Home História Saudades da Marinha do Brasil dos anos 90?

Saudades da Marinha do Brasil dos anos 90?

6013
44

O site argentino “Historia y Arqueología Marítima” (www.histarmar.org) tem fotos de alguns navios brasileiros nos anos 1990.

Você se lembra dos navios abaixo?

D29Parana-D28-27-24-4-2000-Riox12
CTs Paraná, Paraíba e Pará
G22SoaresDutra-24-4-2000-Riox12
NTrT SoaresDutra
G26DuquedeCaxias-15-12-97-Niteroix12
NDCC Duque de Caxias
G31RiodeJaneiro-24-4-2000Riox12
NDD Rio de Janeiro
MInasGerais_2-24-4-2000-Riox12
NAeL Minas Gerais
S16Amazonas-Belmonte-24-4-2000-Riox12
Submarino Amazonas e Navio Oficina Belmonte desativados
H42BarraodeTeffe-Rio15-12-97x12
Navio de Apoio Oceanográfico Barão de Teffé

44 COMMENTS

  1. Tenho uma baita admiração pelo H-42 Barão de Teffé. Talvez por ser o pioneiro do país no continente gelado. Mas esse visual dele me encanta. Poderia ter continuado na ativa, como balizador, ou até continuar participando da PROANTAR…

  2. X.O.
    20 de agosto de 2015 at 20:07 #
    O Para era o D27… o Parana era o D29.

    GUPPY
    20 de agosto de 2015 at 20:09 #
    Pará-D27
    Paraíba-D28
    Paraná-D29

    Obrigado X.O. e GUPPY pela resposta, sempre confundo os dois nomes Pará e Paraná.

  3. e quase foi se nao confundi de S houve um projeto paraum Guppy virar museu emSSZ, sei la pq nao vingou e acho que era o S 16 (to sonado e com 1 kb de memoria RAM de cerebro agora …

  4. Aureo…

    obrigado pelo relato sobre à Apollo 13, desconhecia o fato!

    MO…

    tem que arrumar lá no NGB, o que o Aureo descreveu foi em 1970 e não em 1969 !!

  5. Lamentável notar que, nossa marinha de hoje, consegue estar pior – ou quase tão mal – do que aquela dos anos 70, haja vista que, os navios eram, via de regra, obsoletos. Tirando os subs da classe Oberon e, as fragatas da classe Niterói, compradas novas, smj, me corrijam os nobres marujos, se acaso estiver errado, a maior parte daqueles valentes navios e submarinos era oriunda da II GM ou de logo após o fim da mesma. Eram mantidos funcionando à base de suor e lágrimas dos nobres marujos, mas, em caso de necessidade, teriam valor militar pouco apreciável. Basta lembrar que durante a “guerra da lagosta”, um único navio francês moderno, no caso acredito que fosse o “Tartu”, colocou em cheque nossas reais capacidades militares, pois, quase nada de nossos meios flutuantes ou submarinos estava em condições ideais de operação… É lamentável ver que quase cinquenta anos de pois, pouca coisa mudou ou mudará…SDS.

  6. Poxa Galante boa tarde a ti e aos demais!

    Caraca agora tu pegou pesado na minha nostalgia…adoro a classe Fletcher! O Parana tinha cara de navio de guerra!

    Pena que não foi preservado como navio museu …

    Um abraço

    CM

  7. Saudades desse tempo mesmo,
    Lembro-me da minha primeira comiissão na Marinha;
    Zé do Norte, Cadência e guerra forte!!!

  8. PODER NAVAL
    Salve colegas do Poder Naval !
    É o ET Escritor Aureo Andrade de Lima, servir por cerca de 25 anos abordo de navios de combate, na minha época fui eleito o marujo que mais tempo passou embarcado em navios de combate.
    Eu vou lançar meu livro até o fim do ano, começo a escrever 2 horas da manhã, / Atracação no Porto de Helsink / Patrulha na Foz do Rio Amazonas / Navegando no Canal de Magalhães / Visita a Lenigrado em 1988 Abordo do “NE BRASIL U27” / Soja Abordo / Jantar com familhia Argentina / Missão de Salvamento e Resgate da vida dos Astronautas da Apolo XIII / New York / Ilha da Madeira o lugar mais aprazível do mundo / Houen ano de 1987 / realmente a musica enebria a alma / etc. Visita as Catacumbas no Egito, que é o local em que Rainha do Egito Cleopatra e o Imperador Romano Marco Antonio Passaram a Lua de Mel / e mais…….
    Dalton, desejo saber se tu ES da turma “FOXTROT” ?

