Home Nota oficial Submarino Nuclear – preparação da operação comercial

Submarino Nuclear – preparação da operação comercial

143
0

Diário Oficial da União 12 Agosto 2009

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão
SECRETARIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS
COMUNICADO No- 16/2009

O Secretário-Executivo da Comissão de Financiamentos Externos –
COFIEX, no uso de suas atribuições, faz saber a Recomendação endossada pelo Senhor Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão:

autorizar, com a(s) ressalva(s) estipulada(s), a preparação desta
operação comercial, nos seguintes termos:

1. Nome: Programa de Desenvolvimento de Submarinos – PROSUB
2. Mutuário: República Federativa do Brasil
3. Executor: Ministério da Defesa – Comando da Marinha do Brasil
4. Entidade Financiadora:Consórcio de Bancos liderado pelo – BNB
Paribas
5.Custo Total do Programa: pelo equivalente a até € 6.790.862.142,00
6.Valor do Empréstimo: pelo equivalente a até € 4.324.442.181,00
7.Contrapartida do Empréstimo: pelo equivalente a até € 598.219.961,00

Observação:

O custo total do Programa contempla, também, a construção de um
estaleiro e de uma base naval, no valor equivalente a até
€1.868.200.000,00 (um bilhão, oitocentos e sessenta e oito milhões e
duzentos mil euros), que serão custeados com recursos provenientes do Tesouro Nacional.

NOTA DO BLOG: Pela taxa estipulada pelo Banco Central em 12 de agosto, o valor do “custo total do programa” equivale a R$ 17.744.522.777,05 ou US$ 9.655.315.702,12.

NOTA 2: Somente para efeito comparativo o programa Barracuda, que compreende a construção de seis submarinos nucleares entre 2017 e 2028, está estimado em 7,9 bilhões de euros. Os seis submarinos da classe barracuda substituirão a atual classe de SSN Rubis/Améthyste.

NOTA 3: Conforme informado acima, o custo contempla a construção de um novo estaleiro com recurso provenientes do Tesouro Nacional, ou seja, não haverá financiamento externo. Se este estaleiro será custeado com recursos próprios, faria mais sentido, e deixaria o programa mais transparente, se houvesse uma licitação para a escolha da empreiteira que fará a obra. Não faz sentido a mesma ser indicada ou imposta pelo contratado se os recursos são provenientes da União.

SAIBA MAIS:

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Emerson
Emerson
10 anos atrás

Acho que o blog esta puxando a braza pro lado da sardinha alemã !

Capitão
Capitão
10 anos atrás

Primo,

O Lobby é forte mas não se sustenta.

Tb concordo com vc.

Abs

Nimitz
Nimitz
10 anos atrás

Em resumo: o Capitão sugere que comentemos somente as coisas boas do Programa Nuclear da Marinha e tenhamos FÉ na boa intenção das pessoas que estão no Governo e no Comando da Marinha.

O contribuinte tem que acreditar que o seu dinheiro desta vez será bem empregado, que haverá o retorno prometido para o país, mesmo depois de 30 anos de projeto sem pelo menos o reator funcionar e todas as evidências externas das dificuldades que enfrentaremos pela frente.

Capitão
Capitão
10 anos atrás

Nimitz, A MB tem carência de tudo mesmo. É por isso que começará a não ter mais carência por submarinos ( meios mais importantes ). Isto está na END, veja lá. Veja também a diferença entre um sub nuclear e um sub costeiro. Tem lá também. Não citam como referência ” sereias “. Por que não gastamos nosso tempo em discutir como será os subs convencionais brasileiros “modificados”. Porque serão diferentes dos que estão por aí…alguém sabe? E o treinamento em projeto e construção que engenheiros brasileiros estarão tendo à partir do ano que vem? Este também envolve transferência d… Read more »

Capitão
Capitão
10 anos atrás

Maurício R,

Ah é assim memso…rsrrss.
Com parafusos da USAF custando 200 dólares??
Hahahahahahahaaa.

