segunda-feira, dezembro 6, 2021

Saab Naval

KDX-II em ação

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Na sequência de fotos, o destróier KDX-II Yi Soon Shin, da ROK Navy, dispara seu canhão de 127mm. Notar que a torreta acompanha o movimento do radar de direção de tiro STIR240.
O navio sul-coreano foi avaliado pela MB para ser sua futura escolta, juntamente com a franco-italiana FREMM, a F-100 espanhola e a “De Zeven Provincien“, da Holanda. Caso o KDX-II fosse escolhido, no pacote também entraria a modernização do AMRJ e a transferência de corvetas da classe “Pohang” para a MB.

kdx-2-1

kdx-2-2

kdx-2-3

kdx-2-4

kdx-2-5

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ulisses

Na minha opinião é a melhor escolta que está ao alcance da MB e acho também que é a terceira melhor do mundo apenas perdendo para a KDX-III e Aerligh Burke.

Sds.

Mauricio R.

Melhor e mais interessante que as FREMM, c/ certeza tb é.

Flamenguista

Quem souber, por favor me esclareça essa bagunça pois, não entendo muito do assunto.
Em alguns sites, a KDX II aparece como fragata. Em outros, como destróier. Se ela é a “irmã” da KDX III, que é um destróier, então ela é também um destróier. Mas se ela está concorrendo com as FREMM, que são fragatas, então elas, aos olhos da MB, também são fragatas. Vixxi….

Guilherme Poggio

Flamenguista

Para ajudar você nas suas dúvias, leia o texto do PN no link abaixo
http://www.naval.com.br/opiniao/reclassificacao/reclassificacao.htm

Não sei se você ficará mais esclarecido ou mais confuso.

Ulisses

Flamenguista

Nos olhos da MB deveria ser como Contra-Torpedeiro,não?

molleri

Pelo jeito todo o “know how” obtido pelas áreas de apoio logístico e engenharia da MB na construção das Fragatas e das Corvetas vai para o brejo. Isso sem falar no desperdício do conhecimento adquirido na construção de submarinos que o país desenvolveu, sendo o único do hemisfério sul a fazê-lo. País rico é assim mesmo!

direto do fundo do mar

Bem, apesar de ser doido pela classe De Zeven Provicien holandesa, em especial a TROMP, quero informar que não tem como rolar esta classe para a MB. Os holandeses querem apenas vender seu produto, não oferecendo nenhum off set para o país. Em suma, apenas prateleira e nada mais. Se o Brasil quiser, eles vendem e nada mais. Sabemos que nos dias de hoje, compras de valores altos como U$ 600 milhões por unidade, não são feitas sem off set. Neste processo temos apenas a FREMM, a F-100 da Navantia( com radar APAR e não o SPY-1 AEGIS) e a… Read more »

Excel

Linda foto. Alguém sabe quando a marinha brasileira fará a sua decisão?

Ulisses

O número do casco do navio na foto é 975,eles já tiveram tantos navios para chegar a este número?

LM

Prezado Excel,

A idéia inicial era a de se anuciar os futuros escoltas em julho, logo depois da decisão sobre o F-X2. Contudo, com o adiamento do programa da FAB, o MD deverá também adiar a decisão sobre os futuros escoltas.

Marcelo Ostra

Não Ulisses

No caso o primeiro da classe foi aleatorio e os outros seguiram numeração

Quem utliza este forma de numeração na maioria dos casos é a marinha americana, seguindo (mais ou menos) um sequencial por tipo de navio

MO

Ulisses

MO

Obrigado,mas nos EUA pelo que eu sei porta aviões e couraçados sempre seguiram os números em ordem.

Sds.

Mauricio R.

“Pelo jeito todo o “know how” obtido pelas áreas de apoio logístico e engenharia da MB na construção das Fragatas e das Corvetas vai para o brejo.”

O know-how das fragatas já era e faz tempo, o dos submarinos está no mesmo camainho; o das corvetas esconde embaixo do tapete, que é embaraçoso.

