sexta-feira, outubro 15, 2021

Saab Naval

Portugal – Construção de NavPol pode não ocorrer em Viana Castelo

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.naval.com.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

mhd-150.jpg

O navio polivalente logístico, tido como o mais importante para a Armada portuguesa, já não deverá ser construído em exclusivo pelos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC), tal como foi definido por Paulo Portas, em 2003, enquanto ministro da Defesa, mas através de uma “parceria estratégica” com uma empresa estrangeira, afirmou ao DN fonte daquele ministério.

Segundo o calendário inicial, a construção deste tipo de navio deveria arrancar este ano, nos ENVC, para ser entregue até 2010, o que dificilmente acontecerá, já que segundo fonte do Ministério da Defesa, apenas durante 2008 é que deverá ser “negociado” o contrato de aquisição, tratando-se de um navio que custará mais de 210 milhões de euros. Contrariando todas as expectativas iniciais, o ministério agora admite que a construção não será exclusiva da empresa, pública, portuguesa. “Está a ser estudada a possibilidade dos ENVC poderem constituir uma parceria estratégica com um estaleiro internacional, para a execução deste contrato”, explicou a fonte, sem esclarecer o motivo desta alteração.

O projecto técnico deste navio, sem paralelo na frota portuguesa, está avaliado em 15 milhões de euros e já foi disponibilizado, sem qualquer custo, por parte de um grupo alemão, no âmbito da construção dos submarinos. “Como contrapartida desta aquisição foi negociada a entrega, pela HDW, de um projecto básico do navio. A execução teve início em Fevereiro de 2005 e ficou concluído em Abril de 2007”, explicou o ministério, sendo que o consórcio alemão poderá vir a integrar a referida parceria estratégica. Contactada pelo DN, a Comissão de Trabalhadores dos ENVC escusou-se a tecer comentários alegando “desconhecer” qualquer alteração, mas reafirmando que “a empresa tem capacidade para construir, sozinha, este navio”.

O navio polivalente logístico é tido como um dos “mais importantes” na reestruturação da Marinha e utilizará a capacidade conjunta “dos três ramos das forças armadas”, aumentando, segundo a Armanda, “significativamente a capacidade de Portugal para operar em qualquer parte do mundo”. Será utilizado em operações de apoio à paz e de assistência a catástrofes humanitárias, contando com uma infra-estrutura hospitalar completa. Permitirá o transporte de seis helicópteros Lynx e 22 viaturas ligeiras. Com 162 metros, terá uma autonomia de 6 mil milhas e uma tripulação de 150 homens e capacidade para embarcar uma força de 650 fuzileiros.

Fonte: Diário de Notícias

NOTA DO BLOG: Portugal procura por um navio de assalto anfíbio/polivalente faz muitos anos. Primeiramente foi oferecido um LST de segunda-mão classe Newport pela USN. Também foi anunciado um possível interesse na aquisição do HMAS Tobruk (derivado da classe Sir/Roun the table). Entendimentos com a Holanda para a construção de um navio polivalente surgiram ainda em 2000, mas não prosperaram por falta de fundos. Esperamos que desta vez Portugal obtenha sucesso em sua empreitada, pois aquela nação necessita de um navio deste tipo para deslocar suas forças mecanizadas, unidades do exército, helicópteros pesados e tropas no geral. Atualmente, quando surge uma necessidade deste tipo, Portugual recorre aos demais parceiros da OTAN. Em Maio deste ano, durante a Operação Espabras, os fuzileiros portugueses que participaram dos exercícios vieram a bordo do navio espanhol Galícia.

thyssenkrupplpd.jpg

- Advertisement -

23 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
João das Botas

Este navio é aquele projeto Alemão postado a algum tempo aqui no Blog? Que beleza seria nossos irmãos Portugueses operando esta classe de navio em sua armada. Ao menos não passarão mais a vergonha de dependerem dos Espanhóis. Enquanto isso…quase sexagenários….

edilson

Galante se não me engano eles fecharam foi um Galícia, ou eu estou errado????
ou era um enforcer??

Galante

Edilson, esse post foi do Poggio. Note que existem mais 3 editores no site: o Poggio, o Nunão e o JSilva; logo após o post aparece o nome do autor…rs
Quanto a esse assunto, o Poggio está mais por dentro do que eu.
João das Botas, sim, este é aquele projeto alemão.

Igor

Eu nunca sei quem posta!

Voluntário da pátria

Este navio tem doca alagável? Qual o componente aéreo que pode operar?

