quarta-feira, junho 29, 2022

Saab Naval

Vitória da FREMM?

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

fremm-proa

A revista Le Monde Diplomatique Brasil, em seu número de agosto, traz um artigo escrito por seu editor, intitulado “O PAC das Forças Armadas”.

O tom do artigo dá como certa a vitória da FREMM como futura escolta para a Marinha do Brasil. Diz assim um trecho do texto:

FRAGATAS

Ainda dentro do acordo França-Brasil serão construídas seis fragatas, da classe Fremm, nos estaleiros do Arsenal da Marinha, no Rio de Janeiro, que para tanto sofrerá modernização. O custo previsto desta iniciativa supera os US$ 2 bilhões. (…)

Clique nas imagens 3D da FREMM, para ampliar e nos links abaixo para conhecer mais sobre o navio.

fremm-alheta

fremm-bochecha

IMAGENS: DCNS

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

65 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
65 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
marujo

Ainda temos chance de adquirir os dois contratorpedeiros AA franceses da Classe C-70 (esqueci o nome). São dois navios ainda novos, que permitiriam pelo menos o estabelecimento de doutrita anti-aérea de áraea na MB. Não consta que eles estejam para ser encostados, mas quem sabe em uma negociação mais abrangente (FREMM, Gowind, Rafale)eles possam ser incluídos?

Parthenon

Eu não gosto de mesclar um assunto com outro, mas depois que não conseguimos comprar (ocasião) umas 3 Classe Spruances (ASW) e seu super radar ASW AN-56, e tambem perdemos (literalmente) a oportunidade (guerra) pra TAIWAN com os 4 Classe KIDD (AAW) e seu RADAR +200km (AN/SPS-48E), estes meios nós faz uma tremenda FALTA, nós dias atuais, a nossa Esquadra é muito fraca, principalmente depois que a Classe Pará (desatualizada) encostou, ainda se tornou mas fraca, mas possuia seu RADAR ASW, não gosto da OPÇÃO EG, acaba que nada se faz com a qualidade que se deve. Tudo simplesmente por… Read more »

Parthenon

Obs: Em tempo, a aquisição dos quatro navios (Classe Kidd) custou a Taiwan um total de 732 milhões de dolares, tendo os navios passado por um periodo de modernização e adequação às necessidades de Taiwan.

Perdemos 4 Destroiers AAW de qualidade, e o que temos hoje de AAW? e seu sistemas de defesa embarcado nas nossas Fragatas, qual seu alcançe? sinceramente, as vezes perçebemos que a nossa MB, erra e feio.

Dalton

Parthenon…

compreendo sua indignaçao, afinal vc quer o melhor para nossa marinha,mas lembro que nesta mesma epoca em que os “Kidds” estavam sendo vendidas a Taiwan, nossa corveta Barroso estava com sua construçao suspensa por falta de verbas.

Nós “nao perdemos” os 4 kidds, nao tinhamos como compra-los e mesmo se houvesse dinheiro disponivel para compra, ainda faltaria para moderniza-los e tripula-los, pois se me lembro bem, tanto os Spruances e sua versao AA , os Kidds possuiam e póssuem tripulaçoes de bem mais de 300 tripulantes.

abraçao

Roberto Carvalho

Essa noticia parece mesmo que foi plantada. Em nenhum momento eu ouvi nossos amigos aqui do blog que são militares darem certeza sobre as FREMM.

Gostaria que o LM ou outro amigo, que saiba do assunto, esclareça se é verdadeira essa reportagem.

Obrigado!

GUPPY

Caso os americanos venham com uma proposta incluindo um porta-aviões, qual seria o mais provável? Kitty Hawk?

marujo

Cronista, acredito que as bases norte-americanas na Colômbia eliminam, quase por completo, as chances dos
Estados Unidos no projeto de reequipamento das nossas forças armadas. Acredito que o Brasil não vai comprar equipamentos de potência estrangeira que está se preparando para intervir em assuntos regionais e desestabilizar govenos sul-americanos que não compactuam com seus interesses estratégicos e sua política de defesa. Acho que, mais do que nunca, o Brasil vai consolidar sua parceria francesa e a aliança estratégica para se resguardar de eventuais intervenções.

