Home Tática Deep Siren: uma nova maneira de se comunicar com submarinos

Deep Siren: uma nova maneira de se comunicar com submarinos

3206
11

deep-siren

Nova tecnologia possibilita comunicação com submarinos sem comprometer discrição

deep-siren2A Marinha dos EUA está considerando uma nova tecnologia que permitirá às bases de terra se comunicarem com  submarinos, com um mínimo de interferência nas operações e reduzido risco de detecção por inimigos. Os militares esperam que a nova tecnologia de comunicação tática, conhecida como Deep Siren, permita aos comandantes de frota em qualquer lugar do mundo, comunicar-se instantaneamente com seus submarinos, que estejam em qualquer profundidade ou velocidade.

Atualmente, os submarinos  só podem ser contactados se iniciarem a comunicação em intervalos de tempo pré-programados, quando navegam à profundidade periscópica, o que é perigoso se os mesmos estiverem em águas hostis. O intervalo de tempo em que os submarinos ficam incomunicáveis, limita a capacidade de ação dos submarinos em situações nas quais o comando deseja uma mudança de planos imediata.

Mensagens para submarinos são normalmente emitidas por centros de comunicação navais em terra, num intervalo fixo de tempo – oito horas ou mais. Para um submarino receber estas mensagens de rádio-frequência ou satélite, é necessário que este interrompa a missão dentro desse período de tempo e navegue na “profundidade de periscópio” – cerca de 60 pés (18 metros) abaixo da superfície. Durante este tempo, o submarino fica mais vulnerável à detecção e mais limitado na sua capacidade para desempenhar sua missão.
Uma vez na profundidade de periscópio, os submarino reboca uma bóia com uma antena de comunicação, o que restringe a agilidade do navio.

O Deep Siren, por sua vez, foi projetado para utilizar bóias acústicas descartáveis, que, através de comunicações por satélite, podem enviar e receber mensagens de e para submarinos submersos em qualquer profundidade, a distâncias de até 175 milhas (240 km), dependendo das condições acústicas de propagação.

As bóias do Deep Siren recebem os sinais de rádio frequência e os convertem em sinais acústicos, que penetram na água e são recebidos pelo sistema sonar do submarino. Estes sinais acústicos são então convertidos a bordo do submarino em mensagens de texto, com o receptor do Deep Siren. O sistema também inclui uma estação portátil transmissora que pode estar em terra ou a bordo de um navio ou avião, permitindo que uma bóia seja chamada de qualquer lugar do mundo.

As bóias são lançadas pela unidade de eliminação de lixo do submarino, têm cinco polegadas (12,7 cm) de diâmetro e cerca de 3,5 pés (um metro) de comprimento, com antenas que recebem sinais de uma constelação de satélites de comunicação Iridium. As bóias são concebidas para permanecer à tona durante um período máximo de três dias. Desta forma, o submarino pode definir suas próprias redes acústicas de comunicação, sem a necessidade de rebocar uma antena.

O Deep Siren está sendo desenvolvido pela Raytheon americana, em conjunto com a  RRK Technologies, Ltd., de Glasgow, Escócia, e a Ultra Electronics Maritime Systems, de Dartmouth, Canadá.

11
Deixe um comentário

avatar
11 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
6 Comment authors
Ray da CostaSonar passivo - parte 1MoriahBoscorodrigo rauta Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Wolfpack
Visitante
Wolfpack

Este tipo de tecnologia que eu acredito em breve irá substituir um periscópio como nós os conhecemos hoje, o mesmo drone poderia estar coletando imagens digitais da área e as enviando ao Submarino logo a abaixo. O desenho do subamrino como nós os conhecemos permanece o mesmo desde o começo do século passado.

Wolfpack
Visitante
Wolfpack

A revista Time desta semana 29/12 mostra na capa a personalidade do ano, o Sr Barack Obama, mas o que me chamou a atenção foi encontrar na pág. 92/93 entre as fotos que marcaram o ano, uma foto de duas páginas com soldados Britânicos em uma pausa no deserto Afegão descansando em camas de campanha, sendo que o cara do quadro principal usa uma havaianas branca com a bandeirinha do Brasil. Tá ai um item militar de exportação para o Brasil.

Bosco
Visitante
Bosco

Wolfpack, é capaz que por sinais acústicos imagens não possam ser transmitidas. Eu acho! Muito interessante! Com certeza esse “conceito” vai revolucionar as operações submarinas, já que possivelmente permitirá a comunicação de sub para sub e de sub para navios na superfície através do sonar formando uma rede de comunicação submarina. As bóias seriam usados apenas quando o submarino quisesse se comunicar com a base, ou aeronaves, etc. Mesmo que só textos possam ser transmitidos já vai ser bem interessante. Eu achava que os submarinos americanos tinham a opção de mandarem mensagens pré-gravadas a partir de “radiobóias” que começavam a… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

correção:
ELF e não VLF.

Moriah
Visitante
Moriah

Será que tais sinais acusticos poderão ser interceptados ou msm codificados por um sub hostil? Se essas boias permanecem na superficie, poderão ser detectadas por navios ou aviões hostis? Um sistema hostil de detecção sinais acusticos de ultra-baixa frequencia e de emissões de radio, talvez possam localizar e ate decodificar essas msgs. Será?

Bosco
Visitante
Bosco

Moriah,
boa pergunta.
Para um sistema que quer permanecer oculto não é muito interessante ficar emitindo sons e RF.
Só se for numa frequencia tipo “LPI” que se confunda com o ruído de fundo ou coisa parecida.

rodrigo rauta
Visitante
rodrigo rauta

Outra coisa. Essas boias possivelmente não são recuperaveis (ou são???), sendo assim, uma marinha inimiga não poderia “pescar” essas boias e decodificar os sinais, e entender o funcionamento do sistema???

Wolfpack
Visitante
Wolfpack

Bosco, no meu improvável ou provável projeto, o periscopio drone estaria ligado por um cabo “umbilical” ao submarino e poderia ser recolhido quando necessário.
Neste projeto da Marinha Americana chama a atenção o raio de ação do aparelho 170 milhas. Podendo ser distribuído em redes, poderá dar uma área de cobertura considerável, mas não seria como os “pães” de Joãozinho e Maria? Os satélites Russos não poderiam interpretar o padrão de distribuição? mas o oceano é enorme.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Pô eta sistema porquinho, tdo em um dado momento vai pro fundo do oceano!!!
É a casca do SLV, o SLV, a bóia, vai tdo pro fundo do oceano, qnta poluição!!!

trackback

[…] algumas limitações. Entre elas, o fato de operar totalmente oculto, sem poder usar o radar ou rádio (que não funcionam debaixo d’água) e o sonar ativo (que emite pings de alta energia), pois […]

Ray da Costa
Visitante

Pessoal uma ajuda…
Eu consigo usar o sonar como um controle remoto via radio. Ou seja, posso criar um drone, soltar a água e controlar este DRONE via sonar?