segunda-feira, abril 12, 2021

Saab Naval

Exercício Kakadu IX

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

exercise-kakadu-ix-1.jpg

australia-drawin-area.jpgEstá ocorrendo entre 21 de julho e 8 de agosto a Operação Kakadu IX, na área de Darwin (clicar no mapa), Austrália, com a participação de forças da Austrália, Nova Zelândia, Singapura, Malásia, Papua Nova Guiné, Paquistão, Japão, Tailândia e França, com observadores da Índia, Filipinas e Indonésia.
O exercício bianual é coordenado pela Royal Australian Navy (RAN) e tem como objetivo desenvolver a interoperabilidade nas operações de segurança marítima entre os países daquela região.

Os navios da RAN que participam do exercício são: HMAS Sirius, a fragata da classe “Anzac” HMAS Toowoomba, fragata HMAS Melbourne (classe “Adelaide”), o submarino HMAS Collins, os navios-patrula classe “Armidale” HMAS Maryborough e HMAS Maitland e os dois caça-minas HMAS Diamantina e Gascoyne.
Aviões de combate F/A-18 Hornet e Hawk, da
Royal Australian Air Force, e dois aviões de patrulha marítima AP-3C Orion, também participam das operações.

Clicando nas fotos pode-se fazer um bom exercício de identificação de alguns navios participantes… 😉

exercise-kakadu-ix-2.jpg exercise-kakadu-ix-5.jpg exercise-kakadu-ix-7.jpg

exercise-kakadu-ix-4.jpg exercise-kakadu-ix-3.jpg exercise-kakadu-ix-6.jpg

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
bosco

Que belo FAC este da foto maior de n°93. É pequeno mas tem de tudo.
Um 76, mísseis Harpoons, torpedos, e um sonar rebocado (ou de profundidade variável?).
Na realidade só falta um CIWS (Phalanx ou RAM) para completar. Embora o 76 garanta um nível razoável de defesa aérea.
É um belo “brinquedo” para qualquer marinha.

Nimitz

Nossas prometidas 50 patrulheiras bem que poderiam ser assim, hein?
Mas é muita coisa para uma Marinha que se contenta com canhão de 40mm.

Nimitz

Ah, Bosco! navio de guerra não tem número, tem indicativo visual…rs

Bosco

Valeu Nimitz!

Bosco

Eu acho que nossos 50 poderiam ser mesmo assim. Eu só trocaria o 76 pelo 57 para prover uma melhor defesa anti-míssil. E apenas 1/3 deles precisariam ter mísseis anti-navios. O que é mais importante é sua capacidade anti-submarino que parece ser bem adequada.

Bosco

Nimitz,
na verdade a classificação deste navio com “indicativo visual” 93 como um FAC também não é correta, porque de rápido ele não tem nada, tendo que rebocar este sonar. Se for de profundidade variável então nem se fala aí ele tem que ficar é parado mesmo.
Como ele é classificado. Você sabe? Ou alguém?
Sds.

marujo

Nosso patrulheiros de 500 toneladas vão ter apenas um Bofors de 40mm e dois canhões de 20mm, além de um convés que supostamente dá para acomodar um helicóptero leve e um barco para missões de esclarecimento (não sei qual a terminologia certa). Os patrulheiros oceânicos, de 1.300 toneladas, terão um canhão de 76mm e dois de 30 mm. Esses últimos, poderão contar com mísseis mar-mar, o que já é um avanço signficativo. A simples previsão de espaço para um míssel AA em caso de necessidade, seria um avanço maior ainda.

ramillies

“Clicando nas fotos pode-se fazer um bom exercício de identificação de alguns navios participantes…”

HMAS Toowoomba (FFH-156) – Austrália
HMAS Diamantina (M 86) – Australia
Samidare (DD 106) – Japão
PNS Babur (D182) – Paquistão
RSS Vengeance (93) – Singapura
HTMS Sukhothai (FS 442) – Tailândia

- Publicidade -

Guerra Antissubmarino

O afundamento da fragata INS Khukri pelo submarino PNS Hangor na Guerra Indo-Paquistanesa de 1971

Conheça a história do primeiro afundamento de navio de guerra por um submarino após a Segunda Guerra Mundial A fragata...
- Publicidade -
- Advertisement -