CELIO ANDRADE

Concordo com o Marujo…
Mas torço pelas KDX e as pohang de saldo…

Patriota

Tambem acho que a proposta francesa é a melhor do “FX naval”
FREMM + Mistral + uma versão do NA Charles de Gaule com propulsão convencional + corvetas classe Gowind.

Parthenon

Concordo totalmente com o amigo ARC, prefiro um misto de 6 KDX-II (EG) e 2 ou 4 KDX-III (AA), O RESTO completava com Corvetas construidas aqui pela EMGEPROM.

Roberto CR

Wolfpack em 10 Ago, 2009 às 22:39

Eu acho que é lobby, puro chute. E não acredito que o processo de aquisição se inicie neste governo. Vai ficar para 2011. Mas se não for tenho que concordar que estaremos salvando mesmo parte da indústria francesa.

Abs

gaspar

os yankes oferecem o AEGIS, o franceses em contrapartida ofereceram as Horizon…
comprar, nos podemos comprar qq uma, problema e mante-las…

marujo

A notícia não surpreende. Já é pública e notória o interesse da MB por esta Classe de navios. Pudera! Não consigo ver, no momento, nenhum outro projeto tão adequado às nossas necessidades,por um preço mais razoável quanto às FREMMs.

henrique

Os equipamentos franceses podem ser muito bons, mas caríssimos, sou muito reticente com relação as compras de submarinos e helicópteros franceses. O preço de 35 milhões de euros por um helicóptero do porte do super cougar não é razoável, sendo que a apenas alguns anos foram comprados por um preço unitário próximo a 12 milhões de dólares.O preço a ser pago por quatro submarinos e o casco do nuclear ser maior que o valor de seis submarinos nucleares é menos razoável ainda. O JOBIM tem que explicar esses valores. Atualmente existem bons fornecedores alternativos, os coreanos são um bom exemplo.… Read more »

Fábio Max

Na minha modesta opinião de leigo, penso que o Brasil optará por corvetas mais ou menos do tamanho da Barroso, ao invés de fragatas como as FREMM.

E as escoltas da esquadra serão apenas corvetas, em número de 10 ou 12, completentadas por Navios de Patrulha Oceânica pouco menores.

É a impressão que tenho, ante os muitos problemas orçamentários, embora torça para estar absolutamene errado!

paulo

Beleza.
Pelo menos o programa tem um norte.
Em que pese ser perigoso “colocar todos os ovos numa só cesta” (Rafales, Helis, Subs e agora escoltas) é melhor terminar o processo com escolhas definidas e compras acertadas que empurrar o resultado (escolha) com a barriga pra depois das eleições.
Mas se já foram acertadas as 6 de emprego geral quais serão as 4 antiaereas?

Ricardo

Apenas uma pergunta… Porque não as FREMM ?

CosmeBR

Se a Barroso não fosse pouco armada seria a melhor escolha, mas como é, melhor a FREMM mesmo que bem armada e está na mesma faixa de preço das concorrentes, pelo menos nas de emprego geral.

Juarez Castro

Ricardo em 10 Ago, 2009 às 20:30

Apenas uma pergunta… Porque não as FREMM ?

Porque quem mal consegue manter uma Niteroi, como fará para manter uma Fremm???
Vai chamar o Aladin….

Grande abraço

joao vaz bandeira

Srs. se comprarmos um projeto, com contingenciamntos e etc. p/6 unidades, e pelo que demorou a Barroso, em +/- 90 anos teremos 6 belas peças de MUSEU

joao vaz bandeira

Esqueci, NOVAS, recém saídas dos estaleiros

Wolfpack

Barba, cabelo e bigode… Vamos salvar a industria militar Francesa… Tomará que dê resultado e ninguém se arrependa depois.
Eu acho melhor isso e mantermos distância respeitosa de Russia e Estados Unidos.

