quarta-feira, dezembro 1, 2021

Saab Naval

Falta de oficiais pode causar “apagão” marítimo

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.naval.com.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

A expansão do País tem efeitos até para a navegação, atividade durante décadas relegada ao ostracismo e que já registra déficit de oficiais responsáveis pelo comando dos navios. Estudo da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) mostra que em 2008 faltarão 456 oficiais. E até 2010 o déficit de oferta será de 25% em relação à demanda por esses profissionais.

Uma das causas do problema é o baixo número de escolas, apenas duas, geridas pela Marinha do Brasil. Para suprir a carência, o Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima (Syndarma) propõe que a Marinha permita que escolas particulares ministrem cursos para a formação de profissionais. “Se o problema não for resolvido a tempo, teremos o apagão marítimo”, disse Ronaldo Lima, vice-presidente da entidade.
Julian Thomas, diretor da Hamburg Süd e da Aliança Navegação e Logística, tem buscado oficiais estrangeiros para amenizar a carência.

Fonte: Gazeta Mercantil

- Advertisement -

48 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
48 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Ostra

Quero crer que o CIAGA e o CIABA comecem a atrair mais candidatos

uma boa propagana seria muito bem vinda, pois ainda tem muita pouca gente que se tem ideia do que é um Oficial Mercante

MO

Marcelo Ostra

apenas a titulo de info, mesmo assim tem gente estagiando em navio estrangeiro (Propriedade, gerenciamento e guarnição)

embarcamos um POM esta semana em um deles

MO

Nunão

CIAGA, CIABA, CIABATA e BACIADA ainda vá lá, mas Ostra, explica pro inghinorante que vos fala, com baixa dose de água salgada nas veia, que diabos é POM.

Ricardo Lima

Meu nome é Ricardo e sou Capitão de Cabotagem, ao meu ver o problema em questão, deve-se a décadas de estagnação da navegação de Cabotagem e Longo Curso no Brasil, que fez com que o mercado se retraisse. As condições de trabalho precárias e os baixos sálarios (situação essa que persiste)completam o quadro, provocando a evasão dos profissionais. Devido as suas caracteristicas, a atividade marítima, em especial o comando das embarcações, requer experiência, que vem com o tempo, daí o deficit de Comandantes. O problema não é o fato de haver duas escolas de formação, o que se pretende com… Read more »

Fábio Max

Eu havia comentado algo sobre isso aqui, mas em relação à marinha de guerra, não sabia que a situação estava crítica também na marinha comercial.

Marcelo Ostra

Praticante a Oficial de Maquinas = Guarda Marinha

Marcelo Ostra

ops, equivalente a GM se for do 4º Ano, otherwise (1, 2 ou 3º = Aspirante)

Nunão

Valeu, Ostra. Parecido com POM, eu só conhecia POW (Prisioner Of War)

Leonardo

teste

Paulo Costa

Existe um plano de reequipamento da marinha mercante,temos em torno
de 120 navios no total,como agora estamos com a divida externa
digamos paga,os credores não vão penhorar mais nossos navios,
como tentaram antes,o mesmo para aviação comercial,então
os navios e aviões,eram alugados.Este aluguel somente na MM custava
mais de US$5bi por ano.Vamos fazer navios em casa,para evitar o afretamento,mas vai ser ao longo de varios anos.Isto vem desde 1985
Os governos atuais não tiveram participação nisto…

[…] Marinha, atenta à crescente demanda de pessoal em razão do notável incremento da navegação que se observa no Brasil, vem desenvolvendo […]

Vapozeiro

Caros Senhores, Sou Oficial da Marinha Mercante e gostaria de esclarecer que essa história de “apagão marítimo” é uma jogada comercial feita pelos armadores brasileiros para influenciar a Diretoria de Portos e Costas (órgão da MB responsável pela formação dos Oficais da Marinha Mercante no Brasil) e saturar o mercado com Oficiais desqualificados com o objetivo de pagar salários cada vez mais aviltantes. Já estão formando oficiais em menos de 1 ano na EFOMM! O que ocorre na verdade é que muitos oficiais deixam a MM devido aos baixos salários e condições péssimas de trabalho nos navios brasileiros. Muitos colegas… Read more »

