Home Sistemas de Armas Defesa costeira: aprendendo com quem sabe

Defesa costeira: aprendendo com quem sabe

711
0

e-2c-jmsdf

O Japão não possui mais porta-aviões desde a derrota na Segunda Guerra Mundial. Mas sua capacidade de interdição marítima continua respeitável, com a dobradinha E-2C Hawkeye e o caça Mitsubishi F-2 (versão local do F-16), que aparece na foto armado com 4 mísseis antinavio ASM-2. O míssil ASM-2 é uma evolução do ASM-1 e também é usado pelos P-3C Orion e F-15J Eagle. A ogiva do ASM-2 pesa cerca de 200kg, o peso de lançamento é de 520kg e o alcance de mais de 50 milhas.

f-2-asm-2

f-2-asm-2-2

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Bronco
Visitante
Bronco

E o nosso MAN, hein?

Jacubão
Visitante

Tá pronto em agosto…de DEUS.

jose carlos
Visitante

Só uma duvida me parece que o Japão não pode vender material belico a outros Paises ?, gostaria de saber se é alguma imposição do pós 2GM ou é uma descisão interna do Governo Japones

Flamenguista
Visitante
Flamenguista

Moro pertinho da Base Aérea de Hamamatsu… Os E-3 Sentry decolam daqui, mas não sei se Hamamatsu é a “casa” deles.

Quanto à duvida do José Carlos, creio que o Japão só possa desenvolver um armamento se for para defesa do próprio território e não para venda. Lembrando que a constituição japonesa foi redigida pelos americanos e deu grande ênfase as questões militares, que visava apagar qualquer idéia expansionista do país.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

A Constituição imposta pelos americanos, veta a venda de material de defesa ao estrangeiro.

E o DDH 181??? Não que seja um CV clássico, mas jáa está bem encaminhado.

RJ
Visitante
RJ

O Japão não tem porta-aviões porque não pode.
Além disso, o japão é uma ilha (na verdade, várias ilhas), não tem dimensões continentais, nem uma costa tão vasta quanto a do Brasil.

Precisamos de uma força naval poderosa para defender nossos interesses (grande parte na chamada Amazônia Azul), apoiada por uma força aeronaval respeitável.

giovani80
Visitante
giovani80

A FAB tem capacidade de Interdição Maritima Hoje? com quais armas?

Flamenguista
Visitante
Flamenguista

RJ.
Não tenho certeza mas acho que a extensão da costa brasileira é menor que a do Japão. Além disso o país está “de frente” para potenciais inimigos, angariados durante décadas de desejo expansionista, invadindo e ocupando territórios de seus vizinhos. Só o fato de, tecnicamente o Japão ainda estar em guerra com a Rússia, submarinos chineses volta e meia aparecerem no limite do mar territorial, disputa territorial com a Coréia do Sul e a ameaça do “Mar de Fogo” norte-coreano, já justificaria qualquer gasto militar.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Alem de que, os americanos a anos insistem p/ que os japoneses assumam sua defesa em um raio de 1000 milhas das ilhas metropolitanas.

Galante
Visitante

Giovani, não, a FAB não tem capacidade de interdição marítima. Se tentar fazer, vai ter que ser com bombas burras.

André C
Visitante
André C

Depois que chegarem o conjunto P-3 + Harpoom ,vai alterar muita coisa na capacidade interdição maritíma da FAB ???

Galante
Visitante

André, vai ser um salto quântico para a FAB, mas o P-3 não é muito bom para ataque marítimo. Melhor seria a FAB dotar os AMX de um míssil antinavio, o que só vai ocorrer se um dia o MAN-1 ficar pronto.

Marcelo Ostra
Visitante
Marcelo Ostra

Sim, vai ter alguma coisa de verdade pra jogar nos navios

Ou seja serah maisu ma coisa pra phoder os navios, vindo de um ARGH aviaozinum

MO

trackback

[…] o novo míssil antinavio ASM-3, para conclusão dos ensaios em voo. O ASM-3, que substituirá o ASM-2 (Type 93), é um míssil de alta velocidade, movido a ramjet, proporcionando um alcance de cerca de […]