“…sendo o único do hemisfério sul a fazê-lo.” País rico é assim mesmo!

Isto a Austrália fez antes de nós, creio eu por míseros 4 meses.

JACUBÃO

Se fosse sequencia de números a MB teria 49 fragatas.

Vassili Zaitsev

Jacubão,

Imagina só: a MB equipada com 49 escoltas de superfície do tamanho de fragatas ou maior. Seriamos a segunda maior Marinha d Guerra do Planeta.

Pena que seja só um sonho mesmo.

abraços.

JACUBÃO

Sonho mesmo Vassili, só temos nove, quarenta a menos desse sonho.

Dunga

Se observarmos a disposição da belovanes da marinha da koreia, deveriamos ter quatro (04) frotas operando para a nossa Marinha do Brasil, sendo cada uma composta de: tres LHD “tipo coreano”, seis destroieres classe Burke “coreano”, oito fragatas “padrao coreano”, com espaço para as Pohang ainda de patrulhas, fora os gururus que ainda sãi validos para açoes costeiras sem flar dos submarinos… So falta o Molusco se coçar e soltar o dim dim…

Marcelo Ostra

Ola Ulisses Verdade, a USN pode eventualmente confundir algum desatento por alguns navios estarem misturados, o principal exemplo disto eram os DD´s e DE´s Sem contar que alguns DE´s viraram FF, mas na mesma sequencia de numeros (Classes Garcia e Knox os DDG´s seguiram a numeração, sendo o ultimo Farragut/Coonts o DDG 46, depois iniciando pelo Ticonderoga que seria DLG 47, vindo os proximos ticos até o Valley Forge DLG 50, sendo o proximo o A Burke DDG 51, a sequencia foi quebrada com os 4 classes Kidd, que são DDG 993, 994, 995, 996, numeração sequencia dos Spruances Muitissimo… Read more »

Excel

Obrigado pela informação LM.
Vai ser duro aguentar a ansiedde até lá, mas ….

Ulisses

Obrigado MO.

cronista

Na minha opinião a melhor escolta para a MB, sem falar no preço, algo com US$200 milhões a menos que as FREMM e com espaço de sobra para a inserção de equipamentos “BR”.
Os off-sets são interessantes.

marujo

A minha candidata preferida são as fragatas francesas da classe que substitui as Lafaiette, na sua versão mais completa de 4.500 toneladas.

LM

Prezado Marujo,

O senhor estaria se refirindo a FM 400?

marujo

Sim. Gostaria de saber se o Sr. tem uma avaliação desse projeto e dele no contexto da Marinha do Brasil. Agradeço a atenção.

Excel

Para os curiosos segue abaixo link do Google Map com foto de KDX-II na principal base naval da Coreia, perto de Busan.

http://maps.google.com.br/?ie=UTF8&ll=35.137958,128.643808&spn=0.002202,0.003455&t=h&z=18

LM

Sim Marujo,

A DCNS ofereceu a MB os projetos FREMM (6.000t) e FM 400 (4.000t) para participar do programa dos futuros escoltas. O projeto FM 400, em um primeiro momento, não atende aos REM estabelecidos para esses meios, pois o que ficou definido é que seriam meios com deslocamento de 6.000t para que pudessem cumprir todas as tarefas destinadas aos escoltas.

Quem sabe se no futuro a MB optar por uma esquadra composta por escoltas Hi e Low, esses navios não sejam escolhidos? Por enquanto, não existe previsão para escoltas de 4.000t.

Marine

LM,

O senhor se incomodaria de nos dizer qual e a sua preferencia pessoal e profissional sobre quais deveriam ser as futuras escoltas da MB e o porque do seu raciocinio?

Sds, Semper Fi e Ad Sumus!