Lá projeto secreto é secreto.

trackback
10 anos atrás

[…] Segundo informação publicada no Diário da União a construção de um estaleiro e de uma base naval “serão custeados com recursos provenientes […]

Capitão
Capitão
10 anos atrás

Carlos: Minha nota 1: Por que você defende a odebrecht e qual a sua relação com esta empresa? Nenhuma participação e defendo que não se faça licitação para que não haja mais atrasos. Isto foi entregue à decisão da contratada justamente para isso e a MB não se envolver nesta decisão, que poderia ser por demais complicada. Minha nota 2: O que você tem contra atos transparentes? Nada. Só que meu amigo Carlos, construção de obras e meios militares estratégicos são confidenciais. Quem espera que isso seja transparente, que seja tudo construído e falado como foi, que os valores envolvidos… Read more »

Capitão
Capitão
10 anos atrás

“Os franceses têm escala de produção para submarinos nucleares.” -Entre os “Rubis”(pós-AMETHYSTE) e o “Barracuda” cuja construção está autorizada, qntos submarinos nucleares os franceses construiram??? -Vide os problemas da RN c/ o HMS Astute, que sequer comissionado ainda foi. ****Se têm um projeto e tem unidadeS contratadas ou projetadas…terá escala e seus custos, menores. Deixo uma pergunta: Quanto vale esta tecnologia e o tempo que não gastaremos em desenvolvimento e os riscos que serão baixos, tanto de projeto quanto de construção e locação ( risco nuclear )????? “A licitação não será feita por se tratar de segredos militares das instalações.”… Read more »

dumont
dumont
10 anos atrás

Nimitz, só vou fazer um pequeno reparo no seu comentário: “O contribuinte tem que acreditar que o seu dinheiro desta vez será bem empregado, que haverá o retorno prometido para o país, mesmo depois de 30 anos de projeto sem pelo menos o reator funcionar e todas as evidências externas das dificuldades que enfrentaremos pela frente.” Acho q é consenso que o “projeto” ao que se refere o Nimitz deveria ter andado mais do q andou, porém não são 30 anos de nada, pelo contrário, o parque industrial nuclear brasileiro é relevante, nos dá orgulho e foi fruto desses 30… Read more »

Norberto Pontes
Norberto Pontes
10 anos atrás

HARE baba, é muita grana…….

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

“Os franceses têm escala de produção para submarinos nucleares.” -Entre os “Rubis”(pós-AMETHYSTE) e o “Barracuda” cuja construção está autorizada, qntos submarinos nucleares os franceses construiram??? -Vide os problemas da RN c/ o HMS Astute, que sequer comissionado ainda foi. “A licitação não será feita por se tratar de segredos militares das instalações.” Não se justifica, vc pode ter acordos de confidencialidade e mesmo assim licitar a obra. “O blog ACHA que o simples fato das obras serem licitadas não ocorreriam falcatruas???” -A despeito das reclamações do Presidente dea Republica, tem o TCU e o MPF p/ fiscalizar a transparencia e… Read more »

Capitão
Capitão
10 anos atrás

NOTA DO BLOG 2: Somente para efeito comparativo o programa Barracuda, que compreende a construção de seis submarinos nucleares entre 2017 e 2028, está estimado em 7,9 bilhões de euros. Os seis submarinos da classe barracuda substituirão a atual classe de SSN Rubis/Améthyste. NOTA DO BLOG 3:Conforme informado acima, o custo comtempla a construção de um novo estaleiro com recurso provenientes do Tesouro Nacional, ou seja, não haverá financiamento externo. Se este estaleiro será custeado com recursos próprios, faria mais sentido, e deixaria o programa mais transparente, se houvesse uma licitação para a escolha da empreiteira que fará a obra.… Read more »

dumont
dumont
10 anos atrás

Caros blogueiros, em geral os pontos de vista trazem muita paixão e acho que a idéia do blog é essa mesma, vou me permitir algumas notas tendo manter razão… Nota 1, O SN faz parte de um programa maior (PNB), o sucesso desse programa… Simplesmente não tem preço e digo isso como contribuinte também; Nota 2, o SN é um dos vetores mais sofisticados já imaginados pelo homem, a informação associada a esse vetor é altamente protegida, não dá para ficar dizendo que o programa tem que ser “transparente” sem considerar o peso das decisões de estado que tem que… Read more »

Capitão
Capitão
10 anos atrás

Senhores,

Leiam o que esta no link abaixo:

https://www.mar.mil.br/imprensa/arquivos_PDF/Respostas_a_imprensa/sub_nuclear/resposta_oglobo_compradesubmarinos_15.08.pdf

…inclusive os autores do blog.

