados da China para o Brasil, o meu amigo falaria assim ?

A estupidez não tem limites.

Jack

A Rússia levou e está levando um sacode da Ucrânia na questão de drones maritimos…os EUA não estão conseguindo defender os navios mercantes…a leitura que fiz é que hoje em dia possuir o titulo de “Potência Militar” não significa que não será atacado por um inimigo ou que esse “inimigo” não consiga ter um certo sucesso, através de mísseis no caso marítimos.

No One

Apenas como complemento e com o propósito de ajudar o debate…
A frota russa do Mar Negro perdeu
mais 25.000 t de deslocamento .
Desde então, a marinha russa na sua totalidade, comissionou apenas 18.000 t…

Não há comparação possível entre as duas situações…

Alex Barreto Cypriano

Concordo, Iran.

Alex Barreto Cypriano

Pros ignorantes, vale a pena iluminar as possibilidades, sobre as quais me poupo descrever:
https://www.twz.com/land/armys-new-prsm-ballistic-missile-hits-moving-ship-for-the-first-time-in-pacific-test

Iran

E porque o Brasil deveria tirar seus escassos meios navais do nosso teatro de operações (Atlântico Sul) para ir lutar contra uma milícia quase do outro lado do mundo por países estrangeiros?

Não é um ataque aos EUA, Israel e aliados, ou uma defesa dos Houthis ou qualquer milícia extremista islâmica, mas o Brasil no meio disso é algo que não faz sentido.

Carlos

Faz todo o sentido porque o primeiro navio afundado transportava fertilizantes comprados pelo Brasil também nem a OTAN nem a UE são policias do mundo e a UE e os EUA não deveriam deixar aportar navios que tenham passado pelo Mar Vermelho, porque deixou de haver livre concorrência, e a maior companhia europeia de transportes marítimos, a Maersk, proibiu os seus navios de passarem pelo Mar Vermelho, e se ficar mais caros muitos dos produtos importados pode ser que se justifique a produção na UE e os países mais interessados, Egito, Arabia Saudita, EAU, Índia e China, são países dos… Read more »

Carlos

Navios militares não resolvem o problema, só mesmo botas no terreno, ou isso ou isolarem o Irã para que este não apoie hothis.
Está na hora dos BRICS mostrarem o que valem

Iran

E você acha que o Brasil enviar navios para lá irá resolver isso como exatamente? Aquilo ali nem a US Navy resolve, a única forma de fazer os Houthis pararem seus ataques é resolver a questão dos dois estados Israel-Palestina.

KKce

“Resolver a questão Israel-Palestina” você quer dizer a criação dos dois Estados e dar a eles autonomia? Mesmo fazendo isso as ações daqueles grupos não vão parar, não estão nem ai pra um Estado Palestino, o objetivo deles é outro.

Carlos

Ainda acreditas no Papai Noel? Enquanto houver um Irã por trás dos Houthis não haverá paz nunca, haja ou não um ou dois estados, mas apenas quero-te lembrar que se a UE proibir a entrada de navios que atravessem o estreito de Bab El Mandeb, são os países do BRICS que irão perder muito no comércio internacional como tal são os BRICS que têm de se organizar e colocar as botas no terreno ou exigir ao Irã, que também é membro do BRICS, que ordene os Houthis para pararem os ataques a navios. Navios nada resolvem, só mesmo homens no… Read more »

Fernando

E tambem exigir dos USA que parem de abastecer a industria genocida de Israel.

Willber Rodrigues

EUA e nações europ3iaa, com NaE’s e os navios mais modernos atualmente, não co seguiram evitar isso, mas nossas “fantásticas” Niteróis farão a diferença, confia…

Dalton

A situação é muito complicada, os “Houthis” não controlam todo o Yemen que tem um governo reconhecido e qualquer ação mais brusca poderá escalar o conflito trazendo ainda mais miséria a um dos países mais pobres do mundo ou seja nem há muitos alvos significativos a serem bombardeados e sempre se terá morte de civis que como sempre são usados com objetivos propagandísticos. . O que dá para fazer no momento é continuar protegendo os navios mercantes – poucos foram até o momento atingidos – e bombardear alvos específicos como os estoques de mísseis até que uma paz interna seja… Read more »

Willber Rodrigues

Se os Houthis fazem isso hoje, mesmo com vários meios das marinhas da OTAN na área, imagina quando eles tiverem acesso a mais tecnologias, por via do Irãn…

No One

Eles fazem isso graças as armas e informações fornecidas pelo Irã… Já ficou mais que óbvio.