Oficial Mercante

Prezados senhores Também sou Oficial Mercante e estou na ativa…inicialmente para esclarecimentos de alguns leitores vamos as siglas: EFOMM (Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante)..são duas escolas no Brasil, CIAGA (Centro de Instrução Almirante Graça Aranha) localizada no Rio de Janeiro-RJ e CIABA (Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar) localizada em Belém-PA. Nessas duas escolas são formados os(as) Oficiais Mercante na categoria de Náutica e Máquinas. Dito isto, segue minhas considerações: Concordo plenamente com a explanação do colega de codinome “Vapozeiro”…não existe falta de mão de obra no mercado, mas sim uma grande evasão. Posso confirmar isso,… Read more »

Vapozeiro

ASOM / ASON – ACOM / ACON Agora estão formando oficiais de qualquer jeito por causa da necessidade do país. Os caras não tem embasamento técnico nenhum. Vem para o navio para dar trabalho por aqui, não tem postura nenhuma, não conhecem o serviço de um oficial. Essa galera com diploma universitário se vem pra cima de navio é porque na maioria dos casos a incompetência não deixou que conseguissem emprego decente em terra. Quando aparecem em cima de navios, na maioria dos casos, é com a mesma incompetência. Tentam subir na carreira nas costas dos outros porque além se… Read more »

Staciarini

Olá a todos! Sou aluno do curso de ASON no CIABA e fiquei abismado com o que o Vaposeiro disse. Creio que ele deve ter tido uma péssima e singular experiência. Tenho colegas da EFFOMM e graças a Deus eles não tem o mesmo preconceito. Para maiores informações, um salário para recém formado em engenharia e oceanografia não passa de 1200 reais. Bem menor que o oferecido pra um oficial recem formado. Nem sempre as pessoas acertam na carreira na primeira tentativa e reolvem investir em outra. A divulgação do Curso de EFFOM é muito precária. A maioria dos meus… Read more »

[…] (PA), responsáveis pela formação e aperfeiçoamento dos oficiais da marinha mercante nacional A iniciativa permitirá à Marinha aumentar o número de vagas em seus cursos de formação. Além disso, os recursos possibilitarão a aquisição de novos equipamentos, a modernização de […]

robeto cotinho da silva

nada a de clarar

albfon

A política de valorização salarial é a principal arma para um trabalho de qualidade, independente de ason, efomm, ou outros cursos, o ódio que se apresenta pelo companheiro em função do curso superior dos outros mostra uma revolta e despreparo. Tenho 30 anos de MM e discordo em quase tudo que este companheiro falou menos dos salários.

pacheco

eu nao sou oficial nem coisa do tipo, mas achei uma coisa bem interessante… muitos oficiais de bordo reclamando sobre salário, mas nenhum falou exatamente quanto ganha…. começaram com quanto? 4500? só isso? sabe o q é preciso fazer em terra para ter um salário desses? qualquer um de vcs começam com mais ou menos isso, ou mais… O trabalho de vcs é dígno e merecem ganhar bem (acredito q mais do q estão ganhando), mas tbm não é para assustar os q pretendem fazer a EFOMM ou ASON e procuram informaçoes, achando discussões como essas onde se diz “salário… Read more »

ON

Tambem concordo que deve haver uma valorização profissional imediata, trabalhei 6 anos em navio e as mudanças que acompanhei foram poucas apesar do serviço arduo, hoje trabalho em plataforma e nem penso em voltar para o mar, agora sobre esse VAPOZEIRO sobre o pessoal da ason e asom, para mim isso é medo de perder o emprego, ou sentimento de inferioridade por nao ter um curso superior, sou formado pela EFOMM e conheço dois ONs formados pela ason que não são nada disso que ele comentou, muito pelo contrário são bem mais dedicados a aprender, vai ver que ele conheceu… Read more »

Celia

Concordo plenamente com PACHECO. Acho que vocês não sabem o significado de um ¨Salário miserárevel¨.Vocês devem dar Graças a DEUS pelo o que alcançaram.

Celia

Concordo plenamente com PACHECO. Acho que vocês não sabem o significado de um ¨Salário miserável¨.Vocês devem dar Graças a DEUS pelo o que alcançaram.