Abs

Cap

Marcelo Tadeu
Marcelo Tadeu
10 anos atrás

O blog tem que ser imparcial!!

Nimitz
Nimitz
10 anos atrás

Olá turma! Faz tempo que não comento no Blog, tava sumido tentando achar meu amigo Yamamoto. Então, os franceses arrumaram alguém para pagar pela construção dos seus submarinos “Barracuda”: o Brasil. Pagaremos um preço absurdo por 4 submarinos convencionais sem AIP, e construiremos uma base de submarinos nova que não é prioridade nesse momento. Tudo por conta do canto de sereia do submarino nuclear… Se a Marinha tivesse uma Esquadra decente, tudo bem, mas FALTA TUDO na nossa ÚNICA Frota: aviões, escoltas modernas, sensores no estado da arte e, sobretudo, um investimento no nosso maior patrimônio: nos nossos MARINHEIROS. Estamos… Read more »

Carlos
Carlos
10 anos atrás

E aí Capitão tudo bem?

Minha nota 1: Por que você defende a odebrecht e qual a sua relação com esta empresa?

Minha nota 2: O que você tem contra atos transparentes?

Minha nota 3: Diga pra nós qual é a “longa exeriência” dessa empreiteira com obras portuárias e navais, etc?

Este país precisa mais de cidadãos do que defensores do submarino nuclear. É o meu e o seu dinheiro que está em jogo.

Renato
Renato
10 anos atrás

não acredito que o Blog puxe sardinha para lado nenhum, mas como ja comentado por outro colega, a clara demonstração de preferencia por autoridades do governo deixam o programa em cheque quanto a sua transparencia.Há tambem um clara falta de planejamento e indentificação de prioridades, pois os recursos materiais da MB estão em estado deploravel e colocar este volume de recursos nun so projeto me parece um exagero.Acredito que deveriamos buscar uma solução mais proxima da nossa realidade financeira e com uma maior abrangencia em termos materias, priorizando não só submarinos mas demais meios de defesa das nossa aguas territoriais… Read more »

Alte. doenitz
Alte. doenitz
10 anos atrás

As colocações do Dumont são muito lúcidas e elegantes. Porém, acho que algumas pessoas aqui quando não tem argumento ficam atacando a própria notícia ou o próprio blog. Não acho que o blog deva escrever coisas só para agradar este ou aquele leitor. Se desagradou, paciência meu amigo. Use argumentos sustentáveis como o Dumont fez. Agora, duro é gente que não tem o que escrever e coloca coisas do tipo “acho que o blog está puxando braza”. Isso não acrescenta nada ao debate. Se eu fosse moderador simplesmente apagaria esses comentários que não acrescentam nada e só fazem ataques sem… Read more »

Alexandre Galante
10 anos atrás

Os velhos almirantes estão baixando novamente no Blog, agora só falta o Yamamoto. Alguém sabe por onde ele anda?

Edu
Edu
10 anos atrás

Sobre a pergunta do Carlos sobre a experiencia da odebrecht, eu achei essa reportagem aqui no blog

“Experiência da Odebrecht em construção naval é pequena”

http://www.naval.com.br/blog/?p=4038

Zero Uno
Zero Uno
10 anos atrás

Na minha opinião, nossos almirantes já esclareceram este assunto ao qual o blog se refere. Más concordo com o que alguns dizem aqui. Que devemos cuidar da nossa atual frota já tão desgastada pela falta de manutenção.