WAR

Navios magníficos e sem esconder nenhum jogo (menos o pulo do chat… nes´t pas?…).
Podemos ainda barganhar com os EUA (equanto o Obama está bonzinho) para eles nos venderem baratinho 2 “carriers” para liderar as duas frotas, guarnecidos por 12 Superhornets (ou mesmo Rafales-M).
Vamos fazer manobras com eles na Amazônia (na cabeça do cachorro), por que não (com um enchame de black hawcs nossos e deles)? Já não fazemos na Amazônia Azul há anos?
E aproveitar seu guardachuva nuclear caso o Chaves passe da conta e realmente se alie ao novo Império Russo (falido, na verdade)

ARC

Acho a proposta coreana bastante interessante visto que quem domina o mercado naval comercial é a Hyundai que produz navios mais rápido que qualquer estaleiro no mundo e as fragatas KDX 2 e KDX 3 são excelentes plataformas

CMTE

Eu sou defensor que a Marinha do Brasil Construa suas proprias fragatas e não compre projetos prontos a MB tem a capacidade de construir navios por exemplo as Corvetas Inhauma e a Corveta Barroso são projetos Nacionais e por que não dá inicio a estudos para construir suas fragatas e seu novo Nae

Igo

Isso é LOBBY!!!

A disputa ainda nem começou e nego já tá dando por finalizada, essa disputa irá dar o que falar. Se os americanos oferecerem o Aegis, aí a briga será MUITO feia.

Mas isso é briga para o final do segundo semestre.

Abraços

Igo

Só completando…

Se os USA oferecerem alguma coisa com Aegis, os Franceses só conseguirão chegar num patamar próximo com as Horizon. Será uma bela briga.

Sds,

Jonas Rafael

Acho que especificamente nesse nicho aí (das fragatas) existem belas alternativas que são as espanholas e coreanas. Se tem algum lugar onde devíamos escapar um pouco dos franceses seria aí…

bulldog

A Holanda não participa? tem coisas muito boas lá… todos os citados são ótimos barquinhos, rs.. o problema e mantê-los operacionais sempre.. espero que a MB ou o MD estejam criando meios para que não haja contingenciamento de verbas no futuro. Escoltas desse porte paradas por falta de $ seria triste demais.

Wilson Johann

Concordo com o Jonas Fafael,

Em matéria de navios (escoltas) existem coisas muito melhor que as FREMM, e nem por isso mais caras. Taí o exemplo dos coreanos com sues KDX-II, poderosamente armados e com um preço bem em conta.

Abraços!!

Thiago

Notícia totalmente FAKE e que não me assusta vinda de um jornal de origem francesa, isso que é loby!!
Sem concorrência não dá!

Rodrigo Rauta

Concordo com o MO!
lembrando que o Requesito de Proposta ainda nem saiu! Ou seja, não tem nada oficial nisso!

Abraços!!!!!

Marcelo Ostra

Senhores, lembrar que ninguem ganhou nada, e ha uma possibilidade grande de le france cai du cavalê ….

Quem disse isso foi o Le Monde diplomatique …

Agardem o desenrolar dos fatos para afirmar essa ou aquela classe … ou ate mesmo … nenhuma …

Mod MO

Bronco1

Se o programa se concretizar e realmente as FREMM forem escolhidas, serão ótimos meios. Melhor que as FREEM, apenas se conseguíssemos comprar um projeto pronto de fragatas (o conceito das MEKO me agrada bastante) e construíssemos em conjunto com um estaleiro privado nacional. Mas como não há projeto disponível para a venda nem estaleiro nacional capaz de fazer um bichão desses (além da experiência de construção com contingenciamento de verdas que faz com que uma Barroso demore quase 15 anos para ser construída) não acredito nesta possibilidade. O mais provável é que em dado momento o governo tenha mesmo que… Read more »

Marcos T.

Com certeza precisamos de novos meios, más é prudente comprar tudo de um só fornecedor? Depois só falta comprar o MBT Lecrec para completar o kit “França-Feliz-Brasil-Liso”

Mauricio R.

Resolveram a inclusão do “Siconta” e do “Defensor” na proposta francesa???

tomas

Também Concordo com o amigo ARC, realmente um mix de 6 KDX-II (EG) e 2 ou 4 KDX-III (AA) seriam uma escolha muito boa.