Eu

Pacheco / Celia Quando os Oficiais reclamam de baixo salário na verdade estão reclamando de falta de possibilidade de USUFRUIR do mesmo, uma vez que passam a maior parte do tempo de suas vidas embarcados, incluindo noites, fins de semana e feriados – ou seja, um tempo que num trabalho normal a pessoa estaria com a família, mesmo que recebendo pouco, mas vivenciando coisas que o dinheiro não paga. O trabalho a bordo é um tipo de trabalho especial e hoje pelo menos não há COMPENSAÇÃO financeira à altura. Como bem disse o “Oficial Mercante”, NAVEGAR É PRECISO, MAS VIVER… Read more »

Tlins

Gostaria de saber quanto ganha em média o profissional enquanto faz o PREST e após o término?

Vapo

Ika,

O risco é teu.

No meu tempo não havia esse volume todo de informações.

Vapo

Ika, “Não existe trabalho ruim; ruim é ter que trabalhar.” Toda atividade profissional tem suas agruras. Concordo com você em alguns aspectos…por exemplo, trânsito e violência são dois fatores que pouco ou nada influenciam na vida do mercante enquanto ele está embarcado. Dependendo de onde atuar, você irá pro trabalho de helicóptero (quem vê de longe acha até chique). *Mas não pense que o estresse não ocorre a bordo. *Nem fique imaginando que não se desenvolvem problemas de saúde. Pelo contrário…é uma profissão com alto índice de insalubridade e periculosidade. Caso não saiba, aliás, são dois fatores que deveriam fazer… Read more »

Andrey

Oficiais não faltam, o que falta é um bom salário e condições de trabalho melhores. Navios carregam cargas milionários, tem lucros absurdos e na hora de pagar as pessoas que cuidam de tudo isso é a maior miséria.

Em rebocadores não falta oficiais, devido a melhores salários e menor tempo embarcado e n outros fatores.

“Julian Thomas, diretor da Hamburg Süd e da Aliança Navegação e Logística, tem buscado oficiais estrangeiros para amenizar a carência.” Coloquem a escala de 1 para 1, que não haverá carência alguma.

veronice

Pra dizer a verdade eu nem sabia que existia a marinha mercante,
estou tentando entrar no CIAGA.
A marinha tem que fazer mais propagandas para a marinha mercante, como eu muitas pessoas não sabe o que é, e isso é muito ruim para uma coisa tão importante como amarinha mercante

Eu

Klynger,
conforme o Edital (o INCA, na verdade), o mínimo necessário para a aprovação é o acerto de 50% em cada prova.

Eu.

Tlins, em ambos os casos, varia de empresa pra empresa…acredito que hoje no PREST (estágio) esteja entre R$ 600 e R$ 1500. Depois de formado, ainda depende da função que você vai exercer a bordo. Nivelando por baixo em termos de função, as empresas oscilam entre R$ 3000 e R$ 8000, mas repito, não há compensação à altura das responsabilidades do trabalho e da falta que a companhia da familia faz…

Alexandre Azevedo

Fico assustado com os comentários aqui postados, que demonstram total ignorância do que é Marinha Mercante e dos quadros que a formam, assim como da atual politica desenvolvida, quando não com o preconceito de quem se sente ameaçado por asemelhado que tem o mesmo nível, embora com formação diferenciada. É a falta de vocação o grande motivo da evasão de bordo.Hoje se alijam os verdadeiros marinheiros se preparando Oficiais para desempenhar funções, outras, que não as de bordo.É comum se ver logo após a praticagem o recém formado 2 Oficial correr para outra formação mais condizente com o que de… Read more »

ika antunes

Oi, Eu particularmente conhecia absolutamente NADA sobre a MM. Tenho 19 anos, em breve farei 20, concluí este semestre um tecnólogo de Gestão em Tecnologia da Informação, trabalho numa boa empresa, Unisys. Há certo tempo decidi desistir desta vida e entrar na área militar. A princípio ExaEx, comecei a pesquisar e ouvi falar de um amigo meu sobre a EFOMM. Busquei sobre, e me interessei. É pouco divulgado, inclusive por aqui em SP. Eu me interessei pela oportunidade que se tem de conhecer diversos lugares do Brasil, (se possível, dependendo do caso, do mundo), o tipo de trabalho, a vida… Read more »