    Aureo Andrade de Lima
    Escritor
    De Buenos Aires

  9. Desculpem-me, mas nunca imaginei ler coisas tão estranhas neste Blog.
    Até o relato da Apolo XIII, que eu estava curtindo, ficou em cheque.

  10. SALVE COLEGAS !
    Estas historias que está postada logo ai em cima, são reais, e eu Escritor E Perseguido Político Aureo Andrade de Lima, sou real, aconteceu tudo isso aí com minha pessoa, não duvide de nada, pode acreditar, e tem muito mais..
    Vou postar tudo em meu livro que estou organizando.
    Aureo Andrade de Lima
    Escritor.

  11. Aureo, na boa. Eu não creio que essa seja a melhor forma de divulgar o seu material. Entre em contato com os editores do blog e combine com eles primeiro. Os mails deles estão aqui do lado.

  12. Ué!!!! Cadê os verdadeiros “Bico Fino”?? Se é para falar de história, eles são os principais personagens.
    Saudade do “BUCANEIRO” – Nosso Barco Nossa Alma. (D – 36 “Alagoas”)

    Abraços

  13. Saudades do tempo que vivíamos ajoelhados frente ao FMI, os próprios militares deixaram a 3 forças engessadas, perguntem isso a quem realmente entende! Falar e resmungar tudo mundo faz, quero ver falar com propriedade técnica e com respaldo!!!

  14. O episódio acima relatado sobre a Apolo 13 aconteceu em 1970. Além do CT Santa Catarina, suspenderam também outros navios da MB , entre eles o CT Piauí, onde eu estava embarcado. Na verdade, foi uma operação de apoio e possível resgate à nave e seus tripulantes, pois uma das possibilidades era que a nave avariada caísse no Atlântico Sul. Depois de uns 2 ou 3 dias de patrulha, os EEUU agradeceram o nosso apoio, pois a nave acabou caindo no Pacífico, onde todos os seus 3 tripulantes foram resgatados com sucesso.

  15. Salve a todos !
    Eu ET-Lima, servir em muitos Destroyers da Classe Fletcher Santa Catarina D 32 Ou Admiral Nobel E IRWIN, USS IRWIN DD-94 nos anos de 1969 e 1970, muitos Americanos vinham abordo com familiares, principalmente com filhos de menor ide idade, visitar esta belonave, atracado no “AMRJ” no Rio de Janeiro, eles diziam: cuida bem desta Mocinha, pois este navio é dotado de muita historia, heroísmo e conquista, so de uma única vez, ele salvou 600 Marujos naufragos e mais…

    Aureo Andrade de Lima.

  16. Eu ET-LIma na década de 1970, eu servia abordo do Destroyer da Classe Fletcher PARANA D 29 o mesmo que USS CUSHING DD-797, realizei abordo dele 3 missões de “PATCOS” na imensa foz do Rio Amazonas, era pra proibir a pesca do nosso “CAMARÃO GIGANTE” que despertou a cobiça de navios pesqueiros estrangeiros do mundo inteiro, zarpava-mos do Rio de Janeiro e ficava-mos por lá 5 meses patrulhando, nosso porto de reabastecimento era BELEM DO PARA, eu escrevir esta historia, chama-se “PATRULHA NA FOZ DO RIO AMAZONAS” a vou publicar, é um total de 10 paginas.