Alfredo_Araujo

Acho interessante a Inglaterra, tradicional fabricante de navios de guerra e tradicional fornecedora de navios a MB, não ter nenhuma carta na manga para essa concorrência!!

Daqui a pouco eles estão comprando Burkes… ja q a Type-45 custa os olhos da cara da rainha…

HMS TIRELESS

Mais porcarias francesas a caminho….e o Brasil vai, feliz, financiando o reequipamento das forças francesas…

JSilva

Ué!

O que houve?

De repente a Coreia caiu nas graças do povo.

hehehe

Nunão

Marujo, que eu saiba, há duas possibilidades para a classe Cassard, embora faça um tempo que eu não me atualize sobre novas decisões a respeito da mesma: uma é a sua substituição por duas FREMM AAW (o mais provável). Outra era uma modernização extensa para utilizarem mísseis Aster 30 e radares compatíveis (bem menos provável, pelo custo-benefício). No caso de serem desativadas e serem transferidas para o Brasil, vejo só um problema: os sistemas de lançamento de seus SM-1, apesar de terem sido modernizados ao longo dos anos, são da década de 60, pois foram retirado de unidades que deram… Read more »

Cronista

Meus caros…. Para uma boa discussão devemos estabelecer algumas premissas e deixar para tras alguns *pré-conceitos* (separado mesmo, para dar ênfase). Primeiro, a disputa estará entre franceses (aliança estratégica e distanciamento dos EUA e Rússia); EUA, pelo seu imenso e incomparável poder de barganha (quem poderia, p.ex. oferecer um NAe, destróieres e fragatas usados, ou seja, uma frota completa, se não Washington…) e Coréia do Sul, porque ninguém faz navios tão rapidamente e tão baratos como eles. Segundo, e tenho dito isso já faz um bom tempo, apesar de sempre ignorado, as coisas mudaram, e muito! Os caças chegam na… Read more »

marujo

As grandes oportunidades que perdemos são os navios holandeses e ingleses que recentemente foram para o Chile. Podemos acrescentar, na respectiva época em que foram desativadas, as T22 B2. Spruances e Arleigh Burke não foram grandes oportunidades perdidas,pelo seu alto custo de operação e inadequação para a MB. As OHPs, por outro lado,estão subarmadas e seus sistemas precisam de modernização.Teríamos que investir muito em plataformas muito usadas para que pudessem ter algum valor operacional.

Parthenon

Mas amigo Marujo, posso até concordar com os altos custos e talz, e o que temos com o A-12 é o que, apesar da quantia paga? será que os custos já não foram consideraveis?

Fica aqui só minha tristeza de termos “perdido” a oportunidade de adquirir a Class Kidd (AAW), vide que a modernização se deu por conta dos EUA, e não de TAIWAN, como foi citada, e são excelentes navios até hoje.

Excel

Trabalhei por um breve momento na área de projetos e engenharia e me surpreendi com o poder que a França tem sobre o Brasil na hora de vender equipamentos. Acho que o poder do lobby deles no Brasil é muito preocupante.

KURITA

Na minha opinião vai levar anos até as FREMM ficarem prontas caso venham mesmo , nenhum de nós estara aqui pra ver

Giovani

Sou mais a KDX II Coreano.

Lucas Calabrio

Prezados

O futuro NAe muito provavelmente cheio de vant e com um mínimo de aviões tripulados.
Abraço

Lucas Calabrio

com relação a fremm são as melhores , mas o preço ….
sds

Roberto Carvalho

LM e Flal,

A MB cogita a possibilidade de reaparelhar a força somente com equipamentos de origem francesa? Não seria muito arriscado depender de um só fornecedor?

Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

1º Esquadrão de Aeronaves Remotamente Pilotadas fez o primeiro lançamento do ScanEagle

O 1º Esquadrão de Aeronaves Remotamente Pilotadas realizou o primeiro lançamento do drone ScanEagle, N-8001, na tarde de ontem...
- Advertisement -