terça-feira, dezembro 7, 2021

Saab Naval

Produção de petróleo na “Amazônia Azul” aumentará 1/3 em 2009

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.naval.com.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

pre-sal

Produção de gás será equivalente ao volume importado atualmente da Bolívia

A Petrobras e seus parceiros terão um acréscimo de aproximadamente 500 mil barris de óleo por dia e mais 19 milhões de metros cúbicos diários de gás natural em sua produção com a entrada em funcionamento de pelo menos oito novos sistemas operacionais localizados na Bacia de Campos, Santos e Espírito Santo ao longo de 2009. Para se ter uma ideia do montante, o volume de óleo representa pouco mais de um terço do total produzido no País, e um pouco mais do que o maior campo da Petrobras, de Marlim, produz hoje. Já em relação ao gás, o acréscimo equivale ao volume importado atualmente da Bolívia.

Mesmo considerando que nenhuma destas unidades vai atingir o pico de produção ainda este ano, técnicos do setor estimam que elas podem significar um mínimo de 200 mil barris diários em sua produção. Levando em conta o total de declínio de produção em campos maduros e o volume ainda a ser adicionado das plataformas que entraram em operação em 2008 e que ainda não atingiram seu pico, a quantidade de barris a mais deverá ser suficiente para que a estatal cumpra a meta de produzir 2,05 milhões de bpd.

O primeiro dos sistemas a entrar em operação, com início previsto para amanhã, será o reservatório de Jabuti, no campo de Marlim Leste. O FPSO Cidade de Niterói, que já está na área para iniciar a produção, tem capacidade para produzir 100 mil barris por dia e comprimir mais 3,5 milhões de metros cúbicos de gás natural.

Em seguida, deve entrar o FPSO Cidade de São Mateus, que está ancorado em Vitória aguardando autorização da Marinha para partir para a área de Camarupim – área operada pela Petrobras (75,7%) em parceria com a El Paso (24,3%), onde produzirá 35 mil barris de óleo por dia e mais 6 milhões de metros cúbicos diários de gás natural. A previsão é de que a unidade tenha início de suas operações em abril.

Na mesma época deve começar a operar na mesma região o campo de Canapu, com capacidade de produzir no seu pico 2 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. Sem uma plataforma própria, o campo terá sua produção escoada por meio da plataforma hoje instalada em Golfinho.

Mas um dos grandes destaques do primeiro semestre será o FPSO que acaba de deixar Cingapura, rumo ao Brasil para fazer o Teste de Longa Duração (TLD) em Tupi. O FPSO Cidade de São Vicente terá capacidade para produzir apenas 20 mil barris por dia, mas será fundamental para identificar os detalhes do pré-sal naquela região, como a vazão dos poços, por exemplo. Isso será determinante para que a estatal saiba quantos poços deverá perfurar em cada área para extrair o óleo do local e, assim, ter ideia do custo exato para a exploração de cada área. O Ibama concedeu esta semana a licença de operação para o TLD de Tupi e a previsão é de que a unidade comece a produzir entre o final de abril e início de maio.

Para o segundo semestre entra o maior sistema previsto para este ano, a plataforma P-51, a primeira inteiramente produzida no Brasil, e que terá capacidade para 180 mil barris por dia e 6 milhões de metros cúbicos de gás natural. A unidade vai operar no campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos.

Também para o segundo semestre entram dois projetos privados com participação da Petrobras. O primeiro deles, é o campo de Frade, operado pela Chevron (51%). O campo produzirá 85 mil barris de óleo por dia. Já a área do Parque das Conchas nas águas da Bacia de Campos, que é operada pela Shell, com 50% do controle acionário, com a participação da Petrobras (35%) e do grupo indiano ONGC (15%), produzirá 100 mil barris por dia, tornando-se o maior campo em produção no Brasil nas mãos de investidores privados.