Renan

Gostaria de saber mais sobre a profissão alguém q é da área favor me mande um e-mail pra renancorvo@hotmail

Obrigado

ika antunes

Vapo, “Não existe trabalho ruim; ruim é ter que trabalhar.” Essa foi boa! Obrigada por me passar este outro lado que, eu particularmente, não conhecia. Acredito então, que meu problema maior será o preconceito, mas quem disse que trabalhar é fácil, seja o trabalho que for. Quanto a maternidade, é algo que acredito não ter problemas futuros, porque já decidi que não quero. Outro detalhe, quanto as férias que você comentou, tirar férias hoje num trabalho comum, pelo menos o que vejo aqui em São Paulo, é concorrido que só, então, tirar férias fora de época, é o que mais… Read more »

klynger

Vou fazer o concurso agora pro CIABA e gostaria de saber qnts questões deveria acertar pra nao ter q me preocupar de não passar.Claro que tenho que acertar todas rsrsrs mas acho q vcs entenderam o q eu quis explicitar.
Abraços

Layne

Alexandre Azevedo Gostei de sua colocação: “A Marinha vem aumentando a cada ano mais e mais o número de formandos, incentivada inclusive pelos sindicatos. Podem aumentar o quanto quiserem que sempre haverá falta enquanto não se priorizar a vocação e formação profissional, abandonando o atual modelo que proriza a formação militar e acadêmica, objetivando principalmente obter graduação de nível superior” Eu sou o exemplo disso, pedi baixa da EFOMM por que tinham vezes diante de toda a metodologia militar desnecessária (não preciso de ninguém gritando pra obdecer ordens) que eu pensava: isso tudo é necessário pra profissão de marinha mercante?… Read more »

MarMil

Senhores, O problema da “falta” de oficiais na MM, não é por número reduzido de profissionais no mercado e sim pela redução dos beneficio oferecidos a esses profissionais, não só no montante do salario, mas principalmente no tempo de embarque x repouso. E digo mais, não é desmerecendo a categoria dos oficiais provenientes do AZON/M que tem curso superior e ACON/M, suboficiais que já vivem há mais de 3 anos no ritmo do mar e sabem mt bem o que é essa profissão, que vai melhorar e/ou acabar com essa falta de profissionais para tripularem os navios mercantes. Temos é… Read more »

saulo

senhores, è evidente que isso é “coisa” de armadores pra sensibilizar a MB e escravizar os maritimos como nos anos anteriores ao lula.em que havia muitos desempregados e poucos navios.agora somos poucos ,pois naqueles anos, muitos deixaram o pais pra tripular navios de bandeira liberiana ou procurar emprego (concurso em terra),como por exemplo:um tenente da PM de brasilia ganha o dobro de um maririmo de empresas como norsul e Elcano, até mesmo essa “aliança”, que ja foi boa no tempo dos”fischers”.não permitamos que a MB autorize mais essa traiçao.pois se isso acontecer, vamos iniciar um movimento para desmilitarizar as EFOMMs,que… Read more »

Daniel Magalhães

Boa tarde, meu nome é Daniel e sou pai de uma aluna que ingressou na EFOMM nesse ano, recebeu a platina sábado dia 30/01/2010. Muitas são as discussões sobre a profissionalização dos jovens, suas carreiras e remunerações futuras. A preocupação de todo pai ou mãe, é dar ao filho uma boa instrução, em um bom colégio e à partir daí, ele conseguir entrar em uma boa instituição de ensino superior que possa lhe garantir, uma boa carreira, um bom emprego, e acima de tudo um bom salário. Minha filha foi aluna concursada do Colégio Militar do Rio de Janeiro, da… Read more »

Vapo

Daniel,
a sua pergunta pode ser para reflexão. Porém como Oficial Mercante tomo a liberdade de responder que o desestímulo com relação a MM ocorre sim. Pode até, em alguns casos, não ser pelo motivo acima descrito. Existem muitos fatores envolvidos…as condições de trabalho, as renúncias que temos que fazer…
Enfim, saiba que a evasão na mercante é muito alta – não a toa!

silas

caro daniel ,infelismente a marinha mercante e um oasis sem agua. isso porque, seus proprios principios, não ilibam o profissional que tem, e fica com essa historia de hieraquia militar ilusoria, ilusoria porque: porque são sabedores de que para haver disciplina, não existe necessidade de militarismo. e que disciplina pode vir de casa ,de berço, de criação… e ao inves disso a marinha de guerra faz, << o uso militar obrigatorio simplemente para formar civis para conviverem em um circulo de civis, serem tratados pela propria como civis, mas prevalecendo para muitos a *UTOPIA* MILITAR*.