Igor

Não aparece o nome não…

edilson

Desculpe Galante, mas realmente não aparece o nome.
mesmo assim desulpa o incômodo.

edilson

Ps: agora vi está sim o nome no post da página principal
desculpa dinovo
xiii, zebrada atraz de outra

Igor

É verdade, na página principal!

Mahan

Seria um LHD “de bolso”?

Guilherme Poggio

Correto João. Este projeto é derivado daquele da ThyssenKrupp mostrado no blog naval antigo (http://blog.naval.com.br/2007/11/10/a-versao-alema-do-tonerre/).

Edilson, os entendimos com os alemães estão muito adiantados. O projeto já foi aprovado pelo Ministério da Defesa em Portugal. Só falta mesmo o início da construção (que depende da decisão citada no texto). O MinDef de lá não está muito contente com o estaleiro Viana Castelo, pois o mesmo atrasou muito a construção de dois patrulheiros.

edilson

Olha Poggio o que se falou aqui a respeito dos Patrulheiros é que a morosidade foi devido ao repasse de verbas que realmente ocorreu devido à troca de ministros e reavaliação dos gastos. o memso se passou com a força aérea da qual se pretendia elevar todos os F-16 ao padrão MLU mas que no final ficou decido se desfazer de 12 deles e que na verdade foi anunciado ontem que serão apenas 10. mas tanto aqui como no brasil as acessorias de imprensa são aquela m… só apagam incêndios ao invés de evitá-los. quanto ao navio logístico realmente não… Read more »

[…] « Portugal – Construção de NavPol pode não ocorrer em Viana Castelo […]

Guilherme Poggio

Edilson,

Também não sou um “expert” em Marinha de Portugal, mas li no ano passado no site áreamilitar que os problemas eram mais técnicos do que financeiros.

FD

Vem cá, seriam 6 Lynx ou 6 Merlins (semelhantes)?

João-Curitiba

Pela ilustração parecem mais Merlim.
Bem que nossa MB merecia um “barquinho” desses para as missões de paz da ONU.

marujo

Merece mesmo para substituir o Ceará e o Rio de Janeiro já.

Marcelo

Os helicópteros das figuras parecem ser NH90s…se bem que Portugal opera os EH101 Merlin.

EMERSON FULLY

Um navio desse tipo,são para países que tenham papel importante e constante em operações anfíbias pelo mundo.Oque não é o caso de Portugal.Eles deviam é melhorar e muito seus meios de patrulhas oceanicas,pois é de onde Portugal tira grande parte de suas divisas(pesca e comércio marítimo).
E deichar esse tipo de tarefa pros gringos.Vão de carona com os espanhois que sai mais barato e profissional!

muscimol

“Um navio desse tipo,são para países que tenham papel importante e constante em operações anfíbias pelo mundo” nao e bem assim …portugal precisa devido as ilhas e situacao geografica….o terramoto de 1755 arrasou Lisboa e outras cidades no sul completamente …seria sempre extremamente util contar com tal navio numa situacao dessas. Lembrem-se do Tsunami no Indico…. Mais …Portugal para esse barco ainda tem dinheiro……mesmo 300 milhoes de euros ainda se arranja. mais do que isso gasta-se todos os anos em autoestradas novas que sao usadas so para exibicao politica. Bastava para os rios de dinheiro que vao para os offshore… Read more »

Naval/MadTurtle

UM ou dois navios deste tipo seriam o ideal para a MB, pois poderiam servir tanto como navios de anfíbio como apoio a catastrofes. Aumentariam em muito a capacidade anfíbia para os fuzileiros navais.

muscimol

Concordo com o NAVAL ….so nao sei para que que o Brasil quer submarinos Nucleares…..a nao ser que queira ir vigiar o Polo Norte nao vejo utilidade …e sao caros pra cara…!!

Mike

@ EMERSON FULLY Quem é que lhe disse que Portugal não está interessado em ter uma capacidade maior anfíbia e de projecção de força, para ter um papel mais importante e constante em operações anfíbias pelo mundo (Dentro da área da manutenção de Paz e ajuda humanitária)??? É você que define os conceitos estratégicos de Portugal? Grande parte das divisas provém da pesca e comércio marítimo???? lol. Ok. Acho que está enganado. É o que dá falar de um País que se desconhece. Portugal já teve pelo menos dois casos nos últimos 2 anos em que o NAVPOL, se já… Read more »

- Publicidade -

Últimas Notícias

Japão lança o ‘Hakugei’, segundo submarino classe Taigei

O Japão lançou ao mar o segundo de uma nova classe de submarinos diesel-elétricos. O novo submarino, que foi batizado...
- Advertisement -