Dalton

Conforme anunciado finalmente o USS D.Eisenhower deixou o Mar Vermelho a caminho de casa, que deverá durar cerca de duas semanas atravessando todo o mediterrâneo até
Gibraltar e em seguida atravessando o Atlântico até a costa leste dos EUA.
.
Deverá ser substituído pelo USS Theodore Roosevelt que no momento encontra-se na Coreia do Sul , por uns 2 meses até que o USS Harry Truman esteja devidamente certificado para daí sim assumir por um período mais longo.

Franz A. Neeracher

Dalton Como o CVN 71 tb já está a muito tempo fora de casa; creio que essa opção aqui seria possível. 1. CVN 70 irá participar da RIMPAC e depois, início de agosto, seria enviado para a 7. Frota, já que o CVN 73 ainda estará ocupado na mudança com o CVN 76. 2. CVN 70 iria mais tarde para a 5. Frota sendo substituído pelo CVN 72 na 3. Frota…ou Abe iria direto para a 5. Frota. 3. CVN 72 está numa fase de treinamento mais adiantada que o CVN 75. UPDATE: Acabei de ler que o CVN 71… Read more »

Last edited 24 dias atrás by Franz A. Neeracher
Dalton

Franz, você provavelmente sabe mais do que eu, mas, só para se ter um contexto maior, a princípio a responsabilidade maior pelo Mar Vermelho inclusive operando mais ao norte dele é da Frota do Atlântico, houve um rodízio dos 4 NAes dela em ordem cronológica desde 2022, CVNs 75, 77, 78 e o 69 e não fosse um atraso de 2 meses no cronograma de manutenção do CVN 75 ele estaria a caminho de lá agora. . Como o CVN 75 ainda precisará de mais uns 2 meses para estar devidamente certificado o CVN 71 que está mais próximo e… Read more »

Franz A. Neeracher

É…..vamos esperar para ver o que acontece 😊👍

Orivaldo

Não foi esse que os Houthis afundaram ?

Dalton

Foi o que os “Houthis” quiseram que nós acreditássemos.

No One

Claro rsrsrs , eles tem mais é que rezar Alláh para que isso nunca aconteça, pois o dia que esses sujeitos afundarem uma unidade da USN, não existirá empecilho econômico ou moral, o congresso americano irá exigir a cabeça deles .

Burgos

Outra solução para os mercantes mas não é nada barata seria contratar empresas de segurança ou mercenários especializados em guerra assimétrica e anti aérea, colocar 6 Mtr.50 a bordo( 2 pelas bochechas de BB/BE, 2 pelas aletas de BB/BE 1 na proa e 1 popa) e alguns mísseis portáteis AA já preparado para lançamento, mas como falei, não é muito barato contratar esse tipo de serviço.🤷‍♂️

Franz A. Neeracher

Não é assim tão fácil. Uma coisa é colocar espresas de segurança com armas leves para evitar de serem atacados por piratas…..coisa comum em certas áreas da África e Ásia. Mas mísseis portáteis AA são (corretamente) de uso exclusivo para militares….imagina se esse tipo de arma cai em mãos de terroristas ou bandidos. Fora o grande risco de manuseio incorreto desse tipo de armamento, imagine acertar uma aeronave de um país aliado…… seria necessário uma rede de apoio com radares e comunicações….além dos altos custos financeiros, problemas técnicos, os pontos de vista jurídico e etc… E quem arcaria com esses… Read more »

Last edited 24 dias atrás by Franz A. Neeracher
Burgos

Sim !!!
Como falei no outro post.
Solução nada barata e com vários entraves políticos, jurídicos, e financeiros e até mesmo material.
Complicado 😰
Bom dia pra todos☀️

Dalton

E além do mais Franz “mísseis portáteis AA” não seriam efetivos contra muito do que os “Houthis” estão utilizando, se está vendo desde Super Hornets voando com 9 mísseis – uma combinação de “AIM 9” e “AIM 120” até “Aster 15” e “SM-2” lançados de combatentes de superfície.

