sábado, março 6, 2021

Saab Naval

Bulgária concorda em comprar duas corvetas da França

Destaques

IMAGENS: Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais – A11

Algumas das melhores fotos do NAeL Minas Gerais (A11) com seu grupo aéreo embarcado de aviões P-16 Tracker da...

TOPEX 1-87: USS Nimitz e cruzador nuclear USS California no Brasil, em 1987

Em 1987 eu era tripulante da fragata Niterói - F40 e quando estava em operação no mar, fazia parte...

SIMULAÇÃO: ‘Operação Pólvora’ – FAB e MB enfrentam o USS Nimitz

No início de novembro, o presidente Jair Bolsonaro em discurso com tom bélico ameaçou usar pólvora quando acabar a...
Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

corvette_gowind-200_concept_lg.jpg

A Bulgária finalmente concordou em comprar da França duas corvetas de nova geração Gowind, reduzindo para metade o compromisso anterior de quatro navios, por causa de problemas de financiamento. O contrato inicial para quatro navios era de 900 milhões de euros (cerca de US$ 1,25 bilhão), no final de 2007.

Em Paris, na assinatura de um Acordo de Parceria Estratégica entre os dois Estados da União Européia, o primeiro-ministro búlgaro Sergei Stanishev confirmou uma ordem provisória para dois navios, um dos quais deverá ser construído na Bulgária, no porto de Varna, no Mar Negro.

A classe Gowind de corvetas foi concebida para guerra anti-superfície e de segurança marítima, e será construída pelo estaleiro estatal francês DCNS, que é de 25 por cento de propriedade da empresa de defesa Thales.

Os navios, que são uma derivação das fragatas franco-italianas multimissão FREMM, terão 103m de comprimento e 1.950t de deslocamento,

Seguindo a tendência dos navios do século XXI, as “Gowind” são projetadas para operar veículos de superfície não-tripulados (USVs) e veículos subaquáticos não-tripulados (UUVs). Terão um convôo para operar helicópteros de até 10 toneladas e veículos aéreos não-tripulados (UAVs).

As armas serão controladas pelo sistema de combate Setis, com um radar multifuncional, células verticais para lançamento de mísseis antiaéreos Aster 15 ou Mica-VL. O navio poderá ser armado também com mísseis MM40 Exocet ou Harpoon.
As corvetas “Gowind” têm design stealth, com um único mastro concentrando os sensores do navio, melhorando a assinatura eletrônica e garantindo a cobertura de 360 graus para os radares e outros sensores.

A propulsão será CODAD (Combined Diesel and Diesel), sem chaminé, canalizando os gases de exaustão no sistema de propulsão water-jet, diminuindo a assinatura infra-vermelha. O sistema water-jet é adequado para manobras em águas rasas e permitirá altas velocidades ao navio.

- Advertisement -

10 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Roberto

alguém sabe dizer o valor destas corvetas ??elas teriam uma real utilização na MB ?

André

Um navio como esse não seria o mais indicado para patrulhar a nossa costa, já que, ao meu ver (posso estar totalmente equivocado), não seria tão útil como uma escolta nos dias de hoje?

König

Ela serviria para aposentar as Ihauma e a Barroso mas não as Type-22 e Niteroi, Mas a FREMM seria uma boa.
Saudações

McNamara

São navios com grande capacidade de combate, e excelentes escoltas sim, porém com limitada capacidade antiaérea.
Para o Brasil navios no padrão dessa classe são ainda um sonho.

Jorge

Desculpe em não concordar McNamara. 1. Somos mais ricos que a Bulgária! Ou não? 2. Precisamos de uma MB ativa e com pelos 80% do seu efetivo em operação, para cuidar da Amazônia Azul (se a expressão não agrada a todos, paciência!). 3. O dia que formos contabilizar somente os gastos supérfluos dos últimos 24 anos dos governos pós regime militar, descobriremos que só não temos FF.AA. em melhores condições por desonestidade de propósitos. Citar descaso, revanchismo ou culpa dos militares é desculpa para boi dormir! Chefe quando quer, põe ordem na casa! Só não faz isso quando a bagunça… Read more »

Baschera

Podendo operar Aster-15 ou Mica-VL mais UAVs…. não tem boa cobertura aérea imagine a MB….
Sds.

Moriah

Seria otimas em uma versão OPV, mas em alto-mar, as FREMM são superiores. Precisamos de mais OPV do que corvetas para fazer esse papel. O dinheiro gasto em um navio nesta configuração, poderia ser empregado em opv´s e fragatas como a FREEM.

Moriah

Ah! Elas parecem excelentes para o Mar Negro, e certamente os turcos vão adorar….hahaha Principalmente depois que a Grecia tb adquirir as FREMM…hehehe

Paulo Costa

A Bulgaria recentemente entrou para a Otan,nada mais natural
que use tambem equipamento Otan.
Acredito ser uma boa escolha para a MB,dependendo do equipamento,
de defesa e ataque.

Nunão

À parte capacidades, armamento etc, êta naviozinho horroroso. E caro. E esse mastro que também serve de domo do radar parece um chapéu de burro.

- Advertisement -

Guerra Antissubmarino

Sea Dragon 2021: Exercício ASW multilateral entre os EUA e nações parceiras

De 14 a 28 de janeiro, Índia e Japão se juntarão ao 'Sea Dragon 2021', exercício de guerra antissubmarino...
- Advertisement -
- Advertisement -