Há grandes projetos para nossas FFAA’s e me parece que todos irão realmente andar.

A nós só resta torcer para que tudo dê certo.

GustavoB
GustavoB
10 anos atrás

Se o governo não gasta é porque quer sabotar as FAs.

Se gasta uma nota preta em projetos que beneficiam a indústria e a tecnologia nacionais também não está bom.

Isso aí não é como sentar num restaurante e escolher no cardápio, pensem – mas com desapego.

Parem com isso.

Caso contrário cada vez mais acreditaremos em lobby alemão descarado.

Zero Uno
Zero Uno
10 anos atrás

… e acho que os “bloguers” devem sim opinar. Afinal, são tão interessados quanto os seus participantes.

Apenas friso pela “enésima vez” que as discussões deveriam ficar no campo das idéias e não em ataques pessoais. Por aqui até que não é tanto más no “Poder Aéreo” a falta de respeito nas opiniões de alguns e total desprezo ao cavalheirismo é estarrecedor…

Infelizmente.

Meus parabéns ao Blog.

Nimitz
Nimitz
10 anos atrás

Capitão, você é mais moderno do que eu, sou almirante e quer me ensinar a diferença entre submarino nuclear e costeiro? rs

Discutimos o assunto que o Blog coloca na pauta e não concordo que devamos nos desviar deles.

Ora capitão, se os civis não podem discutir o “macro”, a fábula de R$ 19 bilhões envolvendo 4 submarinos convencionais (sem AIP) e um casco de submarino nuclear duvidoso, como vamos discutir o “micro” (detalhes técnicos dos SBR, torpedos nacionalizados etc)?

Matheus
Matheus
10 anos atrás

Vejo que para muitos, ser imparcial, é concordar com os custos abusivos desse acorde ou concorda com a opinião desses que reclamam de imparcialidade. Vamos com calma.
Temos de escolher a melhor oferta custo beneficio, só gostaria de lembrar que temos de adquirir fragatas e etc. e quanto mais gastamos com uma aquisição menos armamentos podemos comprar.

Capitão
Capitão
10 anos atrás

Nimitz, Nunca teremos base suficiente para argumentar sobre este projeto. Não sabemos o que envolve e o que está contido realmente nele. Não vou entrar numa questão que sei que não terei argumentos para provar o que falo. E suspeito que você não. Ou tem? Se tem gostaria mesmo de ouví lo. O contribuinte brasileiro não ficará sabendo como será totalmente empregado este dinherio. Tenho certeza disso. Vejo da seguinte forma: O dinheiro pode ser desviado? Sim. Como também pode ser desviado da Petrobrás, do bolsa família, do PAC. Porque então não falamos destes outros também? O dinheiro envolvido é… Read more »

Robson Br
Robson Br
10 anos atrás

A minha opinião é que existe sim informações suficientes para justificar estes custos. Por mais que se critique, o governo não é “BURRO” de fazer as coisas pelas cucuias, principalmente com um assunto tão delicado e com valores tão altos. A experiência de onde o Jobim veio para assumir a defesa é suficiente para ele não deixar seu nome na reta. O que está acontecendo é uma pressão para desqualificar a França, que não é so em relação ao Brasil, vide Rafales na ìndia, como também para manter um país tão rico em recursos naturais como o Brasil de forma… Read more »

Capitão
Capitão
10 anos atrás

Sou a favor de uma descrição mais apurada destes gastos. Mesmo que parcial.
Incluindo o fator tempo e dinheiro para termos tal tecnologia.
Os franceses com certeza incluiram isso no preço.

Deste modo alguns aqui se tranquilizam…e param de comparar sub nuclear com sub convencional. Maçã com abacaxi. As vezes precisam conhecer a plantação de maçã para entenderem, sei lá…

Capitão
Capitão
10 anos atrás

Exatamente Robson Br!!

Pressões, pressões e pressões…vão sempre existir. Trincheira externa e infelizmente interna também.

