Home História 100 anos de submarinos alemães – parte 5

100 anos de submarinos alemães – parte 5

1399
23

dolphin3.jpg

Dolphin: os submarinos Tipo 800 de Israel

dolphin2.jpgOs três submarinos Tipo 800 de 1.925 toneladas, conhecidos como classe “Dolphin” (Dolphin, Leviathan e Tekumah), foram desenhados pela IKL e construídos pelos estaleiros Howaldtswerke-Deutsche Werft AG (HDW) da Alemanha Ocidental, para a Marinha de Israel. Quando foram incorporados, no final da década de 90, representavam o que havia de mais moderno em matéria de submarinos convencionais no mundo. A tecnologia desses submarinos foi baseada no Tipo 209, mas bastante modificada e ampliada.

Os “Dolphin” custaram US$ 320 milhões cada, mas Israel só pagou por um submarino. Os outros dois foram doados pelo governo Alemão, como compensação pelo apoio que a Alemanha deu ao Iraque na produção de agentes químicos, que foram mais tarde usados contra Israel na Guerra do Golfo, em 1991.

dolphin-4.jpgO projeto destes submarinos foi inicialmente estruturado por uma equipe industrial constituída da HDW e Thyssen Nordseewerke, liderada pelo estaleiro Ingalls americano. A idéia era produzir os submarinos nos EUA com financiamento do FMS, mas o projeto foi cancelado em 1990. Israel tem 50% de direitos sobre o design da classe “Dolphin”, pois o submarino foi projetado seguindo estritamente as especificações de sua Marinha.

Os “Dolphin” são equipados com 6 tubos lança-torpedos de 533mm e 4 tubos de 650mm. Suspeita-se que os tubos de maior diâmetro estão sendo usados para disparar o míssil de cruzeiro Popeye Turbo. Segundo algumas fontes, o míssil de cruzeiro já foi lançado pelos submarinos de Israel no ano 2000, no Oceano Índico, e teria acertado alvos a 1.500km de distância. Israel desenvolveu uma ogiva nuclear de 200kg, com 6kg de plutônio, que poderia ser montada no Popeye Turbo.

popeye-turbo.jpgOs três “Dolphin” estão sendo operados pela Marinha de Israel sob o sistema de rotação. Dois dos navios estão permanentemente no mar: um no Mar Vermelho e o outro no Mediterrâneo. O terceiro permanece em standby ou reparos.

Israel assinou um contrato com a ThyssenKrupp (agora dona da HDW), para comprar mais dois submarinos do tipo. Os dois novos submarinos serão uma versão atualizada dos “Dolphin”, e vão ser equipados com o mesmo sistema AIP de células de combustível em uso nos Tipos 212 e 214.
Em 6 de julho de 2006, o governo da Alemanha decidiu pagar um adiantamento para iniciar a construção dos submarinos, de cerca de 170 milhões de euros. Os dois submarinos vão custar, ao todo, cerca de 1,3 bilhão de euros, dos quais um terço será pago pela Alemanha. O primeiro deles está programado para ser concluído em 2012.

dolphin-7.jpg

dolphin-5.jpg

dolphin-6.jpg

dolphin-8.jpg

Ficha técnica:

  • Deslocamento: 1.640t na superfície, 1.900t submerso
  • Profundidade de operação: pelo menos 200m
  • Dimensões: 57 x 6,8 x 6,2m
  • Propulsão: Diesel-elétrica, 3 diesels, 1 eixo, 4.243shp, 20 nós (37 km/h)
  • Tripulação: 35 + 10 commandos
  • Armamento: 6 tubos de torpedo × 21 polegadas (533 mm), capazes de lançar o Sub-Harpoon, 4 tubos de torpedo x  25.5 polegadas (650 mm) para mísseis e mini-submarinos.

23 COMMENTS

  1. Interessante essa matéria.

    Pouco se fala da marinha de Israel. Esses submarinos deles tem bastante capacidade.

    Agora o domínio de Israel sobre a Alemanha é impressionante. Alemanha pagando por causa das armas que forneceu para o Iraque. Ja pensou se o Lula escuta essa???

    Vai querer pagar as reparações da Guerra do Paraguai dando Itaipú.

    Mas voltando ao assunto gostaria de saber um pouco mais sobre essa marinha e sobre sua participação nos conflitos de Israel.

  2. Isso prova que mais uma vez sem querer os alemães marcaram história pelo lado que não fica bem.
    Essa compensação é material apenas…

  3. A Alemanha é o único país do mundo que fabrica submarinos e eles são o que há no estado da arte, sobrepujando até os americanos e os russos.E o que é legal que o resgate da história submarina alemã fique evidente num momento em que o país está para assinar um contrato de compra de cinco submarinos franceses. Essa, os submarinos alemães já perderam.

  4. Marujo creio que você está muito enganado na sua opnião: “A Alemanha é o único país do mundo que fabrica submarinos…”??? Não sei de onde você tirou isso.

    Mas vamos ao post, é uma classe muito interessante, mas vale a pena notar que Israel (HDW-Alemã) o projetou especialmente para sua marinha, então será que serviria para nossa? Talvez não. O mais importante nisso tudo é a experiência de Israel, e é isso que o Brasil deveria fazer, como era anteriormente, projetos específicos para nossa MB.

    Sds.