    Guardo as melhores lembranças D’aquela época, íamos do CABO OIAPOQUE ATÉ TUTOIA.
    Certa vez o COMANDANTE DO NAVIO CAPITÃO-DE-FRAGATA SALDANHA DA GAMA, posicionou nosso Destroyer da Classe Fletcher PARANA D 29, no período da tarde, bem em frente ao povoado do “CAMPO DE POUSO BATE VENTO” e arriou a lancha, foi uma equipe de Marujos armados de FUZIL / DE METRALHADORA / PISTOLA / COFRE DE MUNIÇÃO / GRANADAS / TRANSCEPTORES e Mantimentos, desembarcaram na praia e foram fazer reconhecimento da cidade, foram até a Delegacia de Polícia, os Policiais ficaram assustados, penssaram que a cidade estava sendo invadida e dominada pela Marinha de Guerra do Brasil, os Marujos visitaram também, algumas lojas e restaurantes, e retornaram pra bordo, já era noite, tudo escuro, eu quis saber dos meus colegas como foi a visita ao Povoado de Bate Vento, eles me relataram tudo.
    Nesta época eu era o Encarregado de concertar os Equipamentos do Grupo de Detecção: Radares de busca / Radar IFF / Repetidoras Radar tais como AN/SPA-8A / AN/SPA-4B e CME/MAE,.que era o Lendario equipamento AN/BLR-1.

    Aureo Lima
    Escritor.

  17. Esta é pra rir, pra descontrair.
    Do Escritor Aureo Andrade de Lima, Nara esta historia real que aconteceu com o MN-SM Rigotto.
    Devido perseguição política, me lançaram no manicômio, eu fiquei por lá e todos os meus direitos foram violados apesar de ser idoso com mais de 67 anos na época.

    Fiquei num quarto com o CB-MT Roberto B. Rigotto, ele é Gaucho, praça muito antigo, é velhinho, ele foi da época dos Encouraçados Minas Gerais / e outros.
    Ele era MN-SM, dava serviço na Praça de maquinas do Batelão, que era equipado com 2 motores Cabeça Quente, segundo ele era estremamente barulhentos, era insuportável o barulho, e não esistia abafador de ruídos n’aquela época.
    Este Batelão fazia o transporte dos Marujos do cais do Primeiro Distrito Naval a ILHA DO OSSO , é lá que fica o “CAMR”, os Motores Cabeça Quente, certo dia o que era praxe dar defeito, e espirrava muito óleo na região peitoral do MN-Rigotto.
    Durante uma travessia, pela manhã do Primeiro DN. A Ilha do OSSO, levou-se 2 horas e mais um pouco, o normal era no Maximo 45 minutos.
    Quando atracou na Ilha do OSSO, isso foi em 1962, o Senhor Comandante do “CAMR”ao desembarcar disse-lhe: ou MN-RIGOTTO, já pode tocar fogo, o Rigotto: sim senhor comandante, é só me dar 5 litros de gasolina. Rapidamente o Comandante, disse-lhe: Vê lá é brincadeira, Rigotto. Não vá tocar fogo não !

    Aureo Andrade de Lima
    Escritor.

  18. Acho engraçado que pouco se fala do D-34 – CT Mato Gosso. Servi neste grande navio de 1978 à 1981, quando fui cursar Escrita e Fazenda.
    Na época ele era conhecido pela guarnição como azarado, tendo em vista a explosão da torreta 53. Durante o período em que servi nesse navio, realmente presenciei vários acidente, mas nada de grave. O seu brilho geralmente era ofuscado e não tinha a felicidade de ser designado para grandes comissões.
    Infelizmente, a era dos CT terminou, pois eram navios resistentes, com grande velocidade e manobras fáceis e rápidas, com guarnições sempre muito bem adestradas, inclusive todos ficavam maravilhados, quando em faina de carga-leve, era içada a flâmula de batalha com o Dragão dos Mares. Realmente era um momento de brilho nos olhos da tripulação, que tinha o sentimento de mais um dever cumprido, diante de tantas fainas que eram desenvolvidas com afinco e com grande grau de profissionalismo.
    Hoje os navios possuem uma grande tecnologia, mas não são resistentes como os contratorpedeiros, que até hoje fazem muitos velhas-guardas como eu, sentirem orgulho de ter feito parte da guarnição desse tipo de navio, bem como, parte da história desses grandes singradores de mares.
    O grande Dragão dos Mares.