Abs

Lucius Clay
Lucius Clay
10 anos atrás

Acredito com toda a minha ignorância no assunto que o Nimitz foi muito objetivo nessas questões do tema… Temos que mudar a cabeça e começar a ver que isso não é uma licitação, que tem coisas que jamais saberemos e que são sigilosas e outras que talvez alguém no congresso ou no executivo tenha acesso e só, acrescento que o patamar do projeto é muito maior é parceria de verdade entre países, isso a Alemanha não entendeu e não poderia oferecer e os EUA não enxergaram e ainda não perceberam a burrada que fizeram.

Pedro Rocha
Pedro Rocha
10 anos atrás

Olá senhores! Senhor moderador do nosso blog com todo respeito e consideração desse assíduo e admirador, eu discordo completamente da sua nota 3! Senhores eu não vou entrar no mérito que a MB já planejava construir uma nova base, eu vou somente lembrar que: A nova base e estaleiro serão para construir vasos nucleares, ou melhor, entendido vasos movidos à energia nuclear. Esse fato por si só já exclui qualquer empreiteira nacional! Senhores a tecnologia nuclear não é de domínio público, por isso a França tem toda liberdade de escolher seus parceiros aqui no Brasil! Se existem problemas com a… Read more »

Capitão
Capitão
10 anos atrás

Pedro,

Faço das suas, as minhas palavras.

Quando falamos de transparencia, a única que precisamos buscar é a da posse de meios nucleares espalhados por aí, quando tivermos negociando com países-potências matérias-primas, energia, agua, alimentos, bases perto de nossas fronterias e Amazônia. Não montarão nas nossas costas não nos tratarão como gentinhas subdesenvolvidas.
O outro lado será transparente nessa hora.

Abs

GustavoB
GustavoB
10 anos atrás

Caríssimo Pedro, é isso que não querem entender. O que estamos comprando é a tecnologia, não apenas o produto pronto.

Daqui a pouco vou escrever “fingem não entender”.

Primo
Primo
10 anos atrás

Eu não vou entrar no mérito dos valores em si, até porque não sei o que vai ou não estar envolvido nessa transação, vejo que existem muitos subsistemas independentes dentro de um projeto destes que por si só demandariam muitos anos de pesquisa para o domínio dos mesmos e depois disso para colocá-los todos juntos? Acho que se a sociedade está se perguntando se isso é muito dinheiro, a mesma deveria se perguntar o que deveria ter sido feito para que estas tecnologias tivessem sido desenvolvidas dentro do próprio país e não precisássemos pagar alguém para pensar por nós. Acredito… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

“Você acha que os americanos ficam se perguntando quando sua Força Aérea gasta enormes quantias em projetos secretos??”

-Não é pq a USAF pode dispor de verbas p/ seus projetos secretos que os mesmos não tenham contabilidade e demonstração de gastos p/ mostrar.
Pq lá o Congresso manda e é obedecido.

Capitão
Capitão
10 anos atrás

Maurício R,

Então o projeto secreto é secreto lá nos EUA só até o congresso ver? Que quando chega eles abrem geral? E onde fica o secreto aí?

Apenas algumas pessoas sabem. Como aqui tb vai ser…não adianta o pessoal daqui e dos jornais ficarem chorando porque não saberemos. E se não sabemos e nem saberemos só supomos. E alguns aqui supõem com muita certeza…essa é a verdade…rsrsrs.

Abs,

Debater é preciso.

Capitão

WAR
WAR
10 anos atrás

Vmos deixar de ingenuidade. Este governo não é o que eu gostaria. Mas é o único que encarou esta tarefa árdua de reequipar nossos soldados. Desestimulei meu filho em ir para a AFA (meu sonho de adolescente), ao saber da morte de um cadete da minha terra por (aparente, é bom afirmar isto bem claramente) “velhice” no equipamenteo. Os alemães não sabem ou não podem (por causa da “guerra santa” contra judeus, comunistas, ciganos, democratas, deficientes em geral, etc, e a favor da raça ariana pura) construir subs nucleares. Dez pro Jobim! Pra mim ele seria o próximo Presidente da… Read more »