sábado, novembro 27, 2021

Saab Naval

Torpedo é causa provável do afundamento da corveta ‘Cheonan’

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

cheonan (1)

South Korea Ship SinksUm torpedo é a causa provável do afundamento da corveta Cheonan, da classe “Pohang”, de acordo com inpeção preliminar da parte do navio que foi resgatada do fundo do mar.

O Ministro da Defesa Kim Tae-young disse no domingo que ” basicamente, penso que uma bolha explosiva causada por um torpedo pesado é a causa”. Kim disse que as investigações em andamento vão procurar outras causas também.

Uma equipe de investigação chegou à conclusão provisória do domingo que a causa foi uma “explosão sem contato externo”, na seção inferior de bombordo do navio, resultante de torpedo ou mina.

“A possibilidade de uma explosão de não-contato submarino é maior do que a de uma explosão subaquática com contato, considerando a forma e as condições das superfícies cortadas”, disse o investigador-chefe Yoon Duk-yong a repórteres.

A equipe de investigação, mais uma vez descartou uma explosão interna, pois nenhum dano foi feito no armazenamento de munições ou o tanque de combustível, enquanto a cobertura da fiação elétrica no navio permaneceu em bom estado e não havia sinais de fogo interno. Não há arranhões na parte inferior do navio, o domo do sonar está em bom estado, tornando-se improvável que o navio encalhou num recife. Além disso, a superfície irregular e esfarrapada da seção que se partiu, levou os pesquisadores a descartar a fadiga de metal.

Uma sondagem da popa e proa da Cheonan pelos pesquisadores, mostrou que uma seção de 3,2 m na parte inferior de bombordo da embarcação e uma seção de 9,9 m de boreste foram perdidas na explosão do casco e a parte ao redor da seção partida foi dobrada para cima. Isso demonstra que a explosão ocorreu na seção inferior de bombordo e destruiu o casco até a parte superior de boreste.

Corveta Cheonan - Coreia do Sul - retirada do fundo - proa - imagem via shippingnews

Cheonan possible causes

FONTE: Chosun.com

FOTO DO IÇAMENTO DA PROA: Reuters, via Shippingnewsclippings

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

16 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Yluss

Opa!!!! por enquanto se fala disso como se o torpedo ou mina fosse obra do acaso. Cadê a outra parte da história que será implicitamente culpada caso se chegue a conclusão final sobre a explosão?

O que a Coréia do Sul fará à respeito? Sei que eles fazem o máximo pra não provocar, mas até que ponto?

Curisoso para ver o desenlace estratégico desse episódio…

M1

Suspeitava deste o princípio!

Rafael

Tava demoramdo…daqui a pouco o Celso Amorim solta uma pérola e o Lula vai defender a Coréia do Norte.

Galileu

hum então errei, achei que fosse explosão no paiol, então quem lançou o torpedinho?? quem quem? haha

Rafael

Só não enetendo uma coisa, a troco de que a Coréia do Norte fez isso?

Pedro

Uma pena a Coreia do Sul um País tão desenvolvido, ser separado assim pelos outros e por ideologias retrógradas. Se as duas se fundisse a lonfo prazo teriámos mais um Japão na Ásia. Claro que ela não quer a guerra. Malditos sejam os ditadores malucos.

ABRAÇOS.

Alexandre

Agora é saber quem fez essa burrada. Na época da II Guerra Mundial, esse episódio era visto como declaração de guerra, agora em nossa época do politicamente correto, vai caber apenas um pedido de desculpas. É o fim mesmo.

vassili

Alexandre,

A questão não é somente o “politicamente correto”. Devemos lembrar que a Coréia do Norte é uma das nações mais miseráveis do mundo, porêm detentora de armas nucleares.

Esse sim é um fator muito mais relevante neste caso. Quem confiaria que, em caso de conflito contra os EUA e Coréia do Sul, o ditador Kin manteria seus artefatos nucleares quietos, sem usalos???????? ele num expira nenhuma confiança.

Abraços.

robert

Diz que o maior medo da Córeia do Sul tem é na verdade da população da Córeia do Norte.

Eles tem capacidade pra ganhar a guerra, mas se ganhar, toda a população do norte vai querer sair de lá e descer pro sul e para china a procura de melhor vida e trabalho.

Por isso que a China ajuda a Córeia do Norte com comida tb.

MO

Exato

O problema la nao eh o conflito militar e sim os norte coreenses resolverem virar sul coreenses

Ai sim, seria o caos de logistica, humano, habitacional, educacional, saude, transportes, economico, ALIMENTACIONAL entre outros

Abs
MO

Renato

Taí um nó para lá de complicado. Chego a ficar feliz com os vizinhos que o Brasil tem, comparando com um país mala feito a Coréia do Norte.

humberto

Concordo com o Robert e o Mo, não é tão interessante para a Coreia do Sul receber os seus irmão do norte (a Alemanha passou por um traume e olha que os alemães orientais eram considerados a nata da cortina de ferro), sem contar que a China tb não quer ninguém perto da sua fronteira. O que me deixou impressionado, são as fotos do navio sendo içado, que diabos de guindate foi enviado? Fico imaginando o trabalhão (e o custo) para resgatar o navio (que obviamente vai para a sucata depois da retirada do armamento), com certeza o custo vale… Read more »

Moriah

esses guindastes devem ser da Hyundai ou Daewoo. pelo tipo de explosão parece mais um torpedo, mas vejam que pelo içamento do navio, o local é raso e acho que a manobra de um torpedo em local tão raso não seria possível, mina no fundo deve ser na certa.

MO

Não necessariamente Ricardo, hoje em dia quase todas as grandes empresas de salvatagem no mundo possuem destes ai .. não vai longe, tem um deles lá no RJ, para ops off shore

Abs
MO

Walter  Soares

Outra Mina marítima….

Já é a segunda.

A outra foi aqui perto, no litoral de Alagoas, em Maragogi.

Onde surgirá a próxima?

Walter

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

CoNavOpEsp da Marinha do Brasil realiza o primeiro Adestramento Conjunto de Planejamento de Operações Especiais

Sob coordenação do Comando Naval de Operações Especiais (CoNavOpEsp), no período de 22 a 26 novembro, foi realizado, nas...
- Advertisement -