Home História Triste fim de um Type 42

Triste fim de um Type 42

467
0

hms-cardiff-at-large

Nas fotos, o casco do ex-HMS Cardiff, em Aliaga, na Turquia, a espera do desmanche.
Embora alguns tenham defendido a aquisição de navios dessa classe pela MB, o desgaste deles é muito grande e não valeria a pena o dispêndio de tempo e dinheiro para a sua manutenção.
O navio, que pertencia ao lote 2 da classe “Sheffield”,  teve uma invejável folha de serviços:  foi incorporado em 24 de setembro de 1979 e deu baixa do serviço em 14 de julho de 2005; em 1982, foi o responsável pela derrubada da última aeronave argentina; participou da Guerra do Golfo de 1991 (Operação Granby/Desert Storm) e da Armilla Patrol, durante a fase de preparação da invasão do Iraque, em 2003 (Operação Telic/OIF); em 1991, o helicóptero Lynx orgânico do navio afundou dois varredores iraquianos, com mísseis Sea Skua.

Fotos: Selim San – 29/12/08

hms-cardiff-beaching-21

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
zocca
Visitante

eu acho que esse navio serviria muito bem a marinha brasileira, (COMO ALVO DE MISSEIS, E TORPEDOS).

Vassily Zaitsev
Visitante
Vassily Zaitsev

Acho, ao meu ponto de vista, que seria uma aquisição inválida, pelo fato de estarem sendo desativados.

abraços.

Daniel
Visitante
Daniel

Por um instante pensei que fosse a Dodsworth! Ainda na reserva? Possibilidades em voltar?

JACUBÃO
Visitante

Só se moisés levantase o seu cajado e falasse: dodsworth levante de seu túmulo, e ajude a almentar a frota da MB, pois ela precisa de dez navios a mais para ter alguma proteção do nosso litoral. Quanto a dodsworth, só serve para virar gilete e parafusos, para quem ainda acha qe seria possível reativar esses belos navios.

Vassily Zaitsev
Visitante
Vassily Zaitsev

Daniel,

Infelizmente não. Foi muito canibalizada, para que as três restantes pudessem navegar.

abraços.

William Canaris Jr
Visitante
William Canaris Jr

Bem que poderíamos pensar em adquirir algumas escoltas meia-vida da Royal Navy, até o início do comissionamento das novas fragatas ítalo-brasileiras (será?), que tal NewLupo?

alan
Visitante
alan

zocca, no fundo da bnrj já tá cheio de cascos assim, não tem mais espaço pra essa aí não!

Sem saco
Visitante
Sem saco

A MB não irá comprar mais escoltas usadas, daqui pra frente serão só escoltas novas e de 6.000 Ton.

Bosco
Visitante
Bosco

Sem saco,
você pode não ter saco mas tem um p—- de um otimismo. Parabéns!

JACUBÃO
Visitante

Você acredita mesmo em PAPAI-NOEL meu caro?

AJS
Visitante
AJS

Caros colegas de blog, fugindo ao tema, lanço a seguinte pergunta:
-Se o novo plano preconiza navios multi funcionais com capacidade de transporte e lançamento de aeronaves de asa fixa (entendo pouso/decolagem verticais), em lugar de NAe de convés corrido, para que dispender verbas com o São Paulo e AF-1, se não haverá continuidade desse modal?

Dunga
Visitante
Dunga

Falando em sucatas multi funcionais, os LHA classe Tarawa “fron US NAVY” estão indo para a reserva, temos aí uma oportunidade de ter um navio com características multi funcionais, ou seja com uma capacidade de controle de area maritima associada a uma capacidade anfibia, comando, assistencia a calamidades publicas, coisa que ainda não temos. Porque o OPALAO, não não vai mais para lugar nenhum devido aos seus custos assim como os caças a jato…

Smedley D. Buttler
Visitante
Smedley D. Buttler

Amigo Dunga,

Eu tambem gosto dos “LHA-1”, mas a reserva para a qual eles vão é o fundo do mar mesmo. Vai passar um tempinho em um James River da vida para ser preparado e ser desmanchado ou afundado em um SinkEX.

Quanto ao custo da parte navio da coisa, não deve ser muito diferente do Sao Paulo não. Um tripulacao que chega aos mil e poucos homens, 2 caldeiras e duas turbinas a vapor 70.000/77.000shp, 24 nós de Veloc contra 6 caldeiras, 2 turbinas 126.000 shp e 32 nós de veloc.

JACUBÃO
Visitante

Eu acho que todos deveriam virar gilete e parefusos, tanto o S. PAULO com o o Traua, são navios com mais de trinta anos de uso e para quem tem seus neurônios no lugar, sabe que são umas porcarias velhas que não vale apenas investir pois os custos de manutenção são extremmentes altos para um País “supostamente pobre”.

JACUBÃO
Visitante

Traua não, digo Taraua. Foi mal galera.

Marcelo Lopes
Visitante
Marcelo Lopes

Tarawa, uma porcaria …..

Ahhh claro, sua concepção foi um erro, alias o USMC deu graças quando eles se foram … NÉ (?!?!?1?!?!?)

eita …

Ahhhh claro não confundir capacidade de navio, com custo operacional, afinal qualquer anfibio pra ir e vir para para itaoca …..

PS: o Marroso, o Garcia (peincipalmente hoje o Mattoso) que o diga ….

MO

trackback

[…] County, que também chegaram a operar o “Sea Cat“) e o “Sea Dart” (dos Type 42 que serão substituídos). A cerimônia marcou a primeira vez, em mais de 30 anos, que uma nova classe de destróieres da […]

steve
Visitante
steve

do you have anymore photos of these type 42 destroyers at the leyal breakers facility please

steve