Franz A. Neeracher

Exato, talvez seria eficaz contra um drone ou outro.

Burgos

Solução cara a sua, eu mandei uma um pouco mais barata.
As que eu falei são caras também , mas são mais baratos das que vc citou vc falou com o Franz mas direcionou a mim.😏

Dalton

Não adianta ser “barata” e ineficiente Burgos foi o complemento que fiz à réplica do Franz ao seu comentário. . Até onde sabemos “mísseis portáteis AA” não foram utilizados e sim alguns dos mísseis que mencionei, são caros, mas efetivos e a maioria dos navios passou só não é possível garantir 100%. . No mais se está tentando evitar a escalada do conflito, é uma situação complicada quando se tem um dos países mais pobres do mundo dividido entre um governo reconhecido e um grupo terrorista então enquanto for possível se continuará protegendo os navios, bombardeio de alvos específicos e… Read more »

Heinz

O exército da Arábia saudita é tão fraco assim para não conseguirem eliminar os houthis? Ou pelo menos deixar bem enfraquecidos.

Vinicius Momesso

A AS assinou um acordo de Paz com o Irã, que financiam diretamente os Houthis. O que ganharia os sauditas em romper esse acordo?

Joao

Heinz
Até hj, pouquíssimos foram os casos de se conseguir acabar com grupos terroristas/guerrilheiros.
O Brasil foi um dos poucos que conseguiu na década de 70, no Araguaia, pcp pq agiu bem cedo, antes do câncer aumentar muito.
O terrorismo urbano também não foi muito pra frente, tanto pela ação contra eles, como pela falta de comprometimento desses.

Romão

E o Brasil vai acabar com o CV. e o PCC quando ?

Talisson

Não é uma comparação válida. A guerrilha precisa que a comunidade a proteja. Os comunistas não tiveram esse apoio e o financiamento sovietico era escasso, segundo Alessadro Visacro o “foquismo” não foi próspero em nenhum país da região. Com o tráfico é exatamente o contrário, brota cliente até do esgoto e esse mercado tem proteção de uma lawfare. Querem liberar posse de 60g daquela erva. Ora, um cigarro dela não pesa 0,4g. Querem liberar “posse” art 28, de mais de 100 cigarros(!). Nenhum usuário jamais andou por aí com 100 cigarros. As facções vão comemorar mais uma. Ingelizmente isso è… Read more »

Last edited 23 dias atrás by Talisson
EduardoSP

Itália, Alemanha, Argentina, Espanha, Uruguai, todos eles acabaram com grupos terroristas. E os europeus sem tortura, assassinatos e “desaparecimentos”.

EduardoSP

Estou torcendo para eles fecharem completamento trânsito por Suez. O impacto será global e China e Índia e Irã, que terão seu comércio impactado, vão se mexer.

Gustavo

Bloqueio naval sem ter navios, Estados Unidos só vai ter pepino daqui pra frente , se o Brasil buscar armar nucleares , aí sim águia fica sem pelos kkkkkk.

Romão

Brasil não tem nem serviço secreto, como vai ter armamento nuclear ?

Jefferson Ferreira

kkkkk arma nuclear pra lançar doq ? de estilingue kkkk

Felipe

Estão vendo que o todo poderoso USA, com um grupo completo baseado em porta-avioes, mais navios de várias marinhas da Otan, não estão conseguindo proteger embarcações em um pequeno trecho do mar vermelho, contra um grupo de insurgente de sandálias e buscapés? Ja pensou em uma guerra de alta intensidade contra mísseis hipersonicos da China e Rússia?

Orivaldo

A mesma Rússia que está atolada na Ucrânia faz 2 anos ?

Fernando

Sim, e que detem 20% da Ucrania. Boa troca!

Dalton

Os iranianos “bancam” esses “insurgentes”, os EUA “bancam” Israel e outros, mas, nem EUA nem Irã querem de fato uma guerra direta, então o que se vê – por enquanto – são
ataques calibrados e calculados de ambos os lados muitas vezes usando “terceiros” ou
“proxies” nas tais Guerras por Procuração, nada de novo.
.
China e Rússia – apesar de seus “invencíveis mísseis” – também não querem um confronto direto com os EUA.