LM

Prezado Marine, No almirantado nunca existiu um consenso sobre qual esquadra se pretende para a MB. Existem dois grupos com pensamentos bem distintos. O primeiro grupo é o do antigo Comandante da Marinha, alte. Guimarães Carvalho, que era a favor de uma esquadra formada por 20 escoltas modernos, com navios especializados, ou seja, alguns teriam função ASW, outros função AAW e a maioria seria para EG (Emprego Geral). O alte. era contrário a construção de submarinos de propulsão nuclear, ele sempre dizia que só poderíamos construir esses meios quando tivéssemos orçamentos para garantir sua operação e manutenção. Para esse grupo… Read more »

LM

Marine, Com relação aos escoltas, prefiro navios especializados para AAW, outros para ASW e uma esquadra formada por vários para EG. Hoje a MB não possui capacidade de defesa de área. Na minha opinião os navios de 6.000t deveriam ser para esta função. Também temos sérias deficiências para a guerra anti-submarino (ASW). Deveríamos possuir navios menores, com deslocamento de cerca de 4.000 a 5.000t para EG e ASW. Particularmente acho que não teríamos como manter uma força de escoltas somente com navios Hi. Devemos operar também navios Low (cerca de 4.000t), pois seu custo de obtenção e operação é inferior… Read more »

Ricimer

Caro LM, pelos meus cálculos você deve ter sido contemporâneo do Rohwer na EN? Seus comentários são muito apreciados. Obrigado.

Vassili Zaitsev

LM, Tb sou da mesma preferência, quando falamos em tamanho futuro da MB. Prefiro bem mais a MB equipada com cerca de 20 escoltas de superfície modernas do que o atual planejamento (até 12 unidades). Porêm, aí entra em ação o pior inimigo das FFAA de nações como o Brasil: a falta de grana. Sinceramente, eu ficaria com o KDX-II como escolta HI ( 6 unidades ), + outras 6 de tamanho e deslocamento menor ( 3500-4000 tons) fazendo o papel de LOW. Isso sem falar que mais 3 unidades da Barroso (talvez MOD, pois o tempo urje e os… Read more »

Marine

LM,

O senhor mais uma vez foi profissional e inteligente na sua resposta, me permitiu ter uma visao mais humana das decisoes sendo tomadas.

Eu tambem ja que minha experiencia se limita a forca anfibia concordaria com o senhor e diria que sou da escola da marinha de superficie e aguas azuis. Mas como o senhor mesmo disse, devemos ter a nocao de que nossos superiores tenham maior acesso as informacoes e experiencia para tomarem tais decisoes.

Muito obrigado mais uma vez!

Marine

LM,

Tambem me preocupa a falta de defesa aerea da MB e do Brasil em geral e mais uma vez concordo com o senhor, me parece a primeira vista como leigo que a proposta da Coreia do Sul seria muito beneficial ao pais.

Assim como apontado pelo senhor tambem temos muitos outros problemas que as vezes deveriam ter maior prioridade, cito como exemplo a capacidade anfibia e de transporte do pais no contexto das futuras ambicoes do Brasil no cenario mundial.

Sds!

Excel

Ja que estamos falando de navios coreanos, finalmente foi definida a configuração da leva inicial das novas fragatas que a marinha coreana está planejando construir. Trata-se do programa FFX que terá 3 fases (FFX-I, FFX-II e FFX-III) Os navios da primeira fase (FFX-I) serão de 3.200 toneladas e serão equipados quase que totalmente com equipamentos fabricados no país. A configuração básica é: – Canhão KMk45 (versão local do Mk45 Mod4) – Míssil anti-navio SSM-700K (Sea Star) 8 unidades – Defesa de ponto RAM – CIWS Goalkeeper fabricado localmente sob licença – Radar 3D nacional similar ao Thales SMART/MW08 – Radar… Read more »

marujo

Quem sabe a MB nacionaliza o projeto das FFX e constrói pelo menos quatro para substituir as Inhaúmas?

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Construtor naval CSSC da China atinge a meta de entrega de 2021 e mantém a liderança mundial

A China State Shipbuilding Corporation (CSSC) informou que, com a entrega de dois novos navios em 1º de dezembro,...
- Advertisement -