FONTE: Agência Estado

NOTA do BLOG: aproveitando o tema da “Amazônia Azul”, vale a pena assistir a excelente entrevista do vice-almirante Armando Amorim Ferreira Vidigal, membro do Centro de Estudos de Política e Estratégia da Escola de Guerra Naval – CEPE/EGN, feita pelo Programa Debate Brasil, disponível no link logo abaixo.
O almirante Vidigal presta ótimos esclarecimentos sobre a importância da “Amazônia Azul” e seu significado estratégico para o Brasil no século XXI.
Vidigal discorre sobre o Direito do Mar, a recriação da 4a. Frota da US Navy, as futuras crises mundiais, energéticas e ambientais, que colocarão o Brasil em evidência e os Royalties do Petróleo, que por direito, pertencem à Marinha e que não estão sendo devidamente liberados, para resolver o problema do reequipamento dos meios navais brasileiros, tão necessários para a proteção desse nosso imenso patrimônio.

http://www.aepet.org.br/debate_brasil/video_interna.php?videoID=32

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
JACUBÃO

Ótima notícia.
Quando começar a produção desse gás, poderemos mandar o “Pagé Boliviano” se f…

Rl

Jacubão, eu também pensei na mesma coisa que vc. Me veio a cabeça o seguinte. Se nós não importarmos mais o Gás do Pagé, eles irão perder uma das maiores se não a maior receita geradora de capital no país. Isso talvez aumentaria um outro setor que é ao mesmo tempo uma fonte de renda e por outro lado um motivo de fortes pressões internacionais para que seja combatida. O cultivo da Folha de Coca. Pelo que sei, o governo de Lula comprometeu-se em continuar a importação do Gás da Bolivia ate o final dos contratos que não sei até… Read more »

laguardia

Amigos. Não sou jornalista nem escrevo bem. Sou aposentado, recebendo do INSS e tendo o IR descontado na fonte. Não recebo as benesses de nosso apedeuta mor que tem pensão do INSS acima do máximo, isento de Imposto de Renda por se achar perseguido político, ou melhor, por se anistiado político. Luto com as armas que tenho que é um blog, como forma de desabafar ao ver tanta roubalheira, falta de ética, falta de honestidade e principalmente falta de vergonha na cara desta quadrilha que tomou de assalto o Palácio do Planalto. Quero convidar os amigos a participarem da minha… Read more »

Flamenguista

Mesmo se nor tornássemos autossuficientes em gás, creio que não deveríamos descartar o gás boliviano, uma vez que, nosso país pretende ter um crescimento econômico sustentável nos anos vindouros. O que poderíamos fazer é, utilizar esses fatos para renegociar contratos de compra de gás com nosso vizinho, uma vez que, somos os maiores compradores e a Bolívia depende muito dos recursos oriundos dessa venda.

Hornet

No Jornal El Pais, saiu esta matéria abaixo:

Brasil cierra el paso al gas de Chávez –
El gigante suramericano avanza imparable hacia la autosuficiencia energética

http://www.elpais.com/articulo/internacional/Brasil/cierra/paso/gas/Chavez/elpepuint/20090220elpepuint_1/Tes

vale a pena dar uma lida.

abraços a todos

Fábio Max

A Bolívia vai usar seus poderosos novos aviões de caça para bombardear os campos petrolíferos brasileiros e impedir que nosso país desista de importar seu gás!

Ume medida bem compatível com o nível intelectual de Evil Morales!

Ivan

Amigos, Só tive tempo agora de entrar na internet… Sabe como é…Entrega de material de última hora, Azulão, Galo da Madrugada, Conosco Ninguem Pode e (este ano não deu para ir) o vermelho e amarelo GRÊMIO LITERO RECREATIVO CULTURAL MISTO CARNAVALESCO EU ACHO É POUCO… que deve estar desfilando agora pelas ladeiras de Olinda, Patrimônio Histórico da Humanidade. Jacubão, Minha vontade é igual a sua, mandar o Evo… bem catar coquinho ou folhinha. Na verdade acredito que os técnicos da Petrobrás (aqueles preocupados com política de Estado e não de governo) trabalharam tenazmente para PODER mandar a administração Morales para… Read more »

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

China planeja base militar na costa atlântica da África

A China está procurando criar sua primeira presença militar permanente no Oceano Atlântico, na costa da pequena nação africana...
- Advertisement -