sexta-feira, dezembro 3, 2021

Saab Naval

China envia mais navios para águas somalis

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

051b

O segundo grupo de navios de guerra chineses zarpou ontem (ver fotos) rumo ao Golfo de Áden e águas somalis, para substituir o primeiro grupo enviado há poucos meses para missões de escolta em águas infestadas por piratas.
O primeiro grupo-tarefa chinês no Golfo de Áden escoltou mais de 100 navios com êxito e salvou três navios mercantes estrangeiros das mãos dos piratas. Apesar dos feitos notáveis, a pirataria na região continua galopante.
O segundo grupo vai continuar com a missão original. O destróier Shenzhen e a fragata Huangshan, juntamente com o navio de apoio Weishanhu, que vai continuar na região, farão a guarda dos navios chineses que navegam na região. Eles também vão escoltar navios de outros países em missões humanitárias. Mediante pedido, a Marinha chinesa também vai oferecer ajuda aos navios de outros países.

O segundo grupo espera encontrar mais dificuldades do que o primeiro. O conluio entre gangues de piratas, o aumento do emprego da violência, o uso de armas pesadas e as mudanças na estratégia de ataque dos piratas tornaram as missões de escolta mais perigosas.

Existem mais de 40 navios de escolta de 15 países na região. O segundo grupo de escolta chinês empreenderá cooperação positiva, como a troca de informações e visitas amigáveis a navios escolta de outros países.

054a

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ivan

Flamenguista, Vc acertou na mosca, É A GUERRA ASSIMÉTRICA NOS MARES. Mandar Destróiers e Fragatas é apenas exibição de músculos. Vale mais que uma Fragata (lança mísseis) um Cutter (navio de patrulha oceânico) da Guarda Costeira Americana. A missão é policial no mar, então os meios devem ser adequados aos fins. Minha sugestão: – Sistema C3I, centralizado em um navio de comando da Otan, para não criar problemas entre países vizinhos; – Cobertura 24 horas de radar, com aeronaves de patrulha, como por exemplo Orion, Atlantic, S-3 Vicking ou IL-38, obviamente ligados por dalalink com o comando; – Navios de… Read more »

Marines1

Ja se foi o tempo de que o brasil é pobre somos credores do FMI tamo bem na foto emprestando dim dim pra eles

joao terba

Se o Brasil quizer uma vaga no conselho de segurança vai ter de investir nas forças armadas,do contrário se torna até vergonhoso a sua participação.

João Curitiba

Uns vão lá e fazem. Outros só podem ficar na platéia assistindo. Pelo menos vamos bater palmas.

Flamenguista

A ONU deveria votar por ataques preventivos em terra como queria os EUA. Essa situação não pode perdurar indefinidamente. Nações como Índia, China e Rússia já se utilizam dos fatos para mostrar seus “músculos” aos vizinhos e para as respectivas opniões públicas internas. Além do mais, a prática já mostrou que grandes navios de guerra além de não intimidar os piratas, são indadequados para abordar pequenos barcos como os utilizados pelos memsmos. Talvez seja a guerra assimétrica chegando aos mares.

Marines1

Isso sim é navio pra botar medo se da marinha tivesse ums 8 desse , taria de bom tamanho

Jacubão

E o Brasil que reinvidica um assento no conselho de segurança da ONU, não envia nem uma chalana para a região onde certamente navega parte das exportações do país.
O Presidente LULA deveria aproveitar que os EUA estão na m… e o BARRANCO OBRAHMA está babando o ovo dele, para conseguir uns destróieres usadinhos e mandar até lá para pegar o JACK SPARROW e dar uma surra de gato morto nele, hehehe.

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

IACIT apresentará na Mostra BID Brasil tecnologias únicas existentes no país

Empresa com mais de 35 anos de história é referência em soluções de ponta que podem contribuir para...
- Advertisement -