ABRAÇOS.
silas/enfermeiro 1º grupo.

JP amigo

Olá! Oq vale mais a pena ser: Oficial de Náutica ou Oficial de Máquinas? ( relação salário / família / realização profissional) Eu fiz CM da 8ª ao 2ºano e não achei ruim o sistema militar e fui da lagião de honra. Só fui saber da existência da efomm esse ano (estou no 3º ano) com um professor civil disendo que no mínimos sai ganhando 12000 e como Prático ( após o curso de praticagem, eu acho) 180000 (ele tem filha na efomm). Assim me parecia um paraíso, mas acho que não deve ser bem assim. Meu pai é oficial… Read more »

JP amigo

E outra coisa: o of. da MM recebe transferências?

MO

Cara, vai de sua careira, sao opcionais e equivalentes em salarios, mas quem chega a comando é Nautica

Quanto ao salário é bem maior que as forças militares, sem duvida

Abs
MO

marcelo salvador correa

ex vapor.

Lembro que quando resolvi fazer a prova da da marinha mercante em 1996,ainda se ouvia falar de maus salarios e longo tempo embarcado,hoje estou formado em engenharia mecatronica e trabalho como supervisor de uma usina eletrica com 10 motores wartsila w46 e 5 motores man b&W 48,o meu salario fica em torno de rs 5.500,00 ao mes.gostaria de saber se vale apena fazer a adaptação para 2 OM e voltar a embarcar….venho resaltar que tenho largo conhecimento em manutençoes e concerteza seria de grande utilidade para os companheiros.

abraços do ex vapor.

Henrique

Texto criado somente para interesse de instituicoes “caca-niqueis” como disse o amigo acima… Mao de Obra qualificada SOBRA na marinha mercante, o que FALTA eh salario condizente… Sera que seria interessante abrir o mercado para o publico “civil” e larga-los no mar ??? Para as faculdades privadas seria interessantissimo porem para os alunos seria envia-los a morte. O trabalho no mar requer especializacao, muitos acidentes em plataformas acontecem por falta de conhecimento, imaginem como seria se qualquer um fizesse uma faculdade meia boca e tirasse o diploma de ciencias nauticas !!! O coitado entra no navio e nao sabe o… Read more »

Marcos Martinez

Senhores, pensar em abrir o ensino da mm para faculdade privada é como falou o companheiro Henrique, resolveria o problema de quantidade, mas não o de qualidade. Hoje em dia vc encontra oficias no mercado q não fazem nada a bordo e sobrecarrega quem rende o mesmo (os chamados remos), imaginem só o q aconteceria se qualquer faculdade formasse estes profissionais, pois bem eu não quero imaginar, num navio vc como oficial de quarto é responsável pela vida de, no mínimo, 20 pessoas, é um trabalho pesado, onde vc só descansa quando vai pra casa, onde trabalhamos 24 hrs por… Read more »

Candice Avellar

Senhores, Gostaria de lembrar a todos os que leem essas publicações da árdua e dura vida dos Homens do Mar. É uma vida cheia de ausência e abrem mão muitas vezes de festas importantes em suas vidas familiares, aniversário dos filhos, problemas de casa onde a esposa ou mesmo sua própria mãe precisa depender de vizinhos muitas vezes por estarem longes. Por todas essas coisas impagáveis, concordo com todos os profissionais que buscam um reconhecimento financeiro maior por perderem coisas de que a vida não lhe dará uma outra chance de usufruir. A este Homem do Mar , meus parabéns.… Read more »

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Naval Group lança o ‘Duguay-Trouin’, segundo submarino nuclear de ataque tipo ‘Barracuda’

O Naval Group lançou o segundo submarino nuclear de ataque (SSN) do tipo Barracuda para a Marinha Francesa (Marine...
- Advertisement -