Maurício.

“China e Rússia – apesar de seus “invencíveis mísseis” – também não querem um confronto direto com os EUA.”

Assim como os EUA, com os seus “game changer” não querem um confronto direto com China e Rússia. No final, são todos farinha do mesmo saco, só atacam cachorro morto, e usam seus capachos quando falta coragem.

Dalton

Quem escreveu sobre “mísseis hipersônicos” foi o Felipe, já passei da idade
de jogar “super trunfo”, na verdade nunca joguei !

Monarquista

E os americanos não possuem mísseis?

adriano Madureira

Ué?! Onde está a poderosa Us Navy, onipresente, onisciente e onipotente com seu poderoso “Big Stick”?!

Last edited 23 dias atrás by adriano Madureira
Dalton

A maior e melhor parte dela está no Pacífico com um grande número de unidades se preparando para o “RIMPAC 2024” então mesmo sem um NAe no Mar Vermelho com a saída do “Eisenhower” – e se levará semanas para o substituto chegar – o mundo irá sobreviver, apesar dos ataques ao comércio no Mar Vermelho.

Alex Barreto Cypriano

Antes de falar mal do Yemen, ou de parte deste Estado, vamos lembrar o que aconteceu com eles? Aqui:
comment image&tbnid=-60pCNj218bclM&vet=1&imgrefurl=https%3A%2F%2Fwww.britannica.com%2Fevent%2FYemeni-Civil-War&docid=h8i0OCuPF54O4M&w=2000&h=1500&source=sh%2Fx%2Fim%2Fm4%2F2&kgs=76ef16285a452b7e&shem=abme%2Ctrie

Last edited 23 dias atrás by Alex Barreto Cypriano
No One

O que aconteceu com eles ?

Podemos utilizar a mesma desculpa com os israelenses ?

“Antes de falar mal de Israel, ou de parte deste Estado, vamos lembrar o que aconteceu com eles? ‘

Tudo justificado, correto ?

No mais, houthi/ Hezbollah/ Hamas … Tudo farinha do mesmo saco… Se fazem de vítimas, mas são carrascos.

Alex Barreto Cypriano

Então não pode nem lembrar do que aconteceu antes, tem que de saída falar mal e clamar por sangue? Rapaz, que atitude ruim a sua. Ela vai te impedir de entender a frase de Finkelstein sobre a ação Houthis: ‘no business as usual while ongoing genocide’.

Last edited 23 dias atrás by Alex Barreto Cypriano
Fernando

Inclua aí Israel e USA nesse mesmo saco.

Antonio Palhares

Uma pergunta para os entendidos e bem informados.
É verdade que eles atacaram um porta aviões americano ?

Franz A. Neeracher

Não sou nenhum “entendido”, mas por enquanto só existe boatos, nenhuma informação oficial.

Pessoalmente, creio que se houve algo, no máximo um ataque devidamente repelido pelas forças americanas.

Um ataque bem sucedido é praticamente impossível manter em sigilo em um navio com cerca de 5.500 tripulantes mais os escoltas.

Antonio Palhares

Obrigado.

EduardoSP

A foto principal mostra o navio bem inclinado em direção à popa, mas não dá para ver nenhum dano à meia-nau na lateral esquerda, onde, segundo o vídeo, teria sido atingido por um míssil ou bote com explosivos. Não dá para ver danos na estrutura e na pintura na estrutura da popa. Nem uma mancha decorrente de explosão ou estrutura da escada danificada. Já o vídeo mostra o que parecem ser três ataques, um na popa (0:01s), outro à meia-nau (0:15s) e outro novamente na popa (0:48s). No último ataque parecem ocorrer três explosões, primeiro a boreste, depois a bombordo… Read more »

C G

Infelizmente um segundo engenheiro filipino perdeu a vida, é preciso colocar os pingos nos “is”, isso é terrorismo em sua mais pura essência, civis sem nenhum valor militar e sem chance de defesa sendo mortos, essa solidariedade com a palestina caminha junto com a barbárie.
Espero que após todo este rolo com o Hamas os Houthis tenha seu momento “FAFO”!

BraZil

Os Houthis estão fazendo escola. Muitos aprenderão com seus sucessos. Depois desses desdobramentos, quem sabe o que virá…