Navio patrulha ‘Warao’ da Venezuela chegou ao Rio

    318
    22
    SHARE

    OPV Warao no cais do AMRJ

    O OPV Warao da Marinha da Venezuela já está no Rio de Janeiro. Na segunda-feira ao fotografarmos a saída da fragata francesa FREMM Aquitaine, sem querer acabamos fotografando também o Rolldock Sea do armador holandês RollDock Shipping B.V. com o Warao em seu interior.

    Abaixo, a foto do Warao dentro do Rolldock Sea no porto do Mucuripe, em Fortaleza-CE, em foto de Jose & Peppe, via COLLECTION OF MARITIME PRESS CLIPPINGS Number 301.

    OPV Warao no porto do Mucuripe em Fortaleza-CE

    VEJA TAMBÉM:

    22 COMMENTS

    1. Caraio, viu Zé quem esta no RJ, o Roll Dock Sea !!!!!!!! catso e ninguem de lá viu ele … os cara EL, Giacomelli tão dormindo

      ahhh sim, ele tem um NPa como carga …. mas isso eh o de menos … rssss

    2. Alex, eles têm porte um pouco menor,mas o venezuelano, pelo visto, tem hangar e convoo. A classe “Amazonas” só tem convoo. É provável, pela diferença de porte para menos e pelo fato do hangar também ocupar parte do espaço, que o navio venezuelano tenha menos espaço interno disponível que o brasileiro (mas isso é chute meu).

    3. Pelo que entendi, o Warao é da classe maior (POV), de 2.400 t e dotado de hangar e convoo, o que seria um porte consideravelmente maior que a classe “Amazonas”.

      Para saber mais, tem o site da Navantia:

      http://www.navantia.es/noticia.php?id_noti=42

      http://www.navantia.es/noticia.php?id_noti=5

      Já alguns dos links que coloquei no comentário acima referem-se aos BVL, que são um pouco menores que os Amazonas. Segum links da Navantia sobre dois deles.

      http://www.navantia.es/noticia.php?id_noti=57

      http://www.navantia.es/noticia.php?id_noti=75

    4. Agora é só torcer que, ao sair do porto apos os reparos, nao encalhe novamente.

      e se tem que ele encalhar, olhando pelo lado positivo, é melhor encalhar mesmo ao sair do Rio, porque ai ele só precisa dar meia volta e ja pode ser reparado de novo, economizando assim o frete, afinal, a Marinha da Venezuela Bolivariana tambem tem que fazer economia.

    5. OPV para cá, OPV para la e estamos vendo as marinhas desfilarem os patrulhoes .(Marinhas não, guardas costeiras).

      Parece que acabou a era dos Contratorpedeiros, fragatas e cruzadores.

      Agora e LCS =Litoral Combat Ship, que todos os “pobres” podem ter …

      ou GCS = Global Combat Ship que somente os “ricos” podem operar…

    6. “MO em 06/03/2013 as 7:17
      faltou o linque fernandinho”

      MO, talvez você esteja vendo os comentários somente na área de adm do blog. Aí os links para youtube frequentemente não aparecem, mas se vc olhar o site no modo normal, vai ver que tem um vídeo postado.

      Abs!

    7. ate um destes ai tomar um tirombaço de um 5´da vida … ai essas viadisses afins ( me refiro quem acha que isso serve até para bater de frente com Slava, Kongo, ou até mesmo um Kashin indiense ai da vida …) vai pro vinagre, obviamente desconsiderando os que os utilizam em aguas costeiras ou paises de pouco litoral, aonde ai eles sao tudo mesmo …

    8. Alguém sabe me dizer,se esse navio da Venezuela tem o canhão, Oerlikon 35mm com espoleta pré programada?
      Ou uma versão comum?.

    9. MO, entendo sua preocupação com relação ao valor do frete, afinal de contas, a petralhada aqui de Brasília com certeza vai arcar com mais esta conta.

    10. Não Fabio, era por curiosidade mesmo em comparação com outras cargas, o frete eh venezuelico mesmo, isso nao eh nosso não

    11. MO estava batendo um papo com o Bozóh (Legenda = Galante) sobre as fotos que ele fez da FREMM e notei o navio da Rolldock. e comentei com ele que ja era o segundo que estava vendo no Brasil pois a alguns dias um tinha ido em FTZ pegar o venezuélico. Dai “cabuuuumm” caiu um raio no temporal de terça no Rio e deu um curto-circuito nele que acabou percebendo o NPaOc dentro da doca.

      Tudo por um acaso e nao era nem o tema do papo. rs

    12. Pelo que já li sobre o navio, ele tem um radar de busca 3D e espaço para instalação de mísseis mar/mar e AA. Ele foi entregue à Venezuela com sua dotação mínima, com canhões Oto de 76 mm e Milleniun de 35. Li num blog venezuelano que já foi cogitada a instalação de VL Mica.

    13. Felipe,
      O canhão Millenium do Warao é sim dotada da munição programável AHEAD.
      Ao meu ver é o mais letal canhão AA, tanto de uso naval quanto em terra. É igualmente eficaz contra aeronaves e mísseis e com capacidade C-RAM e C-PGM.
      Também é o mais letal canhão no que diz respeito à capacidade de proteger o navio de ameaças assimétricas de superfície, inclusive contra ataques de enxames.

    Deixe uma resposta