  19. Salve colegas !
    Eu Escritor ET-Lima ou Aureo Andrade de Lima, servir no DESTROYER DA CLASSE ALLEN M. SUMMER MATO GROSSO D 34 O MESMO QUE USS LOWIS COMPTON DD-705, o meu Encarregado da Divisão de Operações era o Capitão-Tenente-Eletronico Guerra, era aquele homenzarrão brancão, o Comandante do Navio era o CAPITÃO-DE-FRAGATA MILLEN, O Chefe do Departamento de Operações era o CAPITÃO-DE-CORVETA-ET ROBERTO, ELE ERA MAGRO e possuia bastante estatura, o meu Supervisor ET era o Segundo-Sargento-ET Salvador / tinha mais os colegas CB-ET Filisbino (ele atraia moças lindas, elas vinham a bordo motorizadas busca-lo na Ilha do Mocangue) / tinha mais o CB-ET Benedito de Carvalho e o CB-ET Vinicius.
    Foi abordo dele numa Aspirantex em 1985, que fomos realizar transferencia de carga leve com um Super Destroyer Americano, não lembro-me mais o numero dele, ou nome, estava-mos navegando entre Salvador e Recife, so se via mar e ceu, muito distante de terra, e o cabo da retinida numa das tentativas de se lança-la, enroscou-se na antena do Radar Aereo bem lá no alto do Super Destroyer Americano trucidando-a a antena, foi uma sena chocante e lamentavel, eu diria também que foi muito linda, pois é algo difícil de acontecer.
    AH ! Eu tinha acabado de concertar a Repetidora Radar dentro do Passadiço, aquela que ficava a Boreste.
    A historia completa será descrita em meu livro, que será lançado.
    É isso..

  20. Salve colegas do Poder Naval !

    É o Escritor e Perseguido Político da nova era da Democracia Aureo Andrade de Lima !

    Eu vou candidatar-me a __________________________________________________

    __________________________________________________________________________

    O Eletronico abordo de navios em viagem tem que trabalhar dia e noite, até conseguir sanar a avaria do equipamento avariado.

    Passei tanto tempo embarcado e viajando, que fui condecorado pelo VICE-ALMIRANTE-ELETRONICO MARCOS JOSE DE CARVALHO FERREIRA COM A MEDALHA MERITO MARINHEIRO DE 4 ÂNCORAS, POR POSSUIR 4 MIL DIAS DE MAR, Observação: Hum dia de Mar, corresponde a cada 24 horas, somente é contado se o Navio estiver em alto mar, isto é: fora da Barra.
    Como ET (Eletronico) da Marinha, abordo dos Navios de Combate, eu concertava todos os tipos de equipamentos, tais como Radares de grande potencia de transmissão e alcance

    Sonar de Busca e Ataque com PICO DE ONDA de transmissão de mais de 1 milhão de Watts.

    INMARSAT (Internacional Marítimo Satélite da Fabricante Japan Radio Corporathion CO. , Ltd. /

    Muitas Repetidoras Radar tipo 8 A / 4 B / 28 A / VJ 1 / e outras /

    Navegador Por Satélite

    Transmissores e Receptores

    Ecobatímetro

    Radio Goniometro

    E equipamentos de Guerra Eletronica

    E ainda a FONIA SUBMARINA, ela fica instalada bem no bico de proa, lá embaixo no porão do navio, bem em cima da Quilha, é uma tortura muito grande, realizar qualquer reparo nela em viagem, devido a inércia, os senhores não imaginam o quanto padece nosso intestino ou “SEGUNDO CÉREBRO” que é o título de uns dos livros escrito pelo meu amigo o sábio Cientista Dr. Ortomolecular Brasileiro e Médico HELION PÓVOA, que foi Professor na Universidade de “HARVARD” e estudou e se formou com o Cientista Ortomolecular Americano LINUS PAULING que foi o ganhador de 2 PREMIOS NOBEL.

    ________________________________________________

    Por hoje é só, boa noite a todos.
    Aureo Andrade de Lima.
    Militar-ET
    Escritor.

    _
    COMENTÁRIO EDITADO. NÃO USE ESTE ESPAÇO PARA FAZER PROPAGANDA POLÍTICA. LEIA AS REGRAS DO BLOG.
    PRIMEIRO AVISO

  21. Salve pessoal !
    Vamos relembrar os cognomes dos Destroyers / Cruzadores / Submarinos / Porta Aviões etc.
    O Destroyer da Classe Fletcher Santa Catarina D32 é o “TIGRE DO CARIBE” o mesmo que Admiral Nobel E IRWIN, USS IRWIN DD-794.