  5. Caro Corsário-DF:tentei, sem sucesso, um toque de ironia com a disposição do blog em colocar em evidência os submarinos alemães, numa tentativa de criar um clima propício a reverter a compra dos submarinos franceses já decidida. Não tenho clareza, e não foi por falta de material postado no blog, das qualidades superiores de um ou de outro.Estou em cima do muro.Só acho estranho o empenho em favor dos alemães.

  6. A Alemanha pagando indenização para Israel por armas químicas que nunca foram usadas.
    Ninguém sabe se Israel tem ou não armas nucleares, e se tem, quantas são. A comunidade internacional não faz a mínima pressão para descobrir?
    Mísseis cruise lançados de submarinos armados com ogivas nucleares, que até os americanos não possuem mais por força de tratados internacionais.
    Sem querer entra no mérito mas só citando o óbvio: Eta Holocausto que rende até hoje. A fatura não vai ser quitada nunca?
    Cada uma!

  7. Não consta que Israel tenha feito nenhum teste nuclear na sua história. Ou seja, se eles possuem armas nucleares ou foram compradas (mais provavelmente doadas) dos EUA ou eles foram os primeiros na história humana a dominarem a tecnologia da bomba sem nem um testizinho. Só na base da simulação por computador.
    Tenho que tirar o chapéu seja por um feito ou por outro.
    Se foram dadas ou vendidas, é um feito inédito que não chamou a atenção da Comunidade Internacional nem de órgãos reguladores e muito menos da ONU.
    Se fizeram por debaixo do pano, por mérito próprio, sem que chamassem a atenção de ninguém e sem que houvesse sequer uma nota de agravo ou de pelo menos de apreensão da Comunidade Internacionl dada a efervecência da geopolítica regional, é um fato duplamente inédito.
    Vai o Brasil ou qualquer outro tentar pra ver. Leva Tomahawk e JDAM no r… até ficar pianinho.
    Quem pode, pode!

  8. Bosco, de qualquer forma os “Dolphin” são ótimas armas de dissuasão, armados com mísseis de cruzeiro.
    Ainda bem que a END prevê o desenvolvimento de mísseis para os nossos futuros submarinos também.

  9. Esses submarinos, por seu tamanho reduzido frente aos IKL-209, e mesmo assim deslocando 1900 tons. quando submerso, devem ser mais espaçosos que a Classe Tupi. Pelas fotos dá para se ver como são “rechonchudos”.

  10. Amigos,
    Primeiramente devemos observar o Teatro de Operações da Marinha de Israel. São MARES FECHADOS, Mediterrâneo e Vermelho. Solução é submarino compacto, silencioso e com AIP. Inclusive com múltiplos tubos lança topedos/mísseis para uma (única) ação fulminante e fuga.
    “Segundamente” os israelenses são muito zelosos com o dinheirinho deles (ótimo exemplo) e vão buscar soluções que reunam qualidade com financiamento barato.
    Minha conclusão: seguir o exemplo de Israel.
    Analisar o nosso Teatro de Operações, comprando e construindo o que for mais adequado… não dá para fugir, é o SubNuc.
    Então buscar quem pode nos dar qualidade com boas condições de negociação e aí, amigos, só tem francês. Fazer o que, negociar e barganhar o máximo.

  11. O design do “HMS Astute” é tão novo qnto o do “Suffren”.
    E sei não, não é um navio tão apertadinho qnto o frances…
    Os mares Mediterrâneo e Vermelho podem ser os T.Os principais da marinha israelense, mas qndo as “Saar” trocavam um pelo outro, o faziam pelo cabo da Boa Esperança; o que demonstra as elevadas qualidades marinheiras de seu design.
    Então este design, se opera a contento em mares confinados, tranquilamente vai operar c/ sobras nas imensidões do Atlantico Sul.

  12. Olha,
    Israel não prega prego em estopa.
    Taí um parceiro que muito poderia nos ensinar e ajudar a desenvolver equipamentos high como este “mini” porrete submarino.
    Isto sem contar seus “outros” equipamentos….
    Sds.

  13. ISRAEL…pode Não ter feito TESTE MAS SAIBA . ROBERT JULIUS OPENHAMER. O PAI DA BOMBA ATOMICA ERA UM FISICO JUDEUS…BALELA NÃO..

  14. Ridiculo a Alemanha ter que doar submarinos pra Israel por ter fornecido armas químicas pro Iraque. Essa armas nunca foram utilizadas contra israelenses. Israel pelo visto nunca vai parar de faturar em cima do genocídio judeu na Segunda Guerra

  15. A elite Alemã, que se apossou do poder por lá, parece desconhecer o mal que a “judiaria” impos ao povo Alemão, é só lembrar da data de 23 de Março de 1933, com a Declaração de Guerra ao Povo Alemão, lançada internacionalmente pelo Congresso Judaico Mundial.
    E, essa Chanceler fica rapinando as finanças para afagar os algozes do seu povo, coisa muito estranha!!!

  16. Brasil fazer algo atomico? bomba? missil? piada, nem precisariam se preocupar em retaliar, pq o dindin seria roubado pelo caminho o que começaria com um projeto de desenvolvimento nuclear acabaria com foguetinhos de são joão a custo triplamente maior que no exterior, sou obrigado a rir nesse caso, aqui só não vai pra frente pq o costume é esse, o custo é x se cobra YY, e se desvia mmm nunca dará certo!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here