    DESTROYER DA CLASSE PARA, PERNAMBUCO D 30 (O Olho da Esquadra) ou USS HAILEY DD-556.

    Alguem pode citar mais alguns….

  22. Nasci em 1946, lá em Aracaju, aos 6 anos de idade passei a ouvir Radio Valvular, é meu pai Afonso o adquiriu um da marca MULARD, (era do tipo “Rabo Quente”) nossa ! O bichinho tinha um som muito agradável, principalmente quando tocava Anísio Silva / Frank Sinatra / Angela Maria / Nelson Gonçalves etc.
    Recentemente eu escrevir ” A Musica Realmente Enebria a Alma”, mostrarei em meu livro que será lançado, como Escritor eu escrevir outras historias ineditas, nunca antes escritas.
    Eu fui Resgatar e Salvar os Astronautas quando eu servia abordo do Destroyer da Classe Fletcher SANTA CATARINA D 32 da Marinha de Guerra do Brasil o mesmo que Admiral Nobel E IRWIN, USS IRWIN DD-794 da Marinha dos Estados Unidos, então eu o escrevi, os Astronautas eram: JAMES ARTHUR LOVELL MAIS FRED HAISE E JOHN SWIGERT, eu o distribuir pra todos os Países de brinde, foi publicado primeiro pelo NEW YOR TIME, por toda Europa, Africa e Asia, eu acho que ajuda a pregar a paz pelo mundo, a harmonia, eu vivir aqueles dias dos Astronautas em apuros, que era questão de honra salva-los pra qualquer país ou cidadão do Planeta terra.
    Isso em plena Guerra Fria, ah ! Naqueles momentos, Ocidente e Oriente esqueceram toda e qualquer rivalidade política, o foco era salvar os Astronautas.
    Eu escrevir também a cerca da minha cidade que é o Rio de Janeiro, eu vivo aqui a 51 anos.

    “Patrulha Na Foz Do Rio Amazonas”

    Eu escrevir também com muitos detalhe “Cavaco de Pitza”, foi disputa de Hegemonia Política entre Sua Excelência Presidente dos Estados Unidos RICHARD NIXON e Sua Excelência Presidente LEONID BREJNEV da “URSS” “União Republicana Socialista Soviética” pra testar a resistência psicológica dos Militares dos Países Ocidentais X Orientais, eu participei em alto mar lá no “Mar das Caraíbas”, quando já estava-mos regressando pra nossa base no Rio de Janeiro, isso foi em 1970. Quando eu servia abordo de navio de combate da Marinha de Guerra do Brasil.
    Escrevir também Missão abordo do Submarino Rio Grande do Sul S 11 o mesmo que SS 523 GRAMPUS da Nação Americana

  23. Prezado Aureo, boa tarde!
    Achei muito interessante e realistas as suas histórias.
    Como posso entrar em contato com Vossa Senhoria?
    Desde já, agradeço por vossa atenção.

    Respeitosamente,

    RICARDO MARCUS DE MELO
    Suboficial (RM1-CN)

  24. Eu Escritor e Militar-Eletrônico da Marinha de Guerra do Brasil, recebir pedido pra esclarecer a diferença entre o Equipamento “INMARSAT” INTERNACIONAL MARÍTIMO SATÉLITE e o Equipamento “NAVEGADOR POR SATÉLITE” !
    São equipamentos totalmente diferentes.

    O “INMARSAT” possue circuitos TRANSMISSOR E RECEPTOR, é dotado de telefone, é segurar o fone e digitar o número que se deseja conectar, com qualquer telefone em qualquer parte do globo terrestre e em alto mar, é claro de navio pra navio também, possue fax / internet / Teleimpressora / a qualidade do Áudio entre as pessoas falando é excelente..

    Já o navegador por Satélite, possue somente receptor, ele recebe as informações do satélite em forma de bit, e nos dá a todo instante as coordenadas do navio, LATITUDE / LONGITUDE, mais alguma informação de coordenadas, é isso.

    Aureo Andrade Lima
    Escritor da Marinha de Guerra do Brasil.

  25. Em pensar que a nossa marinha ( Armada Imperial),no fim da guerra do Paraguay era a segunda maior do mundo. Só perdendo para a